Posts com a Tag ‘Espírito Santo’

+ aumentar e diminuir fonte -
Muita chuva no Espírito Santo
quarta-feira, 4 de março de 2015

A borda do Vórtice Ciclônico de Altos Níveis (VCAN) ainda é capaz de organizar instabilidades sobre o Estado do Espírito Santo e também trazer nuvens carregadas para o norte do Rio de Janeiro. As imagens de satélite meteorológico mostravam o avanço das nuvens de chuva nos tons em azul e branco entra a manhã e o início da tarde de quarta-feira (04).

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Os temporais já acarretaram em transtornos na cidade de Vitória durante a tarde da terça-feira (03) e retornaram no início da tarde de quarta-feira. A chuva não caiu apenas na capital capixaba, a cidade de Linhares registrou um total de 50,6mm de chuva entre as 12h e as 14h.

Nuvens carregadas em Vitória. Por Talita Carvalho.

O aeroporto de Goiabeiras na região metropolitana de Vitória, registrou a presença de pancadas de chuva nas proximidades e a presença de nuvens do tipo Cumulonimbus (Cb) às 14h.

Menos chuva nos próximos dias

O afastamento e enfraquecimento do VCAN vai fazer com que a chuva em Vitória perca força. Na quinta-feira (05) ainda há o risco de pancadas de chuva rápidas típicas do verão. Já na sexta-feira (06) o ar seco já volta a marcar presença e a tendência é de muito sol e não há a previsão de chuva.

No norte do rio de Janeiro o sol também vai aparecer forte, mas as pancadas de chuva rápidas entre a tarde e a  noite ainda acontecem inclusive com risco de temporal.

ES e norte do RJ terão mais chuva
terça-feira, 3 de março de 2015

Atualizado às 21h50 de 03/03/2015

A presença de um Vórtice Ciclônico nos Altos Níveis atmosféricos (VCAN) sobre o mar, próximo à costa do Espírito Santo, organiza áreas de instabilidades que espalham nuvens carregadas sobre este estado e também sobre o norte do Rio de Janeiro e nordeste de Minas Gerais, região onde estão os vales dos rios Doce e Jequitinhonha.  A sequência de imagens de satélite mostra vários aglomerados de nuvens carregadas que se espalharam sobre estas regiões durante a terça-feira (03) e provocaram temporais.

Mais chuva

Ao longo dos próximos dois dias há o risco de mais chuva por toda a região entre o norte do Rio de Janeiro, o nordeste mineiro e o Espírito Santo. A chuva ocorre em forma de pancadas, principalmente à tarde e à noite. Nas áreas próximas do litoral capixaba, pode chover a qualquer hora. Estas condições vão predominas na quarta-feira (04) e na quinta-feira (05). Na sexta-feira (06), as áreas de instabilidade enfraquecem e as pancadas de chuva devem ser menos frequentes e só entre a tarde e a noite. O sol forte e o tempo seco voltam a predominar no fim de semana.

Vitória: 40% da chuva de março em 24h

Vitória, capital do Espírito Santo,  sentiu os temporais em vários momentos. A chuva forte caiu inclusive sobre o aeroporto de Goiabeiras, onde a visibilidade baixou para 1000 metros, às 14h10.

Segundo informações da estação automática do INMET, choveu 44,8 mm entre 20 horas do dia 2 e 20 horas do dia 3 de março. Este volume de chuva representa 40% da média de chuva para março que é de aproximadamente 111 mm. Durante o temporal a tarde de terça-feira choveu 18,4 mm entre 13 e 15 horas.

Chuva forte no norte do RJ

As nuvens carregadas que se espalharam sobre  norte do Estado do Rio de Janeiro provocaram chuva forte em vários locais. Em Campos dos Goytacazes, o Inmet registrou 47,2 mm apenas entre o meio-dia e 20 horas, sendo de 20,8 mm caíram apenas em 1 hora, o que tecnicamente representa chuva forte.

Campos dos Goytcazes (RJ) chuva forte causa alagemento em 3-3-2015 Petterson Viana

Campos dos Goytcazes (RJ): chuva forte causa alagemento em 3-3-2015, por Petterson Viana

Baixas pressões aumentam a chuva no centro-sul do Brasil

No fim da semana e durante a próxima semana, várias áreas de baixa pressão atmosférica vão influenciar o centro-sul do Brasil facilitando a formação de áreas de instabilidade que podem provocar chuva forte. Estas áreas de instabilidade devem aumentar a frequência da chuva sobre o centro-sul do Estado do Rio de Janeiro, mas terão pouca influência no norte fluminense e no Espírito Santo.

