Arquivo da Categoria ‘Ar Seco’

+ aumentar e diminuir fonte -
Ar fica mais seco e quente na Grande SP
quarta-feira, 25 de março de 2015

Atualizado às 16h30 de 25/3/2015

A Grande São Paulo vai continuar com tempo firme nesta quinta-feira. O dia promete grande amplitude térmica, típica do outono, com um leve friozinho de manhã cedo e calor à tarde.  Pode haver novo recorde de menor temperatura do ano na capital na madrugada.  A temperatura máxima pode ficar em torno dos 30°C. Nesta quarta-feira, a máxima foi de 27,9°C no Mirante de Santana (Inmet).

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), a temperatura mínima na cidade de São Paulo em 2015 foi de 17,1°C registrada no dia 8 de fevereiros e também nos dias 25 e 23 de março.

Entenda o que é amplitude térmica.

 

Guarulhos (SP) em 25-3-2015 por Daniel

Ar seco e poucas nuvens

O céu quase todo azul que predominou na quarta-feira na Grande São Paulo foi um os efeitos da recente passagem do ar polar sobre o Estado de São Paulo, que reduziu os níveis de umidade e também deixou a temperatura amena.

O gráfico mostra a queda do nível de umidade do ar na região do aeroporto de Congonhas às 11 horas, do domingo até quarta-feira. A atmosfera seco e a nebulosidade diminuiu. Com o sol forte e o afastamento do ar polar, a temperatura subiu novamente.

 

 

Poluição aumenta

A qualidade do ar nesta quarta-feira ainda foi considerada boa pela Cetesb em toda a Grande São Paulo. Mas olhando para o horizonte deu para perceber um ligeiro escurecimento indicando que a concentração de poluentes começou a aumentar. A tendência para esta quinta-feira é de que os níveis de poluição aumentem, pois o ar vai ficar parado e não há previsão de chuva.

São Paulo (SP) ensolarada em 25-3-2015 por Daniele Otsuki. Note no canto esquerdo da foto o horizonte escurecido.

 

Confira as mudanças o tempo previstas para o fim de semana

 

 

Vento muda e SP esquenta
terça-feira, 24 de março de 2015

Temperatura em elevação

O ar polar que entrou em São Paulo no fim de semana reduziu a temperatura e também os níveis de umidade no ar. A diminuição da umidade deixou quase todo o estado com poucas nuvens e sem condições para a chuva.

A temperatura mínima no Estado de São Paulo nesta terça-feira foi de 10,9°C em Campos do Jordão.

Ventos frios marítimos, de origem polar, predominaram no início da semana

Esta massa polar se afasta cada vez mais do Brasil e aos poucos os ventos que chegam a São Paulo mudam de direção. O ar tende a ficar mais seco também sobre a Grande São Paulo e em todo o leste do Estado. Até a quinta-feira, ventos quentes que sopram do centro-norte do Brasil voltam a predominar sobre São Paulo ajudando a elevar a temperatura. As madrugadas ainda serão com temperatura amena, mas as tardes ficam cada vez mais quentes.

 

Ventos ficam menos frios sobre SP durante a quarta-feira

Ventos quentes voltam a soprar sobre SP durante a quinta-feira

 

Pouca chuva

Apesar do aumento do calor, a queda dos níveis de umidade vai evitar a ocorrência de chuva por mais dois dias. Até a quinta-feira, os paulistas ficam com o sol, algumas nuvens e até névoa de manhã,  mas sem a chuva. Os mananciais também ficam sem chuva.

 

Semana termina com frente fria

As áreas de instabilidade voltam a provocar chuva sobre São Paulo a partir da tarde sexta-feira com a passagem de uma nova frente fria pelo litoral paulista. O ar polar entra de novo em São Paulo no próximo domingo, mas com fraca a moderada intensidade. A queda da temperatura será parecida com a que ocorreu nos últimos dias.

