Arquivo da Categoria ‘Rio de Janeiro’

+ aumentar e diminuir fonte -
Risco de temporais continua alto no Rio de Janeiro
sábado, 31 de janeiro de 2015

Uma frente fria ainda está na altura do litoral do Rio de Janeiro e ainda deixa áreas de instabilidade sobre o litoral fluminense, com nuvens carregadas que provocam chuva durante o domingo.

As imagens de satélite da manhã deste domingo, dia primeiro, mostram que novos aglomerados de nuvens mais carregadas avançaram para o norte fluminense. Estas nuvens ainda devem influenciar a cidade do Rio, espalhando muita nebulosidade e deixando a temperatura amena. Há risco de chuva moderada a forte e com raio. A chuva não será volumosa como na madrugada do sábado, mas pode causar novos transtornos.

 

O temporal que caiu na cidade do Rio de Janeiro na madrugada do dia 31 de janeiro de 2015 foi a primeira chuva volumosa do ano. A chuva forte e generalizada foi provocada por aglomerados de nuvens que se formaram na divisa de São Paulo com o Rio Janeiro por causa de uma frente fria que chegou na sexta-feira, dia 30 de janeiro. As rajadas de vento frio da frente fria começaram a ser sentidas no Rio na tarde de sexta, mas a chuvarada veio só na madrugada do sábado.

 

As manchas em azul claro e com pontos vermelhos representam nuvens bastante carregadas que avançaram sobre o Rio de Janeiro na madrugada de 31 de janeiro de 2015 provocando temporais.

 

Confira os volumes de chuva registrados pelo Sistema Alerta Rio – Prefeitura do Rio de Janeiro, entre 12h30 do dia 30/1/2015 até 12h30 de 31/1/2015. Quase toda a chuva ocorreu na madrugada do sábado.

 

Segundo janeiro mais seco desde 2003

A frente fria que chegou ao Rio de Janeiro na sexta-feira, 30 de janeiro, conseguiu provocar chuva suficiente e generalizada para livrar janeiro de 2015 de ser o janeiro mais seco na cidade desde 2003.

A estação meteorológica da Saúde, no centro do Rio, operada pelo Instituto Nacional de Meteorologia, registrou 28,6 mm acumulados entre 10 horas do dia 30 e 10 horas do dia 31 de janeiro 2015.

Esta quantidade de chuva foi muito menor do que caiu em outras áreas da cidade do Rio, mas com os pouco mais de 30 mm acumulados no começo do mês, janeiro de 2015 termina com um total de 59,9 mm..

Janeiro de 2015 passa a ser o segundo janeiro mais seco na capital fluminense desde 2003. O janeiro mais seco desde este ano foi o de 2014, quando choveu apenas 58,1 mm. Segundo o Inmet, a média normal de chuva para janeiro, no período de 2003 a 2014 foi de 188,9 mm.

 

 

Por que choveu tão pouco em janeiro de 2015?

A falta de chuva no Rio de Janeiro está associada a uma situação de bloqueio atmosférico ocasionado pela posição e intensidade anômalas do sistema de alta pressão subtropical do Altântico Sul. Este bloqueio foi muito forte em janeiro de 2014 e se repetiu em janeiro de 2015, menos intenso.

A Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) é um dos grandes sistemas de alta pressão semipermanentes da circulação geral da atmosfera terrestre. Sua intensidade e posição interferem nas condições do tempo e do clima do Brasil.

O centro da ASAS próximo da costa do Sudeste ou sobre o Brasil é uma condição de bloqueio atmosférico e altera o caminho que as frentes frias e o ar polar fazem normalmente.

O bloqueio de janeiro de 2015 começou por volta do dia 10 e janeiro e persistiu até o dia 20. No dia 21, uma frente fria entrou no Sul do Brasil com uma massa de ar polar (ar frio) que teve força suficiente para afastar a alta subtropical do Atlântico Sul (ar quente).

 

RJ termina janeiro com chuva de frente fria
quinta-feira, 29 de janeiro de 2015

Janeiro vai terminar com jeito diferente no Rio de Janeiro. Ao contrário do sol forte e do calorão que predominou durante quase todos os dias do mês no Estado do Rio, o último fim de janeiro será com uma frente fria.

