Arquivo da Categoria ‘São Paulo’

+ aumentar e diminuir fonte -
Nova frente fria passa pelo litoral de SP
quarta-feira, 6 de maio de 2015

Uma nova frente fria avança no mar pelo litoral da Região Sul e nesta quinta-feira passa pelo litoral de São Paulo. As áreas de nuvens carregadas e chuva desta frente fria ficam quase todas sobre o oceano, porém os ventos marítimos vão ganhar força sobre São Paulo, o que vai fazer a umidade aumentar no leste do Estado.

É por causa desta maior infiltração de umidade marítima que as condições para chuva aumentam nesta quinta-feira na região da Grande São Paulo, no litoral, nos vales do Paraíba e do Ribeira. A chuva que ocorrer deve ser fraca ou com  no máximo com moderada intensidade.

A maior probabilidade de chuva na Grande São Paulo é no fim da tarde e à noite

As bandas de nuvens que aparecem ao largo do litoral do Rio Grande do Sul são da nova frente fria. Clique na imagem e veja São Paulo.

 

Sensação de frio

A passagem desta frente fria reforça o ar polar que já está sobre a Grande São Paulo. A temperatura segue amena e a sensação de frio no fim da tarde será maior. Pode esfriar mais até sexta-feira, com alguma chance até de novo recorde de frio.

Por enquanto, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a menor temperatura na madrugada na capital paulista foi de 13,4°C no dia 1 de maio. A tarde mais fria foi a do dia 30 de abril, quando a temperatura máxima foi de apenas 18,7°C.

 

São Paulo continua muito úmida nesta quinta-feira. Foto de Carlos Severo - Fotos Públicas

Chuva forte à vista

A meteorologista Josélia Pegorim comenta sobre um evento de chuva forte que está sendo esperado para o início da próxima semana.

 

Cantareira poderá ter chuva forte no fim de semana
quarta-feira, 6 de maio de 2015

O nível de armazenamento do sistema Cantareira continuava estável 19,7% na manhã de 6 de abril. Este valor vem se mantendo deste o dia 4 de maio. O máximo de armazenamento em 2015 até agora foi de 20,1%, em 27 de abril.

Segundo a Sabesp choveu apenas 0,1 mm nas últimas 24 horas. A maior quantidade de chuva entre os dias 5 e 6 e maio caiu sobre o sistema Rio Claro que teve 2,5 mm.

Os sistemas Cantareira e Alto Tietê ficaram estáveis nas últimas 24 horas, mas o Guarapiranga teve nova queda.

 

Falta de chuva faz nível de armazenamento baixar

Após 85 dias com estabilidade ou elevação no nível de armazenamento, o sistema Cantareira teve sua primeira queda. No dia 27 de abril o nível do Cantareira estava em 20,1% e no dia 28 de abril baixou para 20,0%.

Nos últimos nove dias, entre 27 de abril e 6 de maio ocorreram três quedas. O aumento da frequência de queda no nível de armazenamento reflete a escassez de chuva que vem ocorrendo desde meados de março. Na primeira quinzena de março, ocorreram vários eventos de chuva forte, com acumulados acima de 20 mm diários. A partir do dia 13 de março, só ocorreu um evento com chuva acima de 20 mm.

 

Chuva no fim de semana

Pouca chuva está prevista para o Cantareira e os demais mananciais que abastece a Grande São Paulo nos próximos 15 dias. O único evento de chuva forte deve ocorrer entre 10 e 11 de maio, com a passagem de áreas de instabilidade que poderá provocar chuva generalizada e moderada a forte.

Pode esfriar mais na Grande SP esta semana?
terça-feira, 5 de maio de 2015

A Grande São Paulo continua sentindo os efeitos de uma massa polar moderada a forte que entrou no centro-sul do Brasil. A tarde de 5 de maio foi a terceira mais fria do ano até agora, com temperatura máxima de 20,2°C no Mirante de Santana, na zona norte, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

Na região do aeroporto de Congonhas, na zona sul, a temperatura não passou dos 19°C. O vento gelado do fim da tarde fez aumentar a sensação do frio. Por volta das 18 horas, a temperatura real do ar era de 17°C, mas com o vento, a sensação térmica era de 12°C

Pode esfriar mais?

