Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Temporais continuam no centro-sul do BR

18/11/2015 às 21:30
por Josélia Pegorim

Atualizado 18/11/2015 às 21:54

As tempestades que ocorrem desde o início da semana no Sul, especialmente sobre o Paraná, em áreas de Mato Grosso do Sul e de São Paulo estão deixando grandes volumes de chuva acumulados. Em várias regiões destes estados tem chovido mais de 50 mm por dia desde a segunda-feira. Em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná, choveu cerca de 110 mm só no dia 17 de novembro.

Os temporais continuam por mais 48 horas. Até a sexta-feira a chuva forte e volumosa, além dos  raios e da ventania ainda poderão causar estragos em várias áreas do centro-sul do Brasil. O mapa mostra a estimativa do volume de chuva acumulado para os próximos.

 

 

 

 

Chuva acima da média

A chuva desta semana certamente contribuiu para o balanço parcial que tem da chuva de novembro até agora. O mapa mostra a anomalia (diferença em relação à media) da chuva de novembro. Os tons de azul representam chuva acima da média e predominam justamente sobre o centro-norte do Paraná, no centro-oeste e sul de São Paulo e também no oeste do Rio Grande do Sul regiões que tiveram chuva muito volumosa nos últimos dias.

 

 

 

Clique aqui para aliviar as tensões dos temporais.

 

Baixa pressão: fábrica de temporais

Os temporais estão sendo provocados por grandes áreas de nuvens muito carregadas que estão crescendo entre o norte da Argentina e o Paraguai e depois avançam para o Brasil. A pressão do ar muito baixa nestas regiões está funcionando como uma fábrica de nuvens carregadas e que provocam os temporais.

 

 

Quatro destas áreas de instabilidade já passaram sobre a Região Sul desde a segunda-feira e parte destas nuvens atingiu também o Mato Grosso do Sul e São Paulo.

Quando os temporais vão terminar? A meteorologista Josélia Pegorim comenta sobre o deslocamento da baixa pressão nos próximos dias. Uma alta pressão avança sobre o Sul do Brasil

 

 

 

 Entenda como atuam as altas e as baixas pressões

 

 

 

 

 

Veja também:

El Niño pode aumentar a ocorrência de raios no verão

- [eBook] O perigo dos sistemas severos na construção civil

- Segundo OMM, El Niño 2015 pode ser o mais forte da história