Posts com a Tag ‘Dourados’

+ aumentar e diminuir fonte -
Chuva volumosa em Dourados (MS)
terça-feira, 22 de abril de 2014

As áreas de instabilidade que se formaram sobre Mato Grosso do Sul nesta segunda-feira já provocaram muita chuva em Dourados, no sul do Estado. Conforme dados do INMET, entre às 21h e meia-noite (hora local), o volume de chuva chegou a quase 76 mm. E a tendência é que a madrugada da quarta-feira continue chuvosa e não se descarta chuva em volumes mais significativos na região. Ao longo do dia, o tempo segue instável, o sol aparece fraco e ainda pode chover a qualquer hora. O tempo tende a ficar mais aberto a partir de quinta-feira, quando uma massa de ar mais seco e frio avançar do Sul do Brasil. A temperatura fica mais amena na região.

Temporais no sul de Mato Grosso do Sul
terça-feira, 25 de fevereiro de 2014

Fortes áreas de instabilidade vindas da Argentina e do Paraguai acarretaram em temporais sobre o sul de Mato Grosso do Sul.

Imagem do satélite GOES-13

A imagem de satélite mostra uma grande quantidade de nuvens sobre a área, o predomínio sobre o Centro-Oeste é de ar quente e úmido que favorece a formação de cada vez mais nuvens, o que mantém as pancadas de chuva.

A estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia em Dourados-MS registrou em apenas uma hora um total de 40,6mm. Isso representa 31% da média normal de chuva para o mês de Fevereiro que é de 129,7mm. Desde o começo do mês choveu cerca de 250mm, ou seja, quase duas vezes a média do mês.

 

Mais de 100 mm de chuva em Dourados (MS)
quinta-feira, 20 de fevereiro de 2014

Fortes áreas de instabilidade se espalharam sobre o Mato Grosso do Sul e provocaram chuva bastante volumosa. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 115,2 mm sobre Dourados, no sul do Estado, entre 10h de 19 de fevereiro e 10h do dia 20. No norte de Mato Grosso do Sul choveu quase 49 mm em Sonora. Até 11h ainda não havia chovido sobre Campo Grande, capital do Estado, mas havia bastante nebulosidade sobre a cidade.

Há condições para chuva forte no decorrer desta quinta-feira em todo o Mato Grosso do Sul. Podem ocorrer raios e ventos fortes.


Mato Grosso do Sul tem mais chuva neste domingo
sábado, 25 de janeiro de 2014

Frente fria provoca chuva forte em MS

Uma frente fria avançou forte neste sábado sobre o Sul do Brasil e o Paraguai e mudou o tempo também em Mato Grosso do Sul. O impacto do calor intenso e com esta frente fria gerou nuvens bastante carregadas que provocaram chuva forte e volumosa em várias regiões do estado. Começou a chover na madrugada, mas a chuva ganhou força no decorrer da manhã.Parte da capital, Campo Grande, ficou alagada. A chuva e a entrada de ar polar causaram uma acentuada queda da temperatura.

Neste domingo, a frente fria se afasta, mas Mato Grosso do Sul ainda terá muitas nuvens e pancadas de chuva, que podem ser fortes. A temperatura ainda não sobe muito. Mas a partir de segunda-feira, a chuva volta a ser menos frequente. O sol fica forte de novo e o calor aumenta.

Confira alguns volumes de chuva registrados pelo Instituto Nacional de Meteorologia neste sábado, 25 de janeiro de 2014, até 15h, hora local

Juti: 85 mm entre 7 e 10 horas

Rio Brilhante 47 mm

Campo Grande: 42 mm

Ponta Porã: 41 mm

Maracaju: 33 mm

Dourados: 32 mm

Chuva em MS voltou volumosa
segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

A semana começou com chuva forte e volumosa sobre o Mato Grosso do Sul. Áreas de instabilidade se intensificaram sobre o Estado e nuvens carregadas voltaram a se formar. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 50 mm de chuva sobre Amambaí, no sul do estado, só na tarde desta segunda-feira, 13 de janeiro. Maracaju acumulou 67 mm na noite do domingo, 12. Aquidauana acumulou 53 mm entre a tarde do domingo  a madrugada da segunda-feira. Sidrolândia teve 41 mm neste período e Dourados acumulou 39 mm na madrugada e manhã da segunda.

As áreas de instabilidade vão persistir até o fim da semana provocando mais chuva. O calor ajuda a formar as nuvens de chuva forte. Há risco de temporais sobre o Mato Grosso do Sul até a sexta-feira.

Chuva em Dourados (MS)
terça-feira, 24 de dezembro de 2013

Áreas de instabilidade espalham nuvens carregadas sobre Mato Grosso do Sul. Em Dourados, no sul do Estado, chove no momento e já foram acumulados nas últimas duas horas cerca de 19 mm.