Com a presença desta frente fria, o tempo muda completamente. Muitas nuvens vão se formar e se espalhar por todo o Estado do Rio de Janeiro provocando chuva. Mas o choque entre o ar muito quente que está sobre o Rio de Janeiro e o ar polar que vem com a frente fria vai ajudar a formar nuvens muito carregadas.

 

Chuva antes do fim da tarde

As pancadas de chuva nesta sexta-feira no centro-sul fluminense,  na região do Grande Rio e região dos Lagos devem começar antes do fim da tarde. No norte fluminense a chance de chuva é só para o fim da tarde. Há risco de chuva forte e ventania em todas as áreas do Estado do Rio de Janeiro na sexta-feira, no sábado e também no domingo.

Queda temperatura

Aumento de nuvens, chuva e ventos fortes trazidos pela frente fria começam a diminuir a temperatura nesta sexta-feira, mas a sensação de calor ainda vai predominar em todo o Estado.

A temperatura cai mais no sábado no Grande Rio e centro-sul fluminense e a sensação será até de um dia fresco.

 

Rio de Janeiro (RJ): praia de Ipanema por Sissiwidmar

 

Mudanças no mar

A passagem da frente fria deixa os ventos mais constantes e fortes no fim de semana. O mar fica um pouco  agitado, com ondas que podem passar de 1,0 metro mas não há risco de ressaca.

Ache a sua onda e a sua tribo no Climasurf

Fevereiro começa com frente fria

Duas frentes frias passam sobre o Rio de Janeiro nos próximos 7 dias aumentando as condições para a chuva.  A primeira chega ao litoral do Rio de Janeiro nesta sexta-feira e passa o fim de semana próxima ao litoral fluminense aumenta a chuva nas próximas 48 horas. A segunda frente fria deve chegar na próxima quarta-feira, 4 de fevereiro.

 

 

 

Como será a chuva e a temperatura em fevereiro?

Sem ZCAS e sem ZCIT

Saiba como se proteger dos raios!

 

RJ fecha o mês com chegada de frente fria
quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Frente fria aumenta a chuva no fim da semana

Com o rompimento do bloqueio atmosférico na semana passada, as frentes frias e as nuvens carregadas estão voltando a passar sobre o Rio de Janeiro.

Nesta quinta-feira, o calor ainda será intenso e o sol aparece forte por várias horas. As pancadas de chuva voltam a ocorrer especialmente no fim da tarde. A menor chance de chuva no Estado do Rio é para o norte fluminense.

Na sexta-feira, uma nova frente fria chega ao Estado do Rio e deve ficar próxima ao litoral fluminense até o domingo. A presença desta frente fria vai estimular a formação de áreas de instabilidade que vão provocar chuva por todo o Estado do Rio de Janeiro. Há risco de temporais também no Grande Rio.

A chuva desta frente fria deve livrar janeiro de 2015 de ser o janeiro com menos chuva na cidade do Rio de Janeiro desde 2003. Pelo levantamento do Instituto Nacional de Meteorologia, o janeiro mais seco no período de 2003 a 2014 foi janeiro de 2014, quando choveu apenas 58,1 mm. A média histórica de chuva para janeiro é de aproximadamente 189 mm.

A meteorologista Josélia Pegorim analisa as condições do tempo nos próximos 10 dias.

 

 

Temporal da quarta-feira, 28 de janeiro

Nuvens muito carregadas cresceram sobre o interior do Rio de Janeiro e avançaram sobre o Grande Rio no fim da tarde desta quarta-feira provocando chuva forte, com muitos raios. O calor armazenado sobre durante a tarde ajudou no crescimento das  nuvens. A temperatura chegou aos 38,0°C, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia.

 

O Sistema Alerta Rio – Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro, que faz o monitoramento de chuva e situação das encostas na capital fluminense pôs toda a cidade em “estado de atenção” a partir das 17 horas, que foi retirado por volta das 20 horas .

