Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva continua escassa no ES, norte de MG e do RJ

01/02/2010 às 11:40
por Josélia Pegorim

A ch
uvarada de São Paulo escondeu a seca que vem sendo observada no Espírito Santo e em áreas do norte e nordeste de Minas Gerais. O excesso de chuva e a seca são efeitos opostos que o El Nino provocou na Região Sudeste. As mudanças na circulação dos ventos provocadas por este fenômeno climático impediram que as frentes frias chegassem ao Espírito Santo e ao norte mineiro. Sem a ajuda das frentes frias e com os níveis de umidade abaixo do normal, as pancadas de chuva foram ficando cada vez mais escassas. Os efeitos da falta de chuva estão por toda a parte. Com o pasto seco, o gado não tem o que comer e a quantidade de leite foi reduzida. As lavouras de café do Espírito Santo foram duramente prejudicadas. O Estado é o maior produtor nacional da espécie conilon, muito usada na confecção dos cafés solúveis. Com o calor e chuva escassa, o risco de incêndio nas matas aumentou. Áreas de reflorestamento no vale do rio Doce, em Minas Gerais, já registram focos de fogo. A falta de chuva é sentida há três meses. De acordo com os registros do Instituto Nacional de Meteorologia, a região de São Mateus, no norte capixaba, acumulou perto 130 milímetros em novembro de 2009, sendo que a média para o mês fica em torno de 170 milímetros. O problema é que toda a chuva caiu nos três primeiros dias de novembro. Depois não choveu mais. Em dezembro, o total de chuva na região foi apenas 30 milímetros, muito abaixo da média de 195 milímetros. Janeiro de 2010 terminou da mesma forma: perto de 10 milímetros de chuva acumulados, para uma média em torno de 157 milímetros. Na capital, Vitória, a falta de chuva e o calor excessivo também predominam desde novembro. Como em São Mateus, a Vitória teve chuva forte nos primeiros dias de novembro de 2009, mas praticamente não choveu em dezembro passado e em janeiro. A análise das precipitações é semelhante em localidades de regiões mineiras como o vale do rio Doce e vale do Jequitinhonha. O norte do Estado do Rio de Janeiro teve até chuvas fortes em dezembro, mas praticamente não choveu em janeiro e os termômetros superaram os 36ºC em muitos dias. A grande massa de ar seco que entrou no Sudeste do Brasil esta semana só piora de todas estas regiões. A tendência de queda dos níveis de umidade vai dificultar a formação das nuvens de chuva, apesar do calor. Algumas pancadas de chuva poderão ocorrer no decorrer da semana, mas em poucas áreas.  Em Nova Venécia, no norte capixaba, a chuva caiu até moderada na manhã de hoje.  O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 11 milímetros entre 6 e 10 horas da manhã de hoje.  Alguma chuva é melhor do que nada, mas os agricultores não devem ficar muito animados. A quantidade de chuva esperada para os próximos dias não será suficiente para reverter o quadro de seca.