 

Confira a tendência da chuva sobre o Brasil para 15 dias

Poucas nuvens no Rio Grande do Sul
terça-feira, 17 de março de 2015

O ar seco ganhou força sobre áreas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina ao longo do início desta semana. O sol brilha forte e a temperatura sobe, como grandes nuvens não conseguem se formar, o risco de chuva é muito pequeno.

Nas imagens do satélite meteorológico é possível observar a presença de nuvens em áreas do Vale do Itajaí em Santa Catarina e no leste do Paraná. As demais áreas tem o predomínio das cores em marrom que indicam tempo firme.

Clique na imagem e acompanhe o satélite para todo o Brasil

O céu com pouca nebulosidade ao longo da madrugada também faz com que temperatura caia devido a rápida perda de calor na atmosfera. Tanto que no Planalto Catarinense a temperatura ficou nos 5,8°C em Urupema segundo informações do Epagri.

Até a quinta-feira (19) o predomínio será de muito sol e elevação de temperatura em áreas gaúchas, só há a previsão de chuva em alguns pontos do Paraná. Mas na sexta-feira (20), últimos momentos do verão e primeiros do outono, a previsão indica a passagem de uma frente fria que promete trazer chuva especialmente sobre áreas da Campanha, Fronteira Oeste e no sul gaúcho, chove também no Paraná, mas devido a presença de um ar muito úmido e quente. Após a passagem da frente fria, a tendência é de queda de temperatura decorrente da presença do ar polar.


Confira como será o outono na Região Sul

Próxima semana ainda terá chuva no leste de SP
sexta-feira, 13 de março de 2015

O início do mês de março trouxe chuva para áreas do Sudeste, mas não foram todas as regiões que tiveram grandes volumes acumulados. O Vale do Jequitinhonha em Minas Gerais e o Estado do Espírito Santo ainda amargaram uma condição mais seca.

A próxima semana promete ter pouca chuva em mais áreas do Sudeste, mas algumas áreas como a faixa leste paulista e a o Grande Rio ainda terão mais chuva devido a passagem de uma frente fria.

Clique no mapa e veja a previsão de chuva para os próximos 5 dias em todo o Brasil

E a tendência para áreas do Nordeste também não são muito animadoras com relação à chuva. Nas semanas seguintes, a atuação da Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) também promete trazer pouca chuva para diversas áreas do Brasil.

Confira com o meteorologista César Soares a tendência de chuva para os próximos 15 dias.

Grande SP com sol e risco de chuva
quinta-feira, 5 de março de 2015

 

Atualizado às 15h40 de 05/03/2015

As nuvens altas já deram lugar às nuvens mais espessas e baixas na Grande São Paulo. O meteorologista César Soares fotografou o céu da Vila Mariana às 15h00 e já havia a presença de nuvens do tipo Cumulus que podem dar origem aos Cumulonimbus (Cbs) e provocar chuva forte.

#fotografeotempo por César Soares no bairro da Vila Mariana em São Paulo/SP. Clique na imagem e veja fotos do céu por todo o Brasil

A semana começou com o predomínio de tempo firme e pouca chuva na capital paulista. O ar seco favoreceu também a queda da qualidade do ar. Segundo informações da CETESB, a quinta-feira (05) teve uma manhã com qualidade do ar moderada em diversos pontos, especialmente sobre a Zona Oeste da capital paulista.

No mapa da CETESB os pontos em amarelo representam qualidade do ar moderada, em verde a qualidade do ar é boa. No fechamento da quarta-feira (04), uma das estações de medição chegou a registrar qualidade do ar ruim no posto da Cidade Universitária.

As imagens do satélite meteorológico entre a madrugada e a manhã mostravam a presença de poucas nuvens. A presença predominante durante a manhã era de nuvens altas do tipo Cirrus e Cirrostratus. Tais nuvens também favorecem a entrada de mais luz solar o que fez a temperatura subir. A mudança na direção dos ventos também auxiliam no transporte de um ar mais quente, a temperatura mínima na estação convencional do Mirante de Santana na Zona Norte da capital paulista foi de 19,7°C.