 

Chuva de fevereiro deu apenas pequeno alívio na crise energética

Já fotografou o tempo hoje?

MG e ES devem ter chuva forte no fim de semana
sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Durante o fim de semana, uma frente fria avança pelo litoral da Região Sudeste e deve alcançar o litoral do Espírito Santo. Com a passagem da frente fria, os ventos marítimos se intensificam sobre o Sudeste e vão trazer mais umidade para Minas Gerais e também para o Espírito Santo . Isto vai ajudar formar mais nuvens carregadas durante o fim de semana. Há risco de chuva forte sobre os dois estados no fim de semana. As capitais Belo Horizonte e Vitória também podem ter chuva forte chuva forte.

 

 

A meteorologista Josélia Pegorim cometa o aumento da chuva sobre estes dois estados.

 

 

Litoral do Sudeste tem mar agitado

A intensificação dos ventos na costa Sul e Sudeste do Brasil no fim de semana deixa o mar agitado. As ondas crescem no fim de semana, mas não há expectativa de ressaca.

Confira os detalhes da previsão das ondas

Confira as ondas na sua praia e ache a sua tribo no Climasurf

Belo Horizonte tem mês mais chuvoso em dois anos

 

O total de chuva acumulado em Belo Horizonte em fevereiro de 2015 já o maior desde abril de 2014. Segundo as medições do Instituto Nacional de Meteorologia, no centro da cidade, em 26 dias de fevereiro choveu 228,6 mm, valor que supera em 11% a média para o mês, que é de 206 mm. Em abril de 2014 choveu 235,3 mm

 

 

As pancadas de chuva de fevereiro na região da Grande Belo Horizonte estão ajudando a elevar o nível do Sistema Paraopeba, que abastece de água a região metropolitana da capital mineira.

 

Já fotografou o tempo hoje?

Confira a previsão de chuva para o Brasil para 15 dias

Como será a chuva no Sudeste no mês de março?

 

VCAN provoca chuva sobre Espírito Santo
segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Nuvens carregadas se espalham sobre o Espírito Santo provocando pancadas de chuva em vários locais do Estado. Embora a chuva não seja generalizada, algumas pancadas são fortes. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou quase 10 mm de chuva sobre Santa Teresa entre meio-dia e 13 horas. Mas o total acumulado desde a madrugada com outras pancadas de chuva chegava aso 17 mm. Em São Mateus também choveu aproximadamente 10 mm na manhã desta segunda-feira.

Por volta das 14 horas, o radar meteorológico localizado em Santa Teresa continuam detectando várias áreas de chuva (manchas coloridas) que avançavam do mar para o continente trazendo mais chuva.

 

Radar meteorológico de Santa Teresa operado pelo Cemanden. A cor amarela indica chuva moderada.

Estas nuvens carregadas devem continuar passando sobre o Espírito Santo por mais dois dias. A partir de quinta-feira, a tendência é de que as áreas de instabilidade enfraqueçam. Mesmo assim, ainda há condições para a chuva até o fim da semana .

Em Vitória, segundo o Inmet, choveu 52,5 mm em fevereiro em 23 dias. A média mensal é de aproximadamente 82,0 mm

 

 

Chuva de VCAN

As nuvens que trouxeram um pouco de chuva para aliviar a grave seca pela qual está passando o Espírito Santo vieram de um sistema meteorológico chamado de VCAN – vórtice ciclônico de altos níveis – e não de uma frente fria, como é mais comum.

O VCAN é uma região da atmosfera, em torno de 10 mil metros de altitude, onde  ventos giram no sentido horário. Ao mesmo tempo, nas camadas mais próximas da superfície, o ar se movimenta no sentido anti-horário. Essa diferença de movimento entre as camadas de ar gera nuvens carregadas que podem provocar chuva forte

 

Sudeste tem sol e praia no fim de semana
quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

O sistema de alta pressão subtropical do Atlântico Sul (ASAS) se intensifica novamente sobre a Região Sudeste nos próximos dias. A intensificação da ASAS reduz a umidade no ar e o crescimento das nuvens, diminuindo a chance de chuva. Com a redução da nebulosidade, o sol vai ficar forte por muitas horas e o aquecimento será maior.

