Posts com a Tag ‘Paraíba’

+ aumentar e diminuir fonte -
Por que não está chovendo na costa leste nordestina?
segunda-feira, 11 de maio de 2015

por Maria Clara Machado

A chuva normalmente retorna a costa leste do Nordeste durante o mês de abril, período em que a região entra na quadra chuvosa. Nesta época, as chuvas acontecem com maior regularidade e se estendem geralmente até o mês de julho. Os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, contam com esta chuva. Se a chuva não cair nesta época do ano, a situação pode se agravar e muito para estes estados.

O mês de abril de 2015 terminou com a chuva abaixo do normal na costa leste do Nordeste, com exceção da Bahia, que tem recebido chuva mais volumosa com a passagem de frentes frias.  Mas na maior parte da região, dezenas de municípios estão em situação de emergência e aguardam pela chuva que está atrasada.

Segundo último levantamento do Ministério da Integração Nacional, 170 municípios estão em situação de emergência na Paraíba, 153 no Rio Grande do Norte e 126 em Pernambuco.

De acordo com o meteorologista da Climatempo Alexandre Nascimento, as condições do Atlântico e do Pacífico não estão favorecendo a ocorrência de chuvas abundantes sobre a faixa leste nordestina. “A temperatura da água do mar está muito próxima da normalidade, dificultando a formação de áreas de instabilidade”, explica Alexandre. Outro fator é a confirmação da formação do fenômeno El Niño, que também desfavorece a chuva na faixa leste do Nordeste.

Maio ainda será marcado por chuva abaixo do normal e só em junho a chuva deve aumentar especialmente entre Pernambuco e o Rio Grande do Norte.

Acompanhe as explicações sobre o atraso da chuva na costa leste do Nordeste com o meteorologista Alexandre Nascimento:

 

Confira a previsão de chuva para o Brasil nos próximos 15 dias

O El Niño está aí! O que vai mudar no clima do Brasil?

Entenda o fenômeno El Niño

 

Volume de chuva para o Brasil nos próximos dias
quinta-feira, 7 de maio de 2015

A seca faz parte do clima do semiárido nordestino e a estiagem dificulta cada vez mais a vida dos agricultores sertanejos da Paraíba. Uma das áreas mais afetadas é a região do Cariri, que fica no centro do estado. Há lugares onde a vegetação da caatinga nem conseguiu rebrotar, os riachos permanecem secos e falta água e comida para alimentar os rebanhos. E estamos em plena temporada de chuva, mas os dias em boa parte do sertão são de sol forte e calor. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Chuva forte no litoral do Nordeste nos próximos dias
sexta-feira, 1 de maio de 2015

Chuva forte em capitais do Nordeste

Os primeiros dias de maio são de atenção para chuvas fortes em várias regiões do litoral do Nordeste, que devem afetar também as capitais Salvador, Recife, João Pessoa, Natal e Fortaleza.

Uma frente fria ainda está ativa no litoral da Bahia e estimula o crescimento de nuvens carregadas no litoral e no interior do Estado. Aglomerados de nuvens carregadas crescem no mar e avançam para o litoral do Nordeste, na altura do Rio Grande do Norte e da Paraíba. As nuvens aparecem como manchas coloridas. Os tons de vermelho representam nuvens com maior potencial para raios e chuva forte.

 

Nos próximos dias, estas nuvens carregadas devem ficar se espalhar por toda a região entre o litoral do Ceará e de Pernambuco. Para as capitais Fortaleza, Natal, João Pessoa e Recife, o risco de chuva forte e de raios já aumenta neste sábado e persiste até a quarta-feira. Para Salvador, o risco de chuva forte e de raios é alto no fim de semana e diminui bastante na segunda-feira, 4 de maio.

A meteorologista Josélia Pegorim mostra a evolução das áreas de instabilidade no litoral do Nordeste.

 

Por que é mais difícil chover sobre Alagoas e Sergipe?

Risco de chuva forte em todo o litoral do Nordeste
quinta-feira, 5 de março de 2015

Na sexta-feira (06) são esperados temporais em toda a faixa leste do Nordeste. São esperados grandes volumes de chuva que podem acarretar em alagamentos e inundações. A chuva vem com forte intensidade e há a possibilidade de raios.

Nas imagens do satélite meteorológico é possível ver o avanço das instabilidades para o litoral norte do Nordeste e a chegada de grandes nuvens também do recôncavo baiano até o litoral de Alagoas.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

A presença da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e da Onda de Leste ainda favorecem o desenvolvimento de grandes nuvens que são capazes de trazer os temporais para todo o litoral do Nordeste.

