Arquivo da Categoria ‘Ar Seco’

+ aumentar e diminuir fonte -
Quando São Paulo vai esquentar?
domingo, 27 de julho de 2014

O último fim de semana de julho foi com uma das maiores sensações de frio do ano no Estado de São Paulo. Não por causa de temperaturas extremamente baixas à noite, mas pelas tardes frias. A combinação de ar polar com a falta do sol deixou uma sensação de muito frio. Foi culpa do excesso de umidade.

Quando vai esquentar?

O ar polar intenso vai se afastando do Brasil no decorrer da semana, o que vai facilitar a elevação da temperatura em todo o país.

Agora, compare as duas imagens de satélite. A da esquerda, das 5h45 do domingo,  mostra uma quantidade de nuvens muito maior sobre o Estado de São Paulo do que a direita, das 17h35 do domingo. As nuvens mais densas, com chuva, aparecem nos tons de azul e verde.

 


A nebulosidade e a chuva diminuem sobre todas as regiões paulistas. A semana começa úmida, mas vai terminar seca. Prepare-se para o chamado “efeito cebola” no fim da semana.

 

Novo recorde de frio na cidade de São Paulo

Vai esquentar em São Paulo especialmente a partir de quarta-feira. Só que ainda poderemos ter recorde de frio na cidade de São Paulo, desta vez de madrugada mais fria do ano. Vem aí, noites sem nuvens! A menor temperatura de 2014, segundo do Inmet, foi de 9,6°C, em 4 de junho.

 

Tarde mais fria do ano

A cidade de São Paulo teve recorde de temperatura menor temperatura máxima no sábado, 26 de julho, com máxima de 15,2°C, segundo a medição do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona da capital paulista. O domingo foi quase igual, com temperatura máxima de 15,4°C.

Veja o gráfico da tendência da temperatura para São Paulo no decorrer da semana.

 

Saiba mais sobre sensação térmica

 

 

São Paulo quente e seca: poluição aumentou
quinta-feira, 17 de julho de 2014

São Paulo está mais seca e poluída nesta quinta-feira.  Às 11 horas da manhã, pela medição da Cetesb (Companhia Ambientam do Estado de São Paulo) a região de Parelheiros, na zona sul da cidade, estava com qualidade do ar “ruim”. O número de locais com qualidade do ar regular aumentou em relação a ontem.

Na Baixada Santista, a situação era pior na região de Cubatão. A estação medidora em Vila Parisi estava com qualidade do ar muito ruim.

Veja o resumo das 11 horas na capital e no Estado de São Paulo

 

 

A atmosfera possui muitos poluentes, mas apenas alguns deles são considerados na hora de medir a qualidade do ar. Confira com a gerente da divisão de qualidade do ar da CETESB, Maria Helena Martins, quais são esses poluentes.

 

A tarde desta quinta-feira segue seca e quente na capital e em todo o Estado de São Paulo. A temperatura na cidade de São Paulo deve ser a mais alta dos últimos 10 dias. Ontem, a máxima chegou aos 23,5°C, segundo o Inmet, e no dia 6 de julho, a temperatura máxima foi de 25,7°C.

Frente fria se aproxima

Uma frente fria está vindo do Sul do Brasil e muda o tempo em São Paulo nesta sexta-feira, causando chuva na maioria das áreas do Estado. Confira a previsão para a Região Sudeste.

 

Horizontes do Brasil
segunda-feira, 14 de julho de 2014

por Patrícia Pinheiro

O 14º desafio #fotografeotempo chegou e, com o tempo seco predominando sobre o país nesta semana, o céu ficará a cara do INVERNO: azul, azul!
E é exatamente esse a intenção do novo desafio: mostrar fotos das cidades e do azul que vai dominar a paisagem. Então, prepare-se para participar do #fotografeotempo e mostre pra gente onde você mora e o maior horizonte azul que você puder!

Participar continua fácil! Veja:
1º Fotografe sua cidade e o horizonte azul dela
2º Publique no seu instagram
3º Coloque as hashtag’s #fotografeotempo e #horizonteazul
4º Marque @climatempo na sua foto

E pronto, você já estará participando!

Se você não tiver Instagram, não se preocupe. É só seguir todos os passos e publicar sua foto em uma de nossas redes sociais ou em nosso portal, na área “Participe

Você pode nos enviar várias fotos e quem sabe sua foto vira destaque do site da Climatempo e em nossas redes sociais!
Fique ligado! O resultado sai na quinta-feira, dia 17!!

Participe!

Seca prejudica lavouras de milho em MG
terça-feira, 8 de julho de 2014

A falta de chuva tem causado problemas para a lavoura de milho no centro-oeste de Minas Gerais. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

Ar seco deixa Brasil em alerta
sábado, 5 de julho de 2014

A primeira semana de julho está sendo marcada por ar muito seco em grande parte do Brasil. Níveis de umidade relativa do ar iguais ou abaixo dos 20% foram registrados em todas das Regiões do país.

O ar seco é uma característica comum desta época do ano, quando normalmente um grande sistema de alta pressão atmosférica predomina sobre o país. Mas no começo desta semana, a passagem do ar polar sobre o centro-sul do Brasil contribuiu para que ar ficasse ainda mais seco. No dia 1 de julho, a umidade relativa do ar (ura) chegou aos 13% no dia em Castro, no interior do Paraná, e aos 14% em áreas da cidade de São Paulo.

 

 

A presença da alta pressão causa o que os meteorologistas chamam de subsidência ou ar subsidente. Nesta situação, há um forte movimento do ar de cima para baixo, trazendo o ar seco dos níveis mais elevados da atmosfera para as camadas de ar próximas do solo. Em outras palavras: um grande sistema de alta pressão atmosférica faz o ar secar.

