Posts com a Tag ‘Região Sudeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Frente fria permanece no Sudeste
sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

Uma nova frente fria entrou no Sudeste e alcançou o litoral do Rio de Janeiro. A presença desta frente fria estimulou a formação de nuvens carregadas sobre São Paulo, Rio de Janeiro e no centro-sul de Minas Gerais. Algumas nuvens de chuva conseguiram se formar até no extremo sul do Espírito Santo.

Esta frente fria vai ficar próxima ao litoral do Estado do Rio de Janeiro até o domingo e depois se afasta para alto-mar. Até lá, mais nuvens de chuva se formam por quase todo  Sudeste. Ventos marítimos levam mais umidade para o interior da Região e ajudam a formar as nuvens. Mas a chance de chuva sobre o Espírito Santo e na região do vale do rio Doce do Jequitinhonha ainda é baixa. As demais áreas do Sudeste podem ter até temporais.

 

 

Menos calor e mar agitado

Ar polar refresca São Paulo, o Rio de Janeiro e o centro-sul mineiro neste sábado, mas se afasta no domingo e volta a esquentar. Porém, o calor não voltará intenso como na semana passada.

O mar fica um pouco agitado no fim de semana, Algumas ondas nas praias de São Paulo e do centro-sul do Rio de Janeiro podem passar de 1,0 metro.

Confira como será a chuva no Sudeste nos próximos dias

 

 

Itajobi (SP) 28-1-2015 por Luis Carlos Sperandio

 

Ache a sua onda e a sua tribo no Climasurf 

Participe da campanha BR: vida sem água. Dê seu depoimento!

Como ficarão a chuva e a temperatura em fevereiro ?

Chuva=água=energia: entenda porque economizar energia é também economizar água

 

 

Janeiro de 2015 está entre os mais secos de BH
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A seca que afeta o Sudeste do Brasil se agrava a cada dia em Minas Gerais, que já tem 50 cidades em racionamento oficial. Os problemas começaram há um ano, no verão de 2013/2014 que deveria ser de chuva, mas foi de seca. Na Região Sudeste, o trimestre dezembro-janeiro-fevereiro é o mais chuvoso do ano. Os volumes de chuva históricos mensais são muito elevados, especialmente em janeiro, muitas vezes se aproximando ou até superando os 300 mm.

 

 

A região de Belo Horizonte também vive o drama da seca. O ano de 2014 ficou entre os cinco mais secos já observados na capital mineira, em mais de 100 anos de medições do Instituto Nacional de Meteorologia.

O bloqueio atmosférico provocado pela ASAS  – alta pressão subtropical do Atlântico Sul – atuou fortemente sobre Minas Gerais até o dia 21 de janeiro, deixando grande parte do Estado com pouca ou nenhuma chuva. O bloqueio foi quebrado com uma frente fria que chegou ao litoral de São Paulo no dia 21 de janeiro.

 

 

Por causa deste bloqueio, até o dia 21 de janeiro não havia chovido em Belo Horizonte.  As pancadas de chuva voltaram com o enfraquecimento do bloqueio e já choveu 53,0 mm entre os dias 22 e 26. Mas é muito pouco para uma média de quase 300 mm. Apesar da previsão de mais chuva até o fim do mês, janeiro deve terminar com chuva muito abaixo da média em Belo Horizonte. Não será o janeiro mais seco, mas tem uma grande chance de ficar entre os 10 janeiros mais secos desde 1910.

Reservatórios

Sem a chuva do verão, que é volumosa e recompõe as reservas de água das represas, os reservatórios que abastecem a Grande Belo Horizonte também estão secando. O Sistema Paraobeba tinha apenas 30% de armazenamento, segundo a Copasa, em 26 de janeiro. As pancadas de chuva devem ocorrer nos próximos dias, mas de forma irregular. Além de nem sempre caírem dentro dos reservatórios, o que seria ideal, õ volume de chuva acumulado até o fim do mês ficará muito abaixo da média. A perda por causa do calor é grande.

 

 

Confira a previsão para os próximos 15 dias

 

 

Sudeste terá mais chuva esta semana

Fotografe a chuva!

Saiba como se proteger dos raios!

Entenda o bloqueio atmosférico de 2015

 

Sudeste tem mais chuva esta semana
segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

A semana começou com temporais em várias áreas de São Paulo, Minas Gerais e do Rio de Janeiro, mesmo sem a presença de nenhum sistema meteorológico especial para aumentar as condições para chuva. Calor e disponibilidade de umidade formaram aglomerados de nuvens carregadas que provocaram chuva forte, com muitos raios e rajadas de vento.

