Arquivo da Categoria ‘Chuva’

+ aumentar e diminuir fonte -
Chove no litoral da Bahia
quarta-feira, 30 de julho de 2014

As áreas de instabilidade se intensificam com a presença de uma frente fria na costa da Bahia. A chuva já começa a se espalhar por toda a faixa leste baiana.

As imagens de satélite mostram a chegada das instabilidades vindas do mar que acabam acarretando em pancadas de chuva. O predomínio é de chuva rápida e localizada.

Imagem de satélite do canal do infravermelho

 

As previsões indicam mais chuva para a costa leste da Bahia e do Nordeste ao longo dos próximos dias. Os volumes acumulados sobem bastante e pode chover a qualquer momento.

Previsão de chuva para os próximos 5 dias

Volta a chover no RS
quarta-feira, 30 de julho de 2014

O ar seco predominou desde o fim de semana sobre a Região Sul do Brasil. Mas a quarta-feira (30) será marcada por uma mudança nas condições do tempo em todo o Rio Grande do Sul. A chegada de uma frente fria já organiza áreas de instabilidade e provoca chuva sobre a Fronteira Oeste gaúcha, Campanha e na fronteira com o Uruguai.

Os volumes acumulados de chuva já se elevam em diversas cidades.

Imagem de satélite realçado com valores acumulados de chuva das 10h do dia 29/07 até 10h do dia 30/07 segundo INMET

 

Os radares meteorológicos do Canguçu e de Santiago, ambos operados pela aeronáutica, já mostram chuva com intensidade moderada a forte.

Imagem do radar meteorológico do Canguçu - REDEMET

 

Radar meteorológico de Santiago - REDEMET

 

E essa semana será marcada pela chuva e nebulosidade em todo o Estado do Rio Grande do Sul. A organização das áreas de instabilidade vão acarretar em pancadas de chuva a qualquer momento. A grande quantidade de nuvens não deixa o sol aparecer muito e as temperaturas máximas caem um pouco. Como a nebulosidade é mais densa, a atmosfera tem dificuldade para perder calor durante as madrugadas e noites, portanto a temperatura mínima não cai tanto.

Chuva vai aumentar na Bahia
terça-feira, 29 de julho de 2014

Os ventos úmidos que sopram do mar em direção ao continente associados com o ar quente que chega do interior nordestino, favorecem a formação de nuvens carregadas e provocam pancadas de chuva no leste da Bahia. Porto Seguro já teve chuva com intensidade de fraca a moderada durante o final da manhã até o início da tarde de terça-feira (29).

As previsões indicam mais chuva para toda a faixa leste nordestina na quarta-feira (30). A presença de uma frente fria intensificam as áreas de instabilidade e deixam o céu com muitas nuvens. A chuva ganha força e há previsão de chuva forte principalmente ao longo da tarde. Os volumes acumulados sobem e há potencial para alagamentos.

Mapa de previsão de chuva para os próximos 5 dias

Chuva diminui em Natal. Umidade aumenta no Maranhão.
segunda-feira, 28 de julho de 2014

O Nordeste do Brasil está terminando julho com muitos contrastes de umidade e de temperatura. Algumas áreas da Região tiveram calor de 40°C entraram em alerta por causa do ar muito seco. Outras, muita chuva e umidade elevada. No decorrer desta semana, a chuva pode causar problemas em áreas do litoral da Bahia, de Sergipe e de Alagoas por causa da chegada de uma nova frente fria.

 

Recorde de frio em Teresina (PI)

A madrugada desta segunda-feira, 28 de julho, foi a mais fria do ano em Teresina, capital do Piauí. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou a temperatura mínima de 18,1°C. O recorde anterior era de 18,8,°C, em 8 de julho.

 

Chuva diminui em Natal

Áreas de instabilidade se intensificaram na costa leste do Nordeste provocando chuva forte e volumosa sobre Natal. A chuva alagou áreas de Natal nesta segunda-feira. Em um ponto da cidade, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou quase 56 mm de chuva acumulados entre o fim da manhã e 21 horas.

As áreas de instabilidade estão enfraquecendo e a chuva diminui nesta terça-feira. Ainda pode chover de forma moderada na madrugada.

 

 

 

Ar muito seco no sul do Maranhão]

Em Carolina, no sul do Maranhão, a temperatura chegou aos 40°C e a umidade relativa baixou para 14%, às 17h na região do aeroporto local.