Fevereiro é um dos meses mais quentes do ano no Sudeste, com dias bastante abafados.  Sem as nuvens e a chuva para ajudar a regular o calor, o fim de semana será de calor acima do norma na Região Sudeste. Os termômetros devem registrar marcas entre 36°C e 39°C em todos os Estados. Não há expectativa chegada de ar polar ao Sudeste pelo menos até a quarta-feira da próxima semana.

 

Ondas e ventos

A intensificação da alta pressão subtropical do Atlântico Sul sobre o Sudeste no fim de semana diminui a chuva e também reduz a velocidade dos ventos. Com o vento fraco, as ondas ficam pequenas. Neste fim de semana, o mar será melhor para quem quiser curtir o sol na areia.

No Climasurf você acha a melhor onda, o vento e a sua tribo.

Confira a previsão de chuva para os próximos dias

 

Nos mapas, as manchas coloridas indicam as áreas de chuva e a cor a intensidade. Os tons de amarelo, vermelho, laranja e rosa indicam chuva forte. As manchas (chuva) diminuem sobre o Sudeste por causa da atuação da ASAS.

 

O centro da ASAS deve ficar próximo do litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro durante o fim de semana. Atuação intensa do sistema de alta pressão do Atlântico Sul (ASAS) deixou o Sudeste na seca no verão de 2014 e novamente em janeiro de 2015. Mas não adianta amaldiçoar a ASAS agora. Este sistema de pressão é permanente na circulação geral atmosférica. Ele vai e volta.

A meteorologista Josélia Pegorim explica o efeito da intensificação da ASAS sobre o Sudeste

 

 

Entenda como o sistema de alta pressão reduz a nebulosidade e a chuva

Cuidado com o sol forte! Saiba qual é o protetor correto para seu tipo de pele.

Usar a água do mar dessalinizada é uma boa opção para a crise de água no Brasil?

Dê seu depoimento na campanha BR: vida sem água

Chuva e ventania no Espírito Santo
domingo, 8 de fevereiro de 2015

Fortes áreas de instabilidade avançam sobre o Estado do Espírito Santo e provocam temporais de forma generalizada. As imagens do satélite meteorológico mostram o avanço de nuvens carregadas nos tons em azul e branco.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

O aeroporto de Goiabeiras em Vitória também informa a presença de chuva forte. A estação automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) em Afonso Cláudio registrou rajadas de vento de 42 km/h.

 

Mais chuva até terça-feira

As áreas de instabilidade associadas ao ciclone subtropical Bapo ainda vão provocar chuva pelo domingo (08). Na segunda-feira (09) as áreas de instabilidade começam a perder força e a chuva já ocorre com uma frequência menor ao longo do dia, mas ainda há o risco de chuva forte. As pancadas típicas de verão, aquelas que ocorrem entre a tarde e a noite, já voltam a partir da terça-feira (10).

Mais chuva sobre MG, ES e BA
quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

As áreas de instabilidade voltaram a se formar sobre Minas Gerais e sobre o Espírito Santo espalhando nuvens carregadas que provocam chuva forte e volumosa. A quinta-feira foi marcada por muitas nuvens e chuva nos dois estados e a previsão é de mais chuva para sexta-feira e para o fim de semana.

Mas a população precisa ficar atenta, pois há risco de chuva intensa que pode causar problemas.

 

Cataguases (MG): voltou a chover em 5-2-2015 por Márcio José

 

Uma mudança na circulação dos ventos sobre o centro-sul do Brasil favoreceu a formação destas áreas de instabilidade, fazendo com a chuva finalmente voltasse e ocorrer.  Em muitas áreas do norte mineiro e do Espírito Santo ficaram de 40 a 50 dias consecutivos sem chuvas. Estas áreas de instabilidade se espalharam também para o centro-sul da Bahia e a previsão é de que as condições para chuva aumentem ainda mais até o domingo.

 

 

Tarde mais fria em Belo Horizonte

Por causa a chuva e do excesso de nuvens, a temperatura baixou em Belo Horizonte. Pela medição do Inmet, a tarde de 5 de fevereiro foi a mais fria do ano até agora, com temperatura máxima de 25,3°C. O recorde anterior era de 26,9°C, em 1 de janeiro.

