Arquivo da Categoria ‘Nordeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Para ver as luas e o “furacão” de Júpiter
sábado, 18 de abril de 2015

Júpiter está no céu e pode ser observado a olho nu.  Ele é o maior planeta do nosso Sistema Solar e é um dos quatro grandes  planetas chamados de gigantes gasosos: Júpiter, Saturno, Urano e Netuno. A maior parte da massa de Júpiter é formada por hidrogênio e hélio. A parte sólida no seu interior é pequena em relação a sua massa total.

Júpiter é rápido e em aproximadamente 10 horas faz um giro completo em torno de seu eixo.

 

A olho nu você vai ver uma mancha brilhante no céu e nem precisa estar no meio no mato. Dá ver nas cidades grandes também, desde que o céu não esteja completamente nublado.

Mas se  você tiver um binóculo adequado para fazer observação astronômica já poderá ver seus quatro principais satélites ou luas. São as luas de Galileu, porque foram descobertas por Galileu Galilei em 1610. São elas: Io, Europa, Calisto e Ganímedes.

Uma curiosidade sobre a grande lua Ganímedes: em março de 2015, a NASA anunciou que, a partir das imagens enviadas pelo telescópio Hubble, cientistas confirmaram a existência de um oceano por baixo de uma crosta superficial de gelo. Isto aumenta a a probabilidade da presença de vida por lá.

Mas com um telescópio, você poderá ver a grande mancha vermelha no hemisfério sul de Júpiter. Esta mancha é chamada também de  “furacão” de Júpiter, pois é mesmo uma tempestade na atmosfera do enorme planeta gasoso.

 

Só que ela demora muitos, muitos, muitos anos para se dissipar. Esta grande mancha vermelha foi observada pela primeira vez em 1655 por Giovanni Cassini. A estimativa é de que esta tempestade dure pelo menos 350 anos.

O professor Marcos Calil explica como observar Júpiter mostrando as referências e para qual região do céu olhar para apreciar o “gigante gasoso”.

 

 

Neste feriadão você pode ver também  Saturno e a luz cinérea da lua

 

 

Painel Meteorológico : aconteceu no Brasil em 17/04/2015
sexta-feira, 17 de abril de 2015

Ciclone extratropical na costa da Argentina

Um grande ciclone extratropical  se formou nesta quinta próximo da região da província de Buenos Aires. A agitação marítima gerada pelo ventos fortes sobre  o mar provocados por este ciclone traz grandes ondas para a costa do Sul e do Sudeste do Brasil. Leia mais

 

Entenda a diferença entre um ciclone extratropical, tropical e subtropical

 

Frente fria

Como já vinha sendo previsto, uma nova frente fria chegou ao Rio Grande do Sul. Nuvens bastante carregadas se espalharam sobre o Estado provocando chuva e vento fortes.

Instabilidade pré-frontal

Fortes áreas de instabilidade se formaram no Paraguai e avançaram para o Sul Brasil. As nuvens carregadas que se espalharam pelo oeste do Paraná  provocaram temporais. Confira a previsão para a Região Sul

Na imagem de satélite, as manchas em tons de vermelho e com núcleos amarelos representam aglomerados de nuvens muito carregadas com potencial para chuva volumosa e granizo.

Ventania

O Sul do Brasil foi a Região que registrou as maiores rajadas de vento nesta quinta-feira, associadas com as nuvens carregadas de uma frente fria e de áreas de instabilidade.

Chuva volumosa

Os maiores acumulados de chuva em 24 hora foram observados no Amazonas. Mas a frente fria que chegou ao Rio Grande do Sul também provocou chuva volumosa. Pouca chuva foi observada sobre o Nordeste e Sudeste.

Chuva forte em 1 hora

Calor e muita umidade foram responsáveis por fortes pancadas de chuva em estados do Norte e do Centro-Oeste. A chegada de uma frente fria provocou os temporais no Sul. Leia mais

 Mar agitado

A passagem de um ciclone extratropical  pela costa da Argentina gerou uma agitação marítima que traz grandes ondas para a costa do Sul e do Sudeste do Brasil para o fim de semana. Leia mais

 

 

Ache a sua onda e a sua tribo no Climasurf

Feriadão começa com mar agitado no Sul e no Sudeste
sexta-feira, 17 de abril de 2015

Grande ciclone extratropical  se formou próximo da região da província de Buenos Aires e se afasta em alto-mar no decorrer deste sábado. A agitação marítima gerada pelo ventos fortes sobre  o mar provocados pelo ciclone avança pela costa do Sul e do Sudeste do Brasil.

