Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Balanço Agosto: frio, chuva e ventania

23/08/2016 às 14:20
por Angela Ruiz

Atualizado 24/08/2016 às 11:05

O inverno é normalmente época de seca, com pouca chuva. Mas, Agosto de 2016 será lembrado por muitas emoções meteorológicas. Até agora seis frentes frias chegaram ou se formaram sobre o Brasil

 

Enquanto o mundo estava de olho nas Olímpiadas do Rio de Janeiro, os sistemas meteorológicos desafiaram os meteorologistas neste Agosto que já é considerado um mês com chuva acima do normal em São Paulo, ParanáSanta Catarina e muita ventania no Rio.

 

Com este acirramento os organizadores do maior evento do esporte mundial tiveram que remanejar algumas modalidades ao ar livre por conta dos ventos fortes que chegaram à cidade maravilhosa.

 

Para se ter uma ideia, no período de 16 dias de evento, três frentes frias alcançaram o Rio de Janeiro até o último domingo, dia 21 e durante as duas primeiras semanas foi uma gangorra olímpica de sol/calor, chuva/vento, céu nublado/queda de temperatura, sol/elevação da temperatura e o encerramento com chuva e ventania. Um obstáculo da natureza para os atletas em busca de uma medalha ao ar livre.

 

Vamos voltar ao início do mês e entender a cronologia dos sistemas:

 

No dia 07 de Agosto, o avanço de uma frente fria provocou ventos fortes no Rio de Janeiro, o que acabou cancelando as provas de Remo das Olimpíadas. Segundo os dados da Base Aérea de Santa Cruz, da Aeronáutica, na zona oeste da cidade, foram registradas rajadas de vento de até 72 km/h, neste dia e também houve a queda de um totem dos Jogos Olímpicos em Copacabana que provocou ferimentos leves em uma turista.

 

Dia 08 de Agosto, foram registradas temperaturas negativas no país. De acordo com o Inmet, em Bom Jardim da Serra (SC), o termômetro marcou -0,2°C. 

 

No Sudeste, áreas de instabilidades se organizaram e deram origem a uma terceira frente fria. Esse sistema provocou novamente ventos intensos no Rio de Janeiro, com rajadas de até 73 km/h na estação do Forte de Copacabana, segundo dados do Instituto Nacional de Meteorologia. Novamente a prova de remo foi cancelada.

 

No dia 10 de Agosto, houve registro de recorde de calor em Brasília. A temperatura máxima chegou aos 32,1°C, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. O recorde anterior era de 31,8°C registrado na tarde de 9 de agosto.

 

No dia 11/08 uma massa de ar frio e seco causou queda acentuada de temperatura em Santa Catarina, especialmente em localidades do Oeste, Meio Oeste, Planalto Norte e Planalto Sul que apresentaram temperatura abaixo de zero. A menor temperatura registrada no Estado foi de -1,6°C em Ponte Serrada, segundo dados do Epagri/Ciram. Houve formação de geada fraca e isoladas nas áreas altas de Santa Catarina.

 

Ainda no dia 11 de agosto, um sistema de baixa pressão próximo à costa provocou novamente ventos fortes na cidade do Rio de Janeiro. Foram registradas rajadas de até 63 km/h na estação do Forte de Copacabana, segundo o Inmet.

 

No dia 12 de Agosto, o ar muito seco no centro do país fez a umidade relativa do ar cair muito. Segundo informações do aeroporto e da estação automática do Inmet em Uberlândia, Minas Gerais, a umidade relativa na cidade chegou a apenas 5% que é considerado  estado de emergência. De acordo com a OMS – Organização Mundial de Saúde, níveis de umidade abaixo de 12% requer cuidados especiais com crianças e idosos, evitar exercícios físicos entre 10 e 16hs e aulas podem ser suspensas.  

 

O avanço de uma quinta frente fria provocou ventos fortes no Sul do país. Segundo os dados do Inmet foram registradas rajadas de vento de até 120 km/h em Bom Jardim da Serra (SC), e 100 km/h em Caçapava do Sul (RS). A aproximação desse sistema também provocou ventos fortes em São Paulo, com rajadas de até 61 km/h em Santos e 68 km/h na capital paulista. Devido a passagem desta quinta frente fria, os ventos novamente se intensificaram sobre o Rio de Janeiro. Rajadas de até 82,8 km/h no Forte de Copacabana, de acordo com o Inmet.

 

No dia 18 de agosto uma massa de ar polar já provocava temperaturas negativas em SC, com mínima de -1,8°C em Urupema (SC), segundo o Instituto Nacional de Meteorologia.

 

A sexta frente fria veio acompanhada da mais forte massa de ar polar do mês de agosto. No dia 21 de agosto houve registro de neve no Sul do país. Essa frente fria também provocou chuva significativa sobre a cidade de São Paulo: O Inmet - Instituto Nacional de Meteorologia registrou 46,0 mm entre 9 horas da manhã do dia 20 e 9 horas de 21 de agosto. Foi a maior quantidade de chuva desde o início de junho. Com a chuva volumosa do último fim de semana, agosto de 2016 já é o agosto mais chuvoso na capital paulista desde 2009. Em 21 dias choveu 63,2 mm e o total acumulado em agosto de 2009 foi de 102,8 mm.

 

 

O avanço da sexta frente fria provocou também os ventos mais intensos no Rio de Janeiro neste mês de Agosto. No Forte de Copacabana foram registradas rajadas de vento de 123 km/h na noite do domingo (21), segundo dados do Inmet.

 

De acordo com os meteorologistas da Climatempo, o normal é a passagem de sete frentes frias pelo país, em Agosto. Portanto, está sendo prevista a passagem de mais um sistema frontal pelo sul do Brasil até o fim do mês.

 

Porém, muitas cidades da região central do país, amargam prejuízos causados pela seca dos últimos dois anos e a população aguarda por mais chuva que possa reverter o quadro de estiagem. De acordo com o meteorologista Alexandre Nascimento, o período de seca está longe de acabar e a chuva só deve retornar com regularidade no mês de outubro, adianta.