 

São Carlos (SP) 26-1-2015 por Leticia de Oliveira

 

Segundo do Instituto Nacional de Meteorologia,  o sul de Minas, choveu quase 95 mm em Maria da Fé entre 18h do dia 25 e 18h de 26 de janeiro. Na mesma região e no mesmo período, Monte Verde acumulou 67 mm. Em Unaí choveu 31 mm 13h e 14h.

 

 

No Estado de São Paulo, choveu 78 mm sobre Sorocaba e 75,6 mm sobre Barueri, sendo que a chuva caiu toda a na madrugada do dia 26. No fim da tarde, a chuva caiu forte sobre Franca deixando um acumulado de 43 mm em apenas 3 horas de chuva. Em Barra do Turvo choveu 38 mm em 1 hora, entre 19h e 20h.

Ainda em São Paulo, a cidade de Bauru teve rajadas de vento de 103 km/h às 19h55.

Mais chuva

Até a quarta-feira, o calor e a umidade do ar elevada serão os principais responsáveis pela ocorrência de chuva sobre o Sudeste. As pancadas podem ser fortes, mas devem ocorrer preferencialmente sobre São Paulo, no centro-sul do Rio de Janeiro, incluindo o Grande Rio, e no centro-sul e oeste de Minas Gerais, incluindo a região da Grande Belo Horizonte. Por enquanto, as áreas menos favorecidas com a chuva será o norte e nordeste de Minas Gerais, região do rio Doce e do rio Jequitinhonha e o Espírito Santo.

Uma nova frente fria começa a influenciar Sudeste entre a tarde e a noite de quinta-feira, 29 de janeiro, e passa pelo litoral do Rio de Janeiro no próximo fim de semana. Esta frente fria terá força para estimular chuva por todo o Sudeste. Nos primeiros dias de fevereiro, outra frente fria vem reforçar a condições para chuva e deve atuar com força sobre o Espírito Santo e o norte mineiro.

 

 

 

Sem ASAS

Uma mudança recente na circulação dos ventos e na pressão atmosférica facilitou a formação das nuvens: a ausência da atuação da ASAS – alta pressão subtropical do Atlântico Sul –, um sistema meteorológico que atuou forte sobre o Sudeste até o dia 20 de janeiro causando um bloqueio atmosférico. Além de impedir a chegada das frentes frias ao Sudeste, a ASAS dificultava o crescimento das nuvens. O bloqueio atmosférico foi quebrado com uma frente fria que chegou ao litoral de São Paulo no dia 21 e janeiro.

Apesar do enfraquecimento do bloqueio, a chuva no Sudeste está muito abaixo da média para janeiro. Faltam poucos dias para terminar o mês e não há mais chance de recuperação. Janeiro, o primeiro ou o segundo mês normalmente mais chuvoso no Sudeste, termina devendo muita chuva.

 

Frente fria traz chuva para o Sudeste
segunda-feira, 19 de janeiro de 2015

A semana começou muito quente e seca no Sudeste e em parte do Centro-Oeste. O calor chegou aos 41°C nesta segunda-feira em Mato Grosso do Sul e quase 40°C no interior de São Paulo. Recordes de calor voltaram a ser registrados nas capitais São Paulo e em Brasília. Goiânia também teve recorde de calor no fim da semana, mas a chuva ficou longe, com níveis de umidade entre 20% e 30%, muito baixos para esta época.

Uma grande frente fria chega ao Brasil associada com uma massa polar que terá força para enfraquecer a massa quente e seca que vem predominando sobre o país. Esta nova frente fria vai ajudar a formar mais nuvens e estimular a ocorrência de chuva inclusive na Região Sudeste nos próximos dias. A previsão é de que esta nova frente fria avance nesta terça-feira até o litoral de Santa Catarina e na quarta-feira, 21, já esteja no litoral paulista. 

Temporais no Sul

O calor e o avanço desta frente fria, com seu ar polar entrando em choque com o calor intenso no centro-sul do Brasil, forma nuvens muito carregadas sobre a Região Sul. A situação é de alerta para temporais nos três estados nas próximas 48 horas.

O Rio Grande do Sul e parte de Santa Catarina já estão com chuva acima do normal em janeiro, mas na Região Sudeste, onde janeiro normalmente é com muita chuva, a deficiência de chuva ainda é muito grande. Esta frente fria vai trazer chuva para o Sudeste e um ar fresco aliviando o calor, mas não será para todos.

