Posts com a Tag ‘Sudeste’

+ aumentar e diminuir fonte -
Nova onda de frio avança para o país
sábado, 2 de maio de 2015

Uma nova frente fria chega neste final de semana ao Sul do Brasil e na segunda-feira já estará influenciando as condições do tempo em parte das regiões Sudeste e Centro-Oeste. Este sistema possui uma moderada massa de ar polar associada que vai derrubar a temperatura no centro-sul do Brasil na semana que vem. Devemos ter novamente geada, mas não só nas áreas de Serra do RS e de SC, como também nas regiões da Campanha já na segunda-feira e na terça-feira geada quase generalizada no interior gaúcho e na Serra catarinense. Na quarta-feira ainda devemos ter várias localidades deste dois Estados com geada fraca e isolada. Os modelos , em princípio, só indicam temperaturas acima de zero grau, como podemos verificar nas imagens abaixo.

O tempo deve esfriar novamente em Mato Grosso do Sul, São Paulo e Rio de Janeiro a partir de segunda-feira, mas sem risco de geada nem para as áreas mais altas destes Estados.

Neste mês de maio teremos mais massas polares avançando pelo país e derrubando as temperaturas.

Volume de chuva para o Brasil nos próximos dias
quarta-feira, 29 de abril de 2015

por Lívia Fernanda

Você sabe o que é teca? A teca é uma árvore de origem asiática com alto valor comercial, sendo seu principal produto a madeira que resiste ao clima e à água da chuva e do mar. A teca é muito utilizada na carpintaria, na marcenaria e na indústria da construção naval e o Estado de Mato Grosso é um grande produtor desde 1960. A árvore se desenvolve bem graças à temperatura, o solo e ao regime de chuvas da região. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Volume nos próximos 7 dias para o Brasil
terça-feira, 28 de abril de 2015

por Lívia Fernanda

O clima é um fator decisivo na agricultura. Na reta final da colheita de soja no Brasil, os produtores de sementes dos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná estão otimistas. A safra foi marcada por condições climáticas favoráveis para a cultura, o que deve resultar em sementes de boa qualidade. Já no Estado de São Paulo, a estiagem atingiu alguns campos no período de enchimento de grãos e de florescimento. Além disso, a chuva na colheita causou prejuízos em algumas áreas. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Acumulado de chuva para o Brasil nos próximos dias
segunda-feira, 27 de abril de 2015

A cana-de-açúcar em Mato Grosso do Sul passou por recuperação depois de grande parte dos canaviais ficarem prejudicados pelo clima. A grande surpresa veio agora com o fim da safra, o Estado passou a ser o quarto maior produtor de cana do Brasil, passando do Paraná. As usinas processaram cerca de 43 milhões de toneladas, um aumento de 4,95% comparado à safra anterior. Mato Grosso do Sul é um dos estados mais avançados no aproveitamento da biomassa da cana para conversão em bioeletricidade. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

O que vem por aí?
domingo, 26 de abril de 2015

A última semana de abril será marcada por muita chuva na faixa entre Bahia e Amazonas, porém o tempo seco é quem vai predominar em grande parte do centro-sul do País e no interior do Nordeste.

Região Norte

Áreas de instabilidade tropicais ainda favorecem a formação de muitas nuvens pelo Norte do País nessa semana. Modelos meteorológicos indicam chuva volumosa em grande parte da Região, com acumulados que passam de 100 milímetros. As áreas com menores volumes de chuva devem ser o norte de Roraima, o noroeste do Pará e o interior do Amapá.

Região Nordeste

A convergência de ventos entre níveis baixos e médios da atmosfera vai garantir chuvas frequentes na Bahia. Até o final da semana a chuva deve acumular mais de 100 milímetros em áreas do centro do Estado e também no litoral, principalmente na região de Salvador. A capital baiana fica em alerta porque a chuva é volumosa e pode trazer problemas como alagamentos e deslizamentos de encostas. A Zona de Convergência Intertropical ainda atua na costa norte da Região, provocando bastante chuva no litoral do Maranhão e do Ceará. Já no Maranhão, no Piauí, no norte da Bahia e no Rio Grande do Norte, a chuva é mais isolada, menos volumosa e ocorre principalmente por causa do calor e da alta umidade do ar. As demais áreas do Nordeste tem pouca chuva nos próximos dias.

Região Centro-Oeste

A mesma instabilidade que atua no Norte também influencia o tempo no norte de Mato Grosso. A chuva por lá também é volumosa, com acumulados perto de 100 milímetros. Já em Mato Grosso do Sul, o predomínio é de uma massa de ar seco, que vai garantir dias ensolarados. Nas demais áreas da Região as pancadas de chuva vem principalmente à tarde, na forma de pancadas por causa do tempo abafado.

Região Sudeste

Os últimos dias de abril serão de pouca chuva na maior parte do Sudeste. Uma massa de ar seco vai determinar dias de tempo firme em quase toda a Região. No leste de São Paulo, no Rio de Janeiro e no Espírito Santo, os ventos provocados por um sistema de alta pressão com centro no oceano vai trazer muitas nuvens e provocar chuvas moderadas, principalmente a partir de terça-feira, inclusive nas capitais. Nessas áreas a temperatura fica amena. Esse mesmo sistema causa agitação marítima no final da semana.

