Arquivo da Categoria ‘Nordeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Novembro devolveu a chuva para o Brasil
quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O mês de novembro deu ao Brasil uma grande mudança nas condições atmosféricas. Sem bloqueios na circulação dos ventos, cinco frentes frias conseguiram avançar sobre o centro-sul do país. Todas alcançaram o Sudeste e duas delas tiveram força suficiente para avançar até o norte da Bahia e Sergipe, o que não é comum em novembro.

A passagem destas frentes frias permitiu uma melhor distribuição da umidade sobre o Brasil, o que ajudou a formar e a manter grandes áreas de instabilidade sobre o Sudeste e o Centro-Oeste e também em muitas áreas do Norte.

As duas frentes frias que chegaram com força ao Nordeste provocaram chuva forte e volumosa em áreas de todos os Estados, que causaram alagamentos e enchentes atípicas para novembro.

 

Novembro devolveu ao Brasil os temporais, a chuva volumosa, e várias do país vão terminar o mês com chuva acima da média. Confira o comentário da meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

Para o mês de dezembro, a previsão climática da Climatempo é de que quatro frentes frias avancem pelo Brasil e todas devem chegar ao Sudeste trazendo mais chuva. Uma delas, na segunda quinzena, deve causar um resfriamento acentuado no centro-sul.

 

Chuva forte sobre Barretos (SP) - 21-11-2014 por Fernando Baraldi

 É época de temporais

Produção de goiaba está em alta em PE
quinta-feira, 27 de novembro de 2014

O sertão de Pernambuco está em fase de colheita de goiaba e os agricultores garantem que os frutos estão com boa qualidade. Segundo a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Pernambuco deve colher cerca de 100 mil toneladas de goiaba nesta safra, a segunda maior do país, atrás apenas de São Paulo. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

Aberta a temporada de temporais
terça-feira, 25 de novembro de 2014

Temporal é a mesma coisa que tempestade. É chuva forte, mas não é só isto. Veja a definição de tempestade, conforme está no glossário no REDEMET – Rede de Meteorologia do Comando da Aeronáutica, que é responsável pelas informações meteorológicas em grande parte dos aeroportos do Brasil:

“TEMPESTADES: produzidas por nuvens do tipo cumulonimbus, são eventos de micro-escala e de curta duração caracterizados por trovoadas, raios, rajadas de vento, turbulência, granizo, gelo, chuva, ventos fortes descendentes e em situações extremas, tornados.”

 

Só na terça-feira, 25 de novembro, era fácil perceber os aglomerados de cumulonimbus em quase todos os estados brasileiros. O Amapá, Roraima, grande parte do Pará e quase todo o Nordeste tiveram um dia seco, com umidade abaixo do normal, o que não permitiu a formação das nuvens carregada. Mas na semana passada, as nuvens de tempestades se formaram por todos os estados do Nordeste, estimuladas pela passagem de uma frente fria.

Nas imagens de satélite, as setas pretas indicam os aglomerados de nuvens carregadas. No Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, eles se formaram especialmente na manhã do dia 25 de novembro.

 

Estamos precisando muito da chuva forte, da chuva dos temporais. Mas ela em geral não vem sozinha: tem os raios, a ventania, o granizo, às vezes tornado. Tudo isto causa destruição.

Tempestade em Várzea Grande (MT), por MTWeather--Caçadores de tempestades no Brasil

 

Saiba porque estamos iniciando a temporada de temporais. O comentário é da meteorologista Josélia Pegorim.

Como fica o tempo nas praias do Brasil?
sexta-feira, 21 de novembro de 2014

A semana começou com frio polar no centro-sul do Brasil, mas está termina com um legitimo calor de novembro, calor de quase verão. Falta um mês para o início oficial do verão, que vai começar no dia 21 de dezembro, às 21h03 no horário brasileiro de verão.

Juntar o calor, o sol e a praia é quase imediato para maioria das pessoas. Que calor! Mas esse calor na praia é uma delícia. Sol e calor na praia, melhor ainda.

O litoral do Brasil tem mais de 7 mil quilômetros de extensão. É muita praia bonita, com diferentes características, para todos os gostos.

Céu alaranjado pelo sol na enseada de São Francisco do Sul (SC) 11-11-2014 Foto de Alexandre Melo

 

No Sudeste, o sol forte e o calor vão marcar presença de novamente neste sábado desde a Baixada Santista, em São Paulo, até o litoral norte do Espírito Santo. A chuva fica só para o fim da tarde ou noite. Mas o litoral sul paulista tem só um mormaço e chuva a qualquer hora.

No domingo, o tempo muda com a chegada de uma frente fria. A chuva e as nuvens escuras serão vistas no litoral de São Paulo já de manhã. As praias do Rio de Janeiro e do Espírito Santo terão o sol de manhã e as pancadas de chuva a partir da tarde, que podem ser fortes.