Um pouquinho mais, sim. Há uma possibilidade até de novo recorde de frio. Por enquanto, a tarde mais fria em São Paulo foi a de 30 de abril quando a temperatura máxima foi de 18,7°C. A madrugada mais fria foi a do dia 1 de maio, quando o Instituto Nacional de Meteorologia mediu 13,4°C no Mirante de Santana.

 

O ar polar que já está sobre o centro-sul do Brasil será reforçado nas próximas 48 horas. A frente fria que traz mais ar polar passa rapidamente pelo litoral da Região Sul nesta quarta-feira provocando até um aumento da nebulosidade nas áreas próximas ao mar, mas quase nada de chuva.

O ar polar desta frente fria tem moderada a forte intensidade e seus ventos frios devem começar a entrar sobre a Grande São Paulo na manhã de quinta-feira. Até a sexta-feira, a chance de chuva é pequena, apesar da grande quantidade de nuvens. A sensação de friozinho será quase constante.

De toda a semana, a sexta-feira será o dia mais frio. Confira o gráfico da temperatura.

 

Saiba qual foi a menor temperatura de 2015 no Brasil até agora

Furacão antes da hora

Brasil está preparado para prever tornados?

 

Semana segue com pouca chuva sobre o Cantareira
terça-feira, 5 de maio de 2015

O nível de armazenamento do sistema Cantareira estava em 19,7% na manhã de 5 de abril, estável nas últimas 24 horas. As chuvas que ocorreram entre São Paulo e o sul de Minas Gerais contribuíram para estabilidade do nível de água, que teve três quedas desde o dia 27 de abril, quando atingiu 20,1%, o máximo de armazenamento em 2015 até agora.

Segundo a Sabesp, entre os dias 4 e 5 de maio choveu 4,4 mm sobre o Cantareira, 16,5 mm sobre o Alto Tietê e 6,6 mm sobre o Guarapiranga. O sistema Alto Cotia recebeu 6,6 mm de chuva e o Rio Grande teve 3,0 mm de chuva. Choveu forte apenas sobre o sistema Rio Claro que acumulou mais 26,0 mm.

Falta de chuva faz nível de armazenamento baixar

Após 85 dias com estabilidade ou elevação no nível de armazenamento, o sistema Cantareira teve sua primeira queda. No dia 27 de abril o nível do Cantareira estava em 20,1% e no dia 28 de abril baixou para 20,0%.

Nos últimos oito dias, entre 27 de abril e 5 de maio ocorreram três quedas. O aumento da frequência de queda no nível de armazenamento reflete a escassez de chuva que vem ocorrendo desde meados de março. Na primeira quinzena de março, ocorreram vários eventos de chuva forte, com acumulados acima de 20 mm diários. A partir do dia 13 de março, só ocorreu um evento com chuva acima de 20 mm.

O nível atual de 19,7% ainda corresponde ao volume de água captado na reserva técnica. Há um ano, o nível de armazenamento era de 10,0%, mas ainda com água do volume útil.

 

Pouca chuva nos próximos dias

Os próximos 15 dias serão de pouca chuva sobre o Cantareira, apesar da presença de muitas nuvens até o fim da semana. Entre o dias 10 e 11, a passagem de áreas de instabilidade poderá provocar chuva generalizada e moderada a forte  sobre a região do sistema Cantareira.

 

Cantareira tem terceira queda em sete dias
segunda-feira, 4 de maio de 2015

O nível de armazenamento do sistema Cantareira voltou a cair nas últimas 24 horas e chegou aos 19,7% nesta segunda-feira, 4, segundo a Sabesp. Esta foi a terceira queda no nível de água em sete dias.

 

O nível máximo atingido este ano até agora foi de 20,1%. A chuva escassa das últimas semanas está refletindo na estabilidade ou queda do  nível  de águia.

 

Dívida hídrica

Há um ano, o Cantareira estava com 10,1% de água do volume útil. As duas cotas disponibilizadas de água da reserva técnica somam 29,2%, mas o nível de armazenamento ainda está em 19,7%. Se depender só da chuva, a chance de chegarmos ao volume útil neste semestre ainda é remota.

