Arquivo da Categoria ‘Rio de Janeiro’

+ aumentar e diminuir fonte -
Fim de semana instável no Rio
sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Instabilidade aumenta no Sudeste

Áreas de instabilidade estão se espalhando sobre a Região Sudeste do Brasil, fazendo a nebulosidade aumentar também sobre o Rio de Janeiro, depois uma sexta-feira marcada por sol forte e poucas nuvens. Cariocas e fluminenses vão sentir mais o mormaço do que o sol forte neste sábado, mas a sensação será de calor.

Rio de Janeiro(RJ) - pedra da Gávea, por Gesiel Junior, 23-10-2014

 

Rio de Janeiro ao anoitecer visto da lagoa Rodrigo de Freitas. Ao fundo, no meio, o morro Dois Irmãos e à direita dele, a Pedra da Gávea. Foto de Nery, 24 de outubro de 2014

    

Pancadas de chuva com raios devem voltar a ocorrer por todo o Estado do Rio a partir da tarde deste sábado, ainda que de forma isolada.

 

 

 

Assim como os demais estados do Sudeste, o Rio de Janeiro também vive problemas por causa da falta de chuva prolongada. A recente passagem de uma frente fria no começo da semana provocou chuva especialmente nas regiões serranas que ajudou a apagar os incêndios florestais.

 

Durante o fim de semana, a Região Sudeste recebe mais ar úmido e quente vindo do Norte e do Centro-Oeste do Brasil, o que facilita a formação de mais nuvens e aumenta as condições para chuva. Estas áreas de instabilidade são reforçadas no domingo, provocando várias pancadas de chuva também sobre o Rio de Janeiro. A chuva tende a acontecer especialmente à tarde e à noite e pode ser forte em alguns momentos, principalmente na região serrana.

 

Mais chuva para o Sudeste

 

Rio de Janeiro sem calor
terça-feira, 21 de outubro de 2014

A passagem recente de uma frente fria mudou completamente o tempo no Estado do Rio de Janeiro: do calor de 40°C e do céu azul, para a chuva e temperatura amena. No domingo, a cidade do Rio de Janeiro teve temperatura de até 39,5°C, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. Nesta terça-feira, com as nuvens, o vento fresco e um pouco de chuva da frente fria, os termômetros não passaram dos 24°C.

 

A frente fria veio em boa hora para aliviar o calor e trazer um pouco de chuva para ajudar a controlar os incêndios em reservas florestais, que  se alastraram na semana passada por causa do ar muito seco e calor intenso.

 

 

Os círculos amarelos marcam locais com grande concentração de focos de fogo, que aparecem como pequenos quadrados vermelhos. No dia 19 de outubro, havia grande quantidade de focos na divisa do Rio de Janeiro, com São Paulo e Minas Gerais que a densa fumaça pode ser captada por satélites meteorológicos

 

Umidade alta

Ventos marítimos deixados pela passagem da frente fria ainda predominam sobre o Estado do Rio nesta quarta-feira espalhando muita umidade. Com o ar muito úmido, uma grande quantidade de nuvens permanece por todas as regiões fluminenses, mas pouca chuva está sendo esperada.

 

Rio de Janeiro (RJ) no fim da tarde de 21 de outubro de 2014 por Helio C Vital

 

A tendência é de diminuição da umidade e da nebulosidade a partir de quinta-feira, quando a temperatura volta a subir. Porém, não há mais a situação de onda de calor e nem bloqueio atmosférico. A elevação da temperatura ocorre por causa da volta do sol e do afastamento do ar polar.

 

Fim de semana com praia

A semana termina com calor e pancadas de chuva, típicas de dias quentes e com umidade. Não há previsão de entrada de frente fria no fim de semana. A expectativa é de que cariocas e fluminenses possam aproveitar um fim de semana com calor normal e o sol. Mas os surfistas não terão grandes ondas!

 

Acompanhe a chuva com o RADAR RJ

 

Confira as melhores ondas no Climasurf. Seja um surfreporter!

 

Rio 42°C
sexta-feira, 17 de outubro de 2014

A forte onda de calor que se instalou sobre o Brasil esta semana tem causado temperaturas extremamente elevadas em particular em áreas do Centro-Oeste e do Sudeste. Temperaturas de  40°C ocorrem todos os anos em várias áreas destas Regiões.