No Sul, a passagem de uma frente fria deixa o tempo instável também nas praias neste sábado. Muitas nuvens e várias pancadas de chuva, às vezes com raios, marcam o dia. A chuva diminui no domingo, mas o sol fica escondido.

 

Neste fim de semana, as áreas de instabilidade enfraquecem ainda mais na costa leste do Nordeste e sol volta a predominar. Algumas pancadas de chuva poderão ocorrer, mas em geral de forma rápida. Só o litoral sul da Bahia poderá ter chuva frequente, mesmo assim com períodos de sol.

No litoral norte do Nordeste, do Pará e do Amapá, o sol forte vai predominar no fim de semana. Há chance de chuva rápida à tarde em alguns pontos do litoral do Pará e do Amapá.

Confira tudo sobre as praias, as ondas e o vento no Climasurf.

Aumenta o risco de chuva forte entre Salvador e Maceió
quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Atualizado às 12h18 de 20/11/2014

As áreas de instabilidade estão ativas desde ontem entre o litoral de Alagoas e o norte da Bahia. As nuvens estão carregadas e provocam várias pancadas de chuva sobre o mar e também no litoral. A situação é atenção, pois estas áreas de instabilidade vão persistir no decorrer desta quinta-feira. A chuva pode cair com moderada a forte intensidade em alguns momentos e com raios. Há risco de chuva moderada a forte em Salvador, Aracaju e Maceió.

As imagens de satélite mostram a intensificação das nuvens carregadas entre Salvador e Maceió.

 

A animação abaixo mostra uma simulação das áreas de chuva (manchas coloridas) para períodos de 12 horas. A primeira imagem corresponde aos períodos da tarde e noite do dia 19 de novembro, em seguida madrugada e manhã do dia 20 e assim pode diante. Os tons de vermelho e rosa indicam volumes elevados de chuva.

 

 

As nuvens carregadas que cresceram sobre Sergipe e Alagoas nesta quarta-feira ainda refletiram a presença de uma frente fria no litoral dos dois Estados, mas que já está se afastando para alto-mar.

Por causa desta frente fria, chuvas fortes e volumosas ocorreram nos últimos dias em muitos locais do Nordeste. Várias cidades da Bahia sofreram com alagamentos e enchentes.

 

A tendência de diminuição e de enfraquecimento das áreas de instabilidade a partir desta quinta-feira, com o afastamento da frente fria.

 

Chuva de novembro supera média em muitas áreas do Nordeste.

Sergipe e Alagoas em atenção para chuva forte
quarta-feira, 19 de novembro de 2014

Nuvens carregadas crescem entre Sergipe e Alagoas e podem provocar chuva moderada a forte e com raios. As imagens de satélite mostram que estas nuvens estão se expandindo para Alagoas e podem chegar a Maceió. Cidades próximas da zona da mata e do litoral dos dois estados são as mais sujeitas a chuva.

 

A situação é de atenção para o aumento da chuva no decorrer da tarde e noite desta quarta-feira. Em Aracaju, capital de Sergipe, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 6 mm acumulados do início da madrugada até 13 horas. Desde o início da manhã, o aeroporto local está com visibilidade reduzida por causa da chuva persistente. Às 14 horas (13 horas local) a visibilidade era de 2500 metros. No mesmo horário, o aeroporto de Maceió estava com sol, algumas nuvens e 30°C.

 

As áreas de instabilidade que se formaram entre Sergipe e Alagoas nesta quarta-feira ainda refletem a presença de uma frente fria no litoral dos dois Estados, mas que já começou a se afastar para alto-mar..

Por causa desta frente fria, chuvas fortes e volumosas estão ocorrendo nos últimos dias em muitos locais do Nordeste. Várias cidades da Bahia sofreram com alagamentos e enchentes.

A tendência de diminuição e de enfraquecimento das áreas de instabilidade a partir desta quinta-feira, com o afastamento da frente fria.

 

Frente fria deixa muitas nuvens sobre Aracaju (SE) em 17-11-2014 por Ronaldo Ramos

Mais duas frentes frias até o fim de novembro
terça-feira, 18 de novembro de 2014

Novembro marcou a volta das pancadas de chuva mais frequentes e volumosas sobre o Brasil, mas principalmente a regularidade das frentes frias. Com o calor e a umidade aumentando, o fluxo de ar úmido voltando a movimentar do Norte para o centro-sul do país, as pancadas de chuva estão ocorrendo em número cada vez maior à tarde e à noite. Esta é a chuva típica dos dias quentes e úmidos e podem ocorrer em qualquer lugar, porém de forma aleatória, em pequenas áreas. Mas com a passagem das frentes frias aumenta a chance de formação de grandes áreas de instabilidade e a ocorrência de chuva generalizada.