Clique na imagem e veja o satélite de todo o Brasil

O meteorologista César Soares fotografou o céu da sede da Climatempo no bairro da Vila Mariana. É possível ver a presença de nuvens altas do tipo Cirrostratus que são formadas por cristais de gelo e não provocam chuva.

#fotografeotempo por César Soares em São Paulo/SP - bairro da Vila Mariana. Clique na imagem e mande também a sua fotografia!

Há o risco de chuva rápida até o início da noite. Mas a chuva deve acontecer de forma pontual, não serão todas as áreas da Região Metropolitana de São Paulo que observarão a chuva.

Previsão de muita chuva no fim de semana

As condições do tempo irão mudar bastante na Grande São Paulo. Na sexta-feira (06) a chuva já começa a ocorrer em uma área maior da Grande São Paulo, mas ainda em forma de pancadas entre a tarde e a noite principalmente. Mas no sábado (07) o posicionamento de um sistema de baixa pressão atmosférica na costa paulista vai trazer a organização de mais chuva para a Região Metropolitana de São Paulo. O céu vai ficar cheio de nuvens desde cedo e há o risco de chuva a qualquer momento.

Tanto no sábado quanto no domingo (08) há o risco de temporais e de grandes volumes acumulados de chuva que podem acarretar em alagamentos e inundações.

Clique e veja a previsão de chuva nos próximos 5 dias em todo o Brasil

Veja também: Chuva no Brasil nas últimas semanas de verão

Segundo dia sem chuva no Cantareira
terça-feira, 3 de março de 2015

O ar seco chegou com força sobre as áreas de captação do Sistema Cantareira e pelo segundo dia consecutivo as estações de medição da Sabesp não registraram chuva. Mesmo sem chuva o sistema continua estável. Os demais reservatórios, Alto do Tietê e Guarapiranga, chegaram a registrar uma elevação em relação aos volumes observados na segunda-feira (02).

 

A economia de água feita pela população e a água vinda dos afluentes também auxiliam em tal estabilidade. Até o momento com volume de 11,7%, o sistema Cantareira a dívida da 2ª cota da reserva técnica foi saudada, retirada em 24/10/2014. Para cobrirmos a 1ª cota da reserva técnica é necessário que o volume disponível para consumo alcance 18,5%.

Desde o início de fevereiro, o Sistema Cantareira registra elevação ou estabilidade. A média de elevação é de 0,2% ao dia.  Se mantivermos este índice de elevação ao dia, em 15 de março o nível de armazenamento chegaria aos 14,1%, marca almejada pelo governo paulista para evitar um racionamento amplo oficial.

Há exatamente um ano, no dia 03 de março de 2014, o nível do reservatório estava em 16,4% de armazenamento só que do volume útil.

E a previsão ao longo dos próximos dias também não é animadora para as áreas de captação de agua de São Paulo. O forte ar seco impede a formação de grandes nuvens de chuva e a organização de grandes áreas de instabilidade. Até o fim desta semana a tendência é de pouca chuva sobre o Cantareira, Alto do Tietê e Guarapiranga, o que pode afetar diretamente os volumes disponíveis para consumo dos três reservatórios. Entre o fim desta semana e o início da próxima, já há o risco de pancadas de chuva forte que vão trazer volumes maiores de chuva para os reservatórios.

A animação com a previsão de chuva até o dia 17 de março, mostra que ao longo da próxima semana a tendência é de mais chuva tanto sobre a Região Metropolitana de São Paulo quanto sobre o sul de Minas Gerais onde ficam as áreas de captação dos principais reservatórios que abastecem a cidade. Os tons em verde representam volumes de chuva que podem atingir os 100mm acumulados, já os tons em laranja indicam acumulados que dificilmente chegam aos 15mm.

