Posts com a Tag ‘alta pressão’

+ aumentar e diminuir fonte -
Alta pressão, subsidência, ar seco, céu azul
terça-feira, 24 de junho de 2014

Movimento de ar subsidente (ou subsidência do ar) significa um fluxo de ar cima para baixo. A subsidência traz para a superfície o ar seco dos níveis mais elevados da atmosfera.

A subsidência acontece quando um sistema de alta pressão atua sobre uma região. Quando a alta pressão é forte, este movimento de ar de cima para baixo é mais intenso.

 

 

Um movimento de ar cima para baixo (subsidência) é contrário ao que se deve ter para o crescimento das nuvens. A subsidência inibe a formação e o crescimento das nuvens.  

 

 

Quando temos um forte sistema de alta pressão sobre uma região, o ar fica muito subsidente. Menos nuvens conseguem se formar e assim o céu pode ficar azul em grande parte do dia. Esta situação é típica do inverno no Brasil. Com menos nebulosidade e com nuvens pequenas, a chance de chover é menor.

 

 

 

A subsidência do ar também causa a inversão térmica que dificulta a dispersão da camada de poluentes. A falta de chuva e o ar parado ajudam a aumentar a poluição.

 

Como os extremos de umidade do ar podem afetar sua saúde? 

Alta Pressão no Centro-Sul
domingo, 11 de maio de 2014

A pressão atmosférica subiu cerca de 6hPa em grande parte do Sudeste devido a forte  entrada de massa de ar de origem polar que acompanha o avanço da frente fria, que por sua vez alcança a região do Recôncavo Baiano neste domingo. No centro-norte mineiro, o dia amanhece com temperatura cerca de 5 graus inferior em relação ao do dia anterior. O centro da Alta Pressão está sobre o mar, ao largo da costa gaúcha, o que mantém vento de leste sobre a costa do PR e de sudeste sobre a faixa leste paulista e sobre o litoral fluminense, contribuindo para formação de muitas nuvens e provocando chuvas intermitentes nestas áreas no decorrer do dia. A temperatura não sobe muito. Já o interior tem formação de névoas nas baixadas ao amanhecer, a temperatura sobe rápido devido a baixa umidade e pouca nebulosidade.

Rio de Janeiro esquenta depois do recorde de frio
segunda-feira, 7 de abril de 2014

Frio no Rio de Janeiro

A semana começou com queda temperatura no Estado do Rio de Janeiro. Apesar das tardes quentes, as noites ficaram frias e houve até recorde de frio na capital. A madrugada do domingo, 6 de abril, foi a mais fria do ano na cidade do Rio, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. A temperatura chegou aos 16,8°C no bairro do Alto da Boa Vista. Nesta segunda-feira, a temperatura mínima nas áreas mais frias subiu para marcas em torno dos 18°C e chegou a quase 32°C à tarde.

No interior, a cidade de Nova Friburgo, na região serrana fluminense, teve a menor temperatura do país nesta segunda-feira: 7,2°C, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

 

Ar seco afasta a chuva

Tem chovido muito pouco no Grande Rio desde o começo do ano e estes primeiros dias de abril seguem a mesma tendência. Não há nenhuma frente fria prevista para chegar à região até a sexta-feira e para diminuir ainda mais a chance de chover, uma grande sistema de alta pressão atmosférica ganhou força sobre o Sudeste. O aumento da pressão do ar diminui a umidade, o que reduz a chance de formação das nuvens de chuva.

Rajadas de vento em Campinas (SP)
sexta-feira, 4 de abril de 2014

Um sistema de alta pressão (massa de ar polar) que se afasta lentamente pelo oceano favorece a ocorrência de vento de sudeste, de moderada a forte intensidade, na região de Campinas nesta noite de sexta-feira. No aeroporto de Viracopos as rajadas de vento chegam 53 km/h.

Ar para no RJ – calorão continua
segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Um sistema de alta pressão se intensifica sobre o Sudeste e terá forte influência sobre o Rio de Janeiro. A meteorologista Josélia Pegorim explica como vai ficar o tempo no Rio nos próximos dias.

 

Pressão sobe e chuva diminui
segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

A meteorologista Josélia Pegorim explica que a intensificação de um sistema de alta pressão nos níveis mais elevados da atmosfera vai reduzir a chuva em grande parte do Brasil nos próximos dias.

 

 

Vento de norte favorece aquecimento
sábado, 28 de dezembro de 2013

A presença de uma Baixa Pressão entre o norte da Argentina e o Paraguai, associada a uma Alta Pressão ao largo da costa brasileira, condicionam um campo de pressão atmosférica que mantém vento de norte sobre as regiões Sul, Sudeste e Centro-Oeste. Esta situação favorece a advecção quente, ou seja, o transporte de ar quente de regiões equatoriais, resultando em elevação de temperatura. Somente na quarta-feira, a entrada de uma frente fria deverá diminuir o calor nos estados do Sul. Ainda assim, o lento avanço da frente ainda deverá manter as condições para temperatura elevada no RJ, ES e norte de MG.

Massa de ar seco e névoa em Porto Alegre
domingo, 15 de dezembro de 2013

Alta Pressão que atua no leste gaúcho favorece o esfriamento noturno e a cidade de Porto Alegre amanheceu com formação de névoa úmida, e no aeroporto de Canoas, houve formação de nevoeiro. A restrição de visibilidade dissipa ainda no início da manhã e a cidade fica com mais um dia de tempo aberto com sol e elevação de temperatura neste domingo. Temperatura elevada, no entanto, poderá trazer rápidas pancadas de chuva à tarde.

Névoa úmida em Foz do Iguaçu (PR)
sábado, 30 de novembro de 2013

Umidade deixada pelas áreas de instabilidade durante o dia e diminuição da nebulosidade durante a noite favorecem o aumento da umidade no oeste paranaense e o aeroporto de Cataratas, em Foz do Iguaçu, registra formação de névoa úmida que restringe a visibilidade a 1500m. Há possibilidade de formação de nevoeiro ao amanhecer.

Tempo firme e vento forte em Porto Alegre (RS)
quarta-feira, 30 de outubro de 2013

A massa de ar seco que predomina garante um noite de tempo firme em Porto Alegre nesta quarta-feira. Há poucas nuvens e a temperatura está amena na capital. Com o afastamento do centro de alta pressão (massa polar) para alto-mar o vento de leste/nordeste aumentou de intensidade e sopra moderado a forte na região do aeroporto Salgado Filhos, onde as rajadas chegam a 55 km/h.