Em 1 hora, entre 16h50 e 17h50, o Alerta Rio registrou 22,2 mm no Bangu, 16,0 mm em Santa Cruz, 15,2 mm em Campo Grande, 30,4 no Mendanha (av. Brasil). As áreas de instabilidade se dissiparam por volta das 20 horas. O acumulado final no Mendanha foi de 59,8 mm. Santa Cruz acumulou 16,2 mm, em Campo Grande choveu 27,2 mm e no Bangu 24,4 mm

Levantamento da rede de detecção de descargas elétricas Earth Network indicou 3368 descargas sobre o Grande Rio entre 17 e 18h05 de 28 de janeiro de 2015.

 

28 de janeiro de 2015: entre 17h e 18h05 ocorreram, 3368 descargas elétricas sobre o Grande Rio

Saiba como se proteger dos raios!
Entenda porque o verão de 2015 terá pouca chuva no Brasil

Quando volta a chover no norte do RJ e no ES?

Rio de Janeiro: chuva e sensação térmica de 43°C
terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Nuvens carregadas cresceram sobre o Rio de Janeiro por causa do calor e da maior disponibilidade de umidade no ar. Pancadas de chuva e raios voltaram a ocorrer na tarde desta terça-feira, 27. A região do aeroporto Tom Jobim, na ilha do Governador, na zona oeste carioca, tinga chuva e raios às 16 horas. Pouco antes das 16h as pancadas de chuva começaram sobre o Campo dos Afonsos, na zona oeste da cidade;

A temperatura chegou aos 37°C no Campo dos Afonsos. Em Jacarepaguá, a temperatura chegou aos 36°C, mas a sensação térmica às 16h chegava aos 43°, com a umidade relativa do ar em 63%.

As imagens de satélite mostram o crescimento das nuvens sobre o Estado do Rio de Janeiro.

 

As pancadas de chuva vão ocorrer ainda até a noite e pode chover forte em alguns locais. Mais pancadas de chuva são esperadas para os próximos dias e principalmente na sexta-feira e no fim de semana com a chegada de uma frente fria.

Mais chuva para BH
terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Sem o bloqueio atmosférico da alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS), as pancadas de chuva voltaram a ocorrer sobre a região de Belo Horizonte. A primeira chuva de 2015 caiu entre 21 e 22 de janeiro. Choveu forte na tarde e noite dos dias 25 e 26 acumulando 65 mm. O total de chuva de janeiro está em 87,0 mm, muito abaixo da média histórica que fica em torno de 296 mm.

A falta de chuva sobre o Sudeste, que começou no verão de 2014, deixou os reservatórios que abastecem a Grande Belo Horizonte com nível crítico. Segundo a Copasa, no dia 27 de janeiro de 2015, o nível do Sistema Paraopeba estava em 30%. O Paraopeba é composto por três reservatórios: Rio Manso, Vargem das Flores e Serra Azul. Nas últimas 24 horas, o Vargem das Flores subiu e os outros dois reservatórios ficaram estáveis.

 

Uma frente fria vai trazer mais chuva para o Sudeste a partir de quinta-feira e a Grande Belo Horizonte terá mais chuva. Confira as informações com a meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

Bloqueio atmosférico da ASAS

O bloqueio atmosférico provocado pela ASAS  – alta pressão subtropical do Atlântico Sul – atuou fortemente sobre Minas Gerais até o dia 21 de janeiro, deixando grande parte do Estado com pouca ou nenhuma chuva. O bloqueio foi quebrado com uma frente fria que chegou ao litoral de São Paulo no dia 21 de janeiro. Mas este bloqueio pode voltar? Entenda as condições atmosféricas do bloqueio de 2015.

 

Teremos mais apagões?

Fotografe a chuva!

Saiba como se proteger dos raios!

RJ: Paraíba do Sul terá chuva nos próximos dias
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

por Maria Clara Machado

A crise nos reservatórios do Sudeste só se agrava e as chuvas do primeiro mês do verão 2014/2015 tiveram pouco efeito até o momento. No estado do Rio de Janeiro a situação também piorou na última semana.

Dos quatro reservatórios de água que compõem a Bacia do Rio Paraíba do Sul, dois deles, o Paraibuna e o Santa Branca, atingiram o volume de 0%. Ou seja, a partir de agora operam apenas com o volume morto. Os outros dois reservatórios, Jaguari e Funil também tiveram queda no volume útil de água e nesta segunda-feira, 26, estavam com 1,72% e 3,75% respectivamente. Os dados foram divulgados pela Agência Nacional das Águas (ANA).


