Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Sudeste tem mais chuva esta semana

26/01/2015 às 22:04
por Josélia Pegorim

A se
mana começou com temporais em várias áreas de São Paulo, Minas Gerais e do Rio de Janeiro, mesmo sem a presença de nenhum sistema meteorológico especial para aumentar as condições para chuva. Calor e disponibilidade de umidade formaram aglomerados de nuvens carregadas que provocaram chuva forte, com muitos raios e rajadas de vento.     Segundo do Instituto Nacional de Meteorologia,  o sul de Minas, choveu quase 95 mm em Maria da Fé entre 18h do dia 25 e 18h de 26 de janeiro. Na mesma região e no mesmo período, Monte Verde acumulou 67 mm. Em Unaí choveu 31 mm 13h e 14h.     No Estado de São Paulo, choveu 78 mm sobre Sorocaba e 75,6 mm sobre Barueri, sendo que a chuva caiu toda a na madrugada do dia 26. No fim da tarde, a chuva caiu forte sobre Franca deixando um acumulado de 43 mm em apenas 3 horas de chuva. Em Barra do Turvo choveu 38 mm em 1 hora, entre 19h e 20h. Ainda em São Paulo, a cidade de Bauru teve rajadas de vento de 103 km/h às 19h55. Mais chuva Até a quarta-feira, o calor e a umidade do ar elevada serão os principais responsáveis pela ocorrência de chuva sobre o Sudeste. As pancadas podem ser fortes, mas devem ocorrer preferencialmente sobre São Paulo, no centro-sul do Rio de Janeiro, incluindo o Grande Rio, e no centro-sul e oeste de Minas Gerais, incluindo a região da Grande Belo Horizonte. Por enquanto, as áreas menos favorecidas com a chuva será o norte e nordeste de Minas Gerais, região do rio Doce e do rio Jequitinhonha e o Espírito Santo. Uma nova frente fria começa a influenciar Sudeste entre a tarde e a noite de quinta-feira, 29 de janeiro, e passa pelo litoral do Rio de Janeiro no próximo fim de semana. Esta frente fria terá força para estimular chuva por todo o Sudeste. Nos primeiros dias de fevereiro, outra frente fria vem reforçar a condições para chuva e deve atuar com força sobre o Espírito Santo e o norte mineiro.       Sem ASAS Uma mudança recente na circulação dos ventos e na pressão atmosférica facilitou a formação das nuvens: a ausência da atuação da ASAS – alta pressão subtropical do Atlântico Sul –, um sistema meteorológico que atuou forte sobre o Sudeste até o dia 20 de janeiro causando um bloqueio atmosférico. Além de impedir a chegada das frentes frias ao Sudeste, a ASAS dificultava o crescimento das nuvens. O bloqueio atmosférico foi quebrado com uma frente fria que chegou ao litoral de São Paulo no dia 21 e janeiro. Apesar do enfraquecimento do bloqueio, a chuva no Sudeste está muito abaixo da média para janeiro. Faltam poucos dias para terminar o mês e não há mais chance de recuperação. Janeiro, o primeiro ou o segundo mês normalmente mais chuvoso no Sudeste, termina devendo muita chuva.