Arquivo da Categoria ‘Sul’

+ aumentar e diminuir fonte -
Santa Catarina e Paraná terão mais chuva
quinta-feira, 5 de março de 2015

Todos os estados do Sul do Brasil tiveram eventos de chuvas fortes e volumosas esta semana, mas Santa Catarina e Paraná tiveram um maior número de ocorrência de temporais. Nesta quinta-feira, voltou a chover forte sobre a Grande Florianópolis e Grande Curitiba. Na capital do Paraná, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 45 mm de chuva apenas entre 15h e 22. Em Itajaí(SC) no mesmo período choveu 49 mm.

 

Nos próximos dias, a intensificação de áreas de baixa pressão entre o Paraguai, o Brasil e a Argentina e também no mar, entre São Paulo e Santa Catarina, vai estimular a formação de mais áreas de instabilidade sobre o Sul. Porém, a maior quantidade de nuvens carregadas deve passa sobre o Santa Catarina e Paraná provocando vários temporais.

 

A meteorologista Josélia Pegorim analisa a chuva sobre o Sul nos próximos dias e alerta para a chuva forte.

 

Halo solar: um arco-íris abraça o sol em São Paulo
quinta-feira, 5 de março de 2015

As nuvens cirrustratos que se espalharam pelo céu de São Paulo nesta quinta-feira, 5 de março de 2015, permitiram a formação do halo solar. 

O bonito fenômeno se parece com um arco-íris fraco ao redor do sol, como se estivesse fazendo uma brincadeira de roda com o sol. O sol fica no centro e o halo faz a roda .

 

Halo solar em São Paulo (SP) 5-3-2015, por Cesar Soares

 

Halo Solar fotografado em São Paulo em 5 de março de 2015, por volta das 10 horas, no bairro do Jaraguá. Foto de Alvaro Mecelis

 

Cirrustratos: a nuvem que forma o halo

O halo solar só se forma na presença de uma camada de nuvens do tipo cirrustratos. Estas nuvens são classificadas como “nuvens altas” e são compostas basicamente por pequeninos cristais de gelo que interagem com a luz do sol criando o halo. Os cristais de gelo funcionam como prismas que refletem e refratam várias vezes a luz do sol, separando a luz branca que vem do sol em suas diversas cores.

Imagem de satélite mostra a fina camada de nuvens altas sobre São Paulo, por volta das 11 horas, que gerou o halo solar em 5 de março de 2015

 

Halo lunar

A lua cheia na presença das nuvens cirrustratos também pode gerar um halo e será chamado de halo lunar. Só acontece com a lua cheia. Hoje é dia de lua cheia! Será que teremos também um halo lunar?

A luz do sol interage com as gotas de chuva, com as gotículas e pequenos cristais de gelo que compõem as nuvens e também com outras partículas que estão suspensas no ar, como a poeira.  A luz pode ser refletida ou absorvida, entra e sai das gotinhas de água que estão no ar.

Essa interação resulta em bonitos fenômenos ópticos na atmosfera como a irisação, o arco-íris, o halo solar, o halo lunar e muitos outros .

 

Irisação em Uruguaiana (RS), em 2 de março de 2014, por Valdemir Gonçalves

 

 

Já fotografou o tempo hoje?

 

 

Previsão para noite de lua cheia
quarta-feira, 4 de março de 2015

A lua entrou na sua fase cheia às 15 horas e 7 minutos do dia 5 de março. A noite desta quinta-feira será com lua cheia, que significa que 100% disco lunar estará iluminado. Esta será a última lua cheia do verão de 2015. A estação terminará oficialmente às 19h45 do dia 20 de março e com lua nova.

 

Lua 96% iluminada fotografada por Daniéli Lins em 3-3-2015, em Araraquara (SP)

 

Outono começa com lua nova

O calendário lunar mostra a evolução da porcentagem de iluminação do disco lunar até o fim de março. Na lua cheia, em 5 de março, o disco lunar estará 100% iluminado e na lua nova, em 20 de março, 100% Poiescurecido.

 

Há quem veja santos, guerreiros, bichos e fadas ao olhar para a face da lua cheia. Seja o que for, a lua cheia é sempre encantadora, mas não poderá ser admirada em todo o Brasil nesta quinta-feira por causa da grande quantidade de nuvens.

Nos mapas, as áreas claras, em tom de cinza, são as áreas mais prováveis que terão pouca nebulosidade e baixo risco de chuva na noite desta quinta-feira e na madrugada de sexta-feira. Nas áreas com manchas coloridas, o risco de chuva e muita nebulosidade é alto, o que atrapalharia bastante a observação da lua cheia.

