Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Cheia dos rios deixa Amazonas em emergência

29/04/2015 às 20:56
por Josélia Pegorim

Enqu
anto o centro-sul do Brasil esfria e perde chuva, Norte do país ainda está bastante úmido e quente. A grande disponibilidade de calor e de umidade gera nuvens de tempestades. Amazonas em emergência A Defesa Civil do Amazonas informa que 19 municípios estão em situação de emergência por causa da cheia de diversos rios que cortam o estado. O estado do Amazonas tem 62 municípios e tem o maior complexo hidrográfico do planeta No Porto de Manaus, o rio Negro atingiu a marca de 27,97 m nesta quarta-feira, 29 de abril, subindo 4 cm em 24 horas. O rio ainda está em processo de cheia e as águas já começaram a invadir alguns bairros de Manaus, a capital do Amazonas. Em 16 de maio de 2012 ocorreu uma cheia histórica do Negro. O nível do rio atingiu 29,78 m no porto de Manaus, o maior nível das águas em 100 anos. As águas do rio Negro deixaram muitos bairros de Manaus alagados. A cheia dos rios no Amazonas é um fenômeno natural que ocorre todos os anos. Em geral, o processo de cheia vai até o fim de junho. A partir daí começa o gradual processo da vazante. A chuva vai diminuindo sobre a Região Norte e também em parte de países vizinhos como a Colômbia e Peru. O monitoramento e alerta de cheias é feito pelo Serviço Geológico Brasileiro. Cheia do rio Solimões deixa 75% de Tabatinga inundada A cidade de Tabatinga, no Amazonas, localizada na tríplice fronteira Brasil-Peru-Colômbia está quase toda inundada pela cheia do rio Solimões, que passa pela cidade. Segundo informações da Defesa Civil do Amazonas, 50% da área rural e 25% da área urbana estão afetadas pelas águas do Solimões. O nível do rio voltou a subir nesta quarta-feira atingindo 13,59 metros. Esta marca está 23 cm abaixo da cheia histórica de 1999, quando nível do rio chegou a 13,82 m e a 17 cm da segunda maior cheia do Solimões em Tabatinga, quando o nível das águas atingiu 13,56 m. A Região Norte do Brasil vai continuar tendo chuvas frequentes, e muitas vezes fortes, pelo menos por mais 15 dias. A região de Tabatinga poderá receber mais de 150 mm de chuva.   Tempestade em Belém Na tarde desta quarta-feira várias nuvens muito carregadas se formaram sobre a Região Norte provocando tempestades. A que mais impressionou foi a que ocorreu sobre Belém, capital do Pará. Em apenas 1 hora, entre 15 e 16 horas, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 51,2 mm de chuva. Em duas horas, até 17 horas choveu 61 mm. Tecnicamente um acumulado de 20 mm em 1 hora já é considerado chuva forte. Durante a tempestade, uma rajada de vento no aeroporto internacional Val de Cães chegou aos 57 km/h. No aeroporto Júlio César a chuva muito forte reduziu a visibilidade para apenas 500m e uma rajada de vento chegou aos 42 km/h. Segundo o Inmet, a Região Norte registrou as pancadas de chuva mais intensas nesta quinta-feira.   Confira a previsão de chuva para 15 dias no Brasil