Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Saiba o que é um eclipse

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Ilustração de eclipse lunar

6 min de leitura

por Josélia Pegorim e Marcos Calil

 

Origem do nome

Originado do grego, εκλιπσειε, significa “desaparecimento”. Sendo assim, tomando como base a origem da palavra Eclipse, podemos afirmar que para Astronomia, um eclipse é o desaparecimento total ou parcial de um objeto celeste pelo outro.

 

No céu, ocorrem diversos eclipses como, por exemplo, quando uma das luas de Júpiter é eclipsada por Júpiter ou uma ocultação de estrela pela Lua, que não deixa de ser um eclipse, quando pensamos na origem da palavra. Mas, o destaque maior para os amantes da Astronomia Observacional ocorre quando temos um eclipse solar ou um eclipse lunar.

 

A diferença entre um eclipse solar e lunar é que o eclipse solar ocorre quando temos um alinhamento entre Sol – Lua – Terra, enquanto, um eclipse lunar ocorre quando temos um alinhamento entre Sol – Terra – Lua.

 

Vamos focar nossas atenções para os eclipse lunares, em especial, para o eclipse lunar penumbral que ocorrerá no amanhecer de 30 de novembro de 2020.

 

 


Tipos de eclipses lunares

Os eclipses lunares são classificados em três tipos:

 

1- Eclipse Lunar Total

2- Eclipse Lunar Parcial

3- Eclipse Lunar Penumbral.

 

 

O que são umbra e penumbra?

Para explicarmos cada um dos eclipses mencionados acima, precisamos antes saber os conceitos relativos a umbra e penumbra. Quando um corpo extenso (não pontual) é iluminado por outro corpo extenso definem-se duas regiões de sombra: a umbra e a penumbra

 

- Umbra: região da sombra que não recebe luz de nenhum ponto da fonte;

 

- Penumbra: região da sombra que recebe luz de alguns pontos da fonte.

 

De forma ilustrativa, a figura 1 abaixo apresenta os conceitos tratados e aplicados a um Eclipse Lunar.

 

 

Firgira1: Regiões de umbra e penumbra da Terra

 


Uma vez entendido o que é umbra e penumbra, vamos agora detalhar os tipos de eclipses lunares.

 

Eclipse Lunar Penumbral

O Eclipse Lunar Penumbral ocorre quando a Lua entra na penumbra da Terra. A consequência do aspecto visual lunar é um leve decaimento no brilho do disco lunar (representado pelo número 2 na figura 2), muitas vezes, passando desapercebido nas cidades com poluição luminosa. A figura 2 apresenta a sequência de um Eclipse Lunar Penumbral.

 

 

Figura 2. Sequência de um Eclipse Lunar Penumbral.

 

 

Eclipse Lunar Parcial

O Eclipse Lunar Parcial ocorre quando, inicialmente, a Lua entra na penumbra da Terra (na figura 3, ilustrada da passagem do número 1 para 2). No momento que a Lua está imersa na penumbra da Terra, podemos afirmar que está ocorrendo um Eclipse Lunar Penumbral (fase 2, ilustrada na figura 3).

 

Porém, com o passar dos minutos a Lua continua sua trajetória, até que então, ocorre a imersão parcial da Lua na umbra da Terra (fase 3, ilustrada na figura 3). Aqui ocorre o Eclipse Lunar Parcial. É neste momento que a Lua apresenta um aspecto “cortado”. Qualquer observador localizado numa cidade com ou sem poluição luminosa, consegue observar esse eclipse a olho nu.

 

 

Figura 3. Sequência de um Eclipse Lunar Parcial.

 

Na sequência, após a Lua ter entrado parcialmente na umbra da Terra, ela começa sua saída da umbra, voltando a entrar totalmente na penumbra da Terra (fase 4, ilustrada na figura 3), ocorrendo novamente um Eclipse Lunar Penumbral.

 

O fim do ciclo do Eclipse Lunar Parcial ocorre quando a Lua sai totalmente da penumbra da Terra (fase 5, ilustrada na figura 3).

 

 

Eclipse Lunar Total

O Eclipse Lunar Total ocorre quando a Lua entra, primeiramente, na penumbra da Terra (momentos 1 para 2, ilustrado na figura 4).

 

Tecnicamente falando, quando a Lua está imersa na penumbra da Terra, ocorre um Eclipse Lunar Penumbral (fase 2, ilustrada na figura 4).

 

Com o passar do tempo, a Lua inicia sua entrada na umbra da Terra, o que significa, que temos neste momento um Eclipse Lunar Parcial, com a Lua apresentado um aspecto “cortado” (fase 3, ilustrada na figura 4).

 

Porém, diferentemente dos eclipses citados anteriormente, a Lua continua sua trajetória de forma que, fica completamente imersa na umbra da Terra (fase 4, ilustrada na figura 4).  É neste momento que ocorre o Eclipse Lunar Total

 

 

Figura 4. Sequência de um Eclipse Lunar Total.

 

O aspecto visual da Lua é perceptível nas cidades com ou sem poluição luminosa, apresentando uma coloração avermelhada, chegando em alguns casos, na cor marrom escura. Após a ocorrência do momento máximo do Eclipse Lunar Total, ou seja, quando ela permaneceu no ponto mais imerso da umbra terrestre, a Lua inicia sua saída da umbra para a penumbra, apresentando novamente um aspecto “cortado”, ou seja, ocorrendo novamente um Eclipse Lunar Parcial (fase 5, ilustrada na figura 4).

 

Passado os minutos, a Lua deixa de apresentar o aspecto “cortado” e inicia sua imersão completa na penumbra da Terra (fase 6, ilustrada na figura 4). Mais uma vez, ocorre o Eclipse Lunar Penumbral. Por fim, quando a Lua sai completamente da penumbra da Terra, ocorre o fim do ciclo do Eclipse Lunar Total (fase 7, ilustrada na figura 4).

 

 

+ mais notícias