Posts com a Tag ‘Sudeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Previsão das ondas no Sul e Sudeste na Páscoa
quarta-feira, 16 de abril de 2014

 

 

 

 

 

A passagem de um grande ciclone extratropical pela costa da Argentina e do Uruguai deixou o mar muito agitado nos últimos dias também no litoral do Sul e de parte do Sudeste do Brasil. Várias praias entre o Rio Grande do Sul e o Rio Janeiro começaram a semana com ressaca.

O mar baixa cada vez mais nos próximos dias, mas a meteorologista Josélia Pegorim alerta para uma nova elevação das ondas entre os dias 20 e 21 de abril. Confira.

Nevoeiro e névoa podem ser problema nesta 4°feira
terça-feira, 15 de abril de 2014

 

 

 

 

A chuva frequente desta terça-feira em muitas áreas do norte e leste do Paraná, no Estado de São Paulo, Sul de Minas Gerais e sobre o Rio de Janeiro deixou o ar extremamente úmido. A chuva diminui e o sol deve reaparecer no decorrer desta quarta-feira inclusive nas capitais Curitiba, São Paulo e Rio de Janeiro, ainda entre muitas nuvens.

 

 

Porém, o excesso de umidade no ar será ainda notado na manhã da quarta-feira. O ar muito úmido e a temperatura amena vão facilitar a formação do nevoeiro e de névoa forte que devem restringir a visibilidade em muitos aeroportos do Paraná, de São Paulo, centro-sul e oeste de Minas Gerais e do Estado do Rio. Também há risco de nevoeiro e névoa forte em aeroportos de Santa Catarina e do Rio Grande do Sul.

Se você tem compromissos marcados nesta quarta-feira e depende de vôos no Sul e no Sudeste, fique atento e programe-se com folga, pois as restrições de  visibilidade nos aeroportos poderá gerar atrasos e até cancelamentos de vôos.

Confira a previsão!

Grande ciclone extratropical no Atlântico Sul
domingo, 13 de abril de 2014

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 As imagens de satélite mostram um grande ciclone extratropical em deslocamento pelo Atlântico Sul. O ciclone pode ser visualizado pela área de nebulosidade em movimento circular, da esquerda para a direita. As bandas de nuvens se enrolam e formam um desenho como uma calda de escorpião.

 

Na animação, a seta amarela indica o centro do sistema.  

 

 

 

Ciclones extratropicais são muito comuns no Atlântico Sul e provocam muitas vezes ventania e chuva intensa, dependendo de sua intensidade. São associados a regiões de baixa pressão atmosférica e em geral são a parte final de uma grande frente fria.

Este ciclone extratropical gera uma forte agitação marítima na costa da Argentina e vai trazer grandes ondas para o Sul e Sudeste do Brasil esta semana.

 

Confira as ondas e a maré.

Veja o “Explicando o tempo” sobre ciclones extratropicais.

 

 

 

 

 

 

 

Mar forte no Sul e no Sudeste nos próximos dias
sexta-feira, 11 de abril de 2014

 A passagem de um grande ciclone extratropical pela costa da Argentina e do Uruguai causa forte agitação marítima nos próximos dias.A meteorologista Josélia Pegorim alerta para a grande elevação das ondas nas praias do Sul e do Sudeste.

Nas praias de São Paulo e do Rio de Janeiro, a elevação da ondas será muito rápida durante a segunda-feira. A lua cheia, no dia 15 de abril, ajuda a elevar a maré.

 

Sudeste: chuva se concentra em SP
quarta-feira, 9 de abril de 2014

Várias regiões do Estado de São Paulo tiveram fortes pancadas de chuva nesta quarta-feira. As nuvens carregadas que se espalhara pelo Estado foram formadas pelo calor e a passagem de uma frente fria pelo litoral sul paulista. Tecnicamente, a frente fria já está afastada em alto-mar, mas áreas de instabilidade continuam sobre São Paulo e vão provocar mais chuva nesta quinta-feira. Pode chover e ventar forte inclusive sobre a Grande São Paulo.

