Arquivo da Categoria ‘Nordeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Mais chuva no litoral da Bahia nesta 3ª feira
segunda-feira, 21 de julho de 2014

Frente fria provoca chuva forte

Uma frente fria alcançou o litoral da Bahia no domingo, 20 de julho, gerando nuvens carregadas também na região de Salvador. As áreas de instabilidade se intensificaram na tarde desta segunda-feira causando chuva moderada e persistente na região de Salvador e também em outros locais do litoral da Bahia e do Recôncavo Baiano. Entre 20 horas do domingo e 20 horas desta segunda-feira, 21 de julho, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 22,4 mm sobre Salvador.

Em Cruz da Almas, no Recôncavo, a chuva começou no início da manhã e até 20 horas havia chovido 22,2 mm.  Em Feira de Santana choveu quase 30 mm entre 8 horas da manhã e 20 horas desta segunda-feira. Pancadas de chuva moderadas a fortes foram observadas nesta segunda-feira também no litoral sul da Bahia.

A frente fria que deixou o tempo instável começa a se afastar do litoral da Bahia nesta terça-feira, mas as áreas de instabilidade só devem perder força no fim da semana. Até a quarta-feira, a região de Salvador e o Recôncavo segue com chuva frequente que pode ocorrer com moderada a forte intensidade.

Confira a previsão para a Região Nordeste. As áreas de instabilidade se intensificam na costa leste. Há previsão de chuva para toda a região entre o sul da Bahia e Natal.

Não deixe de ver o alerta sobre chuva no litoral da Bahia.

 

Aracaju (SE) ainda tem muita chuva nesta 5ª feira
quarta-feira, 16 de julho de 2014

Chove sem parar sobre Aracaju, capital de Sergipe, desde a tarde de terça-feira, 15 de julho. Pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), o acumulado em 24 horas, entre 21 horas de terça e 21 horas desta quarta-feira, dia 16 de julho, estava em 82,6 mm. A média normal de chuva para julho é de aproximadamente 207 mm.

O tempo muito chuvoso prejudicou a visibilidade no aeroporto de Aracaju nesta quarta-feira e houve cancelamento de vôos, segundo a Infraero. A situação poderá se repetir nesta quinta-feira pois a chuva não deve parar.


Mais chuva

As áreas de instabilidade que estão provocando a chuva sobre Aracaju atuam por todo o leste de Sergipe. Em Itabaianinha já choveu 74,8 mm entre 13 horas de terça e 13 horas desta quarta-feira. A previsão é de que as nuvens fiquem ainda mais carregadas e permaneçam sobre o leste de Sergipe no decorrer desta quarta-feira e também na quinta-feira. Até lá, a chuva vai continuar constante e volumosa e pode causar transtornos.


Alagoas

No decorrer da quinta-feira, mas principalmente na sexta-feira, as áreas de instabilidade aumentam no litoral de Alagoas. A previsão também é de muita chuva para o litoral alagoano e a Maceió também pode ter chuva forte.

Está na região ou conhece alguém que esteja por lá? Comente abaixo, #fotografeotempo, PARTICIPE!

Chuva aumenta produção de milho em Sergipe
terça-feira, 15 de julho de 2014

A alta umidade em Sergipe ajudou nas lavouras de milho e a expectativa é que neste ano a produção aumente cerca de 20% em relação ao ano passado.

 

Aracaju e Maceió em alerta para muita chuva
terça-feira, 15 de julho de 2014

por Maria Clara Machado

A terça-feira foi marcada por muitas nuvens e chuva frequente em várias áreas de Sergipe e de Alagoas, inclusive nas capitais, Aracaju e Maceió.  Até 21h , os volumes mais expressivos acumulados em 24 horas foram de 43,8 mm em Coruripe (AL), 27 mm em Acaraju, capital de Sergipe e 22,6 mm em Arapiraca (AL).

Mas as imagens de satélite do fim da tarde e começo da noite desta terça-feira começaram a mostrar a intensificação das áreas de instabilidade na costa de Sergipe. 

