Posts com a Tag ‘recorde de frio’

+ aumentar e diminuir fonte -
Grande SP: sol, seca e mais poluição
quarta-feira, 30 de julho de 2014

A forte massa polar que gelou o centro-sul o Brasil no fim de semana passado se afasta cada vez mais do pais facilitando a elevação da temperatura também na Grande São Paulo.

Uma massa de ar seco está se intensificando sobre o interior do Brasil e a queda dos níveis de umidade relativa do ar já pode ser percebida também na região da capital paulista.

O gráfico mostra como a temperatura subiu e a umidade baixou na região do Campo de Marte, na zona norte da cidade de São Paulo.

 

 

Nos próximos dias, a Grande São Paulo fica ainda mais seca e quente. Não há previsão de passagem de nova frente fria sobre a cidade pelo menos até a segunda-feira.

 

Recorde de frio e mais poluição

A diminuição da umidade reduz também a quantidade de nuvens. As noites com menos nuvens ficam mais frias e São Paulo poderá ter novo recorde de madrugada mais fria do ano até o fim da semana. Até o dia 30 de julho, a menor temperatura registrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia foi de 9,6°C, em 4 de junho.

Os ventos estão enfraquecendo  sobre a Grande São Paulo, o que vai ajudar a aumentar a concentração de poluentes.

 

Você sabe o que tem no ar que você respira? 

 

Entenda o que é subsidência e inversão térmica e como estes fenômenos interferem na qualidade do ar

 

 

Sampa, Rio, BH,Vitória: risco de recorde de frio na 5ªF
quarta-feira, 30 de julho de 2014

A madrugada desta quarta-feira, 30 de julho, foi a mais fria do ano em Belo Horizonte, capital de Minas Gerais. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou a temperatura mínima de 11,6°C. O recorde anterior era de 12,1°C, em 13 de maio.

Vitória, capital do Espírito Santo, também teve recorde de frio nesta quarta-feira. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou a temperatura mínima de 17,3°C que igualou o recorde de 15 de julho. A cidade teve ontem a tarde mais fria de 2014, com temperatura máxima de 20,8°C.

Mas novos os recordes de madrugadas frias podem ocorrer no Sudeste nos próximos dias. O ar está ficando mais seco no Sudeste, o que diminui a nebulosidade também durante a noite nos próximos dias.

A falta de nebulosidade no período noturno faz com que a perda de calor na atmosfera seja mais acentuada. O ar se resfria mais na madrugada.

A forte massa polar gelou no Sudeste no último fim de semana já está no mar e se afasta cada vez mais do Sudeste, mas novos recordes de frio podem ocorrer por causa do efeito de subsidência, um movimento de ar de cima para baixo provocado por sistemas de alta pressão amosférica.

Entenda o que é a subsidência

 

 

Confira os atuais recores de frio nas capitais do Sudeste

 

Noites mais frias

O sol reapareceu forte por quase todo o Sudeste do Brasil nesta quarta-feira e a temperatura à tarde fica agradável, depois das tardes muito firas do último fim de semana de julho. Porém, a noites ficam mais frias nos próximos dias por causa da diminuição da nebulosidade. Assim, enquanto as tardes vão ficam mais quentes no Sudeste, as noites  ficam mais frias e mais  recordes podem ocorrer nos próximos dias nas capitais do Sudeste. Também há possibilidade de geada nas cidades mais altas da serra da Mantiqueira e até em algumas cidades serranas do Rio de Janeiro.

Sudeste terá geada e recordes de frio até o fim da semana
terça-feira, 29 de julho de 2014

Recordes de frio nas capitais

O fim de semana passado foi marcado por frio muita umidade e frio no Sudeste do Brasil. O tempo chuvoso e a forte presença do ar polar derrubaram a temperatura. As capitais São Paulo, Rio de Janeiro e Belo Horizonte registram recordes de frio e tiveram as tardes mais frias do ano. A falta do sol e ar polar impediram a elevação da temperatura ao longo do dia.

