Arquivo da Categoria ‘Nordeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Temporais de norte a sul do Brasil
sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Outubro deu ao Brasil calor demais e ficou devendo chuva em grande parte do país. Na primeira quinzena, a chuva cai volumosa sobre o Rio Grande do Sul, que provocou um novo pico de cheia do rio Uruguai. De forma atípica, choveu muito na costa leste do Nordeste. Na última semana do mês, a chuva forte e frequente sobre o norte de Minas Gerais e sobre o Espírito Santo fizeram com que estas áreas terminassem o mês com chuva acima da média.

Mas para a grande maioria dos país, a chuva de outubro foi muito abaixo do normal. No mapa de anomalia de chuva (diferença em relação à média) os tons de marrom indicam chuva abaixo do nromal.

 

Novembro começa com o Brasil mais úmido e quente. O forte sistema de alta pressão atmosférica que impediu a distribuição de umidade sobre o país por vários em outubro e também bloqueou as frentes frias já perdeu força sobre o Brasil.

A maior disponibilidade de umidade no ar e o calor são os ingredientes básicos para a formação de grandes nuvens que provocam os temporais típicos de dias quentes da primavera e do verão. É o que os meteorologistas chamam de chuva convectiva.

 

Estas intensas pancadas de chuva ocorreram nos últimos dias de Norte a Sul do Brasil, vindas das nuvens cumulonimbus que além da chuva forte provocam também raios, ventania e granizo.

 

 

Alguns exemplos do que foi observado na sexta-feira, 31 de outubro: em apenas 1 hora, nuvens muito carregadas que cresceram no sudoeste do Amazonas provocaram 35,6 mm na região de Boca do Acre. Em Sonora, em Mato Grosso do Sul choveu quase 28 mm entre 14h e 15h horas local.

 

 

Grandes nuvens voltaram a crescem sobre o Rio de Janeiro e provocaram granizo e chuva forte em algumas áreas da cidade. Na região serrana fluminense chove 29 mm em 1 hora sobre o Parque Nacional de Teresópolis, Em Campos do Jordão, em São Paulo, foram 24 mm entre 15h e 16h.

 

 

O primeiro fim de semana de novembro é marcado por áreas de instabilidade que vão espalhar nuvens de chuva por quase todo o país. O sol também estará presente, mas muitas destas nuvens poderão provocar chuva forte.

Não tem mais El Niño este ano! E agora Brasil?
quinta-feira, 30 de outubro de 2014

No começo do outono de 2014, a Organização Meteorológica Mundial alertou na imprensa sobre a ocorrência de um novo evento do fenômeno El Niño e que poderia ser muito forte. A comparação naquela época era com evento de 1997/1988, considerado o El Niño mais forte já observado, desde que se faz o monitoramento científico da temperatura da água do Oceano Pacífico, onde ocorre o fenômeno.

 

 

No inverno, a comunidade meteorológica fez uma nova avaliação da previsão do fenômeno e concluiu que ainda teríamos um El Niño em 2014, mas com intensidade muito menor do que a inicialmente prevista. Seria um El Niño com fraca a no máximo moderada intensidade e que só em setembro teríamos a confirmação efetiva do fenômeno.

 

 

O El Niño é um fenômeno meteorológico de escala global caracterizado pelo aquecimento acima do normal das águas do oceano Pacífico, na sua porção equatorial leste, que abrange toda a região entre a Indonésia, a Austrália e a costa do Peru.

 

 

 

Vários fatores precisam ser verificados para que um evento El Niño se configure. Um deles é que as água do Pacífico, na região conhecida como Niño 3.4, fique por três meses consecutivos com temperatura pelo menos meio grau acima do normal.

 

 

O El Niño altera o padrão de chuva e de temperatura em vários locais do planeta. No Brasil, os efeitos clássicos são a diminuição da chuva sobre a Região Nordeste e o aumento da chuva sobre a Região Sul.

Chegamos na primavera e uma nova avaliação concluiu que não temos mais um El Niño em 2014, que o fenômeno não estava configurado em setembro e nem iria se configurar.

O que deu errado? Sem o El Niño, o que muda na projeção da chuva sobre o Brasil no verão 2014/2015?  Confira a entrevista com a meteorologista da Climatempo Patricia Madeira, especialista em previsão climática.

 

 

Leia também

Que El Niño é este?

 

Teremos El Niño este ano?

Sexta com temporais em todas as Regiões do Brasil
quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Atualizado às 22h15 de 30/10/2014

O ar quente e úmido que está sobre o Brasil favorece a formação nuvens grandes e carregadas do tipo Cumulonimbus (Cb).

Estas nuvens são responsáveis pelos temporais de primavera/verão, ou seja, pancadas de chuva rápidas geradas por uma condição de abafamento do ar e que podem vir com grande volume em um curto período de tempo.