No mapa, os tons alaranjados indicam menos chuva que a média. A chuva acima da média aparece em tons de azul.

 

Três frentes frias já avançaram com força sobre o Brasil em novembro e mais duas devem passar pelo Sul e alcançar o Sudeste até o fim do mês.

 

Pancada de chuva na praia - Caraguatatuba (SP) por Vanessa Simões em 23-01-2014

 

A meteorologista Josélia Pegorim comenta quando e como estas frentes frias vão atuar sobre o país.

 

Chuva no Nordeste já supera a média em novembro
terça-feira, 18 de novembro de 2014

Duas frentes frias avançaram até o Nordeste do Brasil no espaço de apenas uma semana causando chuvas de forte intensidade em vários estados. A Bahia foi o estado que mais sofreu com a chuva volumosa. Várias cidades baianas tiveram ruas alagadas e enchente por causa do excesso de chuva.

Chuva forte de uma frente fria alagou parte de Canarana (BA) 18-11-2014 por Romeu Xavier de Sousa

A primeira frente fria atuou no começo da semana passada e segunda frente fria atingiu o sul da Bahia no último sábado e nesta terça-feira, 18, era observada entre o litoral de Sergipe e de Alagoas. Não é comum a presença de frentes frias nestes estados nesta época do ano.

 

Chuva forte de frente fria alagou Euclides da Cunha (BA) 16-11-2014 por Erivaldo Silva

Nesta quarta-feira ainda vão ocorrer pancadas de chuva frequentes sobre o Nordeste e com risco de chuva forte  no interior dos Estados. No litoral, a chuva pode ser moderada a forte entre Salvador e Maceió. A chuva enfraquece e diminui a partir de quinta-feira com o afastamento da frente fria.

Imagens de satélite da noite do dia 18 de novembro mostravam nuvens carregadas (manchas em tons de azul), com potencial para a chuva forte em muitas locais do Nordeste. Os temporais se espalharam até pelo sertão do Rio Grande do Norte e do Ceará.

 

Noite com trovoadas em Caico (RN) por Avaron 18-11-2014

Chuva acima da média

Não é comum frentes frias avançarem até Sergipe e Alagoas como aconteceu esta semana. Por causa das duas frentes frias que chegaram ao Nordeste nos últimos dias, choveu forte em locais onde é raro chover em novembro. Mas também choveu muito em lugares da Bahia onde as pancadas de chuva já são frequentes nesta época, Assim, a chuva dos últimos dias superou a média histórica em vários locais do Nordeste. O mais comum é que grande parte do Nordeste quase não tenha chuva nesta época. Em geral, as pancadas de chuva são frequentes no centro-sul do Maranhão, do Piauí e no oeste da Bahia.

As fortes pancadas de chuva ainda ocorreram nesta terça-feira. Em Esperantina, no norte do Piauí, choveu quase 30 mm em 1 hora, entre 17h e 18h, hora local, segundo medição do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet). Ainda pela medição do Inmet, no período entre 19h do dia 17 e 19h do dia 18 de novembro de 2014 choveu 113 mm em Ibotirama (BA), 50 mm em Gilbués (PI), 41 mm em Jacobina (BA) e em Santa Rita de Cássia (BA). Em Sergipe choveu 30 mm na região de Itabaianinha e de Poço Verde.

 

 

Chuva continua no Nordeste
terça-feira, 18 de novembro de 2014

A frente fria segue sobre a costa da Bahia organizando áreas de instabilidade e trazendo chuva de forma generalizada. As imagens do satélite meteorológico mostram a presença de grandes nuvens provocam temporais (áreas em azul), principalmente sobre o oeste da Bahia e no Ceará.

A cidade de Ibotirama-BA registrou um total de 81mm entre a madrugada e tarde desta terça-feira (18). A cidade de Giubués-PI registrou um total de 28,0mm em 24 horas.

Chuva perde força ao longo da semana

Depois de diversos dias com muita chuva a tendência é de enfraquecimento das áreas de instabilidade ao longo dos próximos dias. Na quarta-feira (19) ainda há o risco de chuva com grande volume por conta da presença de um sistema de baixa pressão atmosférica entre a costa norte baiana e Sergipe. Com o afastamento do sistema ao longo da quinta-feira (20) a tendência é de enfraquecimento da chuva e o sol já começa a aparecer com mais força ao longo do dia.

Caju do Piauí sofre que a estiagem prolongada
segunda-feira, 17 de novembro de 2014

 A seca prolongada tem causado muitos prejuízos para a produção de caju do Piauí. As flores não se desenvolvem completamente devido a falta de chuva e a área plantada diminuiu. Os produtores também enfrentam problemas com as pragas e mais de 80% da safra foi perdida. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.