Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

São Paulo tem novembro mais chuvoso em 37 anos

30/11/2015 às 06:18
por Paulo

Atualizado 22/11/2016 às 19:40

Novembro deu a São Paulo pancadas de chuva mais frequentes e vários temporais. Pelas medições do Instituto Nacional de Meteorologia no local da estação meteorológica do Mirante de Santana, na zona norte da cidade,  choveu 250,2 mm em 30 dias.  A passagem de uma frente fria no domingo, 29 de novembro, provocou 23,4 mm de chuva no período entre 10 horas do dia 29 e 10 horas de 30 de novembro de 2015.

O total de chuva de novembro de 2015 foi o maior para este mês desde 1978, um recorde de 37 anos, quando choveu 423,7 mm.

 

 

  

 

Confira alguns novembros chuvosos no Mirante de Santana

 

 

 O gráfico mostra o volume de chuva de novembro no Mirante de Santana no período de 1978 a 2015.

 

 

 

 

Como explicar tanta chuva?

Embora estejamos num ano de El Niño, o Sudeste brasileiro não responde claramente a este fenômeno como o Sul. Mesmo assim, como 2015 está sendo um ano de El Niño de forte magnitude, isto pode ter contribuído para o aumento de pluviosidade sobre o leste paulista, assim como ocorreu em 1997 (220,1mm) e 1982 (173,5mm). E também vem depois de uma sequência de anos de neutralidade (entre 2011 e 2014) e de La Niña (2010), anos esses em que o volume mensal de novembro ficou abaixo da normal climatológica (1961-1990), que é de 145,8mm.

Em 2009, num ano de El Niño, o acumulado em novembro foi de 177,3mm, portanto acima da normal. Os maiores valores históricos de chuva em novembro nesta estação não correram no ano de El Niño: 423,7mm em 1978 e 300,7mm em 1969.

 

 

 Normais climatológicas para dois períodos de 30 anos, 1961-1990 e 1985-2014.

 

 

Ao calcular a normal climatológica de 30 anos para os períodos de 1961-1990 (referência) e a de 1985-2014 (anos recentes), observa-se que o volume médio anual aumentou, de 1441,6mm para 1638,0mm. A chuva pode ter seu regime alterado tanto pelas condições climáticas como pelas características locais. O gráfico indica que o aumento de chuva tem sido marcante nos meses de janeiro a março. Embora muitos fatores possam estar associados a essa mudança, um deles

corresponde ao aumento e à alteração das características de superfície urbana, com menor retenção de água (desarborização e impermeabilização do solo) e uso de materiais mais suscetíveis ao aquecimento, resultando em ilha de calor, favorecendo o desenvolvimento de nuvens que provocam temporais.

O mês de novembro, por outro lado, não teve este acréscimo no volume de chuva mensal. O aumento da chuva em novembro neste ano estaria então associado  mais a características climáticas do que a um fator local favorável a formação de nuvens carregadas.

 

Comparação das temperaturas compensadas médias em dois períodos.