Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Rio Tietê atinge cota de emergência em Mogi e em Guarulhos

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Foto: São Paulo (SP), por Marcelo Pinheiro

5 min de leitura

Foto: São Paulo (SP), por Marcelo Pinheiro

 

Apesar da dissipação da Zona de Convergência do Atlântico Sul, áreas de instabilidade continuam crescendo sobre o estado de São Paulo. Os satélite meteorológicos mostram nuvens carregadas e espalhadas por todo o estado nesta quarta-feira, 2 de fevereiro

 

Por volta das 16h50, radares meteorológicos estão registrando fortes pancadas de chuva em muitos pontos do interior paulista e região da capital e da Grande São Paulo tinha áreas com chuva  moderada a forte. Entre 15 horas e 16 horas, o Centro de Gerenciamento de Emergências registrou 40,6 mm na Vila Prudente. Esta quantidade de chuva é muito elevada para o período de apenas 1 hora. Em Guararema/Lambari, o CEMADEN – Centro Nacional de Monitoramento e Desastres Naturais - registrou 92,9 mm em três horas, entre 13h50 e 16h50

 

A tendência é de que essas áreas de chuva continuem atuantes no decorrer na noite desta quarta-feira no estado de São Paulo e há risco de chuva moderada a forte.

 

Mais chuva na noite desta quarta 

 

A situação é bastante preocupante para a região da grande São Paulo, que vem tendo muitos problemas causados pela chuva intensa do fim de semana passado, que provocou  grandes deslizamentos do fim de semana passado.

Na noite desta quarta-feira, até por volta das 21 horas, há risco de chuva moderada a  forte em todas as áreas da capital e da Grande São Paulo. Depois, no decorrer da noite, a chuva deve cair fraca a moderada. 

 

Como já tem muita água acumulado nos córregos, rios e no solo, o risco de novos deslizamentos, transbordamentos de córregos e rios e alagamentos é alto, mesmo que a chuva não seja tão volumosa quanto no fim de semana passado.

 

 

Atenção especial com o rio Tietê

 

Segundo dados do  SAISP - Sistema de Alerta e Inundações de São Paulo -, dois pontos do rio Tietê estão em situação de emergência, com nível extremamente elevado. A cota de emergência é a que vem antes do extravasamento.

 

Às 17 horas, a cota do rio Tietê, na altura do Estaleiro, em Mogi das Cruzes, era de 736,0 metros, mas na hora anterior oscilou entre 736,02 metros e 736,01 metros, sendo que a cota de extravasamento é de 736,02 metros. Em outro ponto, no Jardim Guaracy, em Guarulhos, a cota do rio Tietê era de 731,15 metros, sendo que o extravasamento ocorre com 731,22 metros e a tendência era de elevação do nível.

 

Situação do rio Tietê no Jardim Guaracy, Guarulhos, às 17h de 2/2/2022

 

 

 

Situação do rio Tietê no Estaleiro, em Mogi das Cruzes, às 17h de 2/2/2022

Na região do Jardim Romano, na zona Leste da cidade de São Paulo, o rio Tietê estava na cota de 731,15 metros, com tendência de subir. A cota de alerta é de 731,25 m

 

Ainda segundo a medição do SAISP,  por volta das 17 horas, o Ribeirão dos Couros/ Mercedes Paulicéia, em São Bernardo do Campo, estava na cota de alerta. Na região da Ford, em São Bernardo do Campo, o Ribeirão dos Couros estava na cota de atenção.

 

Já o Ribeirão dos Meninos, em Santo André, na faculdade de medicina, estava na cota de atenção.

 

Na cidade de São Paulo, o córrego Ipiranga, na praça Leonor Kaupa, atingiu a cota de atenção durante a tarde, mas o nível era de normalidade às 17 horas. O córrego Morro do S, no Capão Redondo, atingiu a cota de alerta, mas baixou para cota de atenção às 16h40.

 

Às 17 horas, o córrego Pirajussara estava na cota de alerta na região da Sharp e de atenção do Extra Taboão.

 

Confira a previsão para os próximos dias na cidade de São Paulo e em todo estado de São Paulo

+ mais notícias