 

A previsão indica pouca chuva para os próximos 15 dias.

 

Painel Meteorológico – destaques de 04/05/2015
segunda-feira, 4 de maio de 2015

Duplo recorde de frio em Porto Alegre

A entrada de uma forte massa de ar polar deixou a temperatura baixa em todo o Rio Grande do Sul. A capital, Porto Alegre, registrou a madrugada e a tarde mais fria de 2015 até agora. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura mínima foi de 12,5°C e a máxima de 20,1°C. Leia mais

Frio abaixo de 5,0°C

O ar polar entrou forte sobre o Sul e derrubou a temperatura. A menores temperaturas no pais ocorreram no Rio Grande do Sul.

A menor temperatura de 2015 no Brasil até esta data foi de 2,2°C em Bom Jardim da Serra, em Santa Catarina, no dia 1 de maio. Leia mais

 

Frente fria muda o tempo em São Paulo e no Rio de Janeiro

Uma grande e rápida frente fria entrou no Sudeste e provocou chuva já pela manhã em São Paulo e à noite no Rio de Janeiro. A temperatura em São Paulo não passou dos 23°C, mas chegou aos 34°C no Rio.

 

Ventania

Rajadas de vento acima de 90 km/h foram observadas no pico do Couto, na região de Petrópolis, na região serrana do Rio de Janeiro. O relevo e a pressão causada pela aproximação de uma frente fria aceleraram o vento.

O Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma rajada de 92 km/h às 3h, uma de 95 km/h, às 4h e outra com 98 km/h, às 5h. Leia mais

Confira as maiores rajadas ocorridas em 4/5/2015

Frente fria provoca tempestades

Depois de provocar temporais no Sul no domingo, uma frente fria avançou sobre o Sudeste e o Centro-Oeste e também provocou chuva torrencial. Em Vila Bela da Santíssima Trindade, em Mato Grosso, choveu 128,8 mm entre 12h e 19h, pelo horário de Brasília. Leia mais

Confira os maiores acumulados de chuva em 24 horas.

Pancadas de chuva

Com o calor e a umidade do ar elevada no Norte  e uma frente fria avançando sobre o centro-sul do Brasil, intensas pancadas de chuva ocorreram em diversos estados brasileiros.

 

Choveu sobre o Cantareira

A passagem de uma frente fria provocou chuvas fracas sobre o Sistema Cantareira. Confira a medição do SAISP – Sistema de Alerta e Inundações do Estado de São Paulo.

Cantareira em queda

Com pouca ou nenhuma chuva, o nível do sistema Cantareira teve nesta segunda-feira sua quarta queda no nível de armazenamento em uma semana. Até o momento, o nível máximo alcançado este ano foi de 20,1%, mas com a água da reserva técnica. Leia mais

 

Chuva moderada a forte passa sobre a Grande SP
segunda-feira, 4 de maio de 2015

Novas áreas de instabilidade se formaram no interior de São Paulo e avançaram para a Grande São Paulo provocando chuva moderada a forte no início da noite desta segunda-feira, 4.

Imagens dos radares Climatempo-USP mostraram que por volta das 19 horas, a chuva mais forte passava sobre a região central da cidade de São Paulo. A chuva se desloca para a zonas leste da capital e Grande ABC. Esta instabilidade não deve durar toda a noite. A chuva vai se afastando aos poucos da Grande São Paulo

Acompanhe o deslocamento da chuva pelos radares Climatempo -USP.

Sul e Nordeste secam nas próximas semanas
segunda-feira, 4 de maio de 2015

Após a passagem de uma grande frente fria que trouxe grandes volumes de chuva para o Sul do Brasil, a tendência para os próximos 15 dias mostra que o ar seco vai voltar a predominar sobre esta área. O sol vai brilhar forte e poucas nuvens vão conseguir se formar, devido a presença de sistemas de alta pressão atmosférica que impedem o crescimento de grandes nuvens.