Clique na imagem e veja a previsão de chuva para todo o Brasil

No sábado (07) a tendência é de enfraquecimento das correntes de vento úmida. A chuva já volta a ocorrer de forma rápida e isolada.

O meteorologista César Soares comentou a chegada das áreas de instabilidade associadas a presença da Zona de Convergência Intertropical no Climatempo News.

Veja também: Chuva no Brasil nas últimas semanas de verão

 

Dia de muita chuva em Fortaleza, Natal e João Pessoa
quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Áreas de instabilidade continuam ativas sobre várias estados do Nordeste e provocam mais chuva nesta quarta-feira. Mas agora a situação é de alerta para muita chuva na faixa litorânea entre o Ceará e a Paraíba. Nuvens carregadas começaram a se espalhar sobre estas regiões na noite de ontem e hoje deve permanecer paradas por muitas horas provocando chuva constante.

Com a chuva persistente, até com forte intensidade em algumas horas, os volumes acumulados vão ser elevados até a noite desta quarta-feira. O excesso de chuva pode causar alagamentos e outros transtornos nas áreas urbanas. Além disso, há risco também de raios e de rajadas de vento moderadas a fortes. A situação é de alerta também para as capitais Fortaleza, Natal e João Pessoa.

Segundo informações do Cemaden, entre 6 horas do dia 24 e 6 horas de 25 de fevereiro, algumas regiões de Natal já haviam acumulado 49 mm de chuva. Em Fortaleza, o acumulado máximo neste período foi de 36 mm e na região de João Pessoa, 31 mm.

As imagens de satélite mostram parte da evolução das áreas de instabilidade entre o Ceará e a Paraíba.

24 de fevereiro de 2015 às 19h15

25 de fevereiro de 2015 às 00h45

25 de fevereiro de 2015 às 04h45

 

 

 

Como será a chuva de março no Nordeste?

VCAN provoca chuva forte sobre o Nordeste
quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Um vórtice ciclônico de altos níveis (VCAN) influencia o Nordeste e gera nuvens carregadas sobre várias áreas do Nordeste que provocam chuva forte. Estas nuvens estão se formando no litoral e no interior dos estados.

O VCAN é uma circulação especial de ventos observada em torno dos 10 mil metros de altitude. Os ventos giram no sentido horário em torno de um centro fazendo um círculo completo de 360 graus. Mas este movimento horário do ar ocorre numa grande área. As nuvens crescem na parte que está longe do centro do VCAN.

Nas imagens de satélite é possível perceber este giro horário provocado pelo VCAN observando o movimento das nuvens que estão na costa leste do Nordeste. Repare como as bandas de nuvens tendem a  girar da esquerda para a direita.

Clique na imagem e acompanhe o movimento das nuvens por todo o Brasil

 

O centro do VCAN está no mar e tende a se aproximar cada vez mais do Nordeste até a noite de sexta-feira. Até lá, várias áreas de instabilidade crescem no litoral e no interior do Nordeste provocando as fortes pancadas de chuva. Porém, a chuva ocorre em poucas regiões e não será suficiente para mudar o quadro o seca observada nos principais açudes do Nordeste. No fim de semana, o centro do VCAN deve avançar sobre o interior do Nordeste e as áreas de instabilidade enfraquecem.

 

Carnaval termina com chuva forte

A quarta-feira de Carnaval foi marcada por chuva forte em vários locais do Nordeste. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 49,6 mm sobre Maceió, capital de Alagoas, entre 20h do dia 17 e 20h de 18 de fevereiro. Em Santa Cruz, no Rio Grande do Norte, choveu 38,6 mm entre o meio-dia e 17 horas (hora local). Em Feira de Santana, na Bahia, choveu 33,0 mm entre 15 e 16 horas local. Entre 16 e 17 horas local, Monteiro, na Paraíba, acumulou 32,6 mm. Em Alto Parnaíba, no sul do Maranhão, choveu 53,6 mm entre 8h e 16 horas.

 

Pouca chuva no período mais chuvoso

Na maioria das áreas do Região Nordeste, especialmente no interior e norte da Região, o período mais chuvoso do ano acontece nos meses de fevereiro, março e abril. Em 2014 e também em 2013, a chuva ficou abaixo média nestes meses em grande parte da Região.

 

Anomalia de chuva nos meses de fevereiro, março e abril de 2013: os tons de azul indicam chuva acima da média; os tons de laranja indicam chuva abaixo da média.

 

Anomalia de chuva nos meses de fevereiro, março e abril de 2014: os tons de azul indicam chuva acima da média; os tons de laranja indicam chuva abaixo da média.