Quando começa a chover? Confira as informações com a meteorologista Josélia Pegorim

 

 

Confira a previsão para o Brasil para 15 dias 

ASAS enfraquece e ar polar entra no Brasil 

Tarde de 19/1/2015 foi a sexta mais quente em São Paulo em 72 anos  

 

 

Chuva no horizonte de Birigui (SP) , 19-11-2014 por Rafael

 


Quando o bloqueio da ASAS será rompido?
quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

Pelo segundo verão consecutivo, a alta subtropical do Atlântico Sul (ASAS) atua de forma atípica sobre Brasil. Este sistema de alta pressão atmosférica gera um bloqueio que altera o caminho natural das frentes frias. A circulação dos ventos gerada pela ASAS afasta as frente frias para alto mar no extremo sul do Brasil impedindo que o ar polar chegue ao Sudeste. As temperaturas acima do normal, níveis de umidade muito baixos para os padrões do verão, a redução da chuva são efeitos do bloqueio atmosférico.

Os estados do Sudeste e do Centro-Oeste são os que mais sentem s efeitos negativos do bloqueio. Para mudar a situação, romper o bloqueio da ASAS é preciso surgir uma massa polar forte, que também é um sistema de alta pressão.

Na próxima semana, espera-se a chegada de uma frente fria com força suficiente para interromper este bloqueio. Entre os dias 20 e 21 de janeiro, este sistema deve alcançar o litoral da Região Sudeste estimulando chuva por vários dias.

 

Mas será que a chuva será generalizada? A meteorologista Josélia Pegorim explica como ficará a chuva no Sudeste até o fim de janeiro.

 

Sensação térmica passa dos 40°C no Brasil
sexta-feira, 9 de janeiro de 2015

A sensação de calor na tarde desta sexta-feira, 9, passava 40°C em diversas áreas de todas as Regiões do Brasil. Além do sol forte, os níveis de umidade em geral acima dos 50% foram responsáveis pelas elevadas sensações térmicas. Em Joinville, na região catarinense do vale do Itajaí, a sensação térmica na tarde de 9 de janeiro voltou a alcançar os 43°C, no aeroporto local. Por volta das 15 horas, a temperatura real do ar era de 34°C e umidade relativa do ar de 63%.

O mapa mostra as temperaturas reais (à esquerda) e a sensação térmica (ST, à direita) em alguns locais do Brasil, às 3 horas da tarde, nos aeroportos das cidades.

 

O que é a sensação térmica?

A sensação térmica é uma temperatura calculada por fórmulas físico-matemáticas e corresponde às mudanças caudadas pelo excesso de umidade ou ventos fortes. No caso do calor, calcula-se o que chamamos de índice de calor (“health index, em inglês). De forma geral, o ar úmido aumenta a sensação de calor e de frio. O ar mais úmido traz a sensação de mais abafamento.

 

Ar seco diminui o calor

A comparação entre Pelotas, no Rio Grande do Sul, e a cidade do Rio de Janeiro é um ótimo de como o nível de umidade do ar determina a sensação térmica. Na cidade de Pelotas, no sul do Rio Grande do Sul,  a temperatura real do ar era  33°C no aeroporto local, às 15 horas. Mas elevada umidade relativa do ar, de 63%, fez com que a sensação de calor chegasse aos 42°C.

Já no Rio de Janeiro, a umidade do ar muito baixa reduziu o calor. No aeroporto Tom Jobim, às 15 hora, o nível de umidade era de apenas 20%, o que reduziu a sensação de calor para 36°C, mas a  temperatura real era de 38°C.

 

Sul muito úmido, Sudeste e Centro-Oeste mais secos

No fim de semana, a população da Região Sul terá horas de grande abafamento. A circulação dos ventos sobre o Brasil vai forçar uma concentração de umidade sobre as Regiões Sul e Norte. Sem a presença de ar polar e com os elevados níveis de umidade do ar, a sensação de calor será muito grande. Em muitos locais, como ocorreu esta semana, a sensação térmica vai passar dos 40°C. Em alguns locais, a temperatura real do ar pode passar dos 40°C, o que não é comum em janeiro.

Já no Sudeste, no Centro-Oeste e em grande parte do Nordeste, a tendência de redução de umidade do ar no fim de semana vai fazer com a sensação de calor, de abafamento diminua.

 

Saquarema (RJ) 25-12-2014 por Helio C Vita

Bloqueio atmosférico

O sistema de alta pressão do Atlântico Sul (ASAS) se intensifica sobre o Brasil e gera uma nova situação de bloqueio atmosférico. Pelo menos até da próxima semana, o ar polar das frentes frias será desviado para o mar e não vai conseguir se espalhar nem sobre o Sul do Brasil. Assim, o Brasil vai continuar muito quente. A redução da nebulosidade e das condições para chuva causada pela atuação do sistema de alta pressão vai permitir que o sol apareça forte muito um maior número de horas.

