Brasília completa 100 dias sem chuva

30/08/2017 às 11:12
por Angela Ruiz

Oferecimento
Umidade baixa na cidade é pior do que no deserto?
Nesta quarta-feria (30) a cidade de Brasília, no Distrito Federal,  completa 100 dias sem uma gota de chuva. A última vez que ocorreu precipitação na cidade foi entre os dias 21 e 22 de maio e acumulou nestes dias, 22,2 milímetros. Em maio, choveu ao longo de todo o mês, um total de 64,3 milímetros, de acordo com dados do Inmet. De lá pra cá, conforme contabilizado não choveu mais.
 
 
Porém, junho, julho e Agosto são os meses mais secos do ano em Brasília. É comum chover pouco.

Curiosidade 

Em 2011, Brasília também registrou neste período com 107 dias consecutivos sem chuva. Em 2010 foram 123 dias sem chuva. Mas o recorde histórico de um longo período de seca em Brasília ocorreu em 1970 e a cidade passou 135 dias sem chuva
 
Foto: Halysson Almeida - Brasília - DF

 

Agosto vai terminar sem chuva na capital federal. O sol brilha forte neste finalzinho do mês e a secura do ar chama a atenção. Por volta das 10hs, da manhã, horário local, o Instituto Nacional de Meteorologia registrou nível de alerta para baixa umidade do ar na cidade de Brazlândia (DF). Neste horário, a umidade era de 20%.

 
De acordo com os meteorologistas, a tendência é que setembro comece com a influência desta massa de ar seco que inibe a formação de nuvens de chuva. Com o forte calor e a ausência de nebulosidade a umidade do ar tende a ficar baixa e chegar a níveis críticos. A população deve estar atenta as informações e cuidados necessários como evitar exercícios físicos nas horas mais quentes do dia e procurar redobrar a ingestão de líquidos.   
 
 

Índice de deserto - Umidade do ar

Índices críticos de umidade relativa do ar, abaixo de 12%, têm sido observados por dias consecutivos no Centro-Oeste do Brasil neste finalzinho de Agosto. Para se ter um aideia, nesta última terça-feira (29), em Brasília, a umidade relativa do ar chegou a 14%, às 16hs, horário local, segundo o Inmet. Em Goiânia, a umidade chegou a nível de emergência e registrou 7%, na estação do aeroporto Santa Genoveva. São valores de umidade equivalentes ao deserto.

 

Leia a notícia: Umidade do ar cai para 7% em Goiânia

 

Mas por que a umidade baixa na cidade é pior do que no deserto?

 

O mais importante em se comparar um ambiente urbano com o deserto não é a concentração e sim o tipo de material que está presente na atmosfera. 

 
As partículas e os gases emitidos pela queima de combustíveis conhecidamente fazem mal à saúde, por interagir com o trato respiratório. A fuligem por exemplo, quando inalada pode chegar até o pulmão