Posts com a Tag ‘Rio Grande do Norte’

+ aumentar e diminuir fonte -
Por que não está chovendo na costa leste nordestina?
segunda-feira, 11 de maio de 2015

por Maria Clara Machado

A chuva normalmente retorna a costa leste do Nordeste durante o mês de abril, período em que a região entra na quadra chuvosa. Nesta época, as chuvas acontecem com maior regularidade e se estendem geralmente até o mês de julho. Os estados do Rio Grande do Norte, Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia, contam com esta chuva. Se a chuva não cair nesta época do ano, a situação pode se agravar e muito para estes estados.

O mês de abril de 2015 terminou com a chuva abaixo do normal na costa leste do Nordeste, com exceção da Bahia, que tem recebido chuva mais volumosa com a passagem de frentes frias.  Mas na maior parte da região, dezenas de municípios estão em situação de emergência e aguardam pela chuva que está atrasada.

Segundo último levantamento do Ministério da Integração Nacional, 170 municípios estão em situação de emergência na Paraíba, 153 no Rio Grande do Norte e 126 em Pernambuco.

De acordo com o meteorologista da Climatempo Alexandre Nascimento, as condições do Atlântico e do Pacífico não estão favorecendo a ocorrência de chuvas abundantes sobre a faixa leste nordestina. “A temperatura da água do mar está muito próxima da normalidade, dificultando a formação de áreas de instabilidade”, explica Alexandre. Outro fator é a confirmação da formação do fenômeno El Niño, que também desfavorece a chuva na faixa leste do Nordeste.

Maio ainda será marcado por chuva abaixo do normal e só em junho a chuva deve aumentar especialmente entre Pernambuco e o Rio Grande do Norte.

Acompanhe as explicações sobre o atraso da chuva na costa leste do Nordeste com o meteorologista Alexandre Nascimento:

 

Confira a previsão de chuva para o Brasil nos próximos 15 dias

O El Niño está aí! O que vai mudar no clima do Brasil?

Entenda o fenômeno El Niño

 

Chuva forte no litoral do Nordeste nos próximos dias
sexta-feira, 1 de maio de 2015

Chuva forte em capitais do Nordeste

Os primeiros dias de maio são de atenção para chuvas fortes em várias regiões do litoral do Nordeste, que devem afetar também as capitais Salvador, Recife, João Pessoa, Natal e Fortaleza.

Uma frente fria ainda está ativa no litoral da Bahia e estimula o crescimento de nuvens carregadas no litoral e no interior do Estado. Aglomerados de nuvens carregadas crescem no mar e avançam para o litoral do Nordeste, na altura do Rio Grande do Norte e da Paraíba. As nuvens aparecem como manchas coloridas. Os tons de vermelho representam nuvens com maior potencial para raios e chuva forte.

 

Nos próximos dias, estas nuvens carregadas devem ficar se espalhar por toda a região entre o litoral do Ceará e de Pernambuco. Para as capitais Fortaleza, Natal, João Pessoa e Recife, o risco de chuva forte e de raios já aumenta neste sábado e persiste até a quarta-feira. Para Salvador, o risco de chuva forte e de raios é alto no fim de semana e diminui bastante na segunda-feira, 4 de maio.

A meteorologista Josélia Pegorim mostra a evolução das áreas de instabilidade no litoral do Nordeste.

 

Por que é mais difícil chover sobre Alagoas e Sergipe?

Nordeste tem muita chuva nas próximas 48h
segunda-feira, 23 de março de 2015

Nuvens muito carregadas voltaram a se espalhar sobre o Nordeste provocando chuvas volumosas em diversas áreas da Região, incluindo capitais. O outono é época de chuva em grande parte do Nordeste e temporais são comuns.

Nuvens carregadas da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) avançam novamente sobre o Nordeste trazendo chuva forte, raios e até ventania. No fim da tarde desta segunda-feira, a passagem desta nuvens sobre Fernando de Noronha provocou rajadas de vento de 96 km/h no aeroporto local. A chuva torrencial reduziu a visibilidade para 500 metros. Voltou a chover forte sobre Natal e João Pessoa, que teve alagamentos no fim de semana, começou a noite de segunda-feira com trovoadas.

 

 

ZCIT e frente fria

Pelo menos nas próximas 48 horas, grandes de áreas de instabilidade devem atuar sobre o  Nordeste provocando pancadas de chuva frequentes, com raios e ventos fortes. Há risco de chuva forte que pode causar alagamentos e deslizamento de terra. Nas capitais, há risco de temporais em São Luis, Teresina, Fortaleza, Natal, João Pessoa e Recife.

