Arquivo da Categoria ‘Chuva’

+ aumentar e diminuir fonte -
Janeiro de 2015 está entre os mais secos de BH
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A seca que afeta o Sudeste do Brasil se agrava a cada dia em Minas Gerais, que já tem 50 cidades em racionamento oficial. Os problemas começaram há um ano, no verão de 2013/2014 que deveria ser de chuva, mas foi de seca. Na Região Sudeste, o trimestre dezembro-janeiro-fevereiro é o mais chuvoso do ano. Os volumes de chuva históricos mensais são muito elevados, especialmente em janeiro, muitas vezes se aproximando ou até superando os 300 mm.

 

 

A região de Belo Horizonte também vive o drama da seca. O ano de 2014 ficou entre os cinco mais secos já observados na capital mineira, em mais de 100 anos de medições do Instituto Nacional de Meteorologia.

O bloqueio atmosférico provocado pela ASAS  – alta pressão subtropical do Atlântico Sul – atuou fortemente sobre Minas Gerais até o dia 21 de janeiro, deixando grande parte do Estado com pouca ou nenhuma chuva. O bloqueio foi quebrado com uma frente fria que chegou ao litoral de São Paulo no dia 21 de janeiro.

 

 

Por causa deste bloqueio, até o dia 21 de janeiro não havia chovido em Belo Horizonte.  As pancadas de chuva voltaram com o enfraquecimento do bloqueio e já choveu 53,0 mm entre os dias 22 e 26. Mas é muito pouco para uma média de quase 300 mm. Apesar da previsão de mais chuva até o fim do mês, janeiro deve terminar com chuva muito abaixo da média em Belo Horizonte. Não será o janeiro mais seco, mas tem uma grande chance de ficar entre os 10 janeiros mais secos desde 1910.

Reservatórios

Sem a chuva do verão, que é volumosa e recompõe as reservas de água das represas, os reservatórios que abastecem a Grande Belo Horizonte também estão secando. O Sistema Paraobeba tinha apenas 30% de armazenamento, segundo a Copasa, em 26 de janeiro. As pancadas de chuva devem ocorrer nos próximos dias, mas de forma irregular. Além de nem sempre caírem dentro dos reservatórios, o que seria ideal, õ volume de chuva acumulado até o fim do mês ficará muito abaixo da média. A perda por causa do calor é grande.

 

 

Confira a previsão para os próximos 15 dias

 

 

Sudeste terá mais chuva esta semana

Fotografe a chuva!

Saiba como se proteger dos raios!

Entenda o bloqueio atmosférico de 2015

 

Sudeste tem mais chuva esta semana
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A semana começou com temporais em várias áreas de São Paulo, Minas Gerais e do Rio de Janeiro, mesmo sem a presença de nenhum sistema meteorológico especial para aumentar as condições para chuva. Calor e disponibilidade de umidade formaram aglomerados de nuvens carregadas que provocaram chuva forte, com muitos raios e rajadas de vento.

 

São Carlos (SP) 26-1-2015 por Leticia de Oliveira

 

Segundo do Instituto Nacional de Meteorologia,  o sul de Minas, choveu quase 95 mm em Maria da Fé entre 18h do dia 25 e 18h de 26 de janeiro. Na mesma região e no mesmo período, Monte Verde acumulou 67 mm. Em Unaí choveu 31 mm 13h e 14h.

 

 

No Estado de São Paulo, choveu 78 mm sobre Sorocaba e 75,6 mm sobre Barueri, sendo que a chuva caiu toda a na madrugada do dia 26. No fim da tarde, a chuva caiu forte sobre Franca deixando um acumulado de 43 mm em apenas 3 horas de chuva. Em Barra do Turvo choveu 38 mm em 1 hora, entre 19h e 20h.

Ainda em São Paulo, a cidade de Bauru teve rajadas de vento de 103 km/h às 19h55.