Quase dezesseis milhões de pessoas no Rio de Janeiro dependem da água do rio Paraíba do Sul, incluindo a região metropolitana. Entretanto, sua parcela na geração de energia elétrica para o Sudeste é muito pequena se comparada a outros principais reservatórios da Região.

 


O final de janeiro e o início de fevereiro deverão ter um padrão de clima diferente do que estamos observando até agora, afirma o meteorologista Alexandre Nascimento. A previsão é que as pancadas de chuva aconteçam sobre os reservatórios do Paraíba do Sul. Os modelos meteorológicos indicam volumes superiores a 150 mm no período de quinze dias. Ainda assim, são chuvas que apenas minimizam a seca momentaneamente. O quadro de seca no estado do Rio de Janeiro não será revertido.

 

 

Confira o que diz o meteorologista Alexandre Nascimento:

 

Sol com muitas nuvens no Rio de Janeiro
sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Com o rompimento do bloqueio atmosférico proporcionado pela Alta Subtropical do Atlântico Sul (ASAS) a nebulosidade consegue avançar mais facilmente sobre o Rio de Janeiro. Há o risco de pancadas de chuva no Grande Rio ao longo da tarde e da noite de sexta-feira (23). Tanto no sábado (24) quanto no domingo (25) o sol vai aparecer pela manhã, mas sempre acompanhado de muitas nuvens e a chuva vem a partir da tarde.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

O bloqueio atmosférico foi rompido com a passagem de uma frente fria, as áreas de instabilidade se organizam nesta área devido a presença de um sistema de baixa pressão atmosférica na costa de São Paulo.

A frente fria também fez o vento mudar de direção que passou a transportar um ar mais frio de origem polar, o que fez a temperatura cair.

 

O fim de semana terá mais sol em todo Estado do Rio de Janeiro. A temperatura sobe e as pancadas de chuva ocorrem principalmente entre a tarde e a noite. Há o risco de temporais. O tempo nas praias não será com céu azul e muito sol, a nebulosidade aparece mas não encobre totalmente o sol. No litoral também há o risco de pancadas de chuva entre a tarde e a noite.

 

RJ terá mais chuva nos próximos dias
quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Nuvens carregadas, raios, trovões e chuva voltaram a ser observados sobre o Estado do Rio de Janeiro nesta quinta-feira. A mudança no tempo foi provocada por uma frente fria que finalmente teve força para passar pelo Sul do Brasil e conseguir chegar ao Rio de Janeiro.

Foi esta frente fria que conseguiu romper o bloqueio atmosférico provocado pela forte atuação da ASAS (alta pressão subtropical do Atlântico Sul) que vinha deixando o Estado do Rio, e praticamente todo o Sudeste, com muito menos umidade e muito mais calor do que o normal para janeiro.

Manchas em tom de azul claro e vermelho indicam aglomerados de nuvens carregadas com potencial para provocar chuva forte

 

Mais chuva

A frente fria se afasta para alto-mar, mas áreas de instabilidade ainda vão se formar sobre o Rio de Janeiro nos próximos dias. Até terça-feira, mais as pancadas de chuva vão ocorrer em diversas áreas do Estado do Rio de Janeiro, mas o sol e o calor também estarão presentes. Há risco de temporais.

Com a chuva e o aumento da nebulosidade, o calor volta ao normal e a temperaturas não vão fica tão altas como vem ocorrendo desde o início de janeiro.

 

Rio de Janeiro (RJ): nuvens carregadas vistas da praia de Copacabana. Ao fundo, o forte de Copacabana - 22-1-2015 por Alan Serrano

Chuva forte sobre o RJ

Nuvens carregadas começam a crescer sobre o centro-sul do Rio de Janeiro no início da tarde de quinta-feira, 22, e no começo da noite já haviam se espalhado sobre a região dos Lagos e avançaram para o norte fluminense. Este foi o primeiro evento de chuva generalizada sobre o Estado do Rio de Janeiro este ano.