 

A meteorologista Josélia Pegorim comenta sobre as perspectivas para o período chuvoso do Nordeste.

 

 

Usar a água do mar dessalinizada é uma boa opção para a crise de água no Brasil?

Confira como será a chuva sobre o Brasil nos próximos 15 dias

Dê seu depoimento na campanha BR: vida sem água

 

Seca prejudica estado da Paraíba
sexta-feira, 12 de dezembro de 2014

Com a falta de chuva no estado da Paraíba, vários prejuízos foram observados, com isso, governo precisou interferir. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.

 

Chuva volumosa entre PE e PB
domingo, 7 de setembro de 2014

Muita chuva em Recife (PE) e João Pessoa (PB)

A recente passagem de uma frente fria pelo litoral da Bahia estimulou a formação de áreas de instabilidade na costa leste do Nordeste e que se intensificaram no fim de semana.

A chuva na deu trégua a Recife e João Pessoa no domingo de 7 de Setembro. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, entre 18h do dia 6 e 18 de 7 de setembro, choveu 50,4 mm sobre Recife, o que corresponde a quase metade da média de chuva normal para setembro que é de 122 mm.

Somente entre as 9h do domingo e as 9h da segunda-feira (08) choveu um total de aproximadamente 90mm de chuva na estação automática do INMET em João Pessoa. Isso corresponde a mais de 2 vezes a média climatológica para o mês de setembro.

Instabilidade persiste

A situação no litoral de Pernambuco e da Paraíba preocupa porque a chuva não deve parar nesta segunda-feira. A previsão é de que estas áreas de instabilidade fiquem paradas na costa leste do Nordeste e provoquem mais chuva também nas capitais destes Estados. A chuva constante, às vezes com moderada intensidade, se acumula e pode causar alguns transtornos para a população Não há expectativa de raios e nem de ventania, mas pode haver alguns alagamentos. Outras áreas do litoral e da zona da mata entre Sergipe e a Paraíba podem ter chuva constante nesta segunda-feira, às vezes com moderada intensidade.

As áreas de instabilidade devem enfraquecer na terça-feira.

Confira o volume de chuva acumulado entre 9h de 7 de setembro e 9h de 8 de setembro, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

João Pessoa (PB): 89,6 mm

Recife (PE): 71,6 mm

Maceió (AL): 29,0 mm

Aracaju (SE): 5,4 mm

 

Mar agitado

O mar ainda está bastante agitado na costa leste do Nordeste. Durante a manhã da segunda-feira, a agitação mais intensa no mar deve ocorrer entre Sergipe e Pernambuco, com ondas com até 2 metros. No decorrer da tarde, as ondas devem diminuir.

Muita instabilidade entre Salvador e João Pessoa
domingo, 7 de setembro de 2014

A recente passagem de uma frente fria pelo litoral da Bahia estimulou a formação de áreas de instabilidade na costa leste do Nordeste. Desde a sexta-feira, nuvens carregadas estão se espalhando pelo litoral leste nordestino provocando chuva constante e em algumas horas com moderada intensidade.

Estas áreas de instabilidade se intensificaram e neste domingo a situação meteorológica entre Salvador e João Pessoa merece mais atenção. A chuva constante, às vezes com moderada intensidade, se acumula no decorrer deste domingo e pode causar alguns transtornos para a população. A chuva mais persistente e volumosa ao longo deste domingo ocorre entre Maceió e João Pessoa. Não há expectativa de raios e nem de ventania, mas pode haver alguns alagamentos de pequena a média dimensão.

 

Confira o volume de chuva acumulado entre 8h de 5 de setembro e 8h de 6 de setembro, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

João Pessoa (PB): 26,4 mm

Recife (PE): 22,4 mm

Maceió (AL): 15 mm

Aracaju (SE): 1,4 mm

Salvador (BA): 2,8 mm

 

Mar agitado

Além da chuva, o mar agitado na costa leste do Nordeste vai ajudar a manter a população afastada das praias. As ondas neste domingo podem ter picos com até 2 metros entre da Bahia a Paraíba. Durante a noite deste domingo, na madrugada e manhã da segunda-feira, a agitação mais intensa no mar deve ocorrer entre Sergipe e Pernambuco, com ondas com até 2 metros. No decorrer da tarde, as ondas devem diminuir.

 

Irrigação suspensa em propriedades da PB
segunda-feira, 11 de agosto de 2014

O período chuvoso está acabando no estado da Paraíba. Em muitas propriedades a irrigação teve que ser suspensa pois a quantidade de água não foi o suficiente para recarregar os reservatórios. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.