Sol e calorão no RJ
quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Os efeitos do ar mais seco já começam a ser sentidos sobre o Estado do Rio de Janeiro. O sol brilha forte e faz bastante calor, segundo informações do Campo dos Afonsos a temperatura chegou aos 37°C ao meio dia.

A presença da Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) impede que sistemas organizados cheguem na região. Desta forma, o ar seco predomina e pode ser observado nos tons em marrom das imagens de satélite. Poucas nuvens conseguem se formar.

Clique na imagem e veja o satélite de todo o Brasil

Não há previsão de pancadas de chuva na quinta-feira (12). Com a falta de umidade no ar, nuvens carregadas não conseguem se formar e trazer chuva.

Pancadas de chuva durante o Carnaval

O sol ainda vai brilhar forte durante os dias de folia, mas as pancadas de chuva vão ocorrer entre a tarde e a noite. O calor ainda continua. A partir da segunda-feira (16) a nebulosidade aumenta já pela manhã, mas a chuva ainda acontece entre a tarde e a noite. Há o risco de temporais. Na terça-feira (17) há o risco de chuva desde cedo e a temperatura cai um pouco por conta da maior nebulosidade, mas ainda há o abafamento do ar.

Veja a previsão do tempo para todo o Brasil em a Paula Soares.

Norte de Minas Gerais entra em estado de emergência
sábado, 31 de janeiro de 2015

O verão é, climatologicamente, a estação das chuvas em grande parte do País. Porém, estamos enfrentando mais um verão atípico, com chuva muito irregular não somente no Sudeste, como no Centro-Oeste e Nordeste.

Uma das causas da falta de chuva sobre o norte e o leste de Minas Gerais, bem como no Espírito Santo, está associada ao tão famoso bloqueio atmosférico, que por sua vez está associado ao posicionamento do sistema de pressão atmosférico conhecido como ASAS – Alta Subtropical do Atlântico Sul.

Quanto mais próxima uma região estiver do centro do sistema de alta pressão, mais seco fica o ar, menor é a velocidade do vento e as nuvens não conseguem se formar. Sem a chuva e a nebulosidade, o sol fica forte por muitas horas e o calor é intenso.

Enquanto os temporais rotineiros das tardes assolam o centro-sul e oeste mineiros, é possível visualizar na imagem de satélite a seguir, que quase nenhuma nuvem se forma sobre o centro-norte e leste do Estado. A região vem enfrentando um longo período quente e seco nos últimos dias. Com a ausência de nuvens, as temperaturas sobem muito rapidamente e o calor segue intenso. Além do calorão, a umidade tem chegado à níveis críticos no período da tarde, ficando abaixo dos 20% em diversos municípios.

Os tons em azul na imagem indicam áreas de chuva de fraca à moderada intensidade, enquanto os tons em branco e rosa, indicam chuva de moderada à forte intensidade.  Já o norte e o leste seguem com ausência de nuvens e baixíssimos índices de umidade.

Em Montalvania e Salinas, ambos municípios do norte mineiro, a umidade ficou abaixo dos 20%, chegando a 15% e 17%, respectivamente. Já em Montes Claros, a umidade chegou a 11% às 16h, caracterizando estado de emergência, segundo classificação da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Em dias típicos como o deste sábado, as recomendações sugeridos pelo órgão são:

-interromper qualquer tipo de atividade ao ar livre entre as 10 e 16h;

-suspender atividades que exijam aglomerações de pessoas em recintos fechados;

-umidificar os ambientes internos, principalmente quarto de crianças, idosos e hospitais.

 

O ar seco deve persistir nos próximos dias nestas áreas! Apenas a partir de quarta-feira a umidade volta a aumentar e são esperadas pancadas isoladas de chuva não somente no leste e norte mineiros, como também no Espírito Santo, que também vem enfrentando um início de ano crítico.

