Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

RS e SC continuam com temporais

18/09/2015 às 12:18
por Josélia Pegorim

Atualizado 18/09/2015 às 22:07

A semana está sendo marcada por temporais sobre o Rio Grande do Sul e sobre Santa Catarina, mas não apenas com chuva forte e volumosa, mas muita ocorrência de granizo. A quantidade e o tamanho das pedras impressionam.

As nuvens que provocam o granizo são as do tipo cumulonimbus, que se formam quando há grande quantidade de umidade e de calor disponível na atmosfera.

A Grande Porto Alegre voltou a registrar a queda de granizo nesta sexta-feira, 18 de setembro. Veja a quantidade de granizo que caiu em São Leopoldo. As imagens são de Magnus Andrei.

 

 

 

Granizos comparados a um ovo caíram em 18 de setembro em Tijucas, em Santa Catarina.

 

 

As pedras de gelo se acumularam nos gramados em Tapejara, no Rio Grande do Sul.

 

 

Algumas ruas de Bagé, no Sul do Rio Grande do Sul, ficaram cobertas de granizo no dia 16 de setembro.

 

 

 

Há uma situação de bloqueio na atmosfera sobre o América do Sul que está forçando a formação de muitas nuvens carregadas sobre o Rio Grande do Sul e sobre Santa Catarina, especialmente na divisa entre os dois estados. Estas condições ainda serão observadas no fim de semana e as tempestades vão continuar.

 

Granizos enormes caíram sobre Videira, em Santa Catarina, no dia 16 de setembro de 2015.

 

 

Granizos que caíram sobre Agrolândia, em Santa Catarina, em 17 de setembro de 2015

 

 

Como se forma o granizo?

O granizo é um dos fenômenos meteorológicos que podem causar grande destruição em plantações e também nos centros urbanos. Alguns granizos são pequenos e se desmancham, derretem assim poucos segundos depois de chegarem ao solo. Mas outros são muito grandes, comparáveis a uma bola de tênis, e podem cair em grande quantidade.

Entenda como se forma o granizo neste Explicando o Tempo especial.

 

 

 

Nuvens carregadas sobre Lages , em Santa Catarina, em 18 de setembro de 2015

 

 

Como será a primavera no Sul?

 

Prevenção de desastres naturais: temos muito que aprender com o Chile