O ar polar intenso está sobre o mar e se afasta cada vez mais do Brasil no decorrer da semana, o que vai facilitar a elevação da temperatura. Mesmo assim, a Região Sudeste ainda deve terá novos recordes de frio. Desta vez, os recordes devem ser de madrugadas mais frias do ano. Nos próximos o “cobertor de nuvens” vai sair do Sudeste..

Veja os atuais recordes de frio das capitais do Sudeste

 

 

Geada

A sensação de frio persiste à noite, mas as tardes vão ficando cada vez mais quentes. As próximas noites serão mais geladas no Sudeste e há possibilidade de geada nas cidades mais altas da serra da Mantiqueira, na divisa de São Paulo, com o sul de Minas Gerais e o sul do Rio de Janeiro. Mas há uma possibilidade de geada também em cidades serranas fluminenses como Nova Friburgo

Confira a previsão para a Região Sudeste e veja a tendência da temperatura para São Paulo, Belo Horizonte, Rio de Janeiro, VitóriaCampos do Jordão, Monte Verde e Nova Friburgo

 

A meteorologista Josélia Pegorim explica porque o Sudeste terá noites mais geladas e possibilidade de recorde de frio.

 

 

Entenda o que é subsidência do ar e inversão térmica

 

Buraco de céu azul aparece em São Paulo
terça-feira, 29 de julho de 2014

Ele já era esperado para esta terça-feira, depois de quatro dias nublados e chuvosos na cidade de São Paulo. O buraco de céu azul que os meteorologistas da Climatempo previram apareceu no céu por volta das 11h30 da manhã desta terá-feira, 29 de julho, na região do bairro da Vila Mariana, na região central-sul da capital paulista.

Esta foto é real! Não é montagem! A meteorologista Josélia Pegorim olhou para céu na hora certa e capturou o legítimo buraco de céu azul.

 

 

Além do pedacinho de céu azul foi possível ver também o disco solar, entre muitas nuvens.

 

 

Tudo isto indica que  umidade e a nebulosidade começam a diminuir sobre a Grande São Paulo. Não dá para esperar ainda por uma bela tarde de céu azul, mas o processo de secagem do ar continua nos próximos dias a nebulosidade vai diminuir cada vez mais.

A partir desta quarta-feira, a população da Grande São Paulo verá o sol aparecendo com mais força, depois da névoa e do nevoeiro de manhã cedo

Tarde mais quentes, madrugadas geladas

O sol e o afastamento do ar polar intenso vão permitir uma rápida elevação da temperatura no decorrer da semana. As tardes vão ficando cada vez mais quentinhas, mas as madrugadas seguem frias.

É possível que São Paulo tenha um novo recorde de frio na madrugada de quinta-feira. Pelos registros do Instituto Nacional de Meteorologia, a menor temperatura na cidade até agora foi de 9,6°C, em 4 de junho.

 

 

Chuva para no RJ, mas frio aumenta na madrugada
segunda-feira, 28 de julho de 2014

Todo o Estado do Rio de Janeiro ainda passou esta segunda-feira sob a influência das áreas de instabilidade deixadas por uma frente fria, que mudou o tempo no fim da semana passada. A forte presença do ar polar e o tempo chuvoso derrubaram a temperatura. Em cidades serranas, a temperatura nesta segunda-feira não passou dos 16°C. Na cidade do Rio, a temperatura máxima ficou em torno dos 22°C.

A grande massa de ar polar que provoca ventos frios e úmidos sobre o Rio de Janeiro vai se afastando do Brasil nos próximos dias. Os ventos vão mudar aos poucos de direção e a infiltração de umidade vai diminuir. Este processo começa a ser percebido nesta terça-feira, mas cariocas e fluminenses não devem esperar ainda por um belo dia de sol. A chuva para e o sol até pode aparecer no decorrer do dia, mas de forma tímida.

Até o fim da semana, o ar seca e até esquenta à tarde, mas as madrugadas ficam mais geladas. A cidade do Rio de Janeiro deve bater novo recorde de frio no fim da semana, tendo a madrugada mais fria do ano. Até agora, a menor temperatura foi de 12,0°C, em 29 de abril.

