Arquivo da Categoria ‘Sudeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Sudeste tem mais chuva no fim de semana
sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Uma frente fria avançou pelo litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro e ajudou a trazer nuvens de chuva que se formaram no Sul do Brasil. A chuva chegou forte a algumas áreas do Triângulo Mineiro, do Sul de Minas e do centro-sul do Estado do Rio de Janeiro.

Esta frente fria se afasta em alto-mar durante o sábado, mas as nuvens carregadas ainda vão se formar sobre o Sudeste, mas não em toda a Região. O norte de Minas Gerais e o Espírito Santo vão continuar dentro de uma massa de ar muito seca e quente. Nestas áreas, o primeiro fim de semana da primavera será ainda marcado pelo calor intenso.

A região da Grande Belo Horizonte poderá ter alguma chuva especialmente entre a tarde e noite do domingo, mas o sol continua forte e o calor será intenso.

A Zona da Mata, o Sul de Minas, o Triângulo , Rio de Janeiro e São Paulo voltam e ser privilegiados com mais pancadas de chuva no fim de semana. O tempo não fica chuvoso e o sol vai aparecer, entre muitas nuvens. A sensação será de abafamento e a chuva volta especialmente à tarde e à noite.

 

Chuva volumosa na Grande São Paulo

 

 

 

Crise de água em MG – Três Marias com o meno nível em mais de 80 anos

Chuva favorece a colheita de mandioca em SP
sexta-feira, 26 de setembro de 2014

A chuva favorece a colheita da mandioca no estado de São Paulo. Com a chuva dos últimos dias o solo ficou úmido. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

 

Frente fria entra com ventania no Rio de Janeiro
sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Atualizado às 16h35 de 26/09/2014

A frente fria se aproxima do Rio de Janeiro organizando áreas de instabilidade. Na estação automática do INMET no Forte de Coapcabana as rajadas chegaram aos 75km/h. No aeroporto Santos Dumont os ventos estavam em 64 km/h às 16h. No mesmo horário, o aeroporto internacional Tom Jobim registrava 61 km/h.

Áreas de instabilidade associadas ao avanço de uma frente fria favorecem a formação de nuvens carregadas e chuva. Uma linha de instabilidade avançou por Angra dos Reis e às 14h30 o radar meteorológico do Sumaré mostrava chuva com intensidade moderada chegando ao Grande Rio.

O radar de Sumaré-RJ mostra chuva moderada a forte nas áreas em amarelo e laranja

Até a noite de sexta-feira (26) as áreas de instabilidade chegam ao Rio de Janeiro e vão provocar pancadas de chuva que podem vir com forte intensidade, acompanhada de raios e ventania. O ar mais úmido que vem de sul encontra um ar muito quente sobre a capital fluminense, o que favorece a formação de grandes nuvens carregadas do tipo Cumulonimbus (Cb).

Mais chuva para o Grande Rio

O ar úmido e quente favorece a sensação de abafamento. Há o risco de pancadas de chuva com forte intensidade ao longo do sábado e do domingo. A temperatura segue alta o que associada com o ar úmido favorece a formação de mais nuvens carregadas.

Chuva intensa já se afastou da Grande São Paulo
sexta-feira, 26 de setembro de 2014

Atualizado às 16h45 em 26/09/2014

A chuva caiu forte em várias áreas da Grande São Paulo nesta tarde. Uma forte linha de instabilidade (conjunto organizado de nuvens Cumulonimbus (Cb), nuvens que podem provocar temporais) veio do Sul do Estado de São Paulo e passou sobre a região de Sorocaba, Grande São Paulo e Baixada Santista. Chuva forte veio com raios e vento forte  e também causou alguns alagamentos na cidade de São Paulo.

Até 16h10, o CGE – Centro de Gerenciamento de Emergências – havia registrado  três pontos de alagamentos, mas todos transitáveis, e dois ainda estavam ativos por volta das 16h40

As imagens dos radares meteorológicos das 16h30 mostravam que a chuva intensa já havia se afastado da Grande São Paulo.

Grandes volumes de chuva

Choveu forte em várias áreas da Grande São Paulo. Abaixo, os maiores volumes registrados pelo SAISP – Sistema de Alerta e Inundações do Estado de São Paulo.

