Arquivo da Categoria ‘Sudeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
O tamanho do dia e da noite
terça-feira, 16 de dezembro de 2014

O solstício de verão para o Hemisfério Sul (HS), ou solstício de inverno para o Hemisfério Norte (HN), vai ocorrer no dia 21 de dezembro, às 21h03, pelo horário brasileiro de verão. É o início oficial do verão para o HS e o início do inverno para o HN.

 

Por do sol em Fortaleza (CE) por Deia Santos

Durante o verão, nos dois hemisférios, muitas áreas têm dias longos, com mais de 12 horas disponíveis de sol, e noites curtas. No inverno, ao contrário, o número de horas da noite é maior do que o número de horas do dia. Em outras palavras, as noites são maiores (mais longas) do que os dias. Uma outra forma de entender isto é pensar que a medida que nos aproximamos do solstício de verão (21 de dezembro), o sol nasce cada vez mais cedo e se põe cada vez mais tarde. Com a proximidade do solstício de inverno (21 de junho), o sol nasce no horizonte cada vez mais tarde e se põe cada vez mais cedo.

Mas estas diferenças não ocorrem em todos lugares, ou só pouco notadas em determinados locais do globo. A percepção destas diferenças do tamanho do dia (e da noite) no verão e no inverno depende da latitude, que é a distância em relação à Linha do Equador.

 

 

Em Fortaleza, que está muito perto da Linha do Equador, a hora do nascer e do por do sol nos dias de verão não muda muito em relação aos dias de inverno.  No dia 21 de dezembro dia terá 12h20 e no dia 21 de junho, 11h54. Mas em Porto Alegre, que está longe da linha do equador, na latitude 30° sul, o dia tem 14 horas e 5 minutos em 21 de dezembro e 10 horas e 12 minutos no dia 21 de junho. A diferença é de 4 horas! São 4 horas a menos disponíveis para aquecer o ar.

Veja o tamanho do dia em alguns locais e confira a explicação da meteorologista Josélia Pegorim

 

 

 

Um bom tempo pra você!

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil 

Uma alta pressão que provoca chuva?

Chuva alivia situação moradores do interior de SP e MG
terça-feira, 16 de dezembro de 2014

A chuva que caiu nos últimos dias aliviou a situação dos moradores do interior de SP e MG. Mas o quadro ainda é crítico. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

Sol e calor em São Paulo
terça-feira, 16 de dezembro de 2014

O sol brilha forte em todo o Estado de São Paulo. A temperatura sobe rápido e poucas nuvens conseguem se formar por conta da presença de um ar mais seco. Nesta terça-feira (16) somente áreas do norte paulista tem previsão de chuva, em forma de rápidas pancadas isoladas a partir do período da tarde.

Na imagem do satélite meteorológico é possível ver que poucas nuvens conseguem se formar o que reduz bastante as chances de chuva em São Paulo.

As correntes de vento nos níveis médios atmosféricos 500hPa (aproximadamente 6 km de altura com relação à superfície) mostra a presença de um sistema de alta pressão atmosférica que impede a chegada de sistemas mais organizados vindos de sul e também provoca a descida do ar das camadas mais altas da atmosfera para as mais baixas, o que impede a formação de nuvens carregadas.

A condição de tempo mais firme sobre o Estado de São Paulo se dá após a passagem de uma frente fria na semana anterior. Com isso uma fraca massa de ar polar conseguiu avançar para algumas áreas do Sudeste, não a ponto de provocar uma queda brusca na umidade relativa do ar, mas conseguiu deixar o ar menos úmido e amenizar o calor.

Nesta terça-feira (16) a condição do tempo ainda será com muito sol, poucas nuvens e calor em todo o Estado de São Paulo. As chances de chuva são pequenas principalmente sobre o Vale do Paraíba, Faixa Leste, Grande São Paulo, Vale do Ribeira e em Presidente Prudente. Somente no norte do Estado há o risco de chuva rápida e localizada a partir da tarde.

A semana vai terminar com chuva em São Paulo

A quarta-feira (17) também será de muito sol em todo o Estado de São Paulo, o tempo firme predomina e a chuva ocorrerá apenas sobre o norte paulista novamente devido a chegada de umidade vinda de norte.

As chances de chuva aumentam a partir da quinta-feira (18) com o avanço de uma frente fria que não passa pelo Sudeste, mas consegue organizar áreas de instabilidade trazidas pelos ventos vindos de noroeste. Com a chegada de mais umidade e a presença de calor há o risco de temporais, como os volumes de chuva serão elevados em um curto período de tempo são esperados alagamentos em diversas áreas.

Entenda o que são os sistemas atmosféricos de verão Alta da Bolívia e VCAN 

Fotografeotempo! #É tempo de Natal!  

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil

Segunda quinzena de dezembro promete chuva
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

A passagem de frentes frias pelo litoral do Sudeste  e a circulação de ventos nos níveis médios e altos da atmosfera permitiram a formação de muitas áreas de instabilidade sobre o Brasil na primeira quinzena de dezembro. Temporais ocorreram em todas as Regiões, mas com maior frequência sobre o Centro-Oeste, parte do Norte e do Sudeste.