 

Massa de ar polar se afasta do RJ no decorrer da semana. Ventos mudam de direção fazendo com que a umidade diminua.

 

Confira a tendência da temperatura para o decorrer da semana

 

Geada na Mantiqueira

Cidades serranas do sul do Estado do Rio, como Visconde de Mauá, poderão ter geada no fim da semana. A diminuição das nuvens à noite vai acentuar o resfriamento noturno. A chance de gear em cidades como Nova Friburgo não pode ser completamente descartada.

Veja a previsão da temperatura para Visconde de Mauá

Um pouco de sol para São Paulo
segunda-feira, 28 de julho de 2014

Tudo demais faz mal. Nas coisas do tempo também assim. Frio, sol, calor, chuva são todos bons, mas na dose certa.

A população da Grande São Paulo, e de quase todo o Estado de São Paulo, está sem ver o sol desde a sexta-feira, quando as áreas de instabilidade de uma grande frente fria ficaram mais fortes sobre o Estado. E para deixar o ar ainda mais impregnado de umidade, os ventos de uma grande massa polar que está sobre o mar sopram constantes e moderados durante todo o fim de semana.

Quando sol vai voltar?

O sol vai voltar, mas ainda devagar. É preciso esperar a grande massa de ar polar que está sobre o mar se movimentar para que os ventos mudem de direção. A Grande São Paulo já poderá ter um pouco sol na tarde desta terça-feira. A partir de quarta-feira, uma massa de ar seco começa a ganhar força sobre São Paulo e o vento fica menos úmido. A umidade e as nuvens diminuem e vamos terminar a semana sentindo até um calorzinho.

 


Recorde de frio 

Sem o sol e com a presença do ar polar, a cidade de São Paulo, esfriou muito. Os termômetros no fim de semana não passaram dos 16°C e esta segunda-feira foi parecida. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou a temperatura máxima de apenas 16,1°C. No domingo, a máxima foi de 15,4°C e no sábado, 15,2°C, a menor máxima de 2014 até agora.

Com a diminuição das nuvens à noite, o frio da madrugada aumenta. Assim, ainda poderemos ter recorde de frio!

Confira a tendência da temperatura em São Paulo.

 

Recordes de frio em Belo Horizonte, Brasília e Goiânia
segunda-feira, 28 de julho de 2014

Recordes de frio em Belo Horizonte, Brasília e Goiânia

A tarde do domingo, 27 de julho foi a mais fria de 2014 nas capitais Belo Horizonte (MG), Goiânia (GO) e na capital federal, Brasília.

Em Belo Horizonte e também em Goiânia, o recorde de menor temperatura máxima deste não foi batido por dois dias consecutivos, no sábado e em seguida no domingo.

Veja quais são os atuais recordes de menor temperatura máxima e menor temperatura mínima, até o dia 27 de julho, nas capitais do Sudeste e do Centro-Oeste, pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia nas estações meteorológicas convencionais de controle.

 

 

 

 

Mais recordes de frio esta semana

As tardes frias do último fim de semana de julho foram as mais frias do ano até agora em grande parte do Sudeste e do Centro-Oeste por causa da combinação de ar polar e da falta do sol. A grande frente fria que entrou no Brasil na semana passada deixou suas nuvens de chuva e o ar polar espalhados sobre estas regiões no fim de semana.

Mas ainda poderemos ter mais recordes de frio no decorrer desta semana, mas serão de madrugadas mais frias de 2014. Com a diminuição da nebulosidade, as noites vão ficar mais frias.

A madrugada desta segunda-feira pode ter sido a mais fria do ano em Brasília. A confirmação virá só depois das 10 horas da manhã.

Rio de Janeiro: chuva diminui, mas calor não volta ainda
domingo, 27 de julho de 2014

Rio de Janeiro começa a semana sem sol

Depois de bater recorde de tarde mais fria do ano, o Rio de Janeiro começou a semana debaixo de muita chuva.