Mais chuva

Até a quarta-feira, o calor e a umidade do ar elevada serão os principais responsáveis pela ocorrência de chuva sobre o Sudeste. As pancadas podem ser fortes, mas devem ocorrer preferencialmente sobre São Paulo, no centro-sul do Rio de Janeiro, incluindo o Grande Rio, e no centro-sul e oeste de Minas Gerais, incluindo a região da Grande Belo Horizonte. Por enquanto, as áreas menos favorecidas com a chuva será o norte e nordeste de Minas Gerais, região do rio Doce e do rio Jequitinhonha e o Espírito Santo.

Uma nova frente fria começa a influenciar Sudeste entre a tarde e a noite de quinta-feira, 29 de janeiro, e passa pelo litoral do Rio de Janeiro no próximo fim de semana. Esta frente fria terá força para estimular chuva por todo o Sudeste. Nos primeiros dias de fevereiro, outra frente fria vem reforçar a condições para chuva e deve atuar com força sobre o Espírito Santo e o norte mineiro.

 

 

 

Sem ASAS

Uma mudança recente na circulação dos ventos e na pressão atmosférica facilitou a formação das nuvens: a ausência da atuação da ASAS – alta pressão subtropical do Atlântico Sul –, um sistema meteorológico que atuou forte sobre o Sudeste até o dia 20 de janeiro causando um bloqueio atmosférico. Além de impedir a chegada das frentes frias ao Sudeste, a ASAS dificultava o crescimento das nuvens. O bloqueio atmosférico foi quebrado com uma frente fria que chegou ao litoral de São Paulo no dia 21 e janeiro.

Apesar do enfraquecimento do bloqueio, a chuva no Sudeste está muito abaixo da média para janeiro. Faltam poucos dias para terminar o mês e não há mais chance de recuperação. Janeiro, o primeiro ou o segundo mês normalmente mais chuvoso no Sudeste, termina devendo muita chuva.

 

Semana terá mais chuva sobre o Cantareira
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

O Sistema Cantareira se encontra em uma situação delicada desde o final do ano de 2013. Quedas sucessivas devido os poucos volumes de chuva prejudicam muito o reservatório que em outros momentos era a principal fonte de abastecimento da Região Metropolitana de São Paulo.

Nas imagens do satélite meteorológico é possível ver a chegada de nuvens carregadas sobre o Estado de São Paulo que provocaram chuva entre a noite de domingo (25) e a madrugada de segunda-feira (16).

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

Choveu também sobre os três principais reservatórios quer abastecem a cidade de São Paulo. No Cantareira choveu 17,1mm, no Alto do Tietê choveu 7,1mm e no Guarapiranga 33,6mm entre a tarde do domingo e a manhã da segunda-feira.

O único que sofreu queda mesmo com a presença de chuva foi o reservatório do Alto do Tietê. O sistema Cantareira se manteve estável e o Guarapiranga registrou uma elevação de 2,6% no seu volume disponível para abastecimento.

Mais chuva ao longo da semana sobre os mananciais

Os modelos de previsão do tempo indicam que o fluxo de umidade no interior e do litoral ainda vão favorecer a ocorrência de pancadas de chuva sobre as áreas de captação dos mananciais. A semana será marcada pela presença de umidade, e até a quinta-feira (29) as pancadas vão se concentrar entre a tarde e a noite principalmente.

Na sexta-feira (30) a passagem de uma frente fria vai organizar mais instabilidades e trazer mais chuva sobre os reservatórios, principalmente sobre o Guarapiranga. As áreas de captação do Sistema Cantareira também terão a presença de chuva o que pode acarretar em modestas elevações ou estabilizações, mas ainda há o risco de novas quedas.

Muita chuva na Bahia
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

Diversas áreas de instabilidade avançam pelo oeste e litoral da Bahia favorecendo a formação de grandes nuvens carregadas e provocando chuva com grande volume acumulado.

Os volumes acumulados de chuva no período de 24 horas se elevaram e chegaram a ultrapassar os 50mm em cidades como Barreiras e Marau. Ao longo do dia, há previsão para novas pancadas de chuva que podem novamente acarretar em grandes volumes acumulados.