 

Campo Grande (MS) por Ardjuna Nunes Miranda

E muitas áreas do país, o volume de chuva acumulado em apenas 15 dias de pancadas de chuva frequentes ficou entre 100 e 150 mm. São volumes elevados, porém, a média histórica de chuva em dezembro é alta em grande parte do país, estando entre os três mais chuvosos do ano.

 

De forma geral, a chuva de dezembro ainda está abaixo de média climatológica em grande parte do Brasil, mas a chuva continua. Há possibilidade de formação de uma ZCAS para iniciar o verão, que começa oficialmente em 21 de dezembro, às 21h03, pelo horário brasileiro de verão. Confira as explicações da meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

Entenda o que são os sistemas atmosféricos de verão Alta da Bolívia e VCAN 

Como será o verão na Região Sudeste?  

Fotografeotempo! #É tempo de Natal!  

Previsão climática para o verão de 2015 no Brasil

 

 

 

Menos nuvens e mais estrelas no céu
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Ar polar diminui a nebulosidade

A passagem de uma fraca massa de ar de origem polar pelo centro-sul do Brasil está seno suficiente para reduzir bastante a nebulosidade e as condições de chuva. Os estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo, o centro-sul de Minas Gerais e o Rio de Janeiro são regiões que devem ter pouca nebulosidade na maior parte da noite desta segunda-feira, 15, e na madrugada do dia 16, terça-feira, o que vai permitir uma boa observação do céu e das chuva de meteoro.

 

No extremo norte do Brasil, os lugares com menor quantidade de nuvens devem ser o Amapá, Roraima, o norte do Pará, a faixa litorânea do Maranho, do Piauí o norte do Ceará e o Rio Grande do Norte. O restante do Brasil deve ter grande quantidade de nuvens e o risco de chuva é alto.

 

O que é estrela cadente?

Chuva de meteoro é o nome técnico correto para estrelas cadentes. Entre os dias 10 e 17 de dezembro, cinco chuvas de meteoros acontecem ao mesmo tempo, numa mesma região do céu. O ponto máximo foi no fim de semana, entre os dias 12 e 13, mas ainda dá para ver muitas estrelas cadentes.

O espetáculo é de graça e não precisa de binóculo e nem telescópio. Basta estar fora de locais muito iluminados e ter um pouco de paciência. Quando o meteoro cair, você verá um risco esbranquiçado pelo céu.

 

Como achar as estrelas cadentes?

A principal e a mais esperada chuva de meteoros do ano, é a Geminds, na constelação de Gêmeos, que sozinha deve gerar mais ou menos 120 meteoros por hora, 12 por minuto! No vídeo, o professor e astrônomo Marcos Calil explica como, para qual região do céu se deve olhar para observar as chuvas de meteoros.

 

 

Você tem mais informações sobre no Momento Astronômico 

Como será o verão na Região Sudeste? 

Sistemas de verão: Alta da Bolívia e VCAN

 

Um bom tempo pra você!

Como vai ser o verão 2015 no Sudeste?
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

O que esperar do verão 2015 no Sudeste? A ansiedade pela chegada da nova estação é cada vez maior. Em particular, a Região Sudeste, espera por muita chuva ou pelo menos por chuva dentro da normalidade, que possa tirar os reservatórios da situação crítica em que se encontram. Além da chuva, outra grande expectativa é com relação as temperaturas. O calor deste verão vai ser novamente intenso como foi 2014? O meteorologista Alexandre Nascimento fala da tendência da nova estação para toda a Região. Confira!

Represa Rio Bonito em Santa Maria de Jequitiba, ES. Por Leninho Lodi.

Veja também:

Verão 2015: Brasil terá seca ou chuva?

Ar seco e mais calor no RJ
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Atualizado às 16h50 em 15/12/2014

A terça-feira será mais um dia de sol forte e  com temperatura em elevação no Grande Rio. Embora o dia amanheça fresco, a tarde já será quente. A chance de chuva é pequena, uma vez que poucas nuvens se formarão devido a influência de uma massa de ar relativamente seca.

O sol brilha forte na cidade do Rio de Janeiro e também nas demais áreas do Estado do Rio, que também ficam sem chuva.

As imagens do satélite meteorológico mostram a presença de um ar com pouca umidade nos tons em marrom. Não há a presença de sistemas meteorológicos que tragam umidade para todo o Estado do Rio de Janeiro.

Temperatura em elevação

A recente passagem de uma frente fria provocou chuva e aliviou o calor no Estado do Rio. O calor da semana passada incomodou! A temperatura já está em elevação novamente e até o fim da semana as tardes vão ficando cada vez mais quentes. Para termos uma ideia, o aeroporto do Campo dos Afonsos registrou temperaturas de 35°C ao meio dia do sábado (13), nesta segunda-feira no mesmo horário os termômetros estavam em 28°C.

