Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Viver em São Paulo: o futuro do clima paulistano

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

3 min de leitura

A cidade de São Paulo completa 468 anos no dia 25 de janeiro de 202. Segundo projeções do governo paulista, a população da cidade de São Paulo aumentou 20 vezes em 100 anos. E para 2050, a previsão é de 50% da população paulistana seja idosa, isto é, com 60 anos ou mais.


Em 468 anos o Clima da cidade São Paulo mudou e muito.  É fácil perceber a transformação climática observando as médias climatológicas calculadas para diferentes períodos de 30 anos: São Paulo ficou mais quente, mais seca, com madrugadas menos frias. A chuva aumentou em alguns meses e a garoa sumiu.

 

As alterações no clima paulistano foram ocorrendo com a urbanização e a perda da área de vegetação feitas pela ação do homem. São Paulo se transformou numa ilha de calor. Mas o que esperar do clima de São Paulo nas próximas décadas com o aquecimento global?


Para entender as mudanças do clima da cidade de São Paulo e explicar o futuro do clima paulistano, o podcast O Clima entre Nós conversou com o professor Edmilson Freitas, do Instituto de Astronomia, Geofísica e Ciências Atmosféricas da USP. Ele é físico de formação, mas continuou seus estudos acadêmicos na área das ciências atmosféricas. Suas pesquisas atualmente estão relacionadas aos efeitos causados pelas áreas urbanas, incluindo impactos nos padrões atmosféricos de mesoescala, e diversos aspectos ligados à poluição atmosférica.

 

A vegetação é um dos principais reguladores da temperatura do ar.  Assim, para São Paulo, o recado do professor Edmilson Freitas é muito claro: #maisverde, #maisarvore. 

 

Todos os episódios do podcast O Clima entre Nós podem ser encontrados no site da Climatempo, no nosso canal no Youtube e nas principais plataformas de áudio e podcasts.  

 

Boa escuta!

 

 

 

+ mais notícias