A lua nova no sábado, dia 19, vai ajudar a elevar o mar.

 

O máximo da agitação deve ser no sábado, 18 de abril, quando as ondas poderão alcançar picos em torno dos 2,0 metros em várias praias dos estados do Sul, de São Paulo e do Rio de Janeiro. No Espírito Santo, as ondas devem chegar a 1,5 m durante a tarde.

 

Durante o domingo, as ondas já começam a baixar, mas ainda devem ocorrer picos de até 1,5 m especialmente em praias do Rio Grande do Sul, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo.  Tanto no sábado como no domingo, a ondulação predominante será de sudeste.

 

Na segunda-feira e na terça-feira, 20 e 21 de abril, outro pulso de agitação deve passar pela costa do Sul e do Sudeste. Desta vez, a altura das ondas não deve ser tão elevada como nos dias 18 e 19, mas a ondulação de sul vai entrar com força.

Frio depois do feriadão

Tempo

Nas praias do Sul, o feriadão será marcado por muitas nuvens e chuva frequente. Há risco de raios nos quatro dias, além de ventos moderados a fortes e o mar agitado.

No Sudeste, dá para curtir várias horas com sol, mas a chance de pancadas de chuva com raios aumenta a partir da tarde do domingo.

As praias do leste do Nordeste, do sul da Bahia até Recife, o sol vai predominar e a chance de chuva é até baixa. De Natal até o litoral do Amapá, o feriadão terá períodos com sol e pancadas de chuva frequentes, com risco de raios.

No Climasurf você acha a sua tribo e a sua onda

Confira a direção e velocidade dos ventos e as marés

Veja as fases da lua

 

Até o fim de abril Sudeste terá mais chuva
sexta-feira, 17 de abril de 2015

A primeira quinzena do mês de abril não trouxe grandes volumes de chuva para Sudeste e maior parte do Sul do Brasil. Além do Nordeste que também não teve tanta chuva.

Essa condição já era prevista pelos modelos de previsão do tempo, que indicavam uma condição de menor frequência na passagem de frentes frias.

Mas a segunda quinzena de abril reserva grandes mudanças neste tipo de padrão. Com o avanço de mais sistemas que organizam chuva, a tendência é de aumento nos acumulados sobre áreas do Sudeste principalmente.

O meteorologista César Soares também comentou a tendência de chuva para todo o Brasil ao longo dos próximos dias no Climatempo News. Confira!

Confira a previsão para o feriadão de Tiradentes
sexta-feira, 17 de abril de 2015

Quatro dias de forlga, de sábado, 18, até a terça-feira, por causa feriado de Tiradentes no dia 21 de abril.

Calor ou frio? Será que vai chover ou o sol vai brilhar na sua praia?

Duas frentes frias vão avançar pelo litoral da Região Sul e do Sudeste durante o feriado prolongado. Por enquanto não tem o frio, mas a chuva pode causar problemas no Sul.

O frio intenso vai chegar só depois do feriadão.

Fique atento com o mar agitado nas praias do Sul e do Sudeste neste sábado. Ondas com até 2 metros devem ocorrer do Rio Grande do Sul ao Rio de Janeiro.

Ache a sua tribo e a sua onda no Climasurf.

 

 

A meteorologista Josélia Pegorim faz um panorama das condições do tempo em todo o Brasil durante o feriado prolongado de Tiradentes. Calor ou frio? Será que vai chover ou o sol vai brilhar na sua praia?

 

 

Gosta de frio? Então veja o quem por aí, depois do feriado!

A Climatempo deseja a todos um ótimo fim de semana prolongado.

No site, você tem diariamente as atualizações da previsão para a sua Região e para a sua cidade. Assista ao Climatempo News também no feriado e tire suas dúvidas sobre a previsão, tempo e clima com os meteorologistas Josélia Pegorim e César Soares.

Aconteceu em 16/04/2015
quinta-feira, 16 de abril de 2015

Confira alguns fatos meteorológicos que foram destaques em 16 de abril de 2015.

