Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Furacão Sam, o mais duradouro da temporada do Atlântico em 2021

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

4 min de leitura

Foto: NASA

 

O furacão Sam está desde 24 de setembro sobre o Oceano Atlântico. Nesta terça-feira (05), ainda era um furacão de categoria 1, na escala Saffir-Simpson, sustentando ventos de 130 km/h e atuava na altura da costa do Canadá. Sam é o mais intenso e duradouro furacão da temporada 2021 de furacões no Oceano Atlântico. 

 

Ele atua há 12 dias como um furacão no Oceano Atlântico e é o 12° furacão, desde 1966, com maior duração nesta região, segundo os dados de satélite. Além disso, é o mais duradouro desde o furacão Maria, em 2017, o qual permaneceu 12 dias como furacão no Oceano Atlântico, entre  os dias 17 e 28 de setembro de 2017. (Fontes: Universidade Estadual do Colorado e NOAA).

 

Sam já alcançou ventos de 241 km/h

 

Sam se formou no Oceano Atlântico no dia 23 de setembro como uma depressão tropical, mas se tornou furacão de categoria 1 só no dia 24 de setembro. Porém, a sua maior intensidade foi entre os dias 26 de setembro e 01 de outubro de 2021, quando a velocidade do vento alcançou 241,4km/h e foi classificado como de categoria 4, na escala Saffir-Simpson.

 

WhatsApp Image 2021-10-05 at 15.39.30.

Fonte: Tropical Storm Risk (TSR)

 

Trajetória de Sam


Sam está indo rumo a Islândia e como uma tempestade tropical causará nevasca a partir do dia 06 de outubro sobre o país. Além disso, entre esta terça-feira (05) e o final de semana, vai induzir chuva sobre o Reino Unido e sobre a Irlanda. A chuva será na forma de temporais, com acumulados de mais de 100 mm no norte e noroeste do Reino Unido e no norte da Irlanda.

 

WhatsApp Image 2021-10-05 at 15.31.27.

Fonte: NOAA

 

 

Energia Acumulada do Ciclone (ACE)


Segundo da Universidade do Estado do Colorado, Sam tem uma  Energia Ciclônica Acumulada (de sigla inglesa ACE) de número 53,8 ACE.

 

Este é o  6º lugar para ACE por uma única tempestade no Atlântico no satélite, desde 1966. Ultrapassou até os furacões  Allen (1980) e Matthew (2016).

 

O que é a energia acumulada do ciclone (ACE) nos Furacões?

O dado da energia acumulada do ciclone (ACE) é uma métrica usada para expressar a energia usada por um ciclone tropical durante sua vida. O cálculo analisa os ventos sustentados máximos de um ciclone tropical a cada seis horas e os multiplica por si mesmo para gerar os valores. A soma total desses valores é calculada para obter o total de uma tempestade e pode ser dividida por 10.000 para torná-los mais gerenciáveis ou adicionada a outros totais para calcular o total de um determinado grupo de tempestades.

 

O cálculo foi criado originalmente por William Gray e seus associados na Colorado State University como o índice de Potencial de Destruição de Furacões, que considerava os ventos máximos sustentados de cada furacão acima de 120 km/h e o multiplicava sozinho a cada seis horas.

 

Este índice foi posteriormente ajustado pela NOAA, em 2000, afim de incluir todos os ciclones tropicais, com ventos acima de 65km/h e renomeado para Energia ciclônica acumulada (Accumulated Cyclone Energy, ACE).

 

No Oceano Atlântico, a NOAA usa o índice ACE para classificar as temporadas de furacões em quatro categorias:

 

  •  temporada extremamente ativa - índice ACE acima de 152,5;
  • temporada acima da média - índice ACE acima de 111;
  • estação perto da média - índice ACE entre 66 e 11;
  • temporada abaixo ou normal com relação à média - índice ACE abaixo de 6

 

 

+ mais notícias