Estimativa de áreas de chuva (manchas coloridas) entre 15h e 21h de 5/3/2015

Estimativa de áreas de chuva (manchas coloridas) entre 15h e 21h de 5/3/2015

Estimativa de áreas de chuva (manchas coloridas) e 21h 5/3/2015 a 3h de 06/05/2015

Chuva de meteoros

Você sabe o que é chuva de meteoros? É o que chamamos popularmente de estrelas cadentes.

Existem muitas chuvas de meteoros que ocorrem todos os anos. São chamadas chuvas de meteoros fixas. Outras são eventuais e algumas ainda poderão ser descobertas. A quantidade de meteoros (estrelas cadentes) e o brilho deles varia de uma chuva para outra. Algumas chuvas de meteoros podem ser vistas nos Hemisférios Sul e Norte, outras só em um dos dois. Elas recebem normalmente nomes relacionados com as constelações.

E você sabe por que acontece uma chuva de meteoros? Neste Clima no Céu, o professor Marcos Calil explica o que é a chuva de meteoros e fala sobre os eventos que ocorrem durante o mês de março. Você vai ficar sabendo também porque chuva de meteoros não combina com lua cheia.

 

 

Encontre muitas outras informações sobre astronomia no Momento Astronômico, o canal de astronomia da Climatempo.

Chuva de meteoros Geminds e como comprar um binóculo para a observação astronômica

 

Mais temporais no Sul
quarta-feira, 4 de março de 2015

Temporais no Sul

Áreas de instabilidade voltam a se formar sobre o Sul do Brasil nesta quinta espalhando nuvens carregadas sobre os três estados. As pancadas de chuva voltam fortes e com raios, mas em geral à tarde e à noite. Volumes de chuva elevados devem ser acumulados novamente. Nesta quarta-feira, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou 62 mm na região de Planalto, no Paraná, mas apenas entre 14 e 19 horas. Em São Luiz Gonzaga, no Rio Grande do Sul, choveu 55 mm entre 6 e 14 horas. Em Cidade Gaúcha, no Paraná, foram quase 37 mm de chuva entre 12 e 19 horas.

 

As nuvens carregadas se formam por causa do calor, da umidade elevada e da tendência da queda da pressão atmosférica que ocorre entre o Paraguai e o norte da Argentina. A queda da pressão facilita a formação das grandes nuvens com maior potencial para temporais.

Até a sexta-feira, os temporais podem ocorrer nos três estados. No fim de semana, o sol volta predominar sobre o Rio Grande do Sul, mas Santa Catarina e principalmente o Paraná ainda estarão sujeitos a chuvas intensas.

Calor

Uma frente fria passa pelo extremo sul gaúcho nesta quinta-feira, mas muito fraca e terá pouca influência no tempo nos próximos dias. O ar permanece quente e abafado no Sul do Brasil e a chuva refresca apenas por poucas horas.

Nesta quarta-feira, Porto Alegre ficou entre as três capitais mais quentes do Brasil, com temperatura máxima de 33,7°C. Palmas e Rio de Janeiro alcançaram 33,9°C. Pelo menos até o domingo, os termômetros no Sul vão continuar marcando temperaturas máximas diárias de 30°C ou mais em quase todas as áreas, apesar dos temporais.

Os mapas mostram a estimativa da temperatura máxima para o Sul do Brasil para os próximos 15 dias. Os tons de verde claro indicam temperaturas máximas amenas, de no máximo de 26°C.  Só há uma tendência de resfriamento no Rio Grande do Sul após o dia 18.

Confira a previsão de chuva para o Brasil para os próximos 15 dias

 

Baixas pressões afastam o ar polar

Efeitos negativos do calor na sua saúde

Chuva no BR nas últimas semanas de verão
quarta-feira, 4 de março de 2015

O verão chega ao fim no dia 20 de março às 19h45, no horário de Brasília. Como será a distribuição de chuva nos últimos momentos da estação chuvosa?

Os próximos 15 dias mostram bastante chuva em áreas do Sudeste, Centro Oeste, litoral norte do Nordeste e na Região Norte. Os tons em verde indicam acumulados de chuva que podem chegar aos 150mm acumulados.

Áreas do centro-leste da Bahia, de Aracaju, Sergipe, Rio Grande do Sul e centro-leste de Santa Catarina terão pouca chuva registrada ao longo do período. Mas a chuva que ocorre nas demais áreas também não ocorre durante todo o período.Até o dia 9 de março a tendência é de bastante chuva sobre o Estado de São Paulo, Paraná, centro-sul de Minas Gerais e no Rio de Janeiro, onde os volumes podem alcançar os 150mm. Os volumes de chuva não serão tão elevados em áreas da Bahia,, Alagoas e Sergipe onde os volumes acumulados dificilmente chegam aos 30mm.