Nuvens de temporal chegando a Itapuilândia (PR) 30-10-2014 Giovani Patzlaff

 

Sexta-feira com temporais

Os temporais vão se repetir pelo Brasil na sexta-feira (31). O Sul terá o céu carregado e chuva a qualquer momento, ainda por conta da passagem da frente fria. O ar quente e úmido que ainda predominam sobre o Sudeste, Centro-Oeste e em parte do Norte e do Nordeste vai permitir a formação de mais nuvens carregadas que vão provocar pancadas de chuva rápidas à tarde e à noite em muitas áreas destas Regiões.

Chuva forte sobre Montes Claros (MG) 29-10-2014 por Felipe Santos

Além da chuva forte em pouco tempo, estas nuvens também podem provocar raios (descargas elétricas), que podem matar, e rajadas de vento tão intensas que podem derrubar árvores. Foi o que ocorreu nesta quinta-feira sobre o Rio Grande do Sul. Veja a velocidade das rajadas.

 

Ao longo do fim de semana a chuva ganhará mais força sobre o Sudeste por conta do avanço da frente fria. O céu ficará mais carregado em São Paulo e no Centro-Oeste. Em algumas áreas do oeste de Mato Grosso e de Mato Grosso do Sul se espera também uma queda de temperatura máxima por conta da grande quantidade de nuvens e da chuva.

A presença de umidade e do sol favorecem a ocorrência de um fotometeoro, fenômeno atmosférico associado à luz, muito bonito, o arco-íris. Esse fenômeno foi fotografado pelo Jonei Santos.

Você ficou sabendo?
quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Ar seco

Norte do Paraná foi a região mais seca do Brasil nesta quarta-feira. O aeroporto de Londrina registrou 10% de umidade no ar.

Níveis de umidade do ar em São Paulo e no Triângulo Mineiro voltaram a ficar muito baixos. URA ficou abaixo de 20% de forma generalizada.

 

 

 

 

Ar úmido

Com tempo chuvoso, sul da Bahia e Espírito Santo foram os locais mais úmidos do Brasil. As cidades mais úmidas nesta quarta-feira foram Santa Teresa e São Mateus, ambas no Espírito Santo. No período entre 19h de 28 de outubro e 19h de 29 de outubro de 2014, a menor umidade relativa do ar registrada pelo Inmet nas duas cidades foi de 92%!

 

A chuva vai parando na sexta-feira e o sol volta a predominar no fim de semana.

Calor – maior temperatura

Piauí e Rio Grande do Sul foram os Estados mais quentes do Brasil nesta quarta-feira. A maior temperatura no país, pela medição automática do Instituto Nacional de Meteorologia, foi de 38,3°C em Piripiri, no norte do Piauí. Mas merece destaque o calor de Campo Bom, município da Grande Porto Alegre que registrou a terceira maior temperatura do país: 37,9°C.

Nesta quinta-feira, a temperatura começa a baixar no Rio Grande do Sul por causa da chuva e do ar polar. O ar frio polar se espalha sobre o Sul no fim de semana.

 

 

Frio – menor temperatura

A menor temperatura registrada pelas estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia nesta quarta-feira foi de 7,4°C em Monte Verde, município do Sul de Minas Gerais.

Chuva mais forte em 1h

Até às 19 horas, pela medição automática do Instituto Nacional de Meteorologia, a maior quantidade de chuva acumulada em 1 hora nesta quarta-feira foi de 33,4 mm, em Peixe, no Tocantins. Este volume de chuva foi acumulado entre 12h e 13h (11h e 12h local).

Maior chuva acumulada em 24h

A maior quantidade de chuva acumulada no período entre 19h de 28 de outubro e 29 de outubro de 2014, pela medição automática do Instituto Nacional de Meteorologia, foi de 76,8 mm em Linhares, no Espírito Santo.

 

Muita chuva no oeste e sul da Bahia
quarta-feira, 29 de outubro de 2014

A presença de um Vórtice Ciclônico nos Altos Níveis Atmosféricos (VCAN) consegue organizar as áreas de instabilidade e provocar grandes volumes de chuva sobre algumas áreas do oeste e do sul da Bahia.

Na imagem do satélite meteorológico é possível ver a presença de grandes nuvens que são capazes de provocar chuva forte, nas áreas em azul.

Os acumulados de chuva se elevaram bastante, confira os volumes registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) entre a madrugada e a tarde da quarta-feira (29).

Destaque para a cidade de Porto Seguro com acumulados de cerca de 100mm em 48 horas, sendo que 53mm deste valor foi apenas em 1 hora na tarde de terça-feira (28). A cidade de Luís Eduardo Magalhães registrou 27,4mm entre às 10h e às 11h da manhã de quarta-feira (29).