As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço das nuvens carregadas nos tons em azul e branco avançando principalmente sobre o oeste da Bahia.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

Segundo informações das estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), em Marau choveu 54mm entre às 9h da manhã de domingo (25) e 9h da manhã de segunda-feira (26). Em Barreiras o acumulado de chuva foi de 68,4mm, mas este volume foi acumulado das 22h do domingo até às 9h da manhã de segunda-feira, isto é, a chuva se concentrou principalmente entre a noite, madrugada e início da manhã. Em Santa Rita de Cássia, oeste da Bahia, a chuva se concentrou entre a madrugada e manhã de segunda-feira, os acumulados já alcançam os 43,4mm.

A presença de um Vórtice Ciclônico nos Altos Níveis Atmosféricos (VCAN) com centro no norte da costa nordestina, auxilia na organização de áreas de instabilidade vindas do interior, favorecendo o desenvolvimento de grandes nuvens que acabam provocando muita chuva.

A circulação de ventos nos baixos níveis atmosféricos, aproximadamente 2 km de altura com relação à superfície, transporta um ar mais úmido que também provoca o desenvolvimento de grandes nuvens.

Volumes diminuem com enfraquecimento da chuva ao longo da semana

As áreas de instabilidade vão perder o suporte dos ventos em níveis baixos atmosféricos. Dessa forma a tendência é que a chuva diminua de volume a partir da terça-feira (27) mesmo com a presença do Vórtice Ciclônico nos níveis altos atmosféricos, aproximadamente 12 km de altura com relação à superfície.

A chuva vai ocorrer em forma de rápidas pancadas e a partir da quarta-feira (28) o ar seco já ganha força e desfavorece as condições para chuva.

Chuva não impede queda do Cantareira
sábado, 24 de janeiro de 2015

Os três principais reservatórios que abastecem a cidade de São Paulo registraram chuva entre a tarde de sexta-feira (23) e a manhã de sábado (24). Mesmo com a maior chuva do ano, o Sistema Cantareira registrou uma queda nos volumes disponíveis para consumo.

Segundo informações da Sabesp, choveu 25,9 mm sobre o Cantareira, 0,2 mm no Guarapiranga e 7,1 mm no Alto do Tietê. Apesar da chuva significativa, o nível do sistema Cantareira caiu 0,1 %. Mesmo com o volume baixo de chuva,  a Alto Tietê registrou um acréscimo de 0,1% e o Guarapiranga 0,9%.

Mais chuva nos mananciais, mas não o suficiente

A previsão indica que as áreas de captação dos reservatórios que abastecem São Paulo terão chuva nos próximos dias. O ar quente e úmido predomina sobre o Estado de São Paulo nos próximos dias, provocando pancadas localizadas de chuva entre a tarde e o início da noite.

Mas a chuva prevista não é suficiente para solucionar os problemas da seca. Dessa forma, há o risco de novas quedas nos volumes disponíveis para uso.

Sudeste tem mais pancadas de chuva
sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

A frente fria que trouxe chuva e diminuiu o calor na Região Sudeste já se afastou para alto mar. Um sistema de baixa pressão atmosférica que se formou sobre o mar, entre o litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro, após a passagem desta frente fria também já se afastou.  Mas o Sudeste ainda tem umidade e calor que vão permitir a formação de áreas de instabilidade nos próximos dias.  O mais importante é não há mais uma situação de bloqueio atmosférico.

O fim de semana será marcado por sol, calor e várias pancadas de chuva sobre o Sudeste, em geral à tarde e à noite. Porém, o centro-norte de Minas Gerais, o Espírito Santo e o norte do Rio de Janeiro serão as áreas menos favorecidas com as pancadas de chuva.