A região de Carolina passou a tarde desta segunda-feira em situação de alerta, por causa do ar muito seco. O nível de umidade do ar ficou entre 12% e 20% no período entre 13h e 17h. A estação automática do Inmet  registrou 13% de umidade no ar .

Todo o sul do Maranhão passou horas em alerta por causa do ar muito seco na tarde desta segunda-feira. Em Balsas,  pela medição do Inmet, o nível de umidade do ar ficou na faixa do alerta entre 13h e 17h.O menor índice foi de 17%. A temperatura em Balsas alcançou 36,8°C. Em Estreito, a umidade relativa do ar ficou entre 12% e 20% entre 14h e 16h. O menor índice foi de 18%. A temperatura em Estreito chegou aos 37,6°C.

Nesta terça-feira, o ar fica menos seco sobre o Maranhão. Um pouco do ar muito úmido que se espalhou pelo leste da Região e chegou até ao sertão também avança até o sul do Maranhão. Não há expectativa de chuva, mas o aumento da umidade dará um alívio para a população.

Sudeste e Centro-Oeste voltam a secar
segunda-feira, 28 de julho de 2014

A maioria das áreas do Sudeste e do Centro-Oeste do Brasil teve muita chuva nos últimos dias por causa de uma grande frente fria que entrou no país. Julho está terminando com chuva bastante acima do normal em muitas áreas destas Regiões.

Do início do mês até 28 de julho, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou aproximadamente 128 mm sobre Campo Grande, capital de Mato Grosso do Sul, sendo que a média normal de chuva para julho fica em torno dos 46 mm. Choveu 174% acima da média. Em Cuiabá, capital de Mato Grosso, choveu quase 49 mm neste período. A média de chuva de julho é de aproximadamente 10 mm.

Em Rio Verde, no sul de Goiás, a média de chuva para julho fica em torno de 15 mm e choveu 56 mm. Em Franca, no norte de São Paulo, a média para julho fica em torno de 26 mm e choveu quase 61 mm. Em Dourados, no sul de Mato Grosso do Sul, choveu quase 102 mm, sendo que a média para julho é de 44 mm. No Triângulo Mineiro, a média de chuva para julho em geral não passa dos 25 mm e choveu entre 70 mm e 80 mm entre os dias 24 e 28 de julho.

Os mapas mostram a quantidade de chuva acumulada e a anomalia (diferença em relação à média) nas Regiões Sudeste e Centro-Oeste. Os tons de azul indicam que choveu acima do normal.

 

 

 

Excesso de umidadde atrapalha coheitas

O excesso de umidade com o tempo chuvoso dos últimos dias certamente atrapalhou muito a colheita do café em São Paulo, em Minas Gerais e no Paraná, a colheita da cana-de-açúcar e também do algodão no sul de Goiás.

Mas o tempo volta a colaborar em breve e os agricultores poderão compensar os atrasos por causa da chuva. No no decorrer da semana, as condições do tempo mudam completamente. Um bloqueio atmosférico se organizada e a maioria das áreas do Sudeste e do Centro-Oeste vão passar vários dias sem chuva. A meteorologista Josélia Pegorim mostra como será a distribuição de chuva sobre o Brasil nos próximos 15 dias.

 

Chuva alaga Natal (RN)
segunda-feira, 28 de julho de 2014

Áreas de instabilidade avançam para toda a faixa leste nordestina e provocam pancadas de chuva constantes sobre o leste do Rio Grande do Norte. Os volumes de chuva em Natal chegaram aos 27,8 mm, em Calcanhar o acumulado chegou aos 46mm, segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia.

Imagem de satélite do canal do infravermelho

 

Diversas áreas já apresentam alagamento, como por exemplo as estradas próximas a Arena das Dunas. Na Praia dos Artistas o mar está agitado e avança em direção à costa, segundo imagens das câmeras do Vejo ao Vivo. Há o risco de ressaca.

Vem mais chuva para Natal. As áreas de instabilidade começam a perder intensidade, mas a chuva ainda persiste. Como o solo está muito úmido há o risco de deslizamentos.

Previsão de chuva para os próximos 5 dias

BH tem julho mais chuvoso em 36 anos
segunda-feira, 28 de julho de 2014

É muita umidade para um julho só. Se estivéssemos na costa leste do Nordeste, esta frase não teria sentido meteorológico, mas estamos falando de Belo Horizonte.

A quantidade de chuva acumulada em julho de 2014, até 9 horas do dia 28 de julho, já é a maior para este mês desde 1978! Este está sendo o julho mais chuvoso em BH em 36 anos!.

Pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia, choveu 49,3 mm em 28 dias, sendo que 49,1 mm caíram entre 24 e 28 de julho. A média é de aproximadamente 16 mm Em julho de 1978 choveu 54,9 mm.

 

 

 

Por que choveu tanto?

Toda essa chuva que caiu em Belo Horizonte foi provocada por uma grande e forte frente fria que começou a influenciar a Região Sudeste desde a quinta-feira da semana passada, 24 de julho. Além de forte, a circulação dos ventos sobre a América do Sul nos últimos dias fez com que as nuvens carregadas desta frente fria ficassem bloqueadas sobre o Sudeste.

Não foi só Belo Horizonte que sentiu a chuva desta frente fria. Segundo informação dos meteorologistas do 5º Distrito de Meteorologia do Inmet, em Belo Horizonte, esta frente fria conseguiu provocar chuva em quase todas as regiões de Minas Gerais. A chuva deste julho de 2014 foi tão acima do normal, para esta época do ano, que chegou a formar lama em áreas rurais, complicando a vida da população de pequenas cidades mineiras.

 

E o sol?

Os ventos vão mudar de direção de novo no decorrer desta semana e a umidade vai começar a diminuir. As imagens de satélite desta segunda-feira já mostram que a nebulosidade está diminuindo sobre Minas Gerais. Até o fim da semana, o ar vai ficando cada vez mais seco e o céu volta a ficar com poucas nuvens, como é o normal desta época.

O sol vai voltar a aparecer dom força sobre BH e a temperatura vai subir. Confira a tendência da temperatura para os próximos dias.

 

 

Sabe do que é uma frente fria?

RJ: Chuva enfraquece, mas frio aumenta
segunda-feira, 28 de julho de 2014

O avanço da frente fria durante a última semana provocou uma grande mudança no tempo sobre o Sudeste do Brasil. No Rio de Janeiro os dias de sol e céu azul deram lugar às nuvens e às pancadas de chuva.

Os volumes de chuva subiram bastante. Principalmente sobre Paraty, onde o acumulado no último final de semana, isto é, durante o sábado (26) e domingo (27), foi de 51,2mm, segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia.

Na segunda-feira (28) o ar úmido ainda circula pelo Estado do Rio de Janeiro. Há o risco de chuva a qualquer momento, mas a chuva com maior intensidade deve ocorrer ao longo da tarde e do início da noite. Na terça-feira (29) a chuva perde intensidade e a tarde já deve ter um pouco mais de sol. No entanto, o calor ainda não volta, os ventos de sul ainda transportam o ar polar, o que mantém a temperatura mais baixa.

Rio de Janeiro: chuva diminui, mas calor não volta ainda
domingo, 27 de julho de 2014

Rio de Janeiro começa a semana sem sol

Depois de bater recorde de tarde mais fria do ano, o Rio de Janeiro começou a semana debaixo de muita chuva.

As áreas de instabilidade de uma frente fria, que já estavam sobre o Rio de Janeiro, foram reforçadas no domingo com a chegada de outra frente fria. Isto intensificou os ventos marítimos que jogaram ainda mais umidade sobre o Rio, alimentando as nuvens.

 

 

As áreas de instabilidade enfraquecem nesta segunda-feira e o tempo fica menos instável. O Grande Rio ainda terá um dia nublado, com chuva, mas de fraca intensidade. A temperatura continua amena. O sol reaparece no Rio só a partir de terça-feira.

Confira a previsão para a cidade do Rio de Janeiro. A semana deve terminar recorde de frio na madrugada e tarde quente.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a tarde do sábado, 26 de julho, foi a mais fria no Rio de Janeiro com temperatura máxima de 20,1°C. O recorde aconteceu com a combinação de ar polar forte e falta de sol.

Veja os recordes deste fim de semana nas capitais do Sudeste.

 

Atenção: chuva aumenta na costa leste do Nordeste
domingo, 27 de julho de 2014

Áreas de instabilidade estão se intensificando na costa leste do Nordeste e uma frente fria avança pelo litoral da Bahia. As imagens de satélite já começaram a mostrar núcleos de nuvens carregadas crescendo no sul da Bahia, no leste de Pernambuco e da Paraíba. A situação é de atenção, pois a chuva tende a aumentar. Recife, João Pessoa, Salvador são as capitais mais sujeitas a problemas com chuva neste início de semana.

Não deixe de conferir a previsão para o Nordeste!