Arquivo da Categoria ‘Ar Seco’

+ aumentar e diminuir fonte -
Semana seca no Rio de Janeiro
segunda-feira, 17 de novembro de 2014

Muitos cariocas e fluminenses gostaram da chuvinha do fim de semana. A passagem de uma frente fria deixou as áreas de instabilidade que provocaram chuva sobre o Estado do Rio. Mas esta frente fria foi parar em Sergipe e deixou o centro-sul do Brasil com ar seco de origem polar. O ar seco inibiu a formação das nuvens. A atmosfera mais seca afasta a chuva. Na cidade do Rio, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 35% de umidade na Vila Militar, na zona oeste.

 

Por do Sol no Rio de Janeiro (RJ), por Aline

É este ar seco que vai predominar dobre o Rio de Janeiro por mais alguns dias até a chegada da nova frente fria. A chance de chover no Estado do Rio de Janeiro é baixa até o fim da semana. Até a sexta-feira, o sol forte e a umidade abaixo do normal vão predominar. As tardes ficam cada vez mais quentes.

A meteorologista Josélia Pegorim comenta sobre a nova frente fria.

 

 

Frio fora de hora

Foi esta massa polar fez com que todo o Estado do Rio de Janeiro começasse a segunda quinzena de novembro com temperatura baixa. Na capital, a temperatura mínima foi de 13,6°C, no Alto da Boa Vista, a menor desde6 de outubro quando fez 11,2°C. Cidades serranas registraram menos de 10°C, como Nova Friburgo, onde a temperatura mínima ficou foi de 6,5°C, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. No Pico do Couto, na região de Petrópolis, fez 5,9°C.

 

A temperatura no Rio na tarde de segunda-feira, 17,  chegou aos 28,5°C. Para os padrões normais de  novembro, é um calor ameno. Faltando pouco menos de um mês para o solstício de verão, o início do verão, 28°C no Rio é muito pouco. A temperatura não subiu por causa do ar polar. Sem ar polar, numa tarde de meados de novembro, a temperatura chegaria fácil aos 35°C.

As madrugadas ficam menos frias a partir de quinta-feira e as tardes cada vez mais quentes.

A madrugada desta terça-feira ainda será atipicamente fria. A temperatura na cidade do Rio poderá a mais baixa desde 6 de outubro quando a mínima foi de 11,2°C, segundo o Inmet.

Estiagem prejudica o norte do Rio de Janeiro
quinta-feira, 13 de novembro de 2014

A seca que assola muitas áreas do Sudeste também prejudica o município de Campos dos Goytacazes, localizado no norte do Rio de Janeiro. Um levantamento feito pela Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) em parceria com a Secretaria de Agricultura de Campos relevou que a estiagem já provocou prejuízos de mais de R$ 128 milhões. O Rio Paraíba do Sul está com o nível abaixo do normal  e a água que antes chegava naturalmente, agora precisa da ajuda de bombas elétricas. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

São Paulo ainda terá mais calor e sol
segunda-feira, 10 de novembro de 2014

Atualizado em 10/11/2014 às 16h50

Após um fim de semana com muitas nuvens, algumas aberturas de sol e pancadas de chuva que vieram com forte intensidade em algumas áreas, o sol já apareceu forte nesta segunda-feira (10) e fez a temperatura subir rápido.

As imagens do satélite meteorológico mostram a presença de algumas nuvens ao longo da manhã sobre a capital paulista, mas que se afastam rapidamente e dão lugar ao céu mais limpo que favorece a temperatura a subir.

Apesar do tempo mais firme e predomínio do sol, os índices de umidade relativa do ar não caem tanto por conta da circulação de ventos vindos do mar, que ainda deixam atmosfera um pouco mais úmida.

A chuva não apareceu na segunda-feira e ainda não deve ocorrer na terça-feira.

Semana começa com muito sol, mas a chuva vai voltar

Tanto na segunda-feira quanto na terça-feira (11) não são esperadas pancadas de chuva na Grande SP. A partir da quarta-feira (12) a chegada de ventos mais úmidos ao Sudeste vai provocar algumas pancadas de chuva de forma mais localizada. De forma pontual pode chover forte, mas não são esperados temporais generalizados. Na quinta-feira (13) as condições para a chuva tendem a aumentar por conta da presença de um sistema de baixa pressão atmosférica que vai se formar na costa de São Paulo.

