Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva não dará trégua ao Guaíba

14/10/2015 às 16:02
por Josélia Pegorim

Atualizado 14/10/2015 às 17:26

Os frequentes eventos de chuvas volumosas sobre o Rio Grande do Sul nos últimos meses forçaram o fechamento das 14 comportas do Cais de Mauá, em Porto Alegre, na última segunda-feira, dia 13, sob risco iminente de enchente no centro da capital gaúcha. Esta é a segunda maior cheia do Guaíba desde 1941, quando o nível do lago chegou aos 3 metros. No início da semana o pico máximo foi de 2,92 metros. Em 1981, as comportas também foram fechadas, mas apenas por medida de precaução. Na ocasião a região não enfrentou uma enchente como esta de 2015, explica o coordenador da Defesa Civil de Porto Alegre, Nelcir Tessaro.

 

Cerca de 10 mil pessoas vivem no arquipélago dentro de lago, nas chamadas ilhas de Porto Alegre, formadas pelas Ilhas do Pavão, dos Marinheiros, das Flores e Pintada. Todas elas estão em situação de calamidade com a cheia do Guaíba e as casas tomadas pelas águas. A Defesa Civil faz um trabalho de remover essas famílias para abrigos ou casas de parentes e está dando assistência direta distribuindo lonas e alimentos utilizando barcos, o único meio de transporte possível neste momento para chegar às áreas atingidas pela enchente.

 

Diante da previsão de mais eventos de chuvas intensas este ano por causa da influência do fenômeno El Niño, a preocupação da Defesa Civil é com a remoção destas famílias das áreas de risco. Se novos eventos de chuvas extremas ocorrerem, e devem ocorrer, a situação pode se complicar bastante, afirma Tessaro.

 

Acompanhe o que diz o coordenador da Defesa Civil de Porto Alegre, Nelcir Tesssaro sobre a cheia histórica do Guaíba:



 Primavera de temporais

 

A trégua da chuva não durou nem 48 horas. As nuvens carregadas voltaram a se espalhar sobre o Rio Grande do Sul nesta quarta-feira provocando novos temporais com muita chuva e até granizo. Voltou a chover também sobre Porto Alegre, com raios e rajadas de vento.

As imagens de satélite mostram a expansão das nuvens carregadas (manchas em azul) pelo centro-sul e leste do Rio Grande do Sul. No decorrer desta quinta-feira, estas nuvens se espalham por todo o estado e vão provocar muitos temporais. A chuva pode ser forte também sobre Porto Alegre. A previsão é de que a chuva vá parando no durante a sexta-feira.

 

 

 

Porém, outros eventos de chuva forte devem atingir o Rio Grande do Sul até o fim do outubro. O mapa mostra o volume de chuva estimado para 15 dias. Se isto se confirmar, Porto Alegre poderá receber de 100 a 150 mm até o fim do mês, o que supera a média para outubro.

 

Previsão para a primavera na Região Sul