Além das nuvens carregadas da ZCIT que avançam para o norte do Nordeste, uma frente fria está próxima ao sul da Bahia e ajuda a formar nuvens de chuva na porção sul  do Nordeste.

 

 

Capitais com chuva acima da média

Chuvas frequentes e fortes são comuns em março em muitas áreas do Nordeste. Quase todas as capitais já sofreram com temporais este mês.

Segundo o Instituto Nacional de Meteorologia, João Pessoa, capital da Paraíba, já acumulou 304 mm de chuva em 23 dias, 28% acima da média normal para o mês. Em Recife já choveu quase 275 mm e a média para março fica em torno de 262 mm. Em São Luis o acumulado de março de 324 mm está 23% abaixo da média.

Em Natal já choveu 205 mm, 5% acima da média histórica. Fortaleza acumulou em 23 dias de março quase 317 mm de chuva, volume que está apenas 6% abaixo da média para o mês

Risco de chuva forte em todo o litoral do Nordeste
quinta-feira, 5 de março de 2015

Na sexta-feira (06) são esperados temporais em toda a faixa leste do Nordeste. São esperados grandes volumes de chuva que podem acarretar em alagamentos e inundações. A chuva vem com forte intensidade e há a possibilidade de raios.

Nas imagens do satélite meteorológico é possível ver o avanço das instabilidades para o litoral norte do Nordeste e a chegada de grandes nuvens também do recôncavo baiano até o litoral de Alagoas.

Clique na imagem e veja o satélite para todo o Brasil

A presença da Zona de Convergência Intertropical (ZCIT) e da Onda de Leste ainda favorecem o desenvolvimento de grandes nuvens que são capazes de trazer os temporais para todo o litoral do Nordeste.

Clique na imagem e veja a previsão de chuva para todo o Brasil

No sábado (07) a tendência é de enfraquecimento das correntes de vento úmida. A chuva já volta a ocorrer de forma rápida e isolada.

O meteorologista César Soares comentou a chegada das áreas de instabilidade associadas a presença da Zona de Convergência Intertropical no Climatempo News.

Veja também: Chuva no Brasil nas últimas semanas de verão

 

Dia de muita chuva em Fortaleza, Natal e João Pessoa
quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

Áreas de instabilidade continuam ativas sobre várias estados do Nordeste e provocam mais chuva nesta quarta-feira. Mas agora a situação é de alerta para muita chuva na faixa litorânea entre o Ceará e a Paraíba. Nuvens carregadas começaram a se espalhar sobre estas regiões na noite de ontem e hoje deve permanecer paradas por muitas horas provocando chuva constante.

Com a chuva persistente, até com forte intensidade em algumas horas, os volumes acumulados vão ser elevados até a noite desta quarta-feira. O excesso de chuva pode causar alagamentos e outros transtornos nas áreas urbanas. Além disso, há risco também de raios e de rajadas de vento moderadas a fortes. A situação é de alerta também para as capitais Fortaleza, Natal e João Pessoa.

Segundo informações do Cemaden, entre 6 horas do dia 24 e 6 horas de 25 de fevereiro, algumas regiões de Natal já haviam acumulado 49 mm de chuva. Em Fortaleza, o acumulado máximo neste período foi de 36 mm e na região de João Pessoa, 31 mm.

As imagens de satélite mostram parte da evolução das áreas de instabilidade entre o Ceará e a Paraíba.

24 de fevereiro de 2015 às 19h15

25 de fevereiro de 2015 às 00h45

25 de fevereiro de 2015 às 04h45

 

 

 

Como será a chuva de março no Nordeste?

VCAN ainda provoca chuva forte no Nordeste
terça-feira, 17 de fevereiro de 2015

A presença do Vórtice Ciclônico nos Altos Níveis Atmosféricos (VCAN) ainda organiza áreas de instabilidade em algumas área do Nordeste a ponto de provocar temporais. É o que acontece com Natal, capital do Rio Grande do Norte, onde há a presença de chuva forte.

O VCAN já chegou a provocar chuva forte em diversas áreas do leste nordestino. Salvador também chegou a sentir as influências da organização de nuvens carregadas provocadas pela presença deste sistema, tanto que o teto de um camarote chegou a ceder devido o acúmulo de chuva na segunda-feira (16). Não havia a presença de pessoas no camarote durante o ocorrido.

