Arquivo da Categoria ‘Sul’

+ aumentar e diminuir fonte -
Vento chega a 150 km/h na serra gaúcha
terça-feira, 2 de setembro de 2014

Nuvens muito carregadas passaram sobre a serra gaúcha causando temporais com muita chuva e ventania nesta terça-feira. Às 14 horas, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma rajada de vento com 150 km/h em Vacaria, na serra gaúcha. Esta velocidade é extremamente elevada e é compatível com a ocorrência de tornado. Uma rajada é um vento de curta duração e com velocidade acima da média que vinha ocorrendo num dado período.

A análise das imagens do radar meteorológico do Morro da Igreja, operado pela Aeronáutica, mostrou áreas de chuva muito intensa (representadas pelos tons de vermelho) que passaram sobre o norte e nordeste do Rio Grande do Sul, atingindo a serra gaúcha, e avançando sobre a serra de Santa Catarina e outras áreas do interior deste estado.

 

 

Confira as maiores rajadas registradas pelo Instituto Nacional de Meteorologia até 14 horas

Vacaria (RS): 150 km/h – 14h

Lagoa Vermelha (RS): 98 km/h – 14h

Xanxerê (SC): 84 km/h – 14h

Canguçu (RS): 74 km/h – 12h

 

Nesta quarta-feira, as áreas de instabilidade enfraquecem sobre o Sul, mas ainda vão deixar muitas nuvens sobre a Região. Pancadas de chuva voltam a ocorrer sobre Santa Catarina e Paraná, mas sem a ocorrência de ventania.

Porém, a população gaúcha deve ficar atenta pois uma nova frente fria vai influenciar o Rio Grande do Sul no sábado e a ventania deve voltar.

Entenda a diferença entre tufão, tornado e ciclone extratropical, fenômenos meteorológicos que provocam ventania

Tempestade em Florianópolis e em Navegantes (SC)
terça-feira, 2 de setembro de 2014

Fortes áreas de instabilidade avançam com nuvens muito carregadas pelo litoral de Santa Catarina nesta tarde de terça-feira. Por volta das 16 horas começou a chover e a ventar forte sobre Florianópolis e também na região de Navegantes, com muitos raios e trovoadas. No aeroporto Hercílio Luz, na capital, as rajadas de vento chegaram a 68 km/h. No aeroporto de Navegantes, as rajadas atingiram 96 km/h.

 

Chuva intensa

As áreas de instabilidade que espalharam as nuvens carregadas sobre o Sul do Brasil também provocaram chuva intensa. Em Lagoa Vermelha, na serra gaúcha, choveu quase 42 mm em apenas 1 hora, entre 10 e 11 horas da manhã. O acumulado até 14 horas chegava a 68 mm. Em Erechim, no norte do Rio Grande do Sul choveu  s, O Instituto Nacional de Meteorologia registrou quase 30 mm entre 0 meio-dia e 1 hora da tarde desta terça-feira. Chuvas volumosas como estas podem causar alagamentos em áreas urbanas.

Temporais se espalham sobre SC e PR

Pouco antes das 15 horas, as imagens de satélite mostraram que as nuvens muito carregadas já haviam saído do Rio Grande do Sul, mas ainda estavam espalhadas por Santa Catarina e avançavam sobre o Paraná.  Na noite de hoje, os temporais se espalham sobre o Paraná.

Instabilidade enfraquece nesta 4ª feira

Nesta quarta-feira, as áreas de instabilidade enfraquecem sobre o Sul, mas ainda vão deixar muitas nuvens sobre a Região. Pancadas de chuva voltam a ocorrer sobre Santa Catarina e Paraná, mas sem a ocorrência de ventania.

Porém, a população gaúcha deve ficar atenta pois uma nova frente fria vai influenciar o Rio Grande do Sul no sábado e a ventania deve voltar.

Ventania no Sul
terça-feira, 2 de setembro de 2014

Fortes rajadas de vento ocorreram sobre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina na manhã desta terça-feira por causa de nuvens muito carregadas que se espelharam sobre estes Estados.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, no Rio Grande do Sul, uma rajada chegou aos 88 km/h em São Borja, às 9 horas. Em Santa Rosa ventou com 68 km/h, às 10 horas e em Canguçu, uma rajada chegou aos 65 km/h, às 10 horas.

