Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Brasil queimando muito mais em julho de 2010

27/07/2010 às 11:21
por Josélia Pegorim

ong>Entre os dias 1 e 26 de julho de 2010, o Brasil tinha mais do que o dobro de focos de fogo observados em julho de 2009. Mais de 1100 focos de fogo foram observados no Estado de Mato Grosso no período entre 21 horas de ontem e 4h30 da madrugada desta terça-feira. A medição foi feita por vários satélites meteorológicos que monitoram os fogos de fogo pelo planeta. No Brasil, o Estado de Mato Grosso tinha o maior número de focos, seguido do Tocantins, com 325 focos e de São Paulo, com 279 focos de fogo. Estes dados foram divulgados hoje pelo INPE – Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais. Porém, um dado mais impressionante é o da comparação entre a situação de julho de 2009 e julho de 2010: entre os dias 1 e 26 de julho de 2010, o Brasil tinha mais do que o dobro de focos de fogo observados nos 31 dias de julho de 2009, considerando apenas as medições feitas pelo satélite NOAA -15. Julho de 2009 terminou com 3140 focos de fogo. Em julho de 2010, até o dia 26, o Brasil registrava 6540 focos. Uma das explicações para esse aumento excepcional está no tempo muito mais seco que vem sendo observado por quase todo o país em julho de 2010. De forma geral, o ano de 2009 foi com mais chuva do que o normal. Muitas áreas do país tiveram chuva no período normalmente muito seco que cobre quase todo o outono, o inverno e parte da primavera. A chuva fora de hora e acima do normal que o El Niño deu ao Brasil em 2009 evitou que a vegetação ficasse ressecada por muito tempo. Apenas como exemplo, em anos normais, a maioria das áreas de Goiás, de Mato Grosso, o Distrito Federal, o Tocantins, o Triângulo Mineiro e o norte de São Paulo, passam até três meses com pouca ou nenhuma chuva. Isto deixa a mata cada vez mais seca. Quando começam as queimadas agrícolas, para limpeza da terra que será usada para novos plantios, a vegetação está esturricada. O fogo se espalha com rapidez. Tudo queima fácil. Se o cuidado não for extremo, se a queimada não for feita corretamente, com técnicas apropriadas, o fogo que era para ficar só na terra agricultável sai de controle e vai para a mata que deve ser preservada. O tempo continua contra nos próximos dias. Pelo menos até 10 agosto, quase todas as áreas que estão queimando agora vão ficar sem chuva.