 

 

Até quarta-feira, mais as pancadas de chuva vão ocorrer em diversas áreas do Sudeste, mas o sol e o calor também estarão presentes. Há risco de temporais. Com a chuva e o aumento da nebulosidade, o calor volta ao normal e a temperaturas não vão ficar tão altas como vem ocorrendo desde o início de janeiro.

Mais duas frentes frias devem chegar ao Sudeste até o começo de fevereiro. Confira a previsão da chuva para o Brasil para os próximos 15 dias.

 

 

Teremos mais apagões?

Você vê Vênus ao anoitecer, mas o “senhor dos anéis”, só de madrugada

Saiba como se proteger dos raios!

Entenda o bloqueio atmosférico de 2015

 

Arco-íris em Taguaí (SP) em 23-1-2015 por Andre Costa

Áreas da Região Norte em atenção devido à chuva
sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Os acumulados de chuva sobem bastante sobre diversas cidades de Região Norte do Brasil. Essa condição provoca a cheia de diversos rios como, por exemplo, o Rio Juruá na cidade de Eirunepé no Estado do Amazonas. A prefeitura da cidade decretou estado de atenção devido o risco de dos níveis dos rios continuarem subindo.

A Agência Fluvial da Marinha alerta para a condição do rio Juruá que está 4 metros acima do nível considerado normal.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

Segundo informações das estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) choveu mais de 100mm no período de 24h em Novo Repartimento-PA. Em Manicoré-AM choveu 28,6mm no período de apenas uma hora. O grande volume de chuva registrado em curtos períodos de tempo favorecem a ocorrência de alagamentos e extravasamentos de rios.

Mais chuva no fim de semana

Toda a Região Norte do país terá o risco de alagamentos e extravasamentos de rios ao longo do fim de semana. As correntes de vento úmido vão se intensificar sobre a Região e encontrar um ar bastante aquecido que vai favorecer a formação de grandes nuvens carregadas e provocar temporais. São esperados grandes volumes de chuva sábado (24), mas principalmente no domingo (25) em áreas do leste do Amazonas.

Grande SP ainda tem pancadas chuva nesta noite
sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Atualizado em 23/01/2015 às 19h20

Os radares Climatempo-USP detectam áreas de chuva forte  sobre as zonas norte e centro da capital. Chuvas moderadas a fortes ocorrem na região de Guarulhos.  Trovoadas podiam ser ouvidas na Climatempo (região dos bairros da Vila Mariana e Paraíso) por volta das 19 horas. A chuva começou a cair fraca por volta das 19h20. No decorrer da noite, as áreas de chuva ainda podem ocorrer em várias das capital e da Grande São Paulo, com moderada intensidade.

Radares Climatempo-USP às 18h57. Clique na imagem e veja a chva em tempo real

Radares Climatempo-USP às 14h52. Clique na imagem e veja os Radares Climatempo-USP em tempo real

A sexta-feira começou nublada e com garoa, mas depois o sol apareceu por algumas horas e a temperatura chegou aos 26°C em várias áreas da cidade.

Nas imagens do satélite meteorológico é possível verificar a passagem pela manhã sobre a Grande São Paulo, das  nuvens vindas do interior, mas que não eram carregadas o suficiente para provocar temporais.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

A presença da baixa pressão atmosférica que formou nuvens carregadas no litoral, e provocou temporais que alagaram a cidade de Santos, já está se afastando do litoral de São Paulo.  A presença de muitas nuvens, chuva e a entrada de ventos de sul, de origem polar fizeram a temperatura cair desde a quinta-feira, como ser observado no gráfico que mostra as temperaturas mínimas e máximas no aeroporto de Congonhas.

A queda é observada tanto na temperatura máxima quanto na mínima. O calor da tarde é amenizado por conta da presença de mais nuvens que impedem a entrada dos raios solares que são importantes para o aquecimento do ar próximo à superfície. Com o transporte de um pouco de ar polar, as temperaturas mínimas também tendem a cair.