Satélite capta grande queimada em Dourados (MS)
quinta-feira, 22 de agosto de 2013

As queimadas agrícolas são comuns nesta época do ano. Agosto costuma ser o auge do fogo nos campos. A prática de atear fogo na vegetação é largamente usada no Brasil pelos agricultores para fazer a limpeza do terreno, para preparar a terra para o novo plantio. As queimadas agora visam o plantio da nova safra o ano que vem.

Mas agosto também é pico da seca especialmente no Centro-Oeste. A falta de chuva prolongada deixa o solo e a vegetação ressecada, o que facilita o alastramento do fogo, que algumas vezes sai de controle e atinge reservas florestais.

Uma grande queimada pode ser observada nesta quinta-feira, 22 de agosto de 2013, na região de Dourados, no sul de Mato Grosso do Sul. A quantidade de focos de fogo era tão grande que uma densa nuvem de fumaça se formou na região, sendo perfeitamente captada por satélites meteorológicos.

A imagem é do satélite ambiental Aqua, operado pela NASA, que através dos sensores MODIS (Moderate-Resolution Imaging Spectroradiometer) captam os focos de fogo. Eles aparecem como pequenos quadrados vermelhos em áreas do sul de Mato Grosso o Sul e também sobre o Paraguai. Note como é grande a concentração de focos na região de Dourados. A fumaça pode ser perfeitamente diferenciada de uma nuvem que estava próxima da queimada.

A chance de chover em Dourados nas próximas 48 horas é baixa. Porém, os ventos devem aumentar  devido a aproximação de uma frente fria, o que vai facilitar a propagação do fogo e o espalhamento da fumaça.

Geada causa prejuízos no sul de Mato Grosso do Sul
terça-feira, 13 de agosto de 2013

Ouça o levantamento dos prejuízos observados na agricultura de Mato Grosso do Sul com o frio intenso e a geada do mês de julho. Por telefone, o pesquisador da área de agrometeorologia da Empraba/Dourados, Cláudio Lazarotto, fala também das providências tomadas quando há previsão de geada.

 

 

 

Campo Grande registra novo recorde de frio
quinta-feira, 28 de março de 2013

O ar polar entrou forte sobre Mato Grosso do Sul na madrugada desta quinta-feira, como já vinha sendo previsto, e causou acentuada queda da temperatura. A capital, Campo Grande, teve a madrugada mais fria de 2013 até agora. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura mínima foi de 13,4ºC. O recorde anterior era de 17,6ºC na terça-feira passada, 26 de março.

A queda da temperatura nesta quinta-feira foi sentida em todo o Mato Grosso do Sul, mas foi mais intensa no centro-sul do estado. Confira algumas temperaturas mínimas registradas pelo Inmet:

Amambaí: 11,5ºC

Dourados: 12,6ºC

Juti: 12,7ºC

Sidrolândia: 13,1ºC

Jardim e Miranda: 13,3ºC

Sete Quedas: 13,6ºC

Corumbá e Paranaíba: 18,8ºC

Coxim: 17,3ºC

Bataguassu: 16,2ºC

O ar polar começa a se afastar de Mato Grosso do Sul já nesta sexta-feira, o que vai permitir a elevação da temperatura. A madrugada será fria, mas a tarde será com calor. No fim de semana, a temperatura fica amena à noite, mas o restante do dia será quente.

Muita chuva sobre o Centro-Oeste
segunda-feira, 18 de março de 2013

Voltou a chover muito sobre Cuiabá na tarde desta segunda-feira. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 59 mm de chuva acumulados em apenas 1 hora, entre 16h e 17 h, pelo horário de Brasília. Foi o segundo evento de chuva intensa desde o sábado, quando choveu aproximadamente 56 mm.

Outras áreas de Mato Grosso também registraram chuvas volumosas nesta tarde. Em Comodoro, no extremo oeste do estado, choveu 117 mm entre 14h e 17h.

A cor vermelha indica nuvens com potencial para temporal.

Chuva volumosa em Mato Grosso do Sul

Várias áreas de Mato Grosso do Sul registraram muita chuva neste início de semana. No período entre 17 h do dia 17 de março e 17h do da 18, pelo horário de Brasília, choveu 92 mm sobre Dourados, 77 mm na região de Sidrolândia, 66 mm sobre Amabaí e 49 mm em Corumbá.

O excesso de calor e de umidade no ar, e a circulação dos ventos sobre o Centro-Oeste estão gerando grandes áreas de instabilidade, com nuvens muito carregadas que provocam chuva forte e volumosa em muitas áreas da Região. No decorrer desta semana, todo Centro-Oeste terá pancadas de chuva frequentes. O risco de temporais é alto em todos os estados.