Arquivo da Categoria ‘Rio de Janeiro’

+ aumentar e diminuir fonte -
Novo recorde de temperatura no Rio de Janeiro
terça-feira, 8 de abril de 2014

Pela segunda vez esta semana, a cidade do Rio de Janeiro registra um recorde de temperatura mínima. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a madrugada desta terça-feira, 8 de abril, foi a mais fria de 2014 até agora, com temperatura mínima de 16,7°C no bairro do Alto da Boa Vista, batendo os 16,8°C de domingo (6).

A falta de nuvens durante a noite fez com que o ar se resfriasse mais nesta madrugada. Uma grande sistema de alta pressão está atuando sobre o Sudeste e dificulta o crescimento das nuvens também sobre o Rio de Janeiro. A madrugada de quarta-feira também será com temperatura amena. Na região serrana do Estado do Rio, os termômetros podem ficar novamente abaixo dos 10°C, como tem ocorrido nos últimos dias.

 

Rio de Janeiro esquenta depois do recorde de frio
segunda-feira, 7 de abril de 2014

Frio no Rio de Janeiro

A semana começou com queda temperatura no Estado do Rio de Janeiro. Apesar das tardes quentes, as noites ficaram frias e houve até recorde de frio na capital. A madrugada do domingo, 6 de abril, foi a mais fria do ano na cidade do Rio, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. A temperatura chegou aos 16,8°C no bairro do Alto da Boa Vista. Nesta segunda-feira, a temperatura mínima nas áreas mais frias subiu para marcas em torno dos 18°C e chegou a quase 32°C à tarde.

No interior, a cidade de Nova Friburgo, na região serrana fluminense, teve a menor temperatura do país nesta segunda-feira: 7,2°C, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

Ar seco afasta a chuva

Tem chovido muito pouco no Grande Rio desde o começo do ano e estes primeiros dias de abril seguem a mesma tendência. Não há nenhuma frente fria prevista para chegar à região até a sexta-feira e para diminuir ainda mais a chance de chover, uma grande sistema de alta pressão atmosférica ganhou força sobre o Sudeste. O aumento da pressão do ar diminui a umidade, o que reduz a chance de formação das nuvens de chuva.

Como será o verão?
segunda-feira, 7 de abril de 2014

A indústria da moda tem um tempo completamente diferente. Para eles, o outono já foi e a cabeça dos criadores está pensando no próximo verão. Para o pessoal que faz a moda, que dita as tendências, a previsão do clima é muito mais importante do que a previsão do tempo.

Na semana passada aconteceu o São Paulo Fashion Week e esta semana rola do Fashion Rio, na cidade do Rio de Janeiro. No Tempo de Moda você fica por dentro de todas as tendências e sempre vai saber que roupa usar e quando usar. Paula Soares dá dicas do tempo para semana no Rio. Confira!

 

 

 

 

 

 

 

 

Nevoeiro reduz a visibilidade no Sul e no Sudeste
segunda-feira, 7 de abril de 2014

Vários aeroportos do Sul e do Sudeste amanheceram com  grandes restrições de visibilidade devido ao nevoeiro.

No Sul, o aeroporto internacional de Curitiba estava com 200 m de visibilidade às 7h15, mas às 8 horas já havia aumentado para 1500 metros, com a dissipação do nevoeiro. O aeroporto de Joinville, no vale do Itajaí, em Santa Catarina, estava com 300 m de visibilidade às 8 horas e o de Navegantes com 900 metros. Os dois aeroportos estava fechados para pouso e decolagens, segundo o site da Infraero, às 8h30.

No Sudeste, a pior situação era em Barbacena, na zona da mata mineira, onde a visibilidade às 8 horas era de apenas 100 m. O aeroporto de Ipatinga estava com 200 m de alcance visual neste horário. Uma névoa forte prejudicava a visibilidade na região de São Tomé, no rio de Janeiro, onde a visibilidade era de apenas 1200 m, às 8h.

O aeroporto internacional Tom Jobim,no Rio de Janeiro, estava com forte névoa às 8 h,com visibilidade de 2000 m obrigando a operação por instrumentos.

Chuva no Rio de Janeiro
quinta-feira, 3 de abril de 2014

O ar está quente e úmido no Rio de Janeiro, que já são ingredientes essenciais para a formação de nuvens carregadas. Além disso, tem uma frente fria no mar, avançando em direção ao mar, mas que ajuda a formar mais áreas de nuvens. Várias regiões do Rio de Janeiro já estão com chuva de moderada a forte intensidade e há incidência de raios. A imagem de radar abaixo, operado pela Prefeitura do Rio de Janeiro mostra essas áreas de chuva.

 

Na cidade do Rio de Janeiro já choveu forte hoje pela manhã, segundo informações dos aeroportos Tom Jobim e Campo dos Afonsos. Ainda pode voltar a chover forte até a noite de hoje.

Chuva aumenta no Rio de Janeiro – risco de chuva forte
quarta-feira, 2 de abril de 2014

O tempo começou a mudar no Rio de Janeiro no início da tarde desta quarta-feira. Uma frente fria chegou ao litoral fluminense e facilitou a formação de nuvens carregadas. O tempo vai ficando cada vez mais instável durante a tarde com pancadas de chuva e raios sobre o Grande Rio e também na costa verde, região serrana e outras áreas do Estado do Rio. Há risco de raios, chuva e ventos fortes.