Estiagem prejudica produção de borracha em SP
segunda-feira, 3 de novembro de 2014

 O látex é a matéria prima responsável pela produção da borracha. O início da safra é o período em que as árvores do seringal mais precisam de umidade para o bom desenvolvimento. A estiagem que aflige o noroeste de São Paulo, fez com a safra 2013/2014, tivesse uma quebra de 30%. Agora, a torcida é para que a as chuvas voltem com regularidade, pois há receio de que a história se repita no próximo ano.Confira a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

 

Rio perto dos 40°C
sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Atualizado em 31/10/2014 às 11h30

O dia começou com sol forte na cidade do Rio de Janeiro. O aeroporto de Jacarepaguá registrou às 11h da manhã de sexta-feira (31) 37°C.

Cristo Redentor por Luciana Oliveira

Foto aérea do Rio de Janeiro por Luciana Olivera

As imagens do satélite meteorológico mostram a presença de algumas nuvens altas que não provocam chuva, mas logo dão lugar ao ar mais seco que pode ser visto nos tons em marrom.

O ar seco ainda vai persistir sobre o Grande Rio nesta sexta-feira. A temperatura pode subir ainda mais e o calorão continua.

Risco de chuva no fim de semana

As temperaturas elevadas vão continuar na capital fluminense. Os cariocas vão poder ir para as praias uma vez que a manhã e a tarde tanto do sábado (01) quanto do domingo (02) terão muito sol. Com a vinda de umidade tanto do oceano quanto do interior, há o risco de pancadas de chuva entre o final da tarde e o começo da noite. A chuva pode vir com forte intensidade e acompanhada de raios.

Pancadas de chuva em SP
quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Atualizado em 30/10/2014 às 14h40

O radar meteorológico do IPMet/UNESP já registra chuva forte em algumas cidades do norte de São Paulo. Guarulhos na Região Metropolitana também tem pancadas de chuva com intensidade moderada.

O sol brilha forte já pela manhã da quinta-feira (30) mostrando que o predomínio no Estado paulista será de calor forte. As pancadas de chuva irão ocorrer ao longo da tarde e da noite em diversas áreas do interior por conta da chegada de áreas de instabilidade. Com o ar mais seco impedindo a formação de nuvens carregadas na faixa leste de São Paulo, não há previsão de chuva inclusive sobre a Região Metropolitana.

O internauta Giovanni Zanardi de Santo André-SP fotografou o céu azul com poucas nuvens indicando uma atmosfera mais seca.

Giovanni Zanardi - Santo André/SP

Na imagem do satélite meteorológico já é possível ver a chegada de nuvens altas no oeste paulista, há a presença de Cirrus e Cirrocumulus em cidades como Assis, Pompéia e Penápolis.

Os índices de umidade relativa do ar saíram bastante na quarta-feira (29) áreas da região central paulista chegaram a registrar 13% durante o período da tarde.

Mas a chegada de nuvens altas já mostra uma mudança nas condições do tempo. Ao longo da quinta-feira, as áreas de instabilidade vão chegar ao Estado de São Paulo trazidas pelos ventos de noroeste. Como vão encontrar um ar muito quente, há o desenvolvimento de grandes nuvens que podem provocar chuva até mesmo com forte intensidade de forma mais localizada e acompanhada por raios.

Na Grande São Paulo, há condições para pancadas de chuva em pequenas áreas.

Chuva vai se espalhar por São Paulo inclusive na Capital

Na sexta-feira (31) as áreas de instabilidade vão conseguir avançar sobre o ar mais seco na capital de São Paulo. Há previsão de chuva entre a tarde e a noite que pode vir em forma de temporais localizados. A manhã ainda será com muito sol e a temperatura ainda vai subir bastante ao longo da tarde. Todo o Estado paulista terá condições para pancadas de chuva, e o calor continua.