 

Saquarema (RJ) 22-1-2015 por Helio C Vital

A chuva forte veio acompanhada de muitos raios. No Grande Rio, até por volta das 19h30, a chuva mais forte tinha ocorrido sobre a zona norte da cidade do Rio . O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 31,2 mm entre 16h e 17h em Duque de Caxias. Já o Alerta Rio registrou aproximadamente 22 mm sobre o Mendanha entre 18h30 e 19h30 e 17 mm sobre a ilha do Governador entre 15h30 e 19h30.

Acompanhe a chuva sobre o Grande Rio e região serrana pelo Radar RJ.

 

 

Temporal sobre Petrópolis

As nuvens carregadas que passaram sobre a região serrana provocam chuva forte especialmente sobre a região de Petrópolis. O INEA – Instituto Estadual do Ambiente registrou 15h30 e 19h30 75,5 mm de chuva sobre o bairro Independência. No mesmo período choveu 59,5 mm na região do Quitandinha e 51,0 mm no LNCC. Todos são volumes bastante elevados.

A região de Barra do Sana, em Macaé, teve 51,6 mm entre 15h30 e 19h30 e em Angra dos Reis choveu em aproximadamente  38,1 mm neste período.

 

Pouca chuva  no Sudeste

Apesar da quebra do bloqueio atmosférico, a maioria das áreas do Sudeste vai fechar janeiro com chuva abaixo do normal. Janeiro é o primeiro ou o segundo mês mais chuvoso do ano nos Estados do Sudeste.

Os mapas mostram a anomalia de chuva (diferença entre média de chuva histórica e o volume de chuva ocorrido) em janeiro de 2014 e a situação de janeiro de 2015 até o dia 21.

Anomalia de chuva para janeiro de 2015 até o dia 21

 

Anomalia de chuva de janeiro de 2014

 

Confira a análise da meteorologista Josélia Pegorim sobre a chuva no Sudeste ]

Podemos ter mais apagões neste verão?

 

Temporais no Grande Rio
quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

O forte calor e as áreas de instabilidade organizadas pela presença de um sistema de baixa pressão atmosférica provocam temporais na tarde de quinta-feira (22).

O radar meteorológico do Sumaré operado pelo Alerta Rio – Prefeitura do Rio de Janeiro mostra o avanço de chuva forte para áreas do Grande Rio.

Imagem do radar do Sumaré às 14h04. Clique na imagem e veja o radar em tempo real

As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço das áreas de instabilidade provocando chuva forte.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

Com o rompimento do bloqueio atmosférico, a chuva ocorre com uma maior facilidade na região. Nas próximas horas a chuva persiste e há o risco de chuva forte inclusive durante a noite.

Nos próximos dias a nebulosidade aparece desde cedo e as pancadas de chuva acontecem entre a tarde e a noite principalmente. Há o risco de novos temporais.

Feriado com muito sol no Rio de Janeiro
terça-feira, 20 de janeiro de 2015

É dia de São Sebastião, padroeiro da cidade do Rio de Janeiro! E o céu vai contribuir para aqueles que estão pensando em fugir da rotina no feriado, quem sabe ir à praia ou aproveitar as atividades ao ar livre. O predomínio é de sol forte e muito calor na capital fluminense. Segundo informações do Campo dos Afonsos, a temperatura era de 33°C às 10h da manhã, com sensação de 36°C.

As imagens do satélite meteorológico mostram o predomínio de um ar seco que impede a formação de nuvens carregadas. Segundo informações da estação automática do INMET na Vila Militar, o dia começou com umidade relativa do ar em 63% e a tendência é de queda ao longo das próximas horas.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

O Grande Rio ainda terá tempo firme ao longo de todo o dia. Altas temperaturas, muito calor e sem chuva no dia de São Sebastião.

Tempo muda a partir da quarta-feira

Com o afastamento da Alta Subtropical do Atlântico Sul, a tendência é de que as condições para chuva aumentem no Rio de Janeiro a partir da quarta-feira (21). O sol ainda vai aparecer forte e o calor persiste, mas a partir da tarde as chances de chuva aumentam uma vez que umidade vinda do mar e do interior consegue encontrar condições favoráveis para a formação de grandes nuvens de chuva. Há o risco de chuva forte, mas de forma mais localizada.

Confira com a meteorologista Josélia Pegorim como a chva vai se distribuir sobre o Sudeste.

 

Veja também: ASAS enfraquece e ar polar entra no Brasil