O que é a ASAS?

O novo bloqueio é o igual ao do verão de 2014, que gerou a seca que vivemos atualmente?

Entenda o que é a sensação térmica 

 

Sem chuva, calor no Rio de Janeiro passa dos 40°C
quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

É isto que está sendo esperado para a região do Grande Rio nos próximos dias: calorão, céu azul quase sem nuvens o quase o dia todo e para aumentar a fornalha, pouco vento.

Muitas pessoas vão achar que estas condições de tempo são perfeitas para quem está de férias e para todo o movimento turístico, que normalmente é mais intenso nesta época do ano. Isto é verdade, mas o calor dos próximos dias vai incomodar, vai fazer muita gente torcer por nuvens carregadas.  A falta de chuva e o ar parado vão aumentar a sensação de calor até o fim da semana. Sem as nuvens, o sol vai ficar forte o dia todo, sem sombra para aliviar um pouco o calor.

Mais de 40°C

Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a temperatura máxima na cidade do Rio nesta quarta-feira foi de 36,3°C. O recorde atual de calor de 2015 é de 40,9°C, em 2 de janeiro. Mas a sensação térmica nesta quarta-feira chegou aos 40°C e nos próximos dias, a temperatura real do ar e sensação térmica devem superar a marca dos 40°C.

Confira a previsão das temperaturas para os próximos dias no Rio de Janeiro

 

Por que tanto calor?

Janeiro normalmente já um mês de bastante calor no Grande Rio. As pancadas de chuva da tarde e da noite refrescam. Em alguns janeiros, grandes áreas de chuva podem persistir sobre o Sudeste e provocam muita chuva. Tem também a passagem das frentes frias que trazem um pouco de ar polar que se mistura com o ar muito quente de janeiro e amenizam o calor.

Mas quando ocorre uma situação de bloqueio na atmosfera, o ar seca, as frentes frias não chegam ao Rio, o ar fica parado. O sol domina completamente o pedaço e aí mantém a fornalha noite e dia. As temperaturas ficam bastante elevadas com muitas horas de sol forte.

A ASAS – Alta subtropical do Atlântico Sul – está se intensificando sobre o Brasil. É este sistema que causa o bloqueio atmosférico que afasta as frentes frias. A situação é parecida com a que ocorreu no verão do ano passado, mas desta vez o bloqueio não será tão intenso e não deve se prolongar por tanto tempo. Mesmo assim, o Grande Rio terá pela frente mais ou menos uns 10 dias de calorão e pouquíssima chance de chuva.

 

Dias ensolarados nas praias do Sudeste

RJ, MG e ES serão os mais afetados pelo bloqueio da ASAS 

Desidratação é um dos perigos do verão

Raios UV e o seu tipo de pele

Dias ensolarados nas praias do Sudeste
quarta-feira, 7 de janeiro de 2015

Quem está de folga no litoral da Região Sudeste pode aproveitar o sol forte desta quarta-feira. A nebulosidade diminuiu em toda a costa com o afastamento de uma frente fria. As imagens de satélite do começo da manhã mostraram um pouco mais de nebulosidade no litoral do Espírito Santo e no norte do Estado do Rio, mas eram apenas nuvens altas, que não provocam chuva.

 

A tarde desta quarta-feira promete ainda muito sol e calorão, com temperaturas que devem superar os 32°C nas praias de São Paulo, do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Para o fim da tarde, há possibilidade de algumas rápidas pancadas de chuva apenas no litoral de São Paulo e no sul fluminense, onde estão Paraty e Angra dos Reis

 

Ubatuba (SP): praia Grande ensolarada em 7-1-2015 por Thiago Osny

Fim de semana ensolarado

Se você se programou para curtir uma praia no próximo fim de semana, prepare-se para dias com sol muito forte e um calor que deve incomodar. Depois de horas na praia, uma nuvem para fazer sombra é sempre bom. Mas neste fim de semana, com a forte atuação de um sistema de alta pressão atmosférica, a quantidade de nuvens será pequena. O risco de chuva e de raios também é baixo e considerado só para o fim da tarde no litoral paulista. Assim, o fim de semana promete céu azul, sol de rachar e pouca onda.

Fique atento aos perigos causados pelo excesso de sol. A insolação um deles.

 

 

Desidratação é um dos perigos do verão

Por que o risco de raios vai diminuir nos próximos dias?