Menos chuva e mais sol no fim de semana

A quantidade de nuvens e o risco de chuva pela manhã vão diminuir bastante ao longo do fim de semana. O sistema de baixa pressão atmosférica que está posicionado na costa de São Paulo se desloca para o litoral de Santa Catarina e perde intensidade. O sol já aparece durante um período maior ao longo do sábado (24), mas há o risco de pancadas de chuva entre a tarde e a noite.

No domingo (25) o sol já aparece forte pela manhã e a temperatura sobe, novamente as pancadas de chuva se concentram entre a tarde e a noite. Não estão descartados os temporais que ocorrem entre o final da tarde e o início da noite por conta da umidade e do calor.


Confira as praias no Portal ClimaSurf!

Pancadas de chuva continuam em SP
quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

A frente fria que trouxe chuva e aliviou o calor no Estado do São Paulo avançou para o litoral do Rio de Janeiro e nesta sexta-feira se afasta em alto-mar. Mesmo assim, áreas de instabilidade voltam a se formar em diversas áreas da Região Sudeste favorecendo a ocorrência de mais pancadas de chuva também sobre o Estado de São Paulo.

Nesta sexta-feira, a maior chance de chuva ainda será para a parte norte e para o leste de São Paulo, incluindo a Grande São Paulo. A entrada do ar polar baixou a temperatura, mas ainda existe calor e umidade suficientes na atmosfera para o crescimento de nuvens carregadas. Há risco de raios e em alguns momentos a chuva poderá ser moderada a forte, especialmente pelo interior.

 

 

Temporais

A passagem da frente fria provocou temporais em vários locais. Na capital, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 31,0mm acumulados entre 9h do dia 21 e 9h de 22 de janeiro.

Mas em Itapira choveu quase 50 mm apenas entre 15h e 16h. Em Taubaté, o temporal ocorreu no início da noite. Choveu 54,0 mm entre 18h e 19h. Franca, no norte do Estado.

 

Salto de Pirapora (SP) em 21-2-2015 por Leandro

 

Fim de semana com mais sol

O fim de semana terá mais sol e calor no Estado de São Paulo, mas as pancadas de chuva vão continuar à tarde e em parte da noite. A tendência é de aquecimento, mas o calor fica dentro do normal. Não há expectativa de novos recordes.

 

Recorde de “frio” na cidade de São Paulo

A combinação da chuva, com o aumento da nebulosidade e o ar polar derrubaram a temperatura na cidade de São Paulo. A quinta-feira, 22 de janeiro, foi de recorde de “frio”. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, o foram registradas a menor temperatura do ano, a madrugada mais fria, e a menor temperatura máxima de 2015, até agora, a tarde mais fresca. A temperatura mínima no Mirante de Santana foi de 19,2°C e a máxima de 26,1°C.

A madrugada de sexta-feira, 23, deve ser ainda mais fresca e com possibilidade de novo recorde. A temperatura mínima deve ficar em torno dos 18°C.

 

Aniversário de São Paulo

A cidade de São Paulo completará 461 anos no dia 25 de janeiro, no próximo domingo. As festas pela cidade devem acontecer com sol, calor e pancadas de chuva à tarde e à noite.

Participe do desafio especial para São Paulo: #fotografesampa

 Acompanhe a chuva na Grande SP pelos radares Climatempo-USP

 

Pouca chuva  no Sudeste

Apesar da quebra do bloqueio atmosférico, a maioria das áreas do Sudeste vai fechar janeiro com chuva abaixo do normal. Janeiro é o primeiro ou o segundo mês mais chuvoso do ano nos Estados do Sudeste.

Os mapas mostram a anomalia de chuva (diferença entre média de chuva histórica e o volume de chuva ocorrido) em janeiro de 2014 e a situação de janeiro de 2015 até o dia 21.

 

Anomalia de chuva para janeiro de 2015 até o dia 21

 

Anomalia de chuva de janeiro de 2014

 

 

Confira a análise da meteorologista Josélia Pegorim sobre a chuva no Sudeste ]

Podemos ter mais apagões neste verão?