61,4 mm em Salesópolis (barragem de ponte nova)
45,8 mm em Biritiba Mirim
59,2 mm em Mogi das Cruze
33 mm em Mauá
30 mm em São Bernardo do Campo
11 mm em 1h na automatica do Mirante
Até as 16h, 11,4 mm na medição do automática do Inmet

Por volta das 11h, o radar meteorológico de São Roque – operado pela Aeronáutica – detectava áreas de chuva forte (manchas vermelhas) passando pelo extremo sul da capital paulista, região de Parelheiros, e já atingindo também parte da Baixada Santista. Outras áreas com chuva forte já estavam próximas de São Roque com tendência a avançar para a Grande São Paulo nas próximas horas.

O radar também detectava uma área de chuva forte, no sul do Estado de São Paulo. Esta instabilidade também tende a se deslocar para a Grande São Paulo e para a Baixada Santista nas próximas horas.


Risco de chuva forte

As nuvens carregadas são de áreas de instabilidade associadas a uma nova frente fria que avança do Sul para São Paulo. As pancadas de chuva devem ocorrer na tarde e noite desta sexta-feira em todas as regiões paulistas. Há risco de chuva e vento forte.

 

Imagem de câmera do site Vejo ao vivo- praia da enseada, Guarujá (SP)

Fim de semana

A nova frente fria que chega sexta-feira ao litoral  paulista influencia o Estado em parte do sábado, enquanto se afasta em alto-mar. Mas as nuvens carregadas crescem e provocam mais pancadas de chuva. Há risco de fortes pancadas de chuva no fim de semana, mas o tempo não fica chuvoso. O sol aparece entre muitas  nuvens. Não há previsão de frio.

Outra frente fria está prevista para chegar ao litoral de São Paulo na segunda-feira, 29 de setembro.

O mapa mostra o volume de chuva estimado para a Região Sudeste até o dia 1 de outubro. A maior quantidade de chuva acumulada será sobre o centro-oeste e sul de São Paulo.


Seca em SP ainda está muito longe de acabar, apesar do retorno gradual da chuva.

Poluição mata 35 pessoas por dia em São Paulo

Sexta com frente fria em SP
quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Temporal em Ourinhos

Nuvens muito carregadas que vieram do Paraná na noite de quinta-feira, 25 de setembro, passagem sobre Ourinhos no sudoeste de São Paulo e provocaram um temporal. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma rajada de vento e 81 km/h às 21 horas. Choveu 15 mm entre 20h e 21 h, o que é considerado uma chuva forte para o período de apenas 1 hora.

 

Frente fria chega ao litoral até a noite

A sexta-feira deve ser um dia bastante instável em São Paulo. O risco de chuva aumenta em todo o estado com a chegada de áreas de instabilidade vindas do Sul do Brasil e de uma nova frente fria.

As áreas de instabilidade estão se expandiram muito rapidamente sobre a Região entre a tarde e a noite desta quinta-feira espalhando nuvens carregadas que já provocaram chuva forte e granizo no Sul.

 

A nova frente fria desloca-se rapidamente pelo litoral da Região Sul do Brasil e chega ao litoral paulista até noite desta sexta-feira, 26 de setembro trazendo parte da instabilidade do Sul para São Paulo.

 

As nuvens de chuva voltam a se espalhar sobre São Paulo já na madrugada de sexta. Deve chover pela manhã em grande parte do estado, incluindo a Grande São Paulo.

No decorrer desta sexta-feira, há risco de chuva forte sobre todas a regiões paulistas, com raios e ventos rajadas de vento intensas que podem chegar aos 80 km/h.

 

Fim de semana

A nova frente fria que chega sexta-feira ao litoral  paulista influencia o Estado em parte do sábado, enquanto se afasta em alto-mar. Mas as nuvens carregadas crescem e provocam mais pancadas de chuva. Há risco de fortes pancadas de chuva no fim de semana, mas o tempo não fica chuvoso. O sol aparece entre muitas  nuvens. Não há previsão de frio.