O ar seco ainda persiste sobre o Estado fluminense até a próxima sexta-feira (19). Áreas da Serra e do Vale do Paraíba tem chuva a partir da quinta-feira (18). O sol predomina pela manhã e tarde, as pancadas de chuva tendem a ocorrem em todo o Estado do Rio de Janeiro a partir da sexta-feira.

 

Como será o verão na Região Sudeste?  

Segunda quinzena promete mais chuva no RJ

 

Entenda o que são os sistemas atmosféricos de verão Alta da Bolívia e VCAN 

Fotografeotempo! #É tempo de Natal!  

 

Grande SP: Semana começa seca e termina com muita chuva
segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

As áreas de instabilidade que provocaram chuva no fim de semana se afastaram da Grande São Paulo. O sol já aparece com força na segunda-feira (15) e a temperatura já sobe bastante. Como o ar fica um pouco mais seco, a semana já começa com baixo risco para chuva na Região Metropolitana.

A imagem do satélite meteorológico já mostra a presença de poucas nuvens sobre a cidade de São Paulo, com isso as condições de chuva diminuem bastante.

Com os ventos mudando de direção e a presença de um céu com poucas nuvens ao longo da noite e da madrugada, a temperatura mínima caiu bastante em relação aos registros do último domingo (14). Segundo informações da estação convencional do Mirante de Santana operada pelo Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura mínima da segunda-feira foi de 16,2°C, a temperatura mínima não ficava tão baixa desde o dia 5 de dezembro.

 

Semana começa seca, mas os temporais vão voltar

O tempo firme ainda predomina até a próxima quarta-feira (16) o sol brilha forte e vai fazer bastante calor ao longo da tarde, não há previsão de chuva por conta da persistência de um ar de origem mais seca.

As condições do tempo voltam a mudar com a chegada de mais umidade ao Estado de São Paulo a partir da quinta-feira (18). As pancadas de chuva forte estarão de volta e os riscos de alagamentos também. A atenção fica a partir da próxima sexta-feira (19) quando as previsões indicam o risco de grandes volumes de chuva acumulados sobre a Região Metropolitana de São Paulo.

Quer saber como ficará o tempo em todo o Brasil ao longo dos próximos 15 dias? Confira a previsão estendida com o meteorologista César Soares no Climatempo News.

 

Um bom tempo pra você!

Como se formam os raios? É de arrepiar os cabelos!  

Aberta a temporada de temporais

A circulação atmosférica já é típica de verão
sábado, 13 de dezembro de 2014

A próxima estação só começa no próximo dia 21, mas a circulação atmosférica já é bem típica de verão. Durante o verão a América do Sul possui uma característica bastante comum: a presença de um sistema de alta pressão nos níveis mais altos da atmosfera (cerca de 10 quilômetros de altura). Em geral, esse sistema se forma a leste dos Andes, variando a sua posição entre o Peru, a Bolívia, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e Paraguai. Esse sistema é chamado de Alta da Bolívia (AB). Embaixo dele se formam muitas nuvens e bastante chuva. Quando esse sistema está bem formado ele possui forma circular e o vento gira no sentido anti-horário e em sua borda leste se forma um sistema que gira no sentido inverso e possui exatamente características contrárias: não chove embaixo e o tempo fica bem aberto. Esse sistema quando está fechado e circulando no sentido horário também recebe um nome específico – é o vórtice ciclônico de altos níveis (VCAN). A imagem abaixo mostra um “print” de uma animação onde é possível ver o giro desses sistemas.

 

 Para vê-los girando acesse o link:  http://earth.nullschool.net/#current/wind/isobaric/250hPa

 

 

Confira a previsão de chuva para os próximos 15 dias no Brasil 

Verão 2015: seca ou chuva? 

Um bom tempo pra você! 

Até 17 de dezembro, mais de 100 estrelas cadentes por hora riscam o céu! Não esqueça de fazer o seu pedido! 

Verão 2015 : Brasil terá seca ou chuva?
sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

O verão começa oficialmente no dia 21 de dezembro, às 21h03 pelo horário brasileiro de verão. A expectativa pelo verão de 2015 é maior, é especial, pois a falta de chuva do verão de 2014 deixou o Brasil numa crise de água e de energia sem precedentes.

A geração de energia foi “salva” o ano todo pela operação das termoelétricas, porque se dependesse só das hidroelétricas, o país estaria à luz de velas.

A população da Grande São Paulo está usando a água do chamado “volume morto”, uma reserva de água do fundo do Sistema Cantareira, que nunca tinha sido usada porque nunca faltou chuva como ocorreu no verão de 2014.

O calor do verão de 2014 bateu recordes históricos no Brasil. São Paulo teve o fevereiro mais quente em 71 anos de medições meteorológicas. Até o dia 12 de dezembro de 2014, o Rio de Janeiro registrou 40,0°C ou mais dez vezes, sete delas em fevereiro deste ano.

Será que o calor do verão de 2015 será pior? Vai faltar chuva de novo? Teremos chuva suficiente para normalizar o nível dos rios e das represas? O meteorologista Alexandre Nascimento explica a previsão climática para o Brasil, de forma geral. Nos próximos dias, você terá as previsões mais detalhadas para cada região do país.