Nos demais estados do Sudeste, a chance de chover é menor. As pancadas de chuva poderão ocorrer a partir da tarde, mas em pequenas áreas. O sol fica forte praticamente o dia todo e faz calor.

 

 

Entre as capitais, a maior chance de chuva é em São Paulo. Não deve chover no Rio de Janeiro.

Os paulistas devem ficar atentos à previsão, pois uma nova frente fria vem sendo prevista para o próximo fim de semana e pode trazer chuva forte.

Sudeste teve mais uma madrugada fria
terça-feira, 8 de abril de 2014

Várias cidades de regiões serranas no Sudeste registram hoje temperaturas abaixo ou muito perto dos 10°C  ao amanhecer desta terça-feira. A falta de  nuvens durante a noite provocada pela grande subsidência do ar foi o fator principal para as baixas temperaturas.

As temperaturas do mapa foram registradas pelo Instituto Nacional de Meteorologia.

 

 

 

 

 

É ruim para a sua saúde!
terça-feira, 8 de abril de 2014

O ar sobre o Sudeste do Brasil está ficando mais seco. Os níveis de umidade do ar começaram a baixar no fim de semana, quando uma grande sistema de alta pressão (anticiclone) atmosférica se intensificou sobre o interior do Brasil. Na animação, o sistema de alta pressão é indicado pela letra “A”. Nesta situação, o movimento do ar fica muito subsidente (de cima para baixo), o que deixa o ar mais seco em superfície.

 

 

O ar mais seco inibe a formação das nuvens e ocorrência de chuva. A insolação aumenta, o que facilita a formação do ozônio, que é um poluente. Confira outros efeitos do ar seco com a meteorologista Josélia Pegorim.

 

 

 

Onde o frio foi mais intenso no Brasil na madrugada de hoje?
segunda-feira, 7 de abril de 2014

Cidades das regiões serranas do Rio de Janeiro, de São Paulo e de Minas Gerais registraram as menores temperaturas do Brasil na madrugada desta segunda-feira. O Instituto Nacional de Meteorologia registrou 7,2°C em Nova Friburgo, no Rio de Janeiro. Maria da Fé, no sul de Minas Gerais, teve mínima de 8,4°C.

 

 

A queda da temperatura foi provocada principalmente pela ausência de nuvens durante a noite, que acentua a perda de calor pela atmosfera.

Depois do friozinho, o dia segue com muito sol em todas as estas cidades, com jeitinho de outono: um bonito céu azul, temperatura agradável à tarde e o friozinho de volta ao anoitecer.

Nevoeiro reduz a visibilidade no Sul e no Sudeste
segunda-feira, 7 de abril de 2014

Vários aeroportos do Sul e do Sudeste amanheceram com  grandes restrições de visibilidade devido ao nevoeiro.

No Sul, o aeroporto internacional de Curitiba estava com 200 m de visibilidade às 7h15, mas às 8 horas já havia aumentado para 1500 metros, com a dissipação do nevoeiro. O aeroporto de Joinville, no vale do Itajaí, em Santa Catarina, estava com 300 m de visibilidade às 8 horas e o de Navegantes com 900 metros. Os dois aeroportos estava fechados para pouso e decolagens, segundo o site da Infraero, às 8h30.

No Sudeste, a pior situação era em Barbacena, na zona da mata mineira, onde a visibilidade às 8 horas era de apenas 100 m. O aeroporto de Ipatinga estava com 200 m de alcance visual neste horário. Uma névoa forte prejudicava a visibilidade na região de São Tomé, no rio de Janeiro, onde a visibilidade era de apenas 1200 m, às 8h.

O aeroporto internacional Tom Jobim,no Rio de Janeiro, estava com forte névoa às 8 h,com visibilidade de 2000 m obrigando a operação por instrumentos.

Ondas de 1m, com maiores em SP, RJ e SC
sexta-feira, 4 de abril de 2014

Confira a previsão da altura e direção das ondas nas praias do Sul e do Sudeste para o fim de semana, nas análises da meteorologista Josélia Pegorim.