La Niña acabou. O que vem por aí?

16/02/2017 às 17:41
por Josélia Pegorim

Oferecimento
Quando as ondas de frio vão começar?

O fenômeno La Niña 2016/2017 acabou, conforme as recentes análises da NOAA, dos Estados Unidos, divulgadas em 9 de fevereiro.

A La Niña fraca que tivemos se iniciou no trimestre entre julho-agosto-setembro de 2016 e deixou de existir em fevereiro deste ano, segundo a NOAA. O ápice do fenômeno ocorreu entre setembro e dezembro do ano passado, com anomalia de 0,8°C negativos na região 3.4 na porção central do Pacífico Equatorial.

 

 

Mesmo fraca, a La Niña de 2016/2017 teve um efeito positivo na chuva sobre o Brasil, como avalia o meteorologista da Climatempo, Alexandre Nascimento: "Esse fenômeno favoreceu a ocorrência de chuvas mais regulares no Sudeste e no Centro-Oeste e o retorno das chuvas mais fortes e organizadas sobre o Norte do país. Também tivemos mais chuva na primavera anterior (2016) e neste começo de ano no interior da Bahia, no Maranhão e no Piauí."

O que esperar para o decorrer do ano de 2017? A La Niña poderá voltar? O padrão neutro vai predominar ou vamos terminar o ano em El Niño?

Confira a entrevista com o meteorologista Alexandre Nascimento.

 

 

 

 

Quando as ondas de frio vão começar?

O ano de 2016 começou sob influência de um forte El Niño e que terminou no outono de 2016. Em seguida uma fraca La Niña se estabeleceu. A tendência de resfriamento da água do Pacífico Equatorial ainda no outono de 2016 facilitou a entrada de fortes massas polares no Brasil e dias muito frios voltaram a ser observados já no começo de maio no Sul, em parte do Sudeste e do Centro-Oeste. Até estados como Rondônia, Acre e o sul do Amazonas tiveram friagens precoces.

 

 

 

A La Niña 2017 chegou ao fim. O que esperar para o outono de 2017? Poderemos ter algo semelhante ao ano passado, com grandes ondas frias já no começo da estação?

O meteorologista Alexandre Nascimento analisa: "No ano passado o frio começou em maio e neste ano as primeiras ondas frias devem ser na mesma época. Pode ser que no final de abril já comece a esfriar. No entanto, o que devemos esperar neste ano no inverno é o frio, mas não tão intenso quanto no ano passado. E também não teremos o frio prolongado durante a primavera.

Em ambos os casos, a situação é de neutralidade em relação a El Niño ou La Niña, mas o "vetor" é diferente. No inverno de 2016, saíamos de uma situação de Pacífico Equatorial quente para uma situação mais fria. Neste ano, estamos saindo da La Niña para uma situação ligeiramente mais quente."