Climatempo

Climatempo Meteorologia

Obter
publicidade

Números do temporal no Grande Rio em 16/02/16

16/02/2016 às 21:44
por Josélia Pegorim

Atualizado 16/02/2016 às 21:53

Temporal no Rio de Janeiro

Nuvens muito carregadas que cresceram em Minas Gerais e no interior do estado do Rio de Janeiro avançaram sobre a região serrana fluminense e sobre o Grande Rio no fim da tarde da terça-feira, 16 de fevereiro, provocando temporais.

A chuva veio forte com muitos raios e rajadas de vento. Em Petrópolis, na região serrana, o grande volume de chuva em pouco tempo causou o transbordamento do rio Quitadinha no centro da cidade e na região da Coronel Veiga. Várias áreas na cidade do Rio e municípios do Grande Rio ficaram alagados.

 

Ainda há risco de temporais até o fim da semana

 

 

Alagamento no Méier

 

 

 

Confira o levantamento até 20h com dados do Instituto Estadual do Ambiente (INEA), Instituto Nacional de Meteorologia e dos aeroportos.

 

Rajadas de vento

O aeroporto internacional Tom Jobim sentiu o temporal a partir das a17 horas.  A visibilidade baixou ótima para 3000 metros às 17h35. Uma rajada de vento chegou aos 57 km/h às 18h45 e outra aos 79 km/h, às 19 horas. O aeroporto Santos Dumont teve rajadas de 40 km/h, às 19 horas.

Tanto o Tom Jobim como o Santos Dumont tiveram que operar por instrumentos para pousos e decolagens por causa da tempestade.

 

Raios

Levantamento feito pela Climatempo junto à rede BrasilDat de descargas elétricas revelou que 4236 raios saíram das nuvens e atingiram o solo no Grande Rio entre 16 e 21 horas de 16 de fevereiro. Só a cidade do Rio de Janeiro recebeu 407 descargas entre 16h e 19h25.

 

Chuva

Em Petrópolis, o rio Quitandinha transbordou no centro e na rua Coronel Veiga.

 Em Magé (Raiz da Serra), segundo o INEA, choveu 93,8 mm em apenas 1 hora, entre 18h45 e 19h45 (Inea). Este volume de chuva é extremamente elevado para um período de tempo tão curto.

Em Xerém choveu 46,4 mm apenas entre 17h e 18h, segundo o Inmet.

 

 

A sequência de imagens de satélite entre 16h e 19h30 mostra a evolução e deslocamento das nuvens de tempestade sobre o Grande Rio. As nuvens mais carregadas aparecem em tons de vermelho.