Se você vai para o Rio de Janeiro de avião nesta tarde ou à noite, prepare-se para atrasos e problemas com a visibilidade nos aeroportos e trânsito.

 

 

Névoa no Rio e em São Paulo
quarta-feira, 2 de abril de 2014

A Grande São Paulo amanheceu esta quarta-feira com céu nublado, com névoa moderada, que causou restrição parcial da visibilidade nos aeroportos. Às 7 horas, Congonhas e Guarulhos estavam abertos e operantes, mas a visibilidade em Congonhas era de 6000 metros, no aeroporto internacional de Guarulhos, de 3000 metros e no Campo de Marte, de 5000 metros.

A névoa enfraquece ou até se dissipa ainda de manhã, mas volta a se formar a qualquer momento, pois  hoje os ventos marítimos entram mais fortes sobre a Grande São Paulo, injetando mais umidade.

 

Imagem de satélite mostra cobertura de nuvens e névoa que deixou a Grande SP nublada no começo da manhã desta quarta, 2 de abril de 2014.

Há possibilidade de maiores restrições de visibilidade no fim da tarde.

A cidade do Rio de Janeiro amanheceu esta quarta-feira com névoa úmida que reduziu a visibilidade nos aeroportos, mas sem causar interromper as operações. Às 7 horas, a visibilidade nas pistas do aeroporto Santos Dumont, que opera a ponte aérea Rio-São Paulo era de 5000 metros e o internacional Tom Jobim estava com 4000 metros. A visibilidade devem melhorar pela manhã,com a dissipação da névoa, mas outras restrições podem ocorrer à tarde e à noite devido à chuva e à névoa

 

 

Mais umidade no RJ nesta quarta-feira
quarta-feira, 2 de abril de 2014

A cidade do Rio de Janeiro amanheceu esta quarta-feira com névoa úmida que reduziu a visibilidade nos aeroportos, mas sem causar interromper as operações. Às 7 horas, a visibilidade nas pistas do aeroporto Santos Dumont, que opera a ponte aérea Rio-São Paulo era de 5000 metros e o internacional Tom Jobim estava com 4000 metros. A visibilidade devem melhorar pela manhã,com a dissipação da névoa, mas outras restrições podem ocorrer à tarde e à noite devido à chuva e à névoa.

 

 

Mais vento e menos calor

Uma nova frente fria está chegando do Rio de Janeiro nesta quarta-feira trazendo o ar polar que vai entrar em choque com o ar quente e úmido que predomina sobre o Sudeste do Brasil. O impacto térmico vai facilitar a formação de nuvens carregadas não só na cidade de do Rio de Janeiro como em outras regiões fluminenses e do Sudeste. No decorrer desta quarta-feira pode chover forte nos quatro estados do Sudeste, mas a região entre o centro-sul de Minas e o Rio de Janeiro está entre as mais prováveis para a ocorrência de pancadas de chuva moderadas a fortes.

Além de amentar as condições para a chuva, os ventos também ganham velocidade e podem ocorrer rajadas moderadas as fortes, entre 50 km/h e 70 km/h.

O ar polar se mistura com o ar quente e o calor diminui. A tarde de hoje será menos abafada e quente do que nos últimos três dias.

Rio de Janeiro: segundo lugar no ranking de seca das capitais
quarta-feira, 2 de abril de 2014

O Rio de Janeiro ficou em segundo lugar na lista das capitais que tiveram menos chuva em relação à média durante o mês de março, empatada com São Luis, capital do Maranhão.

 


 

 

 

A falta de chuva no Rio de Janeiro no verão de 2014 está sendo notória. Pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia na estação meteorológica da Saúde, no centro da cidade, em março de 2014 choveu aproximadamente 53 mm, 62% abaixo da média histórica. Em fevereiro, os cariocas quase não viram nuvens no céu e o mês fechou com 90% de chuva abaixo do normal. A chuva de janeiro ficou 71% abaixo da média.

 

 

 


 

Das capitais brasileiras, o Rio de Janeiro foi a que mais sofreu o efeito de um anômalo e forte bloqueio atmosférico que vigorou por mais de um mês durante o verão de 2014. As condições atípicas de ventos e pressão do ar e também da temperatura das águas do oceano Atlântico Sul impediram a chegada das frentes frias e do ar polar ao Rio de Janeiro por várias semanas. Estes foram os fatores que “secaram” o Rio na sua época normalmente mais chuvosa.

 

 

Quando vai esfriar no centro-sul do Brasil?
segunda-feira, 31 de março de 2014

O mês de abril começa com a entrada de uma massa polar no Sul do Brasil. O centro de alta pressão polar chega a 1030 hPa na costa da Argentina e do Uruguai na quarta-feira, o que  representa uma massa polar forte. Mas o ar fio intenso fica sobre o mar e se afasta rápido do Brasil. O vento frio desta massa polar entre no Sul e em parte do Sudeste já nesta terça-feira, mas não vai esfriar muito desta vez.

 

 

 

Mas a meteorologista Josélia Pegorim alerta para uma outra massa polar na virada da primeira para a segunda quinzena de abril que deve provocar mais frio no centro-sul do Brasil e levar o ar polar até para áreas de Mato Grosso.