As áreas de instabilidade do VCAN não conseguem chegar com tanta força sobre o Recôncavo Baiano. Dessa forma há o risco de chuva sobre Salvador, mas não com tanta intensidade.

Chuva enfraquece nos próximos dias

O Vórtice Ciclônico vai perder força ao longo dos próximos dias. Dessa forma a chuva enfraquece gradativamente. A partir da sexta-feira (31) a previsão será de rápidas pancadas de chuva.

Muita chuva no Sul da Bahia – temporal em Porto Seguro
terça-feira, 28 de outubro de 2014

Áreas de instabilidade que estão ativas entre o sul da Bahia, o Espírito Santo e norte de Minas Gerais espalharam nuvens bastante carregadas sobre o litoral sul da Bahia. Tem chovido quase sem parar na região desde a madrugada de , segunda-feira, mas por volta das 13h local (14h em Brasília), um núcleo de tempestade passou sobre Porto Seguro provocando chuva intensa, com raios e ventos fortes. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 53,2 mm de chuva em apenas 1 hora, entre 13h e 14h local. O aeroporto da cidade registrou uma rajada de vento de 64 km/h às 13h20 local e por causa da chuva forte, a visibilidade nas pistas foi repentinamente reduzida para 100 m. Às 14h e às 15h, foram observadas outras duas rajadas de vento  com 46 km/h e 38 km/h. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o total de chuva acumulado entre 15h de segunda e 15h desta terça-feira, no horário local, era de quase 78 mm.

Belmonte, uma cidade próxima e ao norte de Porto de Seguro, também sentiu a chuva forte e teve 36 mm entre 14h e 15 horas local

A sequência de imagens de satélite mostra as nuvens carregadas (manchas em azul claro) que passaram sobre Porto Seguro.

 

 

Nesta quarta-feira, as áreas de instabilidade no sul da Bahia continuam muito ativas e vão provocar chuva frequente no decorrer do dia. Há risco de novos temporais no litoral sul da Bahia, incluindo Porto Seguro.

A previsão indica que a áreas de chuva (manchas coloridas) enfraquecem muito a partir de sexta-feira, 31 de outubro.

 

 

Calor intenso no Pìauí

Apesar da chuva forte no sul da Bahia e em algumas áreas do sul do Maranhão, é o ar seco que predomina sobre o Nordeste deixando grande parte da Região sem condições para chuva. A pouca nebulosidade e o sol forte permitem um grande aquecimento do ar. Em Oeiras, a temperatura chegou aos 41,1° C na segunda-feira, 27 de outubro.

O Piauí vem sendo o estado mais quente do Brasil esta semana. Nesta terça-feira, das 10 mais altas temperaturas registradas pelas estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia, 9 eram cidades do Piauí.

Outubro é época de muito calor no estado. Este mês é parte do que a população do Piauí chama de Be- r -ó Bro, a época mais quente do ano.

 

Bahia terá mais chuva nesta semana
segunda-feira, 27 de outubro de 2014

O sistema de baixa pressão atmosférica que provocou chuva em algumas áreas do Sudeste, avançou para o norte do Oceano Atlântico e se posicionou na costa entre os Estados do Espírito Santo e do sul da Bahia.

Na imagem do satélite meteorológico os tons em amarelo representam nuvens grandes que provocam chuva forte. Estas áreas avançam do norte de Minas Gerais e do Espírito Santo em direção ao sul da Bahia, provocando chuva em áreas como o Oeste, Médio São Francisco e na Serra Geral.

O ar mais úmido vindo de noroeste encontra uma massa de ar muito quente sobre o Estado baiano, desta forma são desenvolvidas grande nuvens carregadas que provocam pancadas de chuva. Tanto que os volumes de chuva acumulados subiram bastante nas últimas 24 horas, nos Estados de Minas Gerais e do Espírito Santo.

A cidade de Porto Seguro registrou 26,2 mm de chuva entre 20h do domingo e 20h da segunda-feira (27).

Em outubro, até o momento, as áreas do litoral leste são as que obtiveram os maiores volumes acumulados de chuva. As áreas em verde mostram acumulados de chuva de até 200mm que são observados no leste pernambucano, Alagoas e Sergipe.

Acumulado mensal de chuva para o mês de outubro

Exatamente nestas áreas, em que a chuva está mais presente por conta dos ventos úmidos que sopram do oceano, temos chuva acima da média climatológica para o mês de outubro. No mapa de anomalia, é possível notar que apenas o centro norte do Nordeste possui acumulados de chuva acima da média normal, nos tons em azul. O ar seco predominou nas demais áreas e impediu a permanência da chuva, que pode ser vista nos tons em laranja.

