Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Belo Horizonte e Vitória já estão há um mês sem chuva

14/01/2015 às 23:13
por Josélia Pegorim

n style="font-size: 13px;">A situação de Belo Horizonte, capital de Minas Gerais, e de Vitória, capital do Espírito Santo é desoladora: praticamente sem chuva há um mês. São Paulo tem tido temporais quase todas as tardes desde o início do ano, mas que só em sonho consegue aliviar a gravíssima crise de água da capital paulista. O Rio de Janeiro também sofre com a seca que é piorada pelo calor beirando aos 40°C. Mas em Vitória e em Belo Horizonte os pluviômetros estão literalmente secos, sem receber uma gota de chuva, há quase 30 dias. Em Belo Horizonte, a última chuva realmente volumosa registrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia foi entre os dias 14 e 15 de dezembro de 2014, quando um temporal despejou 71,3 mm sobre o centro da cidade. No período de 16 de dezembro de 2014 até 14 de janeiro de 2015 o INMET registrou apenas um evento de chuva entre 21 e 22 de dezembro de 2014 quando choveu 14,4 mm. BH ainda não teve chuva em 2015 Na escala anual, dezembro é o mês mais chuvoso em Belo Horizonte e janeiro é o segundo. Em dezembro de 2014 choveu 137,8 mm, sendo que a média normal fica em torno de 320 mm. A média para janeiro é de aproximadamente 275 mm. Janeiro de 2014 terminou com 57% de chuva abaixo da média. Em janeiro de 2015 ainda não choveu As contas da seca em Vitória são quase iguais as de Belo Horizonte. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a última chuva volumosa na capital capixaba ocorreu entre 14 e 16 de dezembro, deixando um total de 49,4 mm sobre a cidade. Entre 17 de dezembro de 2014 e 14 de janeiro de 2015 Vitória só teve um evento de chuva, entre 2 e 3 de janeiro de 2015, quando choveu 16,0 m. Previsões pessimistas A sede é grande, mas as condições atmosféricas não estão nada favoráveis para a chuva em Belo Horizonte e em Vitória e as previsões para o restante de janeiro são desanimadoras. Um bloqueio atmosférico vem mantendo as frentes frias afastadas da Região Sudeste há mais de uma semana e só deve ser parcialmente rompido na próxima semana. Isto vai facilitar a ocorrência de mais chuva sobre o Sudeste, mas não de forma generalizada.     A meteorologista Josélia Pegorim analisa a chuva sobre a Região Sudeste até o fim do mês.     Entenda as diferenças e semelhanças entre o bloqueio atmosférico de 2014 e o bloqueio do verão de 2015.   Ar polar à vista