Raios UV e o seu tipo de pele

Sudeste tem mais calor e pouca chuva no fim de semana
sexta-feira, 26 de dezembro de 2014

O aumento do calor e a redução da umidade provocada pela intensificação da ASAS (alta pressão subtropical do Atlântico Sul) sobre a Região Sudeste foi percebida em todos os Estados nesta sexta-feira. Houve uma grande diminuição da nebulosidade e também da ocorrência de pancadas de chuva.

 

O tom de marrom indica pouca ou nenhuma nebulosidade. A manchas em verde, azul e amarelo são nuvens. Em São Paulo, a maior parte da nebulosidade é de nuvens altas que não provocam chuva.

 

Temperaturas entre 33°C e 36°C foram observadas em diversas áreas do interior de São Paulo, no oeste e norte de Minas Gerais, no litoral e interior do Rio de Janeiro e do Espírito Santo. Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, na cidade de São Paulo, a temperatura chegou aos 32,7°C e no Rio de Janeiro aos 35,6°C. Os aeroportos de Belo Horizonte registraram 32°C e em Vitória o INMET registrou 32,3°C.

Fim de semana de 40°C

Os impactos da atuação da ASAS continuam a ser sentidos por todo o Sudeste no primeiro fim de semana do verão. Com a diminuição da nebulosidade e da chuva, o calor aumenta. A expectativa é de que a temperatura alcance até 40°C no litoral do Rio de Janeiro, especialmente na região da cidade do Rio, e de São Paulo até o domingo. Temperaturas em torno dos 36°C devem ser observadas em muitas áreas do interior dos Estados. A sensação térmica poderá superar os 40°C especialmente nas praias.

Apesar do calor intenso, pouca chuva está prevista por causa da redução da umidade.

Veja a previsão das ondas na sua praia no Climasurf

 

 

Última frente fria de 2014

A última frente fria de 2014 vai avançar pelo litoral de São Paulo e do Rio de Janeiro na segunda-feira, dia 29. Mas esta frente fria não terá força para vencer a massa quente e seca que se intensifica sobre o Sudeste. A passagem da frente fria aumenta a nebulosidade e as condições para chuva especialmente em São Paulo, no centro-sul do Rio de Janeiro e de Minas Gerais. Mas sol vai continuar aparecendo por varias horas e o calor continua

 

Maresias, no litoral de SP, com sol forte em 26-12-2014, por Roberta Sáfadi

 

Virada para 2015

A frente fria se afasta no dia 31 de dezembro e a chuva que ocorrer não vai atrapalhar as festas de ano novo.

Confira a previsão completa para a virada para 2015.

 

Por do sol e Saquarema, no litora do RJ - 25-12-2014 por Hélio C Vital

Sudeste mais seco e quente
quarta-feira, 24 de dezembro de 2014

A frente fria que  os últimos dias  trouxe chuva para São Paulo, Rio de Janeiro e para o centro-sul e oeste de Minas Gerais já está se afastando da Região Sudeste, ao largo do litoral do Rio de Janeiro. A chuva deste sistema praticamente não atingiu o norte fluminense, o Espírito Santo e nem o norte de Minas Gerais. O sol forte e o calor predominaram nestas regiões nesta quarta-feira e nos próximos dias, o tempo vai ficar ainda mais quente e seco.  

 

A tendência para os próximos dias, especialmente a partir de sexta-feira, é de que uma forte massa de ar seco avance sobre a Região Sudeste reduzindo a umidade, a nebulosidade e consequentemente as condições para chuva. Assim, a última semana de 2014 promete sol forte e muito calor.

São Tomé das Letras (MG) por Pousada Arco-íris

 

A intensificação desta massa de ar seco está associada com a maior atuação do anticiclone subtropical do Atlântico Sul sobre o Brasil. A região dos Espírito Santo e o norte de Minas Gerais vão ficar mais quentes e secos do que já estão.

Mais calor

Em Belo Horizonte, a temperatura nesta quarta-feira chegou a quase 32°C e em Vitória a quase 33°C.  No Rio de Janeiro, a temperatura nesta quarta-feira chegou aos 30°C, mas em São Paulo, que ficou nublada  e com ar polar, os termômetros não passaram dos 22°C.

O ar polar se afasta também e a com diminuição da nebulosidade, o sol volta forte para São Paulo e todas as outras áreas do Sudeste que ficaram chuvosas nos últimos dias. A temperatura vai subir rapidamente durante esta quinta-feira e pode voltar a se aproximar dos 40°C no Rio de Janeiro no primeiro fim de semana o verão.

 

 

Confira como será a distribuição da chuva sobre o Brasil nos próximos 15 dias. 

 Previsão para o Ano Novo 

Desidratação é um dos perigos do verão 

Raios UV e o seu tipo de pele