A chuva nos próximos dias deve beneficiar os Sistema Paraopeba

 

 

Chuva chega ao Espírito Santo
quarta-feira, 4 de fevereiro de 2015

O situação da chuva continua complicada sobre o Espírito Santo. Há a previsão de chuva em todas as áreas do Estado, mas como os sistemas de grande escala, como frentes frias, não conseguem avançar para a costa, a chuva ocorre de forma pontual.

As imagens do satélite meteorológico mostram a chegada de nebulosidade na região, mas não há a formação de nuvens grandes o suficiente para provocar chuva de forma abrangente.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

Mas a tendência ao longo das próximas horas é do desenvolvimento de nuvens carregadas que provocam chuva inclusive em forma de temporais . A semana será marcada pelo retorno da chuva ao Estado capixaba.

Mais chuva até sexta-feira

A presença e intensificação do sistema de baixa pressão atmosférica na costa de São Paulo, vai trazer áreas de instabilidade também para o Estado do Espírito Santo. O céu vai ficar carregado de nuvens a partir da quinta-feira (05). São esperadas pancadas de chuva de forma generalizada e há o risco de temporais. Os volumes de chuva sobem na região, mas não solucionam todos os problemas com a pouca chuva que caiu até o momento.

Janeiro de 2015 : o mais seco em Vitória em 54 anos
sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Atualizado em 31/1/2015

Janeiro de 2015 termina com um triste recorde na capital capixaba: o janeiro e o mês mais seco desde 1961. Segundo medições do Instituto Nacional de Meteorologia, não houve registro de nem um milímetro de chuva sobre Vitória nos 31 dias de janeiro de 2015. O  título de mês mais seco desde 1961 foi roubado de fevereiro de 1966 quando choveu apenas 0,2 mm. O janeiro mais seco antes deste janeiro de 2015 foi o de 1995 quando choveu 8,5 mm em 31 dias.

A última chuva em Vitória ocorreu entre os dias 14 e 16 de dezembro de 2014

Por que choveu não choveu?

A falta de chuva gerada por um forte bloqueio atmosférico no verão 2013/2014 deixou o Brasil numa das mais graves crises hídricas já observadas no país. Os Estados da Região Sudeste estão entre os mais afetados pela falta de chuva que deixou rios e reservatórios para abastecimento de água e de energia com níveis baixíssimos ou até mesmo secos.

Uma das causas do bloqueio atmosférico é um posicionamento e intensidade anômalos do sistema de pressão conhecido como ASAS – Alta (pressão) Subtropical do Atlântico Sul.  O ano de 2015 também começou com uma situação bloqueio atmosférico , menos intenso, mas que novamente afetou especialmente sobre a Região Sudeste e é o principal culpado pela gravíssima situação de seca na qual se encontra o Estado do Espírito Santo.

A crise hídrica é grave em todo o Sudeste, mas a pior situação é a do Espírito Santo. Muitas áreas do  Estado estão há mais de 40 dias sem chuva. Na capital, Vitória, pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia não chove há 45 dias. Se não chover nada neste sábado, 31 de janeiro, o mês de janeiro de 2015 será o janeiro e o mês mais seco em Vitória desde 1961. Por enquanto, o  título de mês mais seco desde 1961 é de fevereiro de 1966 quando choveu apenas 0,2 mm. O janeiro mais seco foi o de 1995 quando choveu 8,5 mm em 31 dias.

A ultima chuva em Vitória ocorreu entre os dias 14 e 16 de dezembro de 2014

Entenda porque o Espírito Santo está há mais de um mês sem chuva.

A O bloqueio atmosférico que predominou sobre o Brasil até o dia 20 de janeiro .

A ASAS – alta pressão subtropical do Atlântico Sul – ficou forte sobre a Região Sudeste até 20 de janeiro de 2015. O centro da ASAS ficou próximo do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Quanto mais próximos do centro do sistema de alta pressão, mais seco fica o ar, menor é a velocidade do vento e as nuvens não conseguem se formar. Sem a chuva e a nebulosidade, o sol fica forte por muitas horas e o calor é intenso.

 

 

A circulação dos ventos gerada pela ASAS em níveis médios/altos da atmosfera impede  o deslocamento normal das frentes frias e afasta o ar polar. Até 20 de janeiro, as frentes frias eram desviadas para alto-mar na altura do litoral do Rio Grande do Sul ou de Santa Catarina e não conseguiam chegar ao Sudeste.