(compilação de dados até 20h, horário de Brasília)

 

Granizo e alagamento em São Paulo

São Paulo (SP) voltou a ter temporais depois de uma mês de pouca ou nenhuma chuva. Na tarde desta quinta-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 37,0 mm no Mirante de Santana, na medição convencional. A medição automática indicou 22, 0 mm entre  13h e 14h.

Com os temporais dos dias 16 e 15 de abril, São Paulo acumulou em menos de 48h 62,4 mm, que correspondem a 85% da média de chuva para o mês.  Leia mais

Chuva forte em pouco tempo

A combinação de convergência de ventos, excesso de umidade e calor geraram nuvens muito carregadas sobre estados do Norte e do Centro-Oeste. Várias áreas registraram tempestades, com muita chuva em pouco tempo

Grandes volumes de chuva acumulados em 24h

Estados do Norte e do Centro-Oeste também registraram os maiores volumes de chuva acumulados em 24 horas no Brasil.

Intrigou os meteorologistas

Os meteorologistas da Climatempo ficaram intrigados (e monitoraram) um aglomerado de nuvens sobre o mar que surgiu entre o litoral sul da Bahia e o Espírito Santo. O que despertou a curiosidade foi o giro ciclônico (sentido horário) das bandas de nuvens e também a formação de um “olho” bastante arredondado, características comuns de ciclones. Leia mais

Vento forte

Rajadas de vento superiores a 60 km/h ocorreram em alguns locais do país, em geral por causa da passagem de nuvens carregada, do tipo cumulonimbus.

 

Calor

O estado de Alagoas registrou novamente as maiores temperaturas do país. Pela medição automática do Inmet, em Coruripe fez 38,7°C e em Pão de Açúcar fez 36,8°C.

Ar seco

Boa Vista, capital de Roraima, foi a capital mais seca no Brasil. O nível de umidade relativa do ar às 15h (Brasília) foi de 35%.

O estado mais seco foi Pernambuco, onde a umidade relativa do ar chegou aos 17%, às 16h, em Serra Talhada.

Um ciclone entre o sul da Bahia e o Espírito Santo?
quinta-feira, 16 de abril de 2015

As imagens de satélite da manhã destra quinta-feira, 16 de abril, mostraram uma formação curiosa que intrigou os meteorologistas da Climatempo. Bandas de nuvens giravam no sentido horário sobre no mar, entre o sul da Bahia e o Espírito Santo.

O giro horário é um indicador de um centro de baixa pressão e característico de ciclones. Este movimento de nuvens pode ser observado na sequência de imagens de satélite. As bandas de nuvens curiosas aparecem dentro do círculo vermelho.

Na imagem das 13h45, hora de Brasília, era possível identificar até um pequeno “olho”, região de fundo escuro e arredondado no centro da massa de nuvens.

 

Isto aumentou a curiosidade sobre esta formação de nuvens. Será um novo ciclone na costa brasileira? Poderá causar problemas mesmo sendo tão pequeno?

Analisando tecnicamente, este conjunto de nuvens girando no sentido horário são é chamado de um ciclone, mas que pode ser subtropical, extratropical ou tropical.

Os programas de computador específicos para analisar este tipo de sistema mostram que este ciclone, se tivesse um maior desenvolvimento, seria um ciclone subtropical. Mas esta solução foi obtida apenas na análise das 12 horas de 16 de abril de 2015. As análises de outros horários não indicaram evolução.

A análise da pressão atmosférica, em diversos níveis da atmosfera, também não indica a presença de centros de baixa pressão em níveis acima da superfície.

Por enquanto, estas nuvens girando de forma ciclônica entre o sul da Bahia e o Espírito Santo não causam nenhum efeito preocupante no continente. No mar, naquela região.

Ciclones subtropicais já se formaram na costa do Espírito Santo. Saiba mais sobre isto.

Aconteceu no Brasil em 15/04/2015
quarta-feira, 15 de abril de 2015

Chuva

Temporais ainda ocorreram em vários estados do Brasil deixando grandes volumes de chuva acumulados em pouco tempo. Confira os maiores volumes em 1 hora, até 21h, pela medição automática do Instituto Nacional de Meteorologia.

