Arquivo da Categoria ‘Ar Seco’

+ aumentar e diminuir fonte -
É ruim para a sua saúde!
terça-feira, 8 de abril de 2014

O ar sobre o Sudeste do Brasil está ficando mais seco. Os níveis de umidade do ar começaram a baixar no fim de semana, quando uma grande sistema de alta pressão (anticiclone) atmosférica se intensificou sobre o interior do Brasil. Na animação, o sistema de alta pressão é indicado pela letra “A”. Nesta situação, o movimento do ar fica muito subsidente (de cima para baixo), o que deixa o ar mais seco em superfície.

 

 

O ar mais seco inibe a formação das nuvens e ocorrência de chuva. A insolação aumenta, o que facilita a formação do ozônio, que é um poluente. Confira outros efeitos do ar seco com a meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

 

Baixada Santista e Grande SP mais poluídas
segunda-feira, 7 de abril de 2014

A segunda-feira foi marcada por muito sol e calor na Grande São Paulo e na Baixada Santista. O vento fraco predominou ao longo do dia e não chover.

O bonito dia de sol esconde uma dos velhos problemas do outono: a qualidade do ar piora com a falta de chuva por vários dias seguidos e o ar parado.

Sem vento e sem chuva, a concentração de poluentes aumenta. Nesta segunda-feira, a Cetesb registrou qualidade do ar muito ruim em Cubatão (Vila Parisi) devido excesso de MP10 (um tipo de material particulado, poeira).

No fim da tarde, o boletim de resumo da situação da Grande São Paulo indicou que dos 26 locais de medição, apenas 8 terminaram o dia com boa qualidade do ar. Os demais foram considerados regular.

Nesta terça-feira, as condições meteorológicas não se alteram quase nada. A Grande São Paulo e a Baixada Santista vão continuar sem chuva e com pouco vento. A qualidade do ar pode piorar.

 

 

 

São Paulo quente e mais poluída
segunda-feira, 7 de abril de 2014

São Paulo começou a semana mais  quente e mais seca. A temperatura nesta segunda-feira chegou a quase 32°C em algumas áreas da cidade. Além do calor, a queda dos níveis de umidade chamou a atenção. O aeroporto de Congonhas, na zona sul, e também a região do Mirante de Santana (Inmet), na zona norte registraram 22% de umidade no ar. O valor é baixo e caracteriza uma situação de atenção para o ar seco, pelos padrões da OMS – Organização Mundial da Saúde. No fim de semana, o nível de umidade já havia baixado um pouco dos 30%.

As condições meteorológicas para esta terça-feira não devem mudar quase nada. A baixa umidade do ar deve ser sentida novamente na capital e na  Grande São Paulo durante a tarde. Os níveis de umidade ficam altos no início do manhã e pode até haver a formação de névoa. Mas com rápido aquecimento, a umidade diminui também rapidamente. Não há previsão de chuva. A falta de chuva e a de ventos são fatores que vão colaborar para o aumento da concentração de poluentes nesta terça-feira.  Poderá voltar a chover na tarde e quarta-feira.

Você sabe como se mede a umidade do ar? O que é umidade relativa do ar?

Maria Clara Machado explica tudo aqui, de um jeito simples que você vai entender. Confira!

 

 

 

BH tem sábado de sol
sábado, 15 de março de 2014

 

O tempo seco e quente predomina em Belo Horizonte neste sábado. O sol fica forte o dia todo, Algumas nuvens podem surgir no céu, por causa do calor, que vai ficar em torno dos 30°C durante várias horas à tarde.

Mas se você já está pronto para pegar a bike e sair por aí, não se preocupe com a chuva. Apesar do calor, a chance de chover hoje na Grande Belo Horizonte é pequena. Os níveis de umidade continuam um pouco baixos para esta época do ano.

Naquela paradinha da ladeira, #fotografeotempo mande para a Climatempo. Tem lugares que a gente só consegue ir de bike!

Quem vai de bike sabe.

Boas pedaladas para você 

Equipe bikeClima

 

Tempo seco no país
sábado, 8 de fevereiro de 2014

A umidade relativa do ar está caindo gradativamente no país. Os Estados mais secos neste início de tarde são o Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Os índices de umidade estão entre 21 e 25% em vários municípios. Segundo dados das estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia, às 13:00 estávamos com 21% em Marechal Cândido Rondon (PR), 22% em Bataguassu (MS), 23% em Ourinhos (SP), 24% em Goioerê (PR) e em Valparaíso (SP) e na casa dos 25% em Icaraima (PR) e na cidade de São Paulo. A umidade deve cair ainda mais até às 16:00.