Feriado com muito sol no Rio de Janeiro
terça-feira, 20 de janeiro de 2015

É dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro! E o céu vai contribuir para aqueles que estão pensando em fugir da rotina no feriado, quem sabe ir à praia ou aproveitar as atividades ao ar livre. O predomínio é de sol forte e muito calor na capital fluminense. Segundo informações do Campo dos Afonsos, a temperatura era de 33°C às 10h da manhã, com sensação de 36°C.

As imagens do satélite meteorológico mostram o predomínio de um ar seco que impede a formação de nuvens carregadas. Segundo informações da estação automática do INMET na Vila Militar, o dia começou com umidade relativa do ar em 63% e a tendência é de queda ao longo das próximas horas.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

O Grande Rio ainda terá tempo firme ao longo de todo o dia. Altas temperaturas, muito calor e sem chuva no dia de São Sebastião.

Tempo muda a partir da quarta-feira

Com o afastamento da Alta Subtropical do Atlântico Sul, a tendência é de que as condições para chuva aumentem no Rio de Janeiro a partir da quarta-feira (21). O sol ainda vai aparecer forte e o calor persiste, mas a partir da tarde as chances de chuva aumentam uma vez que umidade vinda do mar e do interior consegue encontrar condições favoráveis para a formação de grandes nuvens de chuva. Há o risco de chuva forte, mas de forma mais localizada.

Confira com a meteorologista Josélia Pegorim como a chva vai se distribuir sobre o Sudeste.

 

Veja também: ASAS enfraquece e ar polar entra no Brasil

SP está fervendo
segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

Calor perto do 40°C

Os paulistas vivem mais um dia completamente atípico para janeiro: temperaturas extremamente elevadas, muito acima do normal para esta época do ano, e ar seco, com níveis de umidade bastante baixos para os padrões de janeiro, que normalmente é um mês úmido.

Às 154 horas, o aeroporto de São José dos Campos, no vale do Paraíba, registrava 38°C e apenas 15% de umidade no ar. É como se fosse um dia muito seco de inverno, mas com o calor extremo de primavera. Os aeroportos de Araraquara e de Presidente Prudente também registravam 38°C

Às 15 horas, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, quase todo o Estado de São Paulo estava com temperaturas entre 35°C e 38°C.

 

Temperatura e umidade relativa do ar às 15 horas em aeroportos de São Paulo

 

Recorde histórico de calor em Sorocaba

O Instituto Nacional de Meteorologia informou que a temperatura máxima de 36,7°C registrada em Sorocaba na tarde do sábado, 17, foi a mais alta para um dia janeiro. Foi o recorde histórico para janeiro.

Na cidade de São Paulo, o novo recorde de calor foi estabelecido também no dia 17 de janeiro. A temperatura máxima foi de 35,7°C Mas há possibilidade de que o novo recorde seja batido ainda nesta segunda-feira

Ar polar à vista

Frente fria traz chuva para os próximos dias

As condições para chuva vão aumentar bastante a partir do meio da semana com a chegada de uma frente fria ao litoral paulista na quarta-feira, 21 de janeiro. Esta frente fria será responsável pelo enfraquecimento da alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS) que vem mantendo as frentes frias e o ar polar afastados do Sudeste e também dificultando a ocorrência de pancadas de chuva mais frequentes.

Durante a tarde e a noite da quarta-feira, 21 de janeiro, os ventos de origem polar começam a entrar em São Paulo ajudando a refrescar o ar, junto com a chuva. A madrugada de quinta-feira, 22, já será muito menos abafada do que a dos últimos dias.

Os efeitos da passagem desta frente fria serão sentidos por vários dias sobre São Paulo mantendo as condições para pancadas de chuva mais frequentes. Até o começo de fevereiro outras frentes frias devem passar pelo litoral paulista.

 

Rifaina (SP) ensolarada, às margens do rio Tietê, em 18-1-2015 por João Eduardo