A tabela mostra os índices de umidade relativa do ar mais baixos registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia no dia 4 de julho.

 

 

Pelos padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS), níveis de umidade relativa do ar entre 12% e 20% representam uma situação de “alerta” para o ar seco. Abaixo de 12% entramos numa situação de “emergência”.

 

 

Neste sábado, o centro (A) da alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS) passa sobre a Região Sudeste e uma maior quantidade de áreas poderão ter horas em situação de alerta por causa do ar seco. Mas no decorrer do domingo, o centro da alta pressão vai para o mar, o que vai enfraquecer o efeito da subsidência sobre o Brasil

 

 

 

Tempo no Jogo, o canal da Climatempo na Copa 2014. De olho na bola e no tempo!

Participe! Clique o tempo na Copa: #temponojogo

Poluição: Quem paga a conta?
sexta-feira, 4 de julho de 2014

A poluição piora cada vez mais em todo o mundo, e normalmente os países menos desenvolvidos são os que mais sofrem. Confira com o Doutor Paulo Saldiva porque os países campeões na emissão dos gases de efeito estufa não são os mais poluídos.

 

Está curtindo a Copa?  Acompanhe o Tempo no Jogo, o canal da Climatempo na Copa 2014. De olho na bola e no tempo! Participe!

Clique o tempo na Copa: #temponojogo

 

Sudeste mais seco e quente no fim de semana!
sexta-feira, 4 de julho de 2014

O calor e o ar seco sobre a Região Sudeste chamam a atenção no fim desta primeira semana de julho. O sol e o calor vão predominar no fim de semana. Os níveis de umidade do ar tendem a ficar mais baixos nos próximos dias em São Paulo, no centro-sul de Minas Gerais e no Rio de Janeiro. Muitas cidades poderão entrar em situação de alerta com valores de umidade entre 12% e 20%.

Confira com a meteorologista Josélia Pegorim os detalhes da previsão para o Sudeste neste fim de semana.

-

Está curtindo a Copa?  Acompanhe o Tempo no Jogo, o canal da Climatempo na Copa 2014. De olho na bola e no tempo! Participe!

Clique o tempo na Copa: #temponojogo

Ar parado deixa São Paulo mais poluída
quinta-feira, 3 de julho de 2014

Os níveis de poluição aumentaram um pouco mais sobre São Paulo nesta quinta-feira. A Cetesb – Companhia Ambiental do Estado de São Paulo – registrou qualidade “muito ruim” na região da ponte dos Remédios, um local na marginal do rio Tietê, zona norte da cidade. Em relação à quarta-feira, 2, houve um aumento do número de locais avaliados com qualidade do ar “ruim”. Na segunda-feira, quase toda a cidade tinha boa qualidade do ar.

Além da falta de chuva prolongada, a concentração de poluentes tem aumentado nos últimos dias devido também à falta de ventos. Os ventos ajudam a misturar o ar, dispensando os poluentes .

 

 

Vento à vista

Os paulistanos vão passar mais alguns dias na secura e envolvidos pelo ar parado e poluído. Até o domingo, o tempo não deve ter grandes mudanças. Além do calor, não há previsão de chuva, mas algumas nuvens podem surgir sobre a cidade. Mas tem vento no fim do túnel e  está próximo. Uma frente fria vai passar pela cidade entre os dias 7 e 8 de julho. A previsão é de pouca chuva, mas a umidade e os ventos aumentam, o que vai ajudar a dispersar a poluição e melhorar a qualidade do ar.

 

A poluição é o “inimigo que paira no ar” e muitas vezes não tem cheiro.

Quinta suja em São Paulo
quinta-feira, 3 de julho de 2014

O ar na região da Grande São Paulo tem estado mais poluído nos últimos dias. A falta de chuva prolongada e o ar parado, sem ventos, aumentou a concentração de poluentes. O horizonte paulistano tem ficado cada vez mais sujo, escurecido por causa do aumento da quantidade de poluentes.

Esta fotografia foi tirada do 25º andar de um prédio da avenida Paulista, no centro de São Paulo, no dia 2 de julho de 2014, por Vinicius Villa. Entre o céu azul e o topo dos prédios, o ar escuro e sujo.

A chance de chover é baixa nos próximos dias. Confira a previsão para a São Paulo.

 

 

 

Veja também:

O inimigo que paira no ar

Reservatórios de água na Grande São Paulo estão secando

Quando a Grande SP terá um pouco de chuva?
quarta-feira, 2 de julho de 2014

A qualidade do ar piorou na região metropolitana de São Paulo nesta quarta-feira. A avaliação feita pela Cetesb (Companhia Ambiental do Estado de São Paulo) no fim da tarde da quarta-feira, 2 de julho, mostrou que praticamente toda a cidade de São Paulo estava com qualidade do ar moderada. Em seis locais de medição, Itaim, a qualidade do ar foi considerada ruim. Na segunda-feira, quase toda a Grande São Paulo teve boa qualidade do ar.

O ar da Grande São Paulo está sempre poluído e convivemos diariamente com um excesso de impurezas que atacam nossa saúde de maneira silenciosa e muitas vezes sem cheiro, sem cor. Com a falta de chuva e de ventos, o ar está mais empoeirado. A concentração de poluentes aumentou.

A Grande São Paulo precisa de chuva! Mas não pode ser garoa, tem ser chuva de verdade para fazer uma boa faxina na atmosfera.

A meteorologista Josélia Pegorim mostra como está a expectativa de chuva para os próximos dias.

 

 

A poluição é a maior causa ambiental de perdas de vida humana, superando a malária. O que fazer para aliviar os efeitos negativos da poluição e da secura do ar?