A recente passagem de uma frente fria intensificou os ventos na costa leste do Nordeste aumentando a instabilidade nestes dois Estados. A Climatempo alerta para chuvas fortes e volumosas pelo menos até a próxima quinta-feira (17). Os grandes volumes acumulados poderão causar transtornos como alagamentos especialmente nas capitais Aracaju e Maceió e em outras áreas litorâneas da região.

O mapa de chuva acumulada indica volumes de 100 milímetros para o litoral de Sergipe e de Alagoas até o dia 20 de julho.

 

 

Dia de atenção em Salvador (BA)
segunda-feira, 14 de julho de 2014

por Maria Clara Machado

A passagem de uma frente fria aumentou a chuva no litoral da Bahia. Em Salvador, a chuva que cai desde a madrugada danificou semáforos em alguns bairros e a manhã desta segunda-feira (14) foi complicada na capital. Segundo informações da Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador, o trânsito ficou acima do normal nas principais avenidas da capital. A estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia registrou pelo menos 25 milímetros de chuva.

A tarde e noite continuam com chuva no litoral da Bahia e em especial no Recôncavo Baiano. A chuva pode cair moderada em alguns momentos e até o final da segunda-feira causar mais transtornos à capital.

O litoral da Bahia terá mais pancadas de chuva no decorrer da semana, porém a chuva não deve ser intensa. A Climatempo prevê aumento da instabilidade sobre Sergipe e Alagoas. A chuva deve se intensificar nos próximos dias e os maiores volumes serão observados nestes dois Estados até o final da semana.

 Acompanhe aqui imagens ao vivo do tempo em Salvador.

 

Chuva diminui em Recife (PE)
segunda-feira, 14 de julho de 2014

As áreas de instabilidade enfraqueceram no litoral de Pernambuco e a chuva diminuiu em Recife. No final da noite do domingo ainda choveu de forma moderada em algumas áreas da cidade, mas a segunda-feira amanheceu com sol e sem chuva.

Chuva recorde em 24h no fim de semana

Choveu muito em Recife no fim de semana. Entre 9 horas do dia 12 e 9 horas do dia 13 de julho, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 106,4 mm. Foi a maior quantidade de chuva em 24 horas este ano na capital pernambucana. Este volume de chuva

Apesar desta chuva intensa, o volume de chuva em julho ainda está bastante abaixo da média normal. Historicamente julho é o segundo mês mais chuvoso do ano, com média de chuva de aproximadamente 386 mm. Em 13 dias o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 148 mm, 38% da média normal.

Sol e pancadas de chuva

No decorrer desta segunda-feira, Recife tem sol, mas as pancadas de chuva voltam a acontecer a qualquer hora. Não há expectativa de temporal, mas em alguns momentos pode chover com moderada intensidade.

 

 

Veja quanto já choveu em julho nas capitais do Nordeste, pelas medições do Inmet.

 

Produção de uva gera bons resultados no Ceará
quinta-feira, 10 de julho de 2014

As condições do semiárido podem parecer desfavoráveis à produção de uvas, porém a falta de chuvas é uma aliada pois a planta não suporta excesso de umidade. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

 

Litoral do Nordeste em atenção para mais chuva
quarta-feira, 9 de julho de 2014

Áreas de instabilidade crescem no oceano espalhando nuvens carregadas em regiões próximas do litoral de vários estados do Nordeste.

Nas imagens de satélite, as nuvens carregadas aparecem em manchas azuladas e brancas. Ao que tudo indica, o núcleo mais à direita, que está ainda afastado sobre o oceano, pertence a uma Onda de Leste que deve chegar à costa leste do Nordeste no fim de semana.

 

 

A situação é de atenção na costa norte entre o Maranhão e o Rio Grande do Norte e a costa leste, entre o Rio Grande do Norte e Pernambuco. Nos próximos dias, há risco de eventos de chuva forte.