No fim de semana o ar mais úmido continuará sobre o Estado de São Paulo. Vão ocorrer pancadas de chuva entre a tarde e a noite principalmente. No norte paulista, o sábado (01), primeiro dia de novembro, será com muitas nuvens e chuva a qualquer momento, assim como no extremo sul do Estado. Isso se deve ao posicionamento da frente fria ao largo da costa de Santa Catarina que consegue jogar um pouco de umidade também no Estado de São Paulo acarretando em pancadas de chuva pré frontais.

No domingo (02) a nebulosidade aumenta ainda mais assim como o risco de chuva. Muitas nuvens crescem sobre o Estado de São Paulo e o sol só vai aparecer com poucas nuvens no norte paulista. Ao longo da tarde e da noite há o risco de pancadas de chuva e o ar vai ficar abafado.

No mapa de previsão de chuva para os próximos 15 dias são esperados volumes de chuva de até 200mm em áreas do oeste, Vale do Ribeira, Litoral Norte e Grande São Paulo.

O meteorologista César Soares comentou a chuva do início de Novembro no Climatempo News. Clique e assista!

SP é o mais seco do Brasil
terça-feira, 28 de outubro de 2014

Secura aumenta em SP enquanto espera a chuva

A cidade de Ibitinga, na região central de São Paulo, foi o lugar mais seco do Brasil na tarde desta terça-feira, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia feita em instrumentos automáticos. A umidade relativa do ar chegou aos 9%.

 

Sol e tempo seco em Jaú (SP) em 28-10-2014, por Carol Bressan

 

No ranking dos 10 menores índice de umidade relativa do ar (ura) observados nesta terça-feira, com medições do Instituto Nacional de Meteorologia e dos aeroportos (Aeronáutica), 8 foram em cidades paulistas.

 

Uma massa de ar seco se intensificou sobre o Sul do Brasil e avançou também sobre parte da Região Sudeste causando uma acentuada queda dos níveis de umidade em São Paulo. O Instituto Nacional de Meteorologia opera 29 estações meteorológicas no Estado de São Paulo e 16 delas registraram umidade relativa do ar igual ou abaixo de 20%.

 

O nível mínimo de umidade no ar recomendado pela Organização Mundial da Saúde para a saúde humana é de 60%. O problema não está apenas num valor momentâneo muito baixo, mas na persistência da situação de secura no ar, com muitas horas consecutivas de um ar com umidade abaixo dos 60%. Em Ibitinga, às 20h, a umidade relativa ainda era de 15%, completando 7 horas consecutivas com umidade do ar abaixo dos 20%. Na cidade de São Paulo, a umidade baixou para 21% no Campo de Marte, na zona norte. No domingo, o menor nível de umidade foi de 48%.

Quarta seca

A secura continua nesta quarta-feira em São Paulo que deve registrar novamente várias horas com níveis de umidade abaixo dos 60%, até no litoral. A tendência é de que o ar fique muito seco também em regiões como Sul de Minas, Paraná e Santa Catarina e o centro-sul do Rio de Janeiro, incluindo o Grande Rio.

O secura aumenta junto com o calor. A quarta-feira promete ser mais quente em todas estas áreas. A temperatura nesta terça-feira chegou aos 34°C no interior de São Paulo e a quase 37°C no interior do Paraná.

Chuva à vista

O calor e o ar muito seco não vão se prolongar por muito tempo. Não temos uma situação de nova onda de calor extremo, como ocorreu há duas semanas. Uma frente fria, com forte intensidade, avança sobre o Sul do Brasil durante a quinta-feira e no fim de semana já estará trazendo chuva, umidade e ar polar também para São Paulo. A expectativa é de que a chuva ocorra de forma volumosa e generalizada no Sudeste ao longo da primeira semana de novembro.

 

 

 

Mais sol e calor no Sul
terça-feira, 28 de outubro de 2014

A formação de um bloqueio atmosférico garante o tempo firme, o sol e o calor sobre a Região Sul do Brasil. Desde o domingo (26), uma alta pressão atmosférica se formou em níveis médios e altos da atmosfera, impedindo a passagem de sistemas organizados e favorecendo a queda de umidade relativa do ar.

Nos altos níveis atmosféricos (250hPa) é possível verificar a corrente de ventos em um formato de “ferradura” sobre a Região Sul, essa condição impede a chegada de sistemas organizados como as frentes frias.