 

No dia 21 de janeiro de 2015 o bloqueio da ASAS foi bastante enfraquecido por uma frente fria que trouxe uma massa polar forte o suficiente para afastar a ASAS para alto-mar. A massa polar também um sistema de alta pressão, como a ASAS.

 

Mas esta massa polar teve força para chegar só até o centro-sul do Estado do Rio de Janeiro. Assim, o Espírito Santo, o norte do Rio de Janeiro e a região norte de Minas Gerais ainda continuaram sentindo o efeito da ASAS, embora com menor intensidade. Para voltar a chover, é preciso que outra massa polar chegue mais forte ao Sudeste para avançar sobre o Espírito Santo. Isto poderá acontecer ainda na primeira semana de fevereiro.

A nova frente fria que chegou ao Sudeste no dia 30 de janeiro teve força para formar nuvens carregadas até no sul do Espírito Santo. Mas a chance destas nuvens se espalharem por todo o estado é baixa.

 

Na imagem de satélite, o tom de marrom indicam pouca nebulosidade. As nuvens aparecem em tons amarelados, verdes e azuis.

 

 

A meteorologista Josélia Pegorim analisa como deverá ser a distribuição de chuva na Região Sudeste nos próximos 10 dias. Há esperança de chuva para o Espírito Santo, mas vai demorar mais alguns dias.

 

 

Participe da campanha BR: vida sem água. Dê seu depoimento!

Como ficarão a chuva e a temperatura em fevereiro ?

Chuva=água=energia: entenda porque economizar energia é também economizar água

Reuso da água gera economia de até 30%

ES, norte do RJ e de MG esperam por chuva
quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Com o rompimento do bloqueio atmosférico no dia 21 de janeiro, as frentes frias e as nuvens carregadas estão voltaram a se formar sobre a maioria das áreas de Minas Gerais e do Rio de Janeiro. Mas norte mineiro, o norte do Estado do Rio de Janeiro e todo o Espírito Santo ainda sentem a influência de da alta subtropical do Altântico Sul (ASAS) que dificulta o crescimento das nuvens e a chegada das frentes frias. Embora menos intenso, ainda existe um bloqueio que vem mantendo o Espírito Santo, o norte do Rio de Janeiro e o norte de Minas Gerais fora das áreas de instabilidade que voltaram a se formar até na região de Belo Horizonte.

Em Campos dos Goytacazes, no norte fluminense, o último registro de alguma chuva foi entre os dias 20 e 21 de dezembro, segundo o Instituto Nacional de Meteorologia. Mas foi uma chuva muito leve que acumulou menos de 5 mm. Foi nesta mesma época que a região de Teófilo Otoni (MG) teve última chuva. Em Vitória, capital do Espírito Santo, ainda não choveu este ano.

A falta de chuva e o calor intenso facilitam o surgimento de focos de fogo no norte fluminense, o que não é comum nesta época, que em anos normais é com chuva frequente.

Fumaça de queimadas em São João da Barra (RJ), 28-1-2015, por Peterson Viana

 

Pontos vermelhos indicam focos de fogo. Imagem do satélite Terra-MODIS (NASA) em alta resolução, 28-1-2015

 

De todo o Sudeste, a situação mais dramática atualmente de falta de chuva é no Espírito Santo. O mapa mostra a estiagem agrícola até o dia 27 de janeiro, segundo o órgão governamental Agritempo. A estiagem agrícola é o número de dias em que a chuva acumulada fico abaixo dos 10 milímetros. No caso do Espírito Santo, todo o estado está pelo menos há 30 dias praticamente sem nenhuma gota de chuva.

 

Na capital, Vitória, se chover nada até manhã do domingo, dia 31, janeiro de 2015 será o janeiro mais seco e o mês mais seco desde 1961, pelo levantamento do Instituto Nacional de Meteorologia.

Vem chuva?

Uma frente fria chega ao litoral do Rio de Janeiro na sexta-feira e passa o fim de semana próxima ao litoral fluminense. A chuva desta frente fria vai beneficiar o norte do Rio de Janeiro. Mas a chance de ocorrer até o sábado ainda é baixa no vale do rio Doce, no vale do Jequitinhonha e no Espírito Santo. A possiblidade de chuva aumenta um pouco na tarde do domingo. Mas uma segunda frente fria está sendo esperada para os primeiros dias de fevereiro e deve chegar ao Espírito Santo.

Confira a análise da meteorologista Josélia Pegorim