As áreas de instabilidade de uma frente fria, que já estavam sobre o Rio de Janeiro, foram reforçadas no domingo com a chegada de outra frente fria. Isto intensificou os ventos marítimos que jogaram ainda mais umidade sobre o Rio, alimentando as nuvens.

 

 

As áreas de instabilidade enfraquecem nesta segunda-feira e o tempo fica menos instável. O Grande Rio ainda terá um dia nublado, com chuva, mas de fraca intensidade. A temperatura continua amena. O sol reaparece no Rio só a partir de terça-feira.

Confira a previsão para a cidade do Rio de Janeiro. A semana deve terminar recorde de frio na madrugada e tarde quente.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, a tarde do sábado, 26 de julho, foi a mais fria no Rio de Janeiro com temperatura máxima de 20,1°C. O recorde aconteceu com a combinação de ar polar forte e falta de sol.

Veja os recordes deste fim de semana nas capitais do Sudeste.

 

Quando São Paulo vai esquentar?
domingo, 27 de julho de 2014

O último fim de semana de julho foi com uma das maiores sensações de frio do ano no Estado de São Paulo. Não por causa de temperaturas extremamente baixas à noite, mas pelas tardes frias. A combinação de ar polar com a falta do sol deixou uma sensação de muito frio. Foi culpa do excesso de umidade.

Quando vai esquentar?

O ar polar intenso vai se afastando do Brasil no decorrer da semana, o que vai facilitar a elevação da temperatura em todo o país.

Agora, compare as duas imagens de satélite. A da esquerda, das 5h45 do domingo,  mostra uma quantidade de nuvens muito maior sobre o Estado de São Paulo do que a direita, das 17h35 do domingo. As nuvens mais densas, com chuva, aparecem nos tons de azul e verde.

 


A nebulosidade e a chuva diminuem sobre todas as regiões paulistas. A semana começa úmida, mas vai terminar seca. Prepare-se para o chamado “efeito cebola” no fim da semana.

 

Novo recorde de frio na cidade de São Paulo

Vai esquentar em São Paulo especialmente a partir de quarta-feira. Só que ainda poderemos ter recorde de frio na cidade de São Paulo, desta vez de madrugada mais fria do ano. Vem aí, noites sem nuvens! A menor temperatura de 2014, segundo do Inmet, foi de 9,6°C, em 4 de junho.

 

Tarde mais fria do ano

A cidade de São Paulo teve recorde de temperatura menor temperatura máxima no sábado, 26 de julho, com máxima de 15,2°C, segundo a medição do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona da capital paulista. O domingo foi quase igual, com temperatura máxima de 15,4°C.

Veja o gráfico da tendência da temperatura para São Paulo no decorrer da semana.

 

Saiba mais sobre sensação térmica

 

 

Frente fria causa recorde de frio em Brasília
domingo, 27 de julho de 2014

A tarde do domingo, 27 de julho, foi a mais fria de 2014 até agora em Brasília. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou a temperatura máxima de apenas 20,1°C. O recorde anterior de menor temperatura máxima era de 21,4°C, em 3 de abril. Mas na sexta-feira, dia 25, já sob os primeiros efeitos da frente fria, a temperatura máxima baixou para 21,5°C.

Brasília também sentiu as mudanças no tempo provocadas pela grande e forte frente fria que invadiu o Brasil nos últimos dias. Neste domingo, a frente fria provocou grande aumento de nuvens, chuva fraca, e fortes rajadas de vento, de origem polar, sobre a região da capital federal, o que impediu a elevação da temperatura.

Veja como variou a temperatura máxima nos últimos dias em Brasília

 

 

Até a terça-feira, o Distrito Federal ainda vai sentir alguma influência desta frente fria. Mas entrando em agosto, tudo volta ao normal: secura.

Confira a tendência dos níveis de umidade na região do Distrito Federal, nas próximas 48 horas.

 

 

Aprenda um pouco mais sobre massas polares e frentes frias.