Em níveis médios atmosféricos (500hPa) há a presença de um sistema de alta pressão, giros no sentido anti-horário (contrário aos ponteiros do relógio) que favorecem a descida do ar mais seco das camadas mais altas da atmosfera para as camadas mais baixas impedindo a formação de nebulosidade ou de chuva.

As imagens do satélite meteorológico mostram que poucas nuvens conseguem avançar pela Região Sul. O predomínio é dos tons em marrom no canal do infravermelho realçado, o que indica pouca nebulosidade, um ar um pouco mais seco e temperaturas mais altas.

Ao meio-dia pela medição das estações automáticas do INMET a temperatura em Alegrete-RS, Fronteira Oeste, era de 34,4°C, a sétima mais alta do país no horário. Às 13h a estação automática de Uruguaiana-RS, registrava 35,7°C.

Mudanças no tempo na quarta-feira

E as mudanças no tempo vão ocorrer, já na quarta-feira (29) são esperadas pancadas de chuva pré-frontais (antes da chegada da frente fria) nas regiões da Campanha, Fronteira Oeste e sul gaúcho. As demais áreas do Sul ainda terão tempo firme e sol forte.

Atenção para a quinta-feira (30) dia em que são esperados temporais generalizados sobre o Rio Grande do Sul e fortes pancadas de chuva em Santa Catarina e Paraná. As únicas áreas que não devem ter pancadas de chuva são o leste catarinense e paranaense, incluindo as respectivas capitais. Essa condição se deve a passagem de uma forte frente fria que consegue romper a condição de bloqueio e umidificar o ar. O choque entre as massas de ar de propriedades diferentes, isto é, uma massa de ar mais seca e quente com uma massa de ar mais fria e úmida, favorece a formação de grandes nuvens que podem provocar temporais.

Nordeste segue com pouca chuva
domingo, 26 de outubro de 2014

Já há meses o Nordeste do Brasil vem recebendo pouca ou nenhuma chuva. No começo de outubro, um evento de chuva volumosa causado por uma frente fria estacionária levou muita chuva para o Alagoas e leste do Pernambuco, o que gerou transtornos nessas áreas e fez com que a chuva acumulada em apenas 3 dias ultrapassasse a média climatológica do mês. Todas as outras regiões nordestinas estão com chuva muito abaixo do normal.

 

Nesta semana a situação não vai ser muito diferente para a maior parte da Região. Apenas a Bahia é que vai receber pancadas de chuva devido ao avanço de áreas de instabilidade, que neste fim de semana influenciaram o Sudeste e o Centro-Oeste. Durante os próximos dias as nuvens carregadas se deslocam para o Estado baiano e causam chuva em quase todo o Estado, e essa chuva pode ser forte. Os maiores volumes acumulados estão sendo esperados para as regiões sul e sudeste da Bahia, entre terça e quarta-feira.  Já as outras regiões do Nordeste continuam com o tempo quente e seco.

Fim de semana com calor no Sul
sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Tempo seco predomina no Sul

O sol e o tempo seco devem predominar sobre o Sul do Brasil neste fim de semana de eleições. No primeiro turno, a chuva causou problemas especialmente sobre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina. A cheia do rio Uruguai, na fronteira com a Argentina, deixou cidades debaixo d´água.

Ar seco

Uma massa de ar seco já atua forte sobre o Rio Grande do Sul e vai se expandir sobre toda a Região no fim de semana, afastando as nuvens carregadas que ainda crescem no Paraná. Neste Estado, a chuva foi forte em vários locais nesta sexta-feira e ainda há previsão de pancadas de chuva moderadas a fortes neste sábado. Pouca ou nenhuma chuva ocorre sobre Santa Catarina e Rio Grande do Sul, apesar da presença de nuvens.

 

Calor

Não há previsão de entrada de ar polar sobre o Sul nos próximos dias. A tendência é de aquecimento em toda a Região e a sensação de calor vai predominar ainda por vários dias. O tempo só deve mudar a partir da próxima quinta-feira, quando uma grande frente fria traz bastante chuva para a maior parte das áreas.