Região Sul

O sistema de alta pressão que influencia o tempo na costa do Sudeste também atua na costa do Sul do Brasil. A faixa leste dos três Estados passam a semana com muitas nuvens e chuvas eventuais, principalmente a partir de quarta-feira. Esse mesmo sistema causa agitação marítima no final da semana. Já o interior da Região continua tendo dias ensolarados, ainda com possibilidade de formação de nevoeiros nas primeiras horas da manhã.

Segunda-feira amanhece fria no Sudeste
domingo, 26 de abril de 2015

Atualizado às 11:40 do dia 26/04/2015

Uma massa de ar seco de origem polar (a mesma que passou pelo Sul do Brasil) entrou no Sudeste na madrugada deste domingo e diminuiu as temperaturas em várias áreas da Região.

O Estado de São Paulo foi o que mais sentiu a entrada desse ar polar. Muitas cidades amanheceram com temperatura abaixo de 15,0ºC, principalmente pelo interior. Ribeirão Preto e Bauru tiveram mínima de 14,0ºC na região dos aeroportos. Em Itapira, perto do Sul de Minas, o INMET chegou a registrar 12,0ºC. Campos do Jordão teve mínima de 10,4ºC (estação automática). Na capital o dia amanheceu com 16,0ºC na região do aeroporto de Congonhas.

Recorde de frio em Belo Horizonte

Em Minas Gerais o friozinho foi sentido no centro-sul do Estado, onde as mínimas também ficaram abaixo de 15,0ºC em praticamente todas as cidades. A menor temperatura foi registrada em Caldas, com 8,0ºC. Em São João Del Rei, no sudeste do Estado, a mínima foi de 10,9ºC. O aeroporto de Barbacena, na Zona da Mata, também registrou 10,0ºC.

Em Belo Horizonte, a manhã deste domingo foi a mais fria do ano. A medição oficial do INMET registrou 17,0ºC, batendo o recorde anterior de 17,1ºC em 10 de abril. Em outro ponto de medição na capital, a estação automática do INMET chegou a registrar 14,7ºC na Pampulha.

Friozinho no RJ

O Rio de Janeiro sentiu um pouco menos a entrada desse ar polar. A menor temperatura do Estado, segundo o INMET, foi de 13,7ºC em Nova Friburgo, na serra. Resende, no vale do Paraíba, teve 14,2ºC. Na capital, a estação do Alerta Rio no Alto da Boa Vista registrou 17,6ºC.

A previsão é de que a segunda-feira ainda amanheça fria em quase toda a Região. A temperatura mínima também cai no centro-norte mineiro. Já o Espírito Santo não vai sentir tanto a influência do ar polar, porque o céu vai continuar cheio de nuvens, impedindo a rápida queda da temperatura durante a noite.

 

Confira as menores temperaturas do Sudeste em 26 de abril de 2015

Ar seco avança pelo centro-sul do Brasil
sábado, 25 de abril de 2015

Uma massa de ar seco de origem polar está avançando pelo centro-sul do Brasil e garante tempo firme neste domingo em muitas nuvens entre Rio Grande do Sul, Mato Grosso do Sul e Rio de Janeiro.

Um sistema de alta pressão atmosférica vai avançar entre o Sul e o Sudeste do Brasil. Este sistema provoca ventos moderados vindos de sudeste no leste de São Paulo e no Rio de Janeiro, situação que favorece a formação de muitas nuvens nas capitais. Pode até chover fraco em alguns momentos no litoral paulista e paranaense.

Já nas áreas do interior paulista, entre o Triângulo e o Sul mineiros, na maior parte de Mato Grosso do Sul (inclusive em Campo Grande) em na região Sul, o predomínio será de sol neste domingo, sem chuva. O amanhecer será de temperaturas mais baixas, mas à tarde faz um pouco de calor por causa do tempo aberto.

O resfriamento da madrugada e o tempo estável (sem chuva e sem vento) favorece a formação de nevoeiro na manhã deste domingo em muitas áreas.

Volume de chuva para o Brasil nos próximos 7 dias
quinta-feira, 23 de abril de 2015

por Lívia Fernanda

A produção de Caqui está a todo vapor em Mogi das Cruzes, São Paulo. A região é responsável por 55% da produção do estado paulista. A falta de chuva no ano passado atrapalhou um pouco, mas neste ano o quadro não é tão critico e a qualidade é satisfatória. A variedade que está no ponto de colheita é a rama forte. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Volume de chuva para o Brasil nos próximos 7 dias
quarta-feira, 22 de abril de 2015

A mangaba é uma fruta típica do cerrado e das áreas de restinga do Nordeste. O clima de Sergipe favorece o desenvolvimento e a produção, e faz com que o Estado seja o maior produtor nacional da fruta. A safra é tão farta em povoado Pontal, sul de Sergipe, que a colheita chega a durar até oito meses. De novembro a junho não falta mangaba na mesa das famílias da região. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.

Acumulado de chuva para o Brasil nos próximos dias
terça-feira, 21 de abril de 2015

por Lívia Fernanda

A colheita da maçã chega ao fim no Paraná com a safra prejudicada por condições climáticas e a falta da mão de obra para trabalhar na lavoura. A queda de granizo prejudicou a formação da fruta em algumas propriedades no sudoeste do Estado. A previsão é de que a produção deste ano não ultrapasse a de 2014, que foi de 14 mil toneladas. Confira qual será a tendência do acumulado de chuva para os próximos 7 dias em todo o Brasil.