Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Quase todo o Brasil sem chuva

04/08/2009 às 07:08
por Josélia Pegorim

Duas
massas de ar seco, uma polar e outra quente, influenciam quase todo o Brasil nesta terça-feira e inibem a formação de nuvens de chuva por quase todo o país. A massa polar é pequena e atua sobre o Sul do Brasil e com menor intensidade sobre São Paulo e Mato Grosso do Sul, causando também queda de temperatura no Rio de Janeiro e no sul de Minas Gerais. Essa massa polar veio junto com a frente fria que hoje passa enfraquecida pelo Espírito Santo. A outra massa de ar seco, quente, predomina sobre a maioria das áreas do Nordeste, do Norte, do Centro-Oeste e também em quase todo o Sudeste. AmSUL A presença de ar seco sobre o Brasil nesta época é comum e faz de agosto um mês de seca. Os efeitos negativos da baixa umidade do ar são sentidos há várias semanas especialmente em Goiás, na região de Brasília, no Tocantins, em Minas Gerais, no oeste da Bahia e também na parte leste de Mato Grosso, perto da divisa com Goiás. Nestas áreas, níveis de umidade do ar entre 20% e 30% estão sendo observados com frequência, e também mais críticos, como os valores de 12% na semana passada na região de Brasília, de 17% em Goiânia e 14% na Grande Belo Horizonte. Dias secos, quentes, com chuva ou frio podem ser bons ou ruins, dependendo da necessidade de cada um, da intensidade com que se observa estas condições. O excesso de chuva de julho causou grandes atrasos na colheita do café e no corte da cana-de-açúcar em São Paulo, no sul de Minas Gerais e no norte do Paraná. O frio do Sul foi bom para o trigo, mas a geada prejudicou as delicadas plantações de hortaliças no Paraná. A chuva excessiva de julho também causou estragos no cinturão verde que abastece a Grande São Paulo. A seca em Goiás está sendo ótima para a colheita do gergelim. O Norte do Brasil também já entrou na época de estiagem. A chuva que vem ocorrendo na Região já é rápida, com pouco volume e em poucas áreas. Uma consequência natural da diminuição da chuva no Norte e no Nordeste do Brasil é o aumento do calor. Temperaturas acima dos 34°C ficam cada vez mais comuns e o calor está só começando. Ainda temos um setembro e um outubro inteiros com pouca chuva. Até lá, o calor só aumenta. No Piauí, a população diz que a época do calorão é o "brobró". Isto é uma referência aos meses mais quentes do ano que terminam em "bro": setembro, outubro, novembro. No decorrer desta semana vamos ver quase todo o Brasil sem chuva, mas também outra frente fria entrando na Região Sul e trazendo chuvas intensas, especialmente para o Rio Grande do Sul e Santa Catarina.