No mapa de previsão é possível ver que o Rio Grande do Sul e Santa Catarina terão baixos volumes acumulados ao longo do período. O Nordeste também terá uma redução nos volume acumulados de chuva, no mapa o predomínio na Região é de acumulados de no máximo 30mm. Mas no litoral da Bahia, a chegada de uma frente fria pode trazer uma organização de mais instabilidades e aumentar os volumes de chuva acumulados inclusive sobre o Recôncavo Baiano.

O meteorologista César Soares comentou a tendência de chuva em todo o Brasil no Climatempo News. Confira!

Chuva diminui e temperatura cai em SP
segunda-feira, 4 de maio de 2015

Atualizado às 14h00 de 04/05/2015

A mudança no tempo que ocorreu nesta segunda-feira sobre São Paulo foi provocada pela chegada de uma frente fria que trouxe chuva generalizada para o Estado. Mas este sistema está com um deslocamento muito rápido e áreas de instabilidade estão tendo um grande deslocamento em poucas horas.

Queda da temperatura

A chuva diminui e a temperatura cai em todo o Estado de São Paulo. Por causa da chuva e do céu nublado, a temperatura por volta das 13 horas estava de 3°C a 9°C mais baixa do ontem no mesmo horário. Na capital, na região do Campo de Marte, na zona norte, a temperatura às 13 horas era de 21°C e ontem a esta hora estava em 26°C.

A imagem dos radares meteorológicos de Bauru e de Presidente Prudente das 7h30 e das 13h30 mostra as áreas de chuva sobre o Estado de São Paulo. É possível perceber como as áreas de chuva se deslocaram rapidamente em 7 horas.

Muitas nuvens e pouca chuva na Grande SP

As áreas de instabilidade se afastaram também da Grande São Paulo e depois do tempo chuvoso que predominou pela manhã, a tarde desta segunda-feira começou nublada, mas sem chuva. Até a noite, o tempo segue úmido e ainda pode garoa.  Acompanhe a chuva pelos radares Climatempo-USP.

Radares Climatempo-USP 14h32 - 04-05-2015

Radares Climatempo-USP 07h30 - 04-05-2015

 

Chuva avança sobre o Sudeste e Centro-Oeste

A grande frente fria avança sobre o Sudeste e o Centro-Oeste leva chuva para o Rio de Janeiro, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso no decorrer da tarde e noite desta segunda-feira.

Uma forte massa de ar polar vem com esta frente fria e provoca acentuada queda da temperatura. A segunda-feira amanheceu muito fria no Sul, no Paraguai, Uruguai, Argentina, Chile e no sul da Bolívia.

 

Volta a chover em SP na segunda-feira
sábado, 2 de maio de 2015

O fim de semana começou com muito sol e temperatura em elevação no Estado de São Paulo. A presença de uma massa de ar seco impede a formação de nuvens carregadas.

O domingo (03), também terá bastante sol e a temperatura sobe mais. A tarde será de calor no Estado.

Uma frente fria que já começou a avançar sobre o Rio Grande do Sul, se aproxima de São Paulo nesse domingo. Ao longo do dia, ocorrem algumas rajadas moderadas de vento em grande parte do Estado, porém, apenas na divisa com o Paraná, há possibilidade de chuva no domingo, que irá acontecer só no fim do dia.

Ao longo da madrugada de segunda-feira, a frente fria chega a São Paulo e grande parte do Estado, inclusive a capital, já podem amanhecer debaixo de chuva, que se espalha ainda mais no decorrer do dia. A temperatura diminui em todas as regiões paulistas.

Apesar de estarmos no outono, esta frente fria tem potencial para provocar chuva forte, acompanhada de raios e de rajadas de vento.

Os modelos numéricos de previsão do tempo indicam que os maiores volumes devem ser observados em áreas próximas ao Paraná e no norte paulista. Nas localidades próximas ao Paraná, as chuvas mais fortes acontecem durante a madrugada e a manhã de segunda-feira. No norte paulista a chuva forte é esperada para o período entre a tarde de segunda e a madrugada de terça-feira.

A figura abaixo mostra o volume de chuva previsto para os próximos dias na Região Sudeste: