Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Como o El Niño agrava a seca no Nordeste?

06/11/2015 às 17:40
por Josélia Pegorim

Atualizado 27/11/2015 às 14:07

O El Niño é um fenômeno de interação do oceano com a atmosfera caracterizado por um aquecimento acima do normal das águas do oceano Pacífico Equatorial. Com as águas mais quentes, ocorrem grandes mudanças nos padrões normais de vento e de pressão da circulação geral da atmosfera,  que geram alteração no padrão climático de chuva e de temperatura em várias regiões do globo.

No Brasil, uma das principais interferências do El Niño é sobre a chuva no Sul e no Nordeste. Na Região Sul, o El Niño aumenta a chuva. No Nordeste, o El Niño diminui a já escassa chuva da Região. Algumas áreas do Norte e do Sudeste do Brasil também sentem este efeito de redução da chuva.

Os gráficos vão ajudar você a entender as mudanças nos ventos e na pressão atmosférica causadas pelo El Niño.

 

A Circulação de Walker e o El Niño

 

Numa situação normal, sem El Niño, com as águas do oceano Pacífico com temperatura dentro da normalidade, existe uma circulação natural sobre o Pacífico entre a costa da América do Sul e a região onde está a Indonésia.

As águas quentes ficam concentradas do lado da Indonésia. O ar quente e úmido que sai desta região se eleva gerando muitas nuvens de chuva. Em altitudes mais elevadas da atmosfera, o ar se esfria e desce seco sobre a região da costa do Peru. Em outras palavras, sem o El Niño, uma região de baixa pressão se forma na região da Indonésia e uma região de alta pressão atmosférica se forma na região do Peru. A baixa pressão produz muitas nuvens e chuva; a alta pressão reduz a nebulosidade e as condições para chuva.

A circulação de ar formada no sentido leste-oeste sobre a região equatorial do globo é chamada de Circulação de Walker.

 

 

 

 

Em anos de El Niño, a Circulação de Walker é modificada. O aquecimento acima do normal das águas do Pacífico força uma quebra em dois fluxos de ar.

 

Duas correntes de ar subsidente surgem: uma sobre a Indonésia e sobre o norte da Austrália e outra sobre o Nordeste do Brasil. 

 

 

 

 

Um sistema de alta pressão se estabelece na região onde o fluxo de ar desce. Este fluxo de ar de cima para baixo é chamado de subsidência ou ar subsidente.

 

 

 

 

O ar subsidente (alta pressão atmosférica) inibe a formação de nuvens e a ocorrência de chuva.

 

 

 

 

Confira outras explicações com a meteorologista Patricia Madeira e entenda como o El Niño diminui a chuva sobre o Nordeste agravando o quadro de seca.

 

 

 

Veja os problemas da seca no Nordeste para a construção civil