Em Santa Catarina, as maiores rajadas observadas até às 10 horas alcançaram 60 km/h em Xanxerê e 59 km/h em Novo Horizonte.

 

 

Pela Escala Beaufort, rajadas de vento com 88 km/h podem causar pequenos danos em edificações e arrancar telhas. Ventos entre 62 km/h e 74 km/h podem quebrar galhos de árvores.

Chuva forte

Além da ventania, as nuvens carregadas que estão se espalhando sobre o Sul do Brasil também provocam chuva forte e volumosa. Em Uruguaiana choveu 46,2 mm entre 6 e 9 horas. Santiago (RS) acumulou 27 mm entre 5 e 10 horas. Em Quaraí já havia chovido 25 mm até às 10 horas.

Temporais à tarde e à noite

As áreas de instabilidade que se espalham sobre o Sul do Brasil vão deixar as nuvens mais carregadas na tarde e noite de hoje em grande parte da Região. Estas nuvens podem provocar ventania e chuva forte. Há risco também de muitos raios e granizo. Em regiões montanhosas, as rajadas de vento podem alcançar marcas da ordem de 100 km/h.

Risco de chuva forte no Sul
segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Atualizado às 5h15 do dia 02/09/14

Novas áreas de instabilidade crescem entre o Paraguai, a Argentina e a Bolívia e avançam para o Sul do Brasil nesta terça-feira. As nuvens carregadas voltam a se formar devido a queda da pressão do ar que está ocorrendo entre estes três países. Além disso, ventos marítimos de uma massa polar vão levar muita umidade para o interior da Região Sul do Brasil, o que facilita o crescimento das nuvens e aumenta o potencial para chuva. Os ventos nos níveis elevados da atmosfera vão ajudar a aumentar e a espalhar as nuvens carregadas sobre o Sul do Brasil.

 A instabilidade já atingiu o oeste gaúcho, onde na região de Uruguaiana já choveu forte com registro de descargas elétricas no fim de madrugada de terça-feira.

 

A população do Sul deve ficar atenta nesta terça-feira, pois há risco de chuva forte, com raios e rajadas de vento.

A primeira quinzena de setembro será marcada por muita instabilidade e a concentração da chuva sobre o Sul do Brasil, mas especialmente sobre o Rio Grande do Sul e sobre Santa Catarina, que devem receber a chuva mais volumosa.

Confira a análise da meteorologista Josélia Pegorim.

 

Agosto seco nas capitais do Brasil
segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O mês de agosto terminou com chuva abaixo da média histórica em praticamente todo o Brasil. Choveu acima do normal no Acre, em algumas áreas do Amazonas, do Pará e do sertão do Nordeste e em pequenas porções no Sul e do Espírito Santo.

Anomalia de chuva de agosto de 2014: os tons de azul representam chuva acima da média. As outras cores representam chuva abaixo da média.

A análise da chuva nas capitais brasileiras mostra claramente a falta de chuva de agosto de 2014. Apenas Rio Branco, capital do Acre, e Vitória, capital do Espírito Santo, terminaram o mês com mais chuva do que a média. Todas as outras capitais fecharam o mês com chuva abaixo da média. Em Cuiabá, Goiânia, Brasília e em Palmas não caiu uma gota de chuva.


Confira o balanço da chuva de agosto com a meteorologista Josélia Pegorim.

Semana começa com sol na Região Sul
segunda-feira, 1 de setembro de 2014

O domingo (31) foi marcado com a presença de um céu bastante carregado de nuvens na Região Sul do Brasil. Diversos temporais ocorreram, acompanhados de raios e chuva com volume acima dos 50mm em algumas áreas. No entanto, o sol já aparece na segunda-feira (01) principalmente sobre o Rio Grande do Sul e Santa Catarina, o que favorece a temperatura a subir e o ar seco a ganhar força, impedindo a ocorrência de pancadas de chuva.

Imagem de satélite do canal do infravermelho realçado

Destaque para os volumes de chuva acumulados no Paraná, em Ivaí o acumulado de domingo foi de 52,0mm, segundo a estação automática do INMET. No mesmo período, Foz do Iguaçu registrou 55,4mm.