Os volumes de chuva sobre a Região Sul diminuem muito até o dia 14 de março, especialmente sobre o Estado do Rio Grande do Sul. O oeste paulista também já começa a ter uma condição de pouca chuva. Toda a faixa leste e litoral norte do Nordeste dificilmente terão acumulados de chuva que cheguem aos 30mm, o que mostra uma ausência de sistemas grandes que organizem instabilidades, como por exemplo a Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) ou os Vórtices Ciclônicos de Altos Níveis (VCAN).

O grande problema dos relação à chuva fica por conta da última semana de verão, a tendência é de um início de semana com pouca chuva na maior parte do Sudeste, onde os volumes de chuva ficam na casa dos 30mm na maior parte da Região. Vale do Ribeira e do Paraíba em São Paulo ainda terão mais chuva. Nestas áreas os volumes podem alcançar os 70mm.

Áreas do Centro-Oeste e do Sul também terão uma redução no volume de chuva. Confira a previsão de chuva completa para os próximos 15 dias com o meteorologista César Soares no Climatempo News! Veja no vídeo abaixo!

Quarta com chuva de calor no centro-sul do Brasil
terça-feira, 3 de março de 2015

Nuvens carregadas voltam a se formar sobre os Estados do Sul e também na maioria das áreas do Sudeste e do Centro-Oeste e vão provocar mais pancadas de chuva nesta quarta-feira. De forma geral, as condições para chuva aumentam. O afastamento de uma massa polar (ar frio) facilita o maior aquecimento do ar.

As nuvens de chuva nesta quarta-feira se formam basicamente por causa do calor, da umidade do ar elevada e de condições particulares de relevo local. Não há influência de frente fria. As pancadas ocorrem em geral à tarde e à noite e podem até ser fortes, mas de curta duração e sobre pequenas áreas.

 

Nuvem convectiva sobre Umuarama (PR) 3-3-3015 por Asaff Saab de Souza

Nas imagens de satélite, as manchas com formato arredondado representam grupos de nuvens convectivas que crescem justamente por causa do calor e da umidade alta. Estas nuvens voltam a se formar nesta quarta-feira em diversas áreas.

 

As condições para pancadas de chuva nesta quarta-feira aumentam em todas as capitais do Sul e também do Sudeste. A sensação será de abafamento.

Nos próximos dias, áreas de baixa pressão atmosférica dominam o tempo e provocam mais chuva.

 

 

Onda de leste provoca chuva forte no Nordeste

Você sabe o que é chuva convectiva?

Efeitos negativos do calor na sua saúde

 

Baixas pressões afastam o ar polar
terça-feira, 3 de março de 2015

Cidades gaúchas entre as 10 mais quentes do Brasil

Depois de uma breve refrescada, a temperatura já subiu de novo no Sul e no Sudeste. Cidades do Rio Grande do Sul como Porto Alegre, Alegrete e Teutônia estiveram entre as dez mais quentes do Brasil na tarde desta terça-feira, 3 de março, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. Em Porto Alegre, a temperatura máxima foi de 35,0°C.

 

Recorde de frio

O mês de março começou com a passagem de uma massa polar moderada pela costa do Sul e do Sudeste e que deu até recorde de madrugada mais fria do ano. O recorde aconteceu no Rio de Janeiro na segunda-feira, 2, com temperatura mínima de 18,6°C, e também em Florianópolis no domingo, 1, com mínima de 18,9°C.

Ar polar refresca por mais tempo

A chuva faz a temperatura cair, mas depois que a chuva para, o calor volta e muitas vezes com sensação de um abafamento ainda maior por causa do excesso de umidade no ar. Para aliviar o calor, nada melhor e mais eficiente do que ar polar. O resfriamento provocado pelo ar polar é maior e mais duradouro.

A massa que passou pelo Sul e pelo Sudeste se afasta cada vez mais do Brasil e já tem muita gente perguntando quando virá outra, de preferência forte e grande.

Alta pressão x baixa pressão

Uma massa de ar polar é um sistema de alta pressão e vem sempre depois da instabilidade de uma frente fria. O afastamento do ar polar vai facilitar elevação da temperatura nos próximos dias. Mas o que vem por aí é baixa pressão, chuva e abafamento.

 

No fim da semana e durante a próxima semana, várias áreas de baixa pressão atmosférica vão influenciar o centro-sul do Brasil facilitando a formação de áreas de instabilidade que podem provocar chuva forte. Estas áreas de instabilidade devem aumentar a frequência da chuva sobre o Sul, em São Paulo, em Mato Grosso do Sul e também sobre o centro-sul do Estado do Rio de Janeiro e de Minas Gerais.

A meteorologista Josélia Pegorim alerta para a chuva forte e mostra quando virá outra massa polar

 

 

Onda de leste provoca chuva forte no Nordeste

Por que o calor baixa a pressão do corpo humano?