Nos mapas, as manchas coloridas indicam áreas de chuva. Os tons em amarelo, alaranjado e vermelho indicam chuva moderada a forte.

 

 

 

Veja o quanto choveu nas capitais do Nordeste em junho. A chuva ficou muito acima da média em Natal por causa da chuva de uma Onda de Leste.

 

Do frio ao calor intenso no mesmo dia
terça-feira, 8 de julho de 2014

Como é comum nesta época do ano no interior do Brasil, a amplitude térmica é muito grande. A diferença entre a temperatura da madrugada e a temperatura a tarde pode chegar ou mesmo superar 20°C.

Grandes amplitudes térmicas podem ocorrer em qualquer época do ano, mas são mais comuns no entre o fim ou outono e o começo da primavera quando há maior chance de termos madrugadas frias e tardes quentes.

Os campeões de grandes amplitudes térmicas no Brasil são o interior do Nordeste, do Norte e o Centro-Oeste.

 

Teresina (PI): do recorde de frio ao quase recorde de calor

A amplitude térmica nesta terça-feira em Teresina, capital do Piauí, foi 17,8°C. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a madrugada de 8 de julho foi a mais fria de 2014, com temperatura mínima de 18,8°C. O recorde anterior era de 19,0°C, em 12 de junho. Mas com sol forte o dia todo, a temperatura subiu muito e atingiu 36,6°C, por volta das 15 horas. Foi a segunda tarde mais quente do ano na capital do Piauí. O recorde de calor, por enquanto, é de 37,3°C, no dia 1 de janeiro.

Veja as maiores amplitudes térmicas de 8 de julho, pelas medições de temperatura nas estações automáticas do Instituto Nacional de Meteorologia. Em Estreito, no Maranhão, a amplitude térmica foi de 20,5°C, com temperatura mínima de 14,8,°C e máxima de 35,3°C. Haja saúde para aguentar uma variação de temperatura tão grande assim!


Saiba mais sobre amplitude térmica neste Explicando o Tempo, com Maria Clara Machado.

Ar seco deixa Brasil em alerta
sábado, 5 de julho de 2014

A primeira semana de julho está sendo marcada por ar muito seco em grande parte do Brasil. Níveis de umidade relativa do ar iguais ou abaixo dos 20% foram registrados em todas das Regiões do país.

O ar seco é uma característica comum desta época do ano, quando normalmente um grande sistema de alta pressão atmosférica predomina sobre o país. Mas no começo desta semana, a passagem do ar polar sobre o centro-sul do Brasil contribuiu para que ar ficasse ainda mais seco. No dia 1 de julho, a umidade relativa do ar (ura) chegou aos 13% no dia em Castro, no interior do Paraná, e aos 14% em áreas da cidade de São Paulo.

 

 

A presença da alta pressão causa o que os meteorologistas chamam de subsidência ou ar subsidente. Nesta situação, há um forte movimento do ar de cima para baixo, trazendo o ar seco dos níveis mais elevados da atmosfera para as camadas de ar próximas do solo. Em outras palavras: um grande sistema de alta pressão atmosférica faz o ar secar.

A tabela mostra os índices de umidade relativa do ar mais baixos registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia no dia 4 de julho.

 

 

Pelos padrões da Organização Mundial da Saúde (OMS), níveis de umidade relativa do ar entre 12% e 20% representam uma situação de “alerta” para o ar seco. Abaixo de 12% entramos numa situação de “emergência”.

 

 

Neste sábado, o centro (A) da alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS) passa sobre a Região Sudeste e uma maior quantidade de áreas poderão ter horas em situação de alerta por causa do ar seco. Mas no decorrer do domingo, o centro da alta pressão vai para o mar, o que vai enfraquecer o efeito da subsidência sobre o Brasil

 

 

 

Tempo no Jogo, o canal da Climatempo na Copa 2014. De olho na bola e no tempo!

Participe! Clique o tempo na Copa: #temponojogo