Outra frente fria está prevista para chegar ao litoral de São Paulo na segunda-feira, 29 de setembro.

O mapa mostra o volume de chuva estimado para a Região Sudeste até o dia 30 de setembro. A maior quantidade de chuva acumulada será sobre o centro-oeste e sul de São Paulo.

 

Bloqueio mantém chuva no centro-sul do Brasil nos próximos 10 dias.

Seca em SP ainda está muito longe de acabar, apesar do retorno gradual da chuva.

SP: Seca está muito longe de acabar
quinta-feira, 25 de setembro de 2014

As fotos cedidas por Rita Rotigliano mostram a condição atual da represa do rio Jaguari, no interior do Estado de São Paulo.

 

Represa Jaguari (SP)

Represa Jaguari (SP) por Rita Rotigliano

Represa Jaguari (SP)

Represa Jaguari (SP)

Represa Jaguari (SP) por Rita Rotigliano

Represa Jaguari (SP)

A irregularidade da chuva no Estado de São Paulo dura desde o verão 2013/2014, estação do ano que, do ponto de vista das médias climáticas, tem os meses mais chuvosos. A presença de bloqueios atmosféricos sucessivos impediu a passagem de sistemas que causassem chuva, ou seja, o verão foi muito seco no Sudeste. O outono também não teve grandes volumes de chuva acumulados para a reverter a situação do verão seco e logo após passamos pelo inverno que é uma estação climatologicamente mais seca.

Chuva para São Paulo, mas nem tanto

A primavera já traz mais chuva para o Sudeste, no entanto esta chuva não vai resolver os problemas de estiagem e dos níveis de água dos reservatórios. Este ano não há expectativa de bloqueios atmosféricos intensos sobre a América do Sul na primavera e no verão. Os modelos de previsão indicam um maior número de frentes frias passando pelo Sudeste, com relação ao observado no ano passado, que vão trazer chuvas mais regulares. Porém o total de chuva esperado na primavera e no verão ainda não devem ser suficientes para reverter a deficiência hídrica.

No mapa de chuva acumulada nos próximos 15 dias, os volumes de chuva devem alcançar os 150mm na área de captação do Sistema Cantareira.

Os volumes de chuva ao longo da primavera e do verão tendem a ser dentro da média, o que não soluciona os problemas de seca nos rios e reservatórios de água.


Confira a previsão da primavera para o Sudeste.

SP: vida sem água

SP tem mais chuva hoje
quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Uma grande quantidade de nuvens continua sobre o Estado de São Paulo, depois das áreas de instabilidade que se formaram ontem com a chegada de uma frente fria.

O radar meteorológico de São Roque (Aeronáutica) detectava chuva fraca (manchas verdes e azuis) entre São Paulo e Campinas por volta das 8h30

 

 

As imagens de satélite mostram que nuvens estão ficando mais carregadas no noroeste do Estado (manchas azul claro na divisa com o Mato Grosso do Sul), onde a chuva começa a ganhar força novamente.

 

A frente fria ainda está próxima ao litoral paulista e trouxe chuva para muitas áreas do Estado, mas pouco ar polar. Tecnicamente o ar continua quente sobre São Paulo e a umidade aumentou bastante nas últimas 48 horas.  No decorrer da tarde desta quinta-feira, as áreas de instabilidade se intensificam sobre todo o Estado de São Paulo e a chuva volta a se espalhar. Há risco de chuva moderada a forte, com raios e rajadas de vento. Isto pode ocorrer também na Grande São Paulo.

 

 

Mais chuva até o domingo

O Estado de São Paulo terá mais chuva até o domingo, com risco de temporais. Outra frente fria vai passar pelo litoral até a noite do sábado reforçando as áreas de instabilidade que já estão sobre o Estado. A chuva mais volumosa e frequente deve ocorrer em áreas do centro, oeste e sul do Estado.

 

Sol e calor no Rio de Janeiro
quinta-feira, 25 de setembro de 2014

A frente fria que se posicionou na costa de São Paulo foi capaz de mudar a direção dos ventos sobre o Rio de Janeiro e provocar o aumento de nebulosidade na noite de quarta-feira (24). Mas a presença de uma grande massa de ar seco impede a formação de grandes nuvens ou chuva sobre a “Cidade Maravilhosa”. Ou seja, as nuvens vieram, mas a chuva não.

