Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Poluição do ar nas Olimpíadas Rio 2016

12/08/2016 às 11:38
por Josélia Pegorim

Atualizado 12/08/2016 às 11:58

O ar pode ficar poluído em todos os lugares, nos grandes centros urbanos ou em cidades pequenas, no meio rural, em locais no interior do continente ou no litoral. O que muda é a quantidade e o tipo de poluente.

As condições meteorológicas podem favorecer o aumento da quantidade de poluentes ou ajudar a dispersá-los, fazendo a concentração de determinado poluente diminuir. Vento e chuva são os principais fatores meteorológicos que dispersam a poluição. As inversões térmicas na camada atmosférica próxima da superfície (até 1000 metros de altitude) e a atuação prolongada de sistemas de alta pressão atmosférica são fatores importantes que aumentam a concentração de poluentes numa região.

A poluição do ar influencia direta e indiretamente na saúde das pessoas. Em tempo de jogos olímpicos, a qualidade do ar é um dos fatores meteorológicos que pode interferir no desempenho dos atletas.

Os índices de qualidade do ar boa, regular, inadequada, ruim e péssima representam uma combinação do nível da concentração dos vários poluentes que são medidos num determinado lugar.

As cores que identificam a qualidade do ar boa (verde), regular (amarelo), inadequada (laranja) ruim (vermelho) e péssima (roxo) seguem um padrão internacional.

 

A Climatempo em parceria com Aria do Brasil disponibiliza para o público a previsão da qualidade do ar para a cidade de do Rio de Janeiro, que poderá ser consultada diariamente na página de previsão da específica para o Rio de Janeiro durante as Olimpíadas Rio 2016.

A previsão do índice de qualidade do ar e concentrações de poluentes atmosféricos são produtos do ARIA Regional – Rio 2016, um sistema operacional de previsão da qualidade do ar para a cidade do Rio de Janeiro, com operação durante os Jogos Olímpicos.

O ARIA Regional – Rio 2016 foi desenvolvido pelas empresas ARIA Technologies e ARIA do Brasil (www.ariadobrasil.com.br) e consiste em uma cadeia de modelos numéricos atmosféricos (WRF - CHIMERE/FARM) capaz de estimar os impactos na qualidade do ar decorrentes da emissão de poluentes atmosféricos provenientes de diversas fontes como tráfego, indústrias, residências, etc.

O sistema simula o transporte, a deposição e as reações químicas dos poluentes atmosféricos para um período de 48 horas, com resolução de 500m.

 

 

A previsão pode ser visualizada em mapas de concentração dos poluentes para cada hora e de índice de qualidade do ar para cada dia.

No sistema ARIA Regional – Rio 2016 este índice é calculado conforme o IQA (índice de qualidade do ar) adotado pela Prefeitura do Rio (Programa MonitorAr – Rio - smac.infoper.net/smac).