Chapadão do Sul (MS): 44,8 mm entre 16h e 17h

Presidente Prudente (SP): 33,0 mm entre 1h e 2h

Sonora (MS): 28,4 mm entre 16h e 17h (Brasília)

Ponta Porã (MS): 26,6 mm entre 15h e 16h (Brasília)

Araxá (MG): 26,4 mm entre 18h e 19h

Alto Taquari (MT): 26,0 mm entre 14h e 15h (Brasília)

Franca (SP): 26,0 mm entre 19h e 20h

Rancharia (SP): 26,0 mm entre 3h e 4h

 

Muita chuva em Presidente Prudente (SP)

Nuvens carregadas que vieram do Paraguai avançaram para o oeste de São Paulo na madrugada desta quinta-feira provocando chuva muito volumosa. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia choveu 85,0 m entre 1h e 6h.

Maior chuva em 24 h do ano em Belém (PA)

Segundo o Inmet choveu 81,2 mm sobre Belém, capital do Pará, entre 9h de 14 de abril e 9 h de 15 de abril. Foi a maior quantidade de chuva em 24 horas de 2015 até agora.

Chuva alaga São Paulo

Voltou a chover em São Paulo depois de uma semana seca, mas a chuva veio forte e causou alagamentos. O Centro de Gerenciamento de Emergências registrou 13 pontos de alagamento até 22 horas. A chuva mais intensa ocorreu sobre a zona leste. Os córregos Tiquatira (zona norte) e Rio Verde (zona leste) transbordaram.

 

 

Calor

O estado de Alagoas voltou a ser o mais quente no país. Em Coruripe, a temperatura chegou aos 38,5°C.

Mas em Corumbá, em Mato Grosso do Sul, fez 35,2°C

 

Ar seco em Belo Horizonte

Belo Horizonte teve uma tarde bastante seca. Foi a capital brasileira com o menor nível de umidade às 15 horas, segundo o Inmet, com apenas 36%. O aeroporto da Pampulha registrou 33% de umidade no ar.

 

 

Previsão para o feriadão de Tiradentes
quarta-feira, 15 de abril de 2015

Mais um fim de semana prolongado se aproxima porá causa do feriado de Tiradentes na terça-feira, 21 de abril. Desta vez serão quatro dias, de sábado, 18, até a terça-feira.

Duas frentes frias vão passar pelo litoral da Região Sul e do Sudeste durante o fim de semana prolongado. No começo do feriadão, a chuva da primeira frente fria vai cair quase toda sobre o Sul. No fim dos dias de folga, a chuva da segunda frente fria se espalha pelo Sudeste e parte do Centro-Oeste.

O frio forte foi adiado. A temperatura cai um pouco durante o feriado em parte do Sul e do Sudeste, mas o friozão vai chegar só depois do feriadão.

Calor ou frio? Será que vai chover ou o sol vai brilhar na sua praia? Confira a tendência para todo o Brasil com Maira Di Giaimo.

 

 

Gosta de frio? Então veja o quem por aí, depois do feriado!

A Climatempo deseja a todos um ótimo fim de semana prolongado.

No site, você tem diariamente as atualizações da previsão para a sua Região e para a sua cidade. Assista ao Climatempo News também no feriado e tire suas dúvidas sobre a previsão, tempo e clima com os meteorologistas Josélia Pegorim e César Soares.

Mais sol do que chuva no Nordeste
quarta-feira, 15 de abril de 2015

As pancadas de chuva perderam intensidade sobre a capital baiana nos últimos dias. Mas já há previsão para mais chuva nesta área. Até sexta-feira a tendência é de mais sol do que pancadas de chuva na faixa leste nordestino. Nas imagens do satélite meteorológico é possível ver a presença de um ar mais seco sobre Pernambuco, Paraíba, Alagoas e Rio Grande do Norte.

Clique na imagem e veja as imagens de satélite para todo o Brasil

Mas a tendência ao longo do fim de semana promete trazer mais chuva para o Recôncavo Baiano no fim de semana. As nuvens carregadas se espalham pela vinda de correntes de vento mais úmidas vindas do oceano. A umidade também será suficiente para provocar chuva no litoral norte. Fortaleza também poderá ter temporais no feriado prolongado.