Mapa com previsão de chuva para os próximos 5 dias

E a chuva vai voltar para a Região Sul. As áreas de instabilidade vão se intensificar na terça-feira (02) e a chuva vai se espalhar por grande parte dos Estados. Pode chover forte. Apesar de alguns momentos de melhora, a semana será marcada pelas nuvens carregadas, chuva e curtos períodos com sol.


Confira a previsão de chuva para todo o Brasil. Clique e confira o mapa de chuva.

Mais chuva esperada para o Sul
domingo, 31 de agosto de 2014

Depois dos temporais que atingiram a região Sul neste domingo (31), a instabilidade enfraquece nesta segunda-feira na Região e a chuva diminui. Apenas o Paraná é que ainda recebe pancadas de chuva, mas que acontecem de forma mais isolada. No entanto, já na terça-feira 02, novas áreas de instabilidade avançam para o Sul e voltam a provocar temporais no norte do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no norte, sul e leste do Paraná. Essa chuva é volumosa e pode trazer problemas como alagamentos e transbordamentos de rios. O mapa abaixo mostra a quantidade de chuva esperada para os primeiros dias de setembro.

A Climatempo alerta para o risco de raios, rajadas de vento e até queda de granizo, além de alagamentos e transbordamentos em decorrência da chuva volumosa.

Chuva forte no Sul do Brasil
domingo, 31 de agosto de 2014

Novas áreas de instabilidade se desenvolveram na noite deste sábado entre Argentina e Paraguai e durante a madrugada deste domingo avançaram para o Sul do Brasil. A Climatempo já vinha alertando para o risco de temporais na Região.

Segundo medições das estações automáticas do INMET, a chuva acumulou 57 milímetros na cidade de Canela, serra gaúcha, entre 21 horas de sábado (30) e 09 horas deste domingo. No mesmo período, choveu entre 40 e 50 milímetros entre várias cidades do norte gaúcho e do sul catarinense. A imagem abaixo é do radar meteorológico do Morro da Igreja, em Santa Catarina, operado pela aeronáutica. Ele mostra áreas de chuva forte entre o norte do RS e o Estado de SC às 05h55 da manhã deste domingo.

Por volta das 09 horas a chuva já atingia áreas do Vale do Itajaí e do oeste do Paraná. Ao longo deste domingo ainda há risco de temporais no norte do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no Paraná.

Nesta segunda-feira a chuva diminui na Região. Apenas o Paraná é que ainda recebe pancadas de chuva, mas que acontecem de forma mais isolada. No entanto, já na terça-feira 02, novas áreas de instabilidade avançam para o Sul e voltam a provocar temporais no norte do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no norte, sul e leste do Paraná. Essa chuva é volumosa e pode trazer problemas como alagamentos e transbordamentos de rios. O mapa abaixo mostra a quantidade de chuva esperada para os primeiros dias de setembro.

Risco de temporal na Região Sul
domingo, 31 de agosto de 2014

Áreas de instabilidade que estão se organizando como uma nova frente fria se espalham pelo Sul do Brasil neste domingo. Durante a madrugada e na noite de sábado já ocorreram muitos temporais no Rio Grande do Sul. As nuvens carregadas avançam também sobre Santa Catarina e o Paraná. Até o final da manhã há risco de chuva forte, raios e ventania entre o norte gaúcho e o centro-oeste e leste paranaenses. Não se pode descartar a ocorrência de granizos isoladas, formação de alagamentos e rajadas de vento entre 80 e 100 km/h.

Nevoeiro reduz visibilidade no Sul
sábado, 30 de agosto de 2014

O resfriamento da madrugada associado à presença de uma massa de ar polar ainda propiciou a formação de muita névoa e nevoeiro no centro-sul e no leste do Rio Grande do Sul, no sul de Santa Catarina e em áreas do leste do Paraná neste começo de sábado. No sul e leste gaúchos a neblina se intensificou ainda no período da madrugada. Por volta de 06h30 a visibilidade estava reduzida a apenas 800 metros no aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre. Na base aérea de Santa Maria a visibilidade era de apenas 100 metros no começo da manhã.

À medida que o ar vai se aquecendo, com a presença do sol, este nevoeiro tende a se dissipar e a previsão é que até o meio da manhã o tempo já esteja aberto, com sol e temperatura em elevação.