As imagens do satélite meteorológico mostram a presença de nuvens carregadas sobre o Estado do Rio Grande do Norte, Piauí e sul do Maranhão nos tons em verde, azul, branco e vermelho. As áreas em vermelho representam nuvens grandes que são capazes de provocar chuva forte.

Clique na imagem e veja imagens de satélite de todo o Brasil

VCAN ainda provoca chuva até o fim da semana

O Vórtice Ciclônico ainda vai provocar chuva ao longo dos próximos dias sobre a faixa leste nordestina. O sistema ganha força e as bordas se aproximam das áreas continentais favorecendo a formação de mais nuvens carregadas e chuva. As pancadas de chuva associadas ao VCAN ocorrem de forma rápida, mas podem trazer grandes volumes acumulados em um curto período de tempo o que pode provocar alagamentos.

Frente fria para no sul da Bahia
quarta-feira, 22 de outubro de 2014

Uma frente fria chegou ao sul da Bahia, mas não tem força para avançar mais sobre a Região. A presença desta frente fria provocou chuvas de fraca a moderada intensidade em áreas do sul da Bahia. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou entre 19h do dia 21 e 19h do dia 22 de outubro, 24 mm de chuva acumulados em Porto Seguro e 10 mm em Uma. Outras áreas no sul baiano acumularam de 1 a menos de 10 mm.

Esta frente fria tende a se afastar para alto-mar nas próximas 24 horas.

Uma massa de ar seco vai predominar sobre o Nordeste nos próximos dia fazendo com que grande parte da Região fique com pouca nebulosidade e sem condições para chuva.

 

Calor, sol forte e tempo seco predominam também em Caicó, no interior do Rio Grande do Norte. Foto de Avaron, em 20 de outubro de 2014

 

Pancadas de chuva com raios, com moderada a forte intensidade, poderão ocorrer nesta quinta-feira no interior do Maranhão, do Piauí e no oeste da Bahia.

 

O mapa mostra a estimativa de chuva para o Nordeste até o dia 27 de outubro. Os tons em vermelho-terra indicam baixos volumes de chuva.

Chuva alaga Natal (RN)
segunda-feira, 28 de julho de 2014

Áreas de instabilidade avançam para toda a faixa leste nordestina e provocam pancadas de chuva constantes sobre o leste do Rio Grande do Norte. Os volumes de chuva em Natal chegaram aos 27,8 mm, em Calcanhar o acumulado chegou aos 46mm, segundo informações do Instituto Nacional de Meteorologia.

Imagem de satélite do canal do infravermelho

 

Diversas áreas já apresentam alagamento, como por exemplo as estradas próximas a Arena das Dunas. Na Praia dos Artistas o mar está agitado e avança em direção à costa, segundo imagens das câmeras do Vejo ao Vivo. Há o risco de ressaca.

Vem mais chuva para Natal. As áreas de instabilidade começam a perder intensidade, mas a chuva ainda persiste. Como o solo está muito úmido há o risco de deslizamentos.

Previsão de chuva para os próximos 5 dias

Litoral do Nordeste em atenção para mais chuva
quarta-feira, 9 de julho de 2014

Áreas de instabilidade crescem no oceano espalhando nuvens carregadas em regiões próximas do litoral de vários estados do Nordeste.

Nas imagens de satélite, as nuvens carregadas aparecem em manchas azuladas e brancas. Ao que tudo indica, o núcleo mais à direita, que está ainda afastado sobre o oceano, pertence a uma Onda de Leste que deve chegar à costa leste do Nordeste no fim de semana.

 

 

A situação é de atenção na costa norte entre o Maranhão e o Rio Grande do Norte e a costa leste, entre o Rio Grande do Norte e Pernambuco. Nos próximos dias, há risco de eventos de chuva forte.

Nos mapas, as manchas coloridas indicam áreas de chuva. Os tons em amarelo, alaranjado e vermelho indicam chuva moderada a forte.

 

 

 

Veja o quanto choveu nas capitais do Nordeste em junho. A chuva ficou muito acima da média em Natal por causa da chuva de uma Onda de Leste.

 

Seca prejudica o Milho no RN
sexta-feira, 27 de junho de 2014

A expectativa da Conab neste ano era de uma boa safra em Mossoró no Rio Grande do Norte. Porém o clima seco não favoreceu o bom desenvolvimento do grão nesta safra. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos dias em todo o Brasil.