O Rio de Janeiro é uma das cidades da Região Sudeste que registram calor de 40°C ou mais quase todos anos na primavera e/ou no verão. A capital fluminense é a atual líder, e com larga vantagem, do “Clube das Quarentonas”, que reúne as capitais brasileiras que já registraram 40,0°C ou mais este ano. Em  2014, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura no Rio de Janeiro alcançou e até passou dos 40,0°C dez vezes!

 

 

Possibilidade de recorde no fim de semana

O atual recorde de calor é de 41,6°C, em 13 de outubro, na região da Vila Militar, na zona oeste carioca. Neste mesmo dia, o Alerta Rio registrou 42,0°C em Guaratiba.

O calor deve aumentar sobre todo o Estado do Rio de Janeiro no fim de semana e poderá bater novo recorde na cidade do Rio. Não se pode descartar também a chance de um recorde histórico, de todos os anos de medição. Este recorde absoluto de calor atualmente é de 43,2°C que ocorreu em 26 de dezembro de 2012, em Santa Cruz, na zona oeste.

 

 

Fim de semana de calor e praia

Cariocas e fluminenses vão passar o fim de semana do início do horário de verão com calor acima do normal, sol forte, mas a chance de chuva é remota. Algumas pancadas poderão ocorrer no sul fluminense, na divisa com Minas Gerais e São Paulo.

A chance de chuva só deve aumentar mesmo na segunda-feira com a chegada de uma grande frente fria. Esta Uma frente fria avança sobre o Sudeste a partir do domingo, 19, e no decorrer da próxima semana espalha chuva e ar polar sobre a Região que vão ajudar a temperatura baixar. Antes da chuva, muito calor no Rio de Janeiro.

 

Fique atento aos sinais da desidratação!

Eles atacam no calor…

Calor ainda bate recorde no Brasil até a segunda-feira
quinta-feira, 16 de outubro de 2014

A intensa onda de calor que está sendo observada sobre o Brasil fez com centenas de cidades brasileiras voltassem a registrar temperaturas acima dos 37°C nesta quinta-feira, 16 de outubro de 2014. As estações medidoras do Instituto Nacional de Meteorologia registraram marcas de 40,0°C ou mais em 20 cidades. Temperaturas desta ordem estão acontecendo desde o domingo, mas o número de locais com temperaturas de 40°C vem aumentando.

O que mais impressiona é que em Mato Grosso do Sul e também no interior de São Paulo, as temperaturas de 40°C estão sendo registradas em amplas áreas e todos os dias desde o começo desta semana.

O Estado de Mato Grosso do Sul está no centro da onda de calor e  vem sendo a região mais quente do Brasil nos últimos dias. Nesta quinta-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 42,7°C em Porto Murtinho, temperatura que fica entre as 10 mais elevadas oficialmente observadas no Brasil.

Brasil dos 43°C

Nesta quinta-feira, a temperatura no Sul chegou aos 39,3°C em Planalto, no sudoeste do Paraná, 42,7°C em Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, 40,9°C em Barretos, no norte de São Paulo, 40,4°C em Paranã, no Tocantins e aos 40,4°C em Oeiras, no Piauí.

 

 

Recordes de calor

Novos recordes de calor ocorreram nesta quinta-feira em capitais brasileiras. Cuiabá, capital de Mato Grosso, bateu recorde com temperatura máxima de 40,6°C, igualando a marca do dia 11de outubro.

Palmas, capital do Tocantins, teve máxima de 40,8°C superando os 40,4°C dos dias 15 de setembro e 14 de outubro.

Mais recordes à vista

Até a segunda-feira ainda podem ocorrer vários recordes de calor nas capitais. Os mais prováveis são em São Paulo, no Rio de Janeiro, em Belo Horizonte, em Vitória em Goiânia, em Campo Grande, em Cuiabá, em Brasília e em Palmas.

Confira as maiores temperatura de 2014 nas capitais do Brasil registradas nas estações meteorológicas convencionais do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

 Chuva e ar polar à vista

 Fugindo do calor

Calor de outubro bate recorde histórico em SP e MS

Você está em dia com vitamina D?

 

Rio de Janeiro: calor de 40°C ainda pode voltar
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Rio acima dos 40°C

Do “Clube das Quarentonas”, o Rio de Janeiro é a capital que tem o maior número de 40°C (ou mais) no currículo em 2014: 10 vezes! 

Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura na cidade do Rio de Janeiro este ano já igualou ou superou os 40°C em 10 dias. A mais recente foi o recorde de calor desta segunda-feira, 13 de outubro, quando a temperatura alcançou 41,6°C na região da Vila Militar, na zona oeste carioca. O recorde anterior era de 41,4°C, em 10 de fevereiro.

A temperatura chegou aos 41°C no Campo dos Afonsos, a 40°C na região da base aérea de Santa Cruz e no aeroporto Tom Jobim. Na região da Marambaia fez 41,4°C. O Alerta Rio chegou a registrar 42°C em Guaratiba, mas este local de medição não é considerado para efeito de recordes na cidade do Rio.

 

Vento fresco

Depois de marcar 42°C, a temperatura caiu rapidamente por causa da mudança na direção do vento. O vento fresco da direção sul entrou na cidade a partir de 15 horas. No Campo dos Afonsos, a temperatura às 14 horas era de 41°C, baixou para 32°C às 15 horas e com a persistência do vento frio, a tarde terminou com agradáveis 25°C.

O vento frio de sul veio com o ar polar de uma frente fria que passou rapidamente pelo litoral sul do Rio de Janeiro. Mas este ar polar veio muito fraco, sem força vencer a grande a forte massa seca que influencia o Sudeste. É este ar quente que volta a predominar no Rio de Janeiro nos próximos dias fazendo a temperatura subir novamente. Até o fim da semana, o calor de 40°C deve voltar!

 

 

Novos recordes de calor poderão ocorrer ainda em outubro, antes da chuva. A chance de chover é baixa pelo menos por mais 10 dias.

A meteorologista Josélia Pegorim analisa as condições para chuva no Brasil nos próximos 15 dias.

 

 

Clube das quarentonas

O “Clube das Quarentonas” é formado pelas capitais brasileiras que já registraram 40°C ou mais em 2014. Na cidade do Rio de Janeiro, atual líder, a temperatura já bateu nos 40°C, ou mais, 10 vezes este ano. Em Cuiabá, capital de Mato Grosso, é 3 vezes 40°C, com máxima de 40,6°C em outubro. Palmas, capital do Tocantins, também é 3 vezes 40°C e sua máxima até agora é de 40,4°C, em agosto. O Clube fecha com Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul, que este ano registrou 40,6°C em fevereiro.

Rio de Janeiro tem novo recorde de calor
segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Atualizado em 13/10/2014 às 15h56

O Rio de Janeiro esquentou muito nesta segunda-feira e bateu novo recorde de calor. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, às 14 horas a temperatura chegou aos 41,6°C na região da Vila Militar, na zona oeste carioca. O recorde anterior era de 41,4°C no dia 10 de fevereiro.

Sem nuvens, sem ar polar

Esta segunda-feira está sendo com calor intenso e ar extremamente seco em todo o Grande Rio. Por volta das 13 horas, o Alerta Rio chegou a registrar 42°C em Guaratiba, na zona oeste. O Campo dos Afonsos, também na zona oeste, marcava 41°C às 14 horas . Na mesma região da cidade, o aeroporto Jacarepaguá registrou 40°C. Na Marambaia, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 41,4°C. A base aérea de Santa Cruz também registrou 40°C.

A umidade relativa do ar chegou aos 11% na Vila Militar e a 13% na Marambaia

O forte bloqueio atmosférico que persiste sobre o Sudeste garante um início de semana com sol forte, calor e umidade relativa do ar em queda em diversas cidades. Na cidade do Rio de Janeiro. Não há expectativa de chuva.

O dia começou com temperaturas relativamente altas, segundo informações do aeroporto internacional Tom Jobim, a menor temperatura pela manhã foi de 20°C. Na imagem do satélite meteorológico, já é possível ver um favorecimento da entrada do ar seco, que é representada pelos tons em marrom.

Mais sol  menos chuva para os próximos dias no Rio de Janeiro

O ar mais seco ainda persiste sobre o Estado do Rio de Janeiro. Ao longo do próximos 15 dias não são esperados grandes volumes de chuva sobre a “Cidade Maravilhosa”.  Os volumes acumulados chegam no máximo aos 30mm, como pode ser visto no mapa de previsão de chuva, nos tons em laranja.

O predomínio do ar seco deixa os dias com poucas nuvens e o sol fica forte por muitas horas. O calor aumenta e as tardes ensolaradas fazem com que as temperaturas máximas disparem. Somente na quarta-feira (15) há o risco de uma chuva modesta no Rio de Janeiro, que não devem vir com grandes volumes acumulados.