Anomalia de chuva para o Nordeste no mês de outubro

 

Chuva volumosa no centro-sul da Bahia durante a semana

Os volumes de chuva vão aumentar bastante ao longo dos próximos dias no centro-sul baiano. O sistema de baixa pressão atmosférica vai continuar ao largo da costa organizando nuvens carregadas e deixando o tempo instável. Segundo informações dos modelos meteorológicos, os volumes de chuva podem passar dos dos 150mm em áreas do sul e do oeste.

Quer saber mais sobre as condições do mar e o tempo nas praias? Clique e confira o ClimaSurf

O que vem por aí?
domingo, 26 de outubro de 2014

Outubro está terminando sob influência de grande áreas de instabilidade, que voltaram a provocar chuva em grande parte do Sudeste e Centro-Oeste do Brasil. Enquanto isso, duas massas de ar seco vão impedir a ocorrência de chuva nesta semana em quase todo o Nordeste e no centro-sul do País. Acompanhe aqui na Climatempo, lendo nossas matérias e nos jornais meteorológicos ao vivo, Climatempo News, as reviravoltas do tempo no Brasil. Veja alguns assuntos que vão merecer uma atenção especial dos meteorologistas.

 

- As áreas de nuvens pesadas continuam se formando entre o Espírito Santo, Minas Gerais, Bahia, Goiás e Tocantins até o meio desta semana. Os volumes de chuva previstos pelos modelos meteorológicos são bastante expressivos nessas áreas e podem trazer transtornos para a população.

- Já no Sul do Brasil, nos Estados de SP e do RJ, e entre Alagoas e Maranhão, a semana será marcada por pouca ou nenhuma chuva. Nessas áreas a temperatura fica em elevação, mas dessa vez não há previsão de recordes históricos nem de temperaturas extremas.

 

 - Novembro deve começar com grandes reviravoltas no centro-sul do Brasil. Desde a semana passada a Climatempo já vinha comentando sobre essa mudança e a volta da chuva tão esperada. E os modelos meteorológicos estão mantendo essa tendência!

- Uma grande frente fria deve trazer bastante chuva para Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Essa chuva deve cair inclusive sobre as regiões onde ficam reservatórios de abastecimento de água e de usinas hidrelétricas.

- Para o Nordeste é que a notícia não é boa: ainda não há previsão de uma boa chuva para a Região.

 

 

Você vai acompanhar todas as viradas do tempo aqui na Climatempo pelos destaques e pelos jornais ao vivo, Climatempo News.

 

Queremos deixar você cada vez mais bem informado sobre as mudanças do tempo. Como você usa a previsão do tempo? 

 

Nordeste segue com pouca chuva
domingo, 26 de outubro de 2014

Já há meses o Nordeste do Brasil vem recebendo pouca ou nenhuma chuva. No começo de outubro, um evento de chuva volumosa causado por uma frente fria estacionária levou muita chuva para o Alagoas e leste do Pernambuco, o que gerou transtornos nessas áreas e fez com que a chuva acumulada em apenas 3 dias ultrapassasse a média climatológica do mês. Todas as outras regiões nordestinas estão com chuva muito abaixo do normal.

 

Nesta semana a situação não vai ser muito diferente para a maior parte da Região. Apenas a Bahia é que vai receber pancadas de chuva devido ao avanço de áreas de instabilidade, que neste fim de semana influenciaram o Sudeste e o Centro-Oeste. Durante os próximos dias as nuvens carregadas se deslocam para o Estado baiano e causam chuva em quase todo o Estado, e essa chuva pode ser forte. Os maiores volumes acumulados estão sendo esperados para as regiões sul e sudeste da Bahia, entre terça e quarta-feira.  Já as outras regiões do Nordeste continuam com o tempo quente e seco.

Eleições com pancadas de chuva
sábado, 25 de outubro de 2014

O segundo turno das eleições para presidente e governadores acontece neste domingo, 26 de outubro de 2014.

A população brasileira vai às urnas numa condição meteorológica bastante diferente em relação ao que foi observado no primeiro turno. O sol e o ar seco predominaram no primeiro turno das eleições de 2014. A chuva causou problemas em algumas áreas do Sul e do Nordeste.  Mas uma grande mudança atmosférica aconteceu nos últimos dias e o risco de chuva aumentou muito sobre o Brasil.

A meteorologista Josélia Pegorim analisa como ficará o tempo e a temperatura em todo o país para este domingo, 26 de outubro de 2014. Confira!

 

 

Você sabia que o Brasil também é terra de tornados?

O que deixou o Brasil sem a chuva em 2014? 

Sol e vitamina D: o que acontece quando não tomamos sol?

Saiba porque a primavera pode piorar a rinite alérgica