Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Ventos passam de 80 km/h em MS e em MT

05/10/2016 às 11:20
por Maria Clara Machado

Atualizado 05/10/2016 às 21:29

Ventania

Nuvens bastante carregadas se espalharam sobre o Centro-Oeste do Brasil e provocaram temporais em diversas áreas nesta quarta-feira. A chuva veio forte e com ventania em alguns locais durante a tarde. A região de Costa Risca, em Mato Grosso do Sul, teve rajada de vento com 82 km/h.

 

 

 

Em Alto Taquari, em Mato Grosso, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou uma rajada de 84 km/h. Na capital Cuiabá, voltou a chover forte também e uma rajada chegou aos 68 km/h. Em Porto Estrela, a rajada foi de 70 km/h. As regiões de Rondonópolis, Campo Verde, Itiquira, Campo Novo dos Parecis, Santo Antonio do Leste e Alto Araguaia sentiram rajadas entre 60 km/h e 67 km/h.

 

Na imagem de satélite, as nuvens carregadas aparecem como manchas azuladas e vermelhas.

 

 

 

Chuva forte em MS

Como era esperado, a chuva caiu forte em diversas áreas de Goiás, de Mato Grosso, de Mato Grosso do Sul e no Distrito Federal nesta quarta-feira. Em Gama choveu quase 45 mm entre 20 horas do dia 4 e 20 horas de 5 de outubro.

Confira os maiores acumulados em Mato Grosso do Sul.

 

 


Nos próximos dias, as pancadas de chuva ainda vão acontecer sobre áreas de Mato Grosso e de Goiás, mas já com uma diminuição no volume. Em Mato Grosso do Sul, a chuva para nesta quinta-feira (6) e até o final da semana a tendência é de ar mais seco sobre a Região Centro-Oeste.

 

Mais de 90 mm/24h no sul de Goiás

Mato Grosso do Sul e Goiás foram beneficiados com grandes acumulados nas últimas 24 horas. Itumbiara, no sul de Goiás, registrou 95,2 milímetros de chuva entre às 9 horas da manhã da terça-feira (4) e às 9 horas da manhã da quarta-feira (5), segundo as medições do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). Foi o maior volume de chuva da Região Centro-Oeste e do Brasil neste período. A chuva também veio volumosa em outros municípios da Região:  



Confira a previsão climática para a primavera de 2016 no Centro-Oeste