Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Chuva enfraquece no litoral de SP

29/02/2016 às 03:53
por Paulo

Atualizado 29/02/2016 às 11:50

Áreas de instabilidade se desenvolveram durante o final de noite de domingo e madrugada de segunda-feira provocaram chuva muito forte em diversas áreas do litoral paulista.

A região menos afetada foi a do litoral sul, na área de Iguape e Ilha Comprida. Mas de Peruíbe até Ubatuba, os volumes de chuva extremamente elevados provocaram alagamentos e queda de barreira.

Segundo a imprensa  local, um casal morreu na região de Boiçucanga por causa do temporal. Santos,  Guarujá,  Caraguatatuba e São Sebastião tiveram alagamentos.

 

Situação de atenção

As áreas de instabilidade enfraqueceram,  mas a situação ainda é de atenção em todo o litoral paulista esta semana. As nuvens mais carregadas já se afastaram do litoral de São Paulo. Até a quarta-feira, todo litoral permanece com muitas nuvens, mas pouca chuva está sendo esperada. Mesmo com a diminuição da chuva, o risco de deslizamento persiste pois a terra dos morros e no solo está encharcado.

Há previsão de um aumento da chuva na quinta-feira com o maior aquecimento do ar. Porém, não há expectativa de que ocorram volumes de chuva tão elevados como neste início de semana.

 

 

Queda de barreira

Quem vai para o litoral norte pela rodovia dos Tamoios deve ficar atento pois houve queda de barreira no KM 52, na região de Paraibuna. Uma barreira caiu também na altura do KM 162 da rodovia Rio-Santos e está totalmente interditada. O trecho entre os KM 150 e 190 estão com interdição parcial.

 

 

Quanto choveu?

 

Os volumes de chuva que caíram sobre o litoral de São Paulo entre a noite do domingo, 28, e o início da manhã do dia 29, segunda, foram extremamente elevados. Em vários lugares choveu de 100 a quase 350 mm.

Confira os maiores volumes de chuva registrados pelo CEMADEN, Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais, entre 8h10 do dia 28 e  8h10 do dia 29 de fevereiro.

 

 

 

Por que choveu tanto?

O avanço de um sistema frontal trazendo ar frio, áreas de vento forte com mais de 40km/h soprando do mar para a costa, e elevada temperatura da superfície do mar contribuíram para alimentar e sustentar a formação das nuvens carregadas.

A imagem de satélite das 19h30 do domingo, 28 de fevereiro, mostra as áreas de nuvens muito carregadas (manchas vermelhas) que passavam sobre a região da Baixada Santista e Litoral Norte na noite do domingo.

 

 

Imagens do radar meteorológico de São Roque da FAB das 22:56 (hora local) indicaram núcleos fortes sobre a região do Guarujá.