Vai no Foo Fighters? Veja a dica da previsão! ]

Dá para ver os anéis de Saturno a olho nu?

 

RJ terá mais chuva nos próximos dias
quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Nuvens carregadas, raios, trovões e chuva voltaram a ser observados sobre o Estado do Rio de Janeiro nesta quinta-feira. A mudança no tempo foi provocada por uma frente fria que finalmente teve força para passar pelo Sul do Brasil e conseguir chegar ao Rio de Janeiro.

Foi esta frente fria que conseguiu romper o bloqueio atmosférico provocado pela forte atuação da ASAS (alta pressão subtropical do Atlântico Sul) que vinha deixando o Estado do Rio, e praticamente todo o Sudeste, com muito menos umidade e muito mais calor do que o normal para janeiro.

Manchas em tom de azul claro e vermelho indicam aglomerados de nuvens carregadas com potencial para provocar chuva forte

 

Mais chuva

A frente fria se afasta para alto-mar, mas áreas de instabilidade ainda vão se formar sobre o Rio de Janeiro nos próximos dias. Até terça-feira, mais as pancadas de chuva vão ocorrer em diversas áreas do Estado do Rio de Janeiro, mas o sol e o calor também estarão presentes. Há risco de temporais.

Com a chuva e o aumento da nebulosidade, o calor volta ao normal e a temperaturas não vão fica tão altas como vem ocorrendo desde o início de janeiro.

 

Rio de Janeiro (RJ): nuvens carregadas vistas da praia de Copacabana. Ao fundo, o forte de Copacabana - 22-1-2015 por Alan Serrano

Chuva forte sobre o RJ

Nuvens carregadas começam a crescer sobre o centro-sul do Rio de Janeiro no início da tarde de quinta-feira, 22, e no começo da noite já haviam se espalhado sobre a região dos Lagos e avançaram para o norte fluminense. Este foi o primeiro evento de chuva generalizada sobre o Estado do Rio de Janeiro este ano.

 

Saquarema (RJ) 22-1-2015 por Helio C Vital

A chuva forte veio acompanhada de muitos raios. No Grande Rio, até por volta das 19h30, a chuva mais forte tinha ocorrido sobre a zona norte da cidade do Rio . O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 31,2 mm entre 16h e 17h em Duque de Caxias. Já o Alerta Rio registrou aproximadamente 22 mm sobre o Mendanha entre 18h30 e 19h30 e 17 mm sobre a ilha do Governador entre 15h30 e 19h30.

Acompanhe a chuva sobre o Grande Rio e região serrana pelo Radar RJ.

 

 

Temporal sobre Petrópolis

As nuvens carregadas que passaram sobre a região serrana provocam chuva forte especialmente sobre a região de Petrópolis. O INEA – Instituto Estadual do Ambiente registrou 15h30 e 19h30 75,5 mm de chuva sobre o bairro Independência. No mesmo período choveu 59,5 mm na região do Quitandinha e 51,0 mm no LNCC. Todos são volumes bastante elevados.

A região de Barra do Sana, em Macaé, teve 51,6 mm entre 15h30 e 19h30 e em Angra dos Reis choveu em aproximadamente  38,1 mm neste período.

 

Pouca chuva  no Sudeste

Apesar da quebra do bloqueio atmosférico, a maioria das áreas do Sudeste vai fechar janeiro com chuva abaixo do normal. Janeiro é o primeiro ou o segundo mês mais chuvoso do ano nos Estados do Sudeste.

Os mapas mostram a anomalia de chuva (diferença entre média de chuva histórica e o volume de chuva ocorrido) em janeiro de 2014 e a situação de janeiro de 2015 até o dia 21.

Anomalia de chuva para janeiro de 2015 até o dia 21

 

Anomalia de chuva de janeiro de 2014

 

Confira a análise da meteorologista Josélia Pegorim sobre a chuva no Sudeste ]

Podemos ter mais apagões neste verão?