Névoa no Rio de Janeiro
domingo, 12 de outubro de 2014

O Sudeste do país continua sob a influência de uma forte massa de ar quente e seco, e ao longo da última semana, foram registradas elevadas temperaturas e baixos índices de umidade relativa do ar em vários Estados. Ontem, entretanto, uma frente fria em alto-mar, no Sul do país, embora não tenha conseguido romper o bloqueio atmosférico que se formou, provocou uma mudança brusca na direção dos ventos. Os ventos passaram a soprar do oceano em direção à costa, trazendo assim, mais umidade para a faixa leste de São Paulo e do Rio de Janeiro.

No gráfico a seguir é possível verificar e comparar o aumento da umidade na região do Aeroporto Internacional do Galeão.

Nota-se claramente que, antes da virada do vento, nos dias 10 e 11 de Outubro, a umidade relativa do ar ficou abaixo dos 30% e a cidade do Rio de Janeiro já entrava em estado de atenção logo no início da tarde (12h ou 15UTC). Às 13h, ou 16 UTC, a umidade relativa do ar já chegava aos 18%. Já neste domingo (12), por outro lado, a infiltração marítima permitiu que a umidade do ar ficasse acima dos 50% durante esta tarde.

Na figura a seguir, do modelo GFS desenvolvido pelo US National Weather Service é possível observar a entrada da umidade no litoral do Rio de Janeiro.

Os tons esverdados da figura indicam regiões com alta umidade, os tons em marrom, por outro lado, indicam justamente o contrário. Já as linhas de corrente na figura representam a direção do vento. Nota-se que na área demarcada, na cidade do Rio de Janeiro, os ventos continuam soprando do oceano em direção ao continente, e vemos tons mais azulados na região, associados a umidade mais elevada.

Este aumento na umidade do ar vêm favorecendo a formação de nevoeiro desde o início da manhã na Capital fluminense. Na figura a seguir, vemos que vários aeroportos estão reportando a ocorrência do fenômeno. Para facilitar o entendimento, o METAR é um informe meteorológico regular do aeródromo com a condição de tempo em determinado momento. O que nos interessa a seguir é o fenômeno em questão, indicado nas mensagens como BR (névoa úmida), ou HZ (névoa seca). Os aeroportos destacados são o de Jacarepaguá, Santos Dumont e  Galeão.

A formação da névoa reduz a visibilidade nos aeródromos e pode atrapalhar tanto pousos quanto decolagens.

O aeroporto do Galeão, ao contrário do de Jacarepaguá e de Santos Dumont, vêm registrando a ocorrência de uma névoa seca. Como vimos no primeiro gráfico, a baixa umidade do ar que a região enfrentou nos últimos dias aumentou a concentração de poluentes na atmosfera. A interação da umidade com o material particulado em suspensão produziu, então, a chamada névoa seca.

Só sol à vista para o Rio de Janeiro
quarta-feira, 8 de outubro de 2014

O Rio de Janeiro esquentou bastante nesta quarta-feira. No início da tarde, a temperatura já começava a superar a marca dos 30°C em várias áreas da cidade. O calor veio do sol forte e também do afastamento do ar polar, que manteve o vento frio sobre o Rio de Janeiro desde o fim da semana passada. A quantidade de nuvens diminuiu e o sol predominou desde cedo.

Rio de Janeiro com muito sol na manhã de 8 de outubro de 2014. Foto: Felipe Santos

 

O gráfico mostra a evolução da temperatura e do nível de umidade do ar dos últimos dias na região do aeroporto Tom Jobim, na ilha do Governador, na zona norte carioca.

 

 

A queda da umidade foi muito grande. O nível de 25% registrado às 13 horas é um valor muito baixo para uma região litorânea. A Organização Mundial da Saúde recomenda um nível de umidade em torno dos 60% para o conforto humano.

 

Só sol à vista

Muitos cariocas e fluminenses torcem pela volta dos temporais, mas eles vão ficar longe do Estado do Rio de Janeiro por vários dias. Os cariocas e fluminenses terão mais calor e ar seco.

No próximo fim de semana, uma frente fria vai passar pelo litoral paulista, mas sem força para vencer o ar seco e quente que já atua forte sobre o Sudeste. Esta frente fria não deve causar mudança no tempo no Rio de Janeiro, que deve ter um fim de semana com muito sol e mais calor.

 

Quando chove?