Na imagem do satélite meteorológico as áreas em verde indicam a presença de nuvens sem grande profundidade na atmosfera, que não conseguem provocar chuva.

 

O tempo firme de quarta-feira também favoreceu a rápida elevação da temperatura e calor. A máxima chegou aos 35,8°C na estação convencional do Rio de Janeiro.

 

Mais sol e pancadas de chuva

O sol ainda persiste sobre oi Rio de Janeiro na quinta-feira (25). O ar seco impede a formação de nuvens o que auxilia na rápida elevação da temperatura. A chuva só começa a partir da sexta-feira (26), em forma de rápidas pancadas de chuva que podem vir com forte intensidade e serão mais presentes entre o final da tarde e a noite.

Clube das quarentonas

O Rio de Janeiro lidera o ranking do calor das capitais em 2014. Até o dia 24 de setembro, a maior temperatura do ano dentre as capitais era de 41,4°C, na cidade do Rio. Veja outras capitais que já registraram 40°C este ano.

 

RJ: frente fria muda o vento, mas não dá a chuva
quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Fortes rajadas de  vento foram sentidas  no fim da tarde da quarta-feira, 24, em algumas áreas do Rio de Janeiro. Era um vento frio que aliviou o calorão e a secura do ar que predominaram durante a tarde. A temperatura chegou aos 36°C e o nível de umidade no ar chegou a baixar para 17% na região do aeroporto Tom Jobim, na zona norte carioca.

Às 17 horas, a base aérea de Santa Cruz registrou uma rajada do vento sudoeste com 57 km/h. No forte de Copacabana, zona central do Rio, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou rajada de oeste com 68 km/h, às 20 horas. Estas rajadas de vento eram de uma frente fria, mas que só deu o vento ao Rio de Janeiro e não a chuva esperada por muitos.

Bloqueio no ar

Há uma situação de bloqueio na atmosfera. Uma massa de ar quente e seca atua com mais força sobre o Rio de Janeiro do que o ar polar que veio com a frente fria. Nos níveis mais elevados da atmosfera, este ar quente e seco também é forte.

A entrada do vento frio foi uma mudança apenas superficial, só mesmo para diminuir o calor e por pouco tempo. A massa quente e seca impede que as nuvens de chuva da frente fria chegam ao Estado do Rio por enquanto. Elas ficam bloqueadas sobre São Paulo.

 

Chuva no fim de semana

Para esta quinta-feira, não há previsão de chuva para o Rio de Janeiro.

Outra frente fria vai avançar para o litoral de São Paulo na sexta-feira e se aproxima um pouco mais do Rio. Algumas pancadas de chuva são esperadas para o fim de semana, mas junto com o calor e o sol.

 

Clube das quarentonas

O Rio de Janeiro lidera o ranking do calor das capitais em 2014. Até o dia 24 de setembro, a maior temperatura do ano dentre as capitais era de 41,4°C, na cidade do Rio. Veja outras capitais que já registraram 40°C este ano.

 

 

Vento forte no centro-sul do Brasil
quarta-feira, 24 de setembro de 2014

Intensas rajadas de vento, que superaram 90 km/h foram observadas nesta quarta-feira em vários locais do Sul do Brasil, em São Paulo e em Mato Grosso do Sul. As fortes rajadas foram provocadas pela presença de nuvens muito carregadas, do tipo cumulonimbus. Além de chuva forte, raios e trovões, é comum também a ocorrência de ventos fortes na passagem ou proximidade destas nuvens de um local.

Umidade alta e calor são ingredientes básicos para formação destas nuvens, que devem voltar a crescer nos próximos dias em vários locais do Sul, do Sudeste e do Centro-Oeste. As  rajadas podem superar os 80 km/h. Ventos desta ordem podem causar danos em edificações, arrancar telhas e árvores.

 

 

Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia - dados até 19h de 24/9/2014

 

Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia - dados até 19h de 24/9/2014

 

 

Fonte: Instituto Nacional de Meteorologia - dados até 19h de 24/9/2014