Ar seco deixa SP em situação de alerta
quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

A tarde desta quinta-feira, 6 de fevereiro, está sendo muito seca em todo o Estado de São Paulo.  No vale do Paraíba, a base aérea registrava 15% de umidade às 15 horas e 36°C. Valores de umidade do ar entre 12% e 20% representam uma situação de alerta, para o ar muito seco, pelos padrões da Organização Mundial da Saúde. O aeroporto de Presidente Prudente registrava 38°C e na capital paulista, o Campo de Marte registrava 34°C

A população de São Paulo vai continuar convivendo com o ar muito quente e níveis de umidade muito abaixo do normal para o verão por mais alguns dias.  A baixa umidade inibe a formação de grandes nuvens que podem provocam alguma chuva.

Calor e ar seco no centro-sul do Brasil
quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

O centro-sul do Brasil permanece sob a influência de uma forte massa de ar seco e quente. As temperaturas no início da tarde desta quarta-feira estavam muito elevadas, acima do normal para esta época do ano. Ao mesmo tempo, os níveis de umidade do ar estavam muito baixos. A falta de umidade é um inibidor da formação das nuvens e da chuva.

O mapa mostra a temperatura, a umidade relativa do ar e a sensação de calor em diversos locais, às 13 horas. Os dados são dos aeroportos. Quanto mais úmido o ar, maior é a sensação de calor.

O ar quente e seco vai predominar sobre o centro-sul do Brasil por mais alguns dias.

 

O nível de umidade faz toda a diferença
terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

Por volta das 15 horas desta terça-feira, 4 de fevereiro, temperaturas muito elevadas, entre 34°C e 38°C eram observadas na maioria das áreas do Sul e do Sudeste do Brasil e também em parte do Nordeste. Mas a sensação de calor variava muito, conforme o nível de umidade do ar.

O ar mais úmido aumenta a sensação de calor e de frio. Confira alguns exemplos nos mapas.

Falta de chuva e de ventos deixam São Paulo mais poluída
sexta-feira, 31 de janeiro de 2014

A falta de chuva e de ventos dos últimos dias deixaram o ar de São Paulo mais poluído. A sexta-feira amanheceu ensolarada. O céu estava azul de manhã por toda a cidade, mas olhando para o horizonte já dava para perceber uma camada escurecida, um tom indefinido, típico de quando a concentração de poluentes está mais elevada.

A foto foi tirada pela meteorologista Daniele Otsuki, da Climatempo, mostra a visão do setor oeste da cidade de São Paulo.

 

Calor e pouca chuva

São Paulo está terminando o seu mês mais quente da história, em 71 anos de medições no Mirante de Santana feitas pelo Instituto Nacional de Meteorologia. O excesso de calor é um dos responsáveis pela falta de água observada no Sistema Cantareira, maior reservatório para abastecimento da Grande São Paulo.

A previsão é de que a toda a região metropolitana de São Paulo continue tendo muito calor e com pouca chuva pelo menos por mais 10 dias.

Tarde mais seca do ano em São Paulo
quarta-feira, 29 de janeiro de 2014

Tarde mais seca de 2014

A tarde desta quarta-feira, 29 de janeiro de 2014, foi a mais seca do ano na cidade São Paulo. Às 16 horas, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 24% de umidade relativa do ar no Mirante de Santana, na zona norte da capital. No dia 10 de janeiro, a umidade neste horário foi de 35%. Nesta quarta-feira, o aeroporto de Congonhas registrou 15%. O Campo de Marte, na zona norte da capital,  e o aeroporto de Guarulhos registraram 17% de umidade.

Os níveis de umidade relativa do ar observados na tarde desta quarta-feira foram muito baixos e poucas vezes são ocorrem no verão. São níveis comuns nos meses de inverno.

Pelos padrões da Organização Mundial da Saúde, a região da Grande São Paulo entrou em situação de alerta, por causa da secura do ar. A situação de alerta é determinada para níveis de umidade entre 12% e 20%

Secura e calor vão continuar

A acentuada queda da umidade do ar nesta quarta-feira é umas das consequências da intensa subsidência do ar provocada por um grande sistema de alta pressão atmosférica que está atuando sobre a Região Sudeste. O centro deste sistema, que é a região mais forte, está sobre o ar, mas próximo do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro.

A subsidência, que é um movimento do ar de cima para baixo, faz com que o ar fique mais seco. A redução da umidade diminui a formação das nuvens.

A Grande São Paulo vai continuar sob a influência desta alta pressão por mais alguns dias. Os níveis de umidade vão permanecer abaixo do normal para o verão. Pouca chuva é esperada até o domingo.