A forte massa de ar seco que voltou a ganhar forte sobre o Sudeste vai dificultar a chegada de mais frentes frias à Região. Entre os dias 15 e 16, uma frente fria deve passar pelo litoral fluminense, mas com pouca força. Há previsão de outra frente fria por volta do dia 20, que deve ter força para chegar com chuva ao Rio de Janeiro.

Rio de Janeiro continua frio
sexta-feira, 3 de outubro de 2014

A recente passagem de uma frente fria pelo Sudeste do Brasil não deixou o tempo chuvoso, mas causou muito vento e derrubou a temperatura de novo.

No Pico do Couto, nos arredores de Petrópolis, a temperatura na sexta-feira, 3, não passou de 9°Cm pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. Em Nova Friburgo e na região de Teresópolis, os termômetros não passaram dos 14°C. Na cidade do Rio de Janeiro, a temperatura mínima foi de 14,6°C e a máxima de 24,8°C. Para os padrões cariocas, estas temperaturas são muito abaixo do normal para um dia de outubro. Por causa do vento moderado e constante, a sensação térmica às 20 horas na região do aeroporto Santos Dumont era de apenas 16 °C.

 

Frio e ventos

A acentuada queda da temperatura e os ventos fortes são provocados por uma grande e forte massa de ar polar que está centrada no litoral da Argentina, perto de Buenos Aires. É esta massa polar que está provocando muito vento no Sul e no Sudeste.

A influência desta massa no Brasil ainda será grande no fim de semana mantendo a temperatura baixa em todo o Estado do Rio de Janeiro. Ainda tem ventos moderados a fortes. Assim, mesmo com a presença do sol, o vento não deixa a temperatura subir muito.   A Região Serrana pode ter temperatura abaixo dos 10°C. Apesar da nebulosidade, não há previsão de chuva para o fim de semana de eleições.

Vai esquentar só na semana que vem. Confira como vai se comportar a temperatura no Rio de Janeiro

 

Mar agitado

Os ventos fortes provocados por uma grande massa polar e um ciclone extratropical  deixaram o mar agitado na costa da Argentina. Grandes ondas foram geradas e avançaram para a costa brasileira.

Neste fim de semana, estas grandes ondas varrem a costa do Sul e do Sudeste e chagam ao litoral leste do Nordeste.

Evite a navegação!

 

Confira a previsão das ondas!  

 

Sudeste volta a secar 

 

Compartilhe a informação sobre as condições do tempo na sua cidade com a Climatempo

Participe!

Pelo site:  envie sua foto

Pelas redes sociais: #fotografeotempo

Pelo Whatsapp: (11) 9 9420-7548

 

 

 

 

RJ tem mais temporais nesta quarta-feira
terça-feira, 30 de setembro de 2014

Atualizado em 01/10/2014 às 03h10

Fortes áreas de instabilidade voltaram a se formar sobre o Estado do Rio de Janeiro e provocaram temporais sobre a região serrana e sul fluminense na tarde desta terça-feira. A chuva mais intensa caiu sobre as cidades serranas.

Nova frente fria 

Uma nova frente fria avança rapidamente sobre o Sul do Brasil e nesta quarta-feira chega ao Rio de Janeiro. O impacto do ar frio trazido pela frente fria com o ar muito quente que está sobre Sudeste vai ajudar a formar outras áreas de instabilidade.  Há risco de temporais em todo o Estadio do Rio de Janeiro na tarde e noite desta quarta-feira.  A chuva e o ar polar aliviam o calor e a temperatura na quinta-feira fica amena.

 

Tempo nas eleições

Entre a quinta e a sexta-feira, a nebulosidade ganha força com os ventos úmidos que sopram do mar em direção ao continente  e vão manter a  a temperatura amena no fim de semana.

No fim de semana, o Grande Rio terá muitas nuvens e há condições para chuva a qualquer momento, mas de fraca intensidade. O domingo de eleições poderá ter garoa e aberturas de sol à tarde, sempre com temperatura amena.

Confira a previsão para a cidade do Rio e veja como vai variar a temperatura. 

 

Acompanhe a chuva no Rio de Janeiro pelo site da Climatempo com as informações do radar meteorológico do Sumaré – Alerta Rio

 

 

Rafael Rodrigues compartilhou com a Climatempo o vídeo que mostra a chuva intensa sobre Nova Friburgo na tarde de 30 de setembro de 2014.

 

 

Confira os volumes registrados em 24 horas pelo INEA, até 18h15 de 30 de setembro de 2014.