 

Acumulado de chuva para o Brasil nos próximos dias
terça-feira, 3 de março de 2015

por Lívia Fernanda

A produção paranaense de grãos durante as três safras plantadas no ano agrícola 2014/15 deve crescer cerca de 2% em relação à safra anterior. Entre as commodites estão trigo, milho e feijão. Mas, de acordo com a Secretaria da Agricultura e do Abastecimento (Seab), o resultado ainda pode ser alterado pelo comportamento do clima e por problemas de logística, como a greve dos caminhoneiros que afeta diretamente o setor. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Que frio é esse? Temperatura cai no Sudeste
segunda-feira, 2 de março de 2015

Algumas áreas da Região Sudeste do Brasil foram surpreendidas com uma dose de ar polar relativamente forte neste início de março, o que causou um resfriamento acentuado. Temperatura abaixo dos 10°C foram registradas em vários locais das regiões serranas entre São Paulo e Minas Gerais e no Rio de Janeiro. A cidade paulista de Campos dos Jordão foi o lugar mais frio do Brasil nesta segunda-feira, com temperatura mínima de 8,2°, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet)

Recorde de frio no Rio de Janeiro (RJ)

A cidade do Rio de Janeiro teve a madrugada mais fria do ano, com temperatura mínima de 18,6°C no Alto da Boa Vista segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. O recorde anterior era de 18,7°C, em 3 de fevereiro.

Na cidade de São Paulo, a madrugada de 2 de março  foi a segunda mais fria de 2015, com temperatura mínima de 17,2°C

O mapa mostra as menores temperaturas registradas pelo Inmet em 2 de março de 2015.

 

Por que a temperatura caiu tanto?

A queda da temperatura ocorreu por causa da influência de uma massa de ar polar que chegou moderada ao litoral da Região Sudeste e da pouca nebulosidade durante a noite. A falta de nuvens à noite facilitou a perda de calor na atmosfera fazendo com o que o ar se resfriasse mais.

 

 

É comum esfriar assim no verão?

Massas polares estão sempre associadas com frentes fias e chegam ao Brasil durante todo o ano, mas são mais fortes no outono/inverno. Tecnicamente não há nada que impeça o ar polar de avançar até o Brasil durante o verão. O verão 2014/2015 começou com uma forte lufada polar, que não pegou muito no Sudeste, mas esfriou bastante o Sul. Em Curitiba, a temperatura em 24 de dezembro baixou para 14,1°C. Em Florianópolis fez 16,9°C no dia 25 de dezembro e em Porto Alegre, no dia 23 de dezembro de 2014, a temperatura mínima foi de 14,1°C. Os dados são do Instituto Nacional de Meteorologia.

Mas nas vésperas do verão 2014/2015 começar, o Sudeste também recebeu uma dose forte de ar polar que fez a temperatura baixar para menos 10°C. Vejas as temperaturas registradas em 16 de dezembro de 204.

 

O verão vai terminar oficialmente no dia 20 de março.

 

Vai esfriar mais?

O ar polar permanece na costa do Sul e do Sudeste do Brasil nas próximas 48 horas e será até reforçado. Mas a porção mais intensa da massa de ar frio fica em alto-mar. As noites de terça e quarta-feira ainda serão um pouco frias em parte do Sul e do Sudeste

A meteorologista Josélia Pegorim explica o que acontece de decorrer da semana.

 

 

Frio de inverno no verão?

Confira a previsão de chuva para o Brasil para 15 dias

 

Frente fria passa rápido e traz chuva para o RS
segunda-feira, 2 de março de 2015

Um sistema de baixa pressão atmosférica organiza muitas nuvens carregadas desde o início da segunda-feira (02) sobre o Estado do Rio Grande do Sul, especialmente sobre áreas da Fronteira Oeste, Campanha, Noroeste e Centro Gaúcho, onde o céu ficou cheio de nuvens como pode ser visto nas imagens do satélite meteorológico.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Ao longo do início da tarde, o centro de baixa pressão atmosférica estava na fronteira entre a Argentina e o Uruguai. O centro da baixa pressão vai se posicionar na costa do Rio Grande do Sul e dar origem à uma frente fria que também vai espalhar instabilidades no oeste catarinense e paranaense. As demais áreas do Sul não tem previsão de chuva.

Na terça-feira (03) a frente fria se afasta, mas ainda há o avanço de instabilidades que provocam pancadas de chuva principalmente entre a tarde e a noite. Não chove no leste de Santa Catarina, Vale do Itajaí e no centro-leste do Paraná incluindo Curitiba.

Durante a semana a chuva vai voltar para as demais áreas do Sul por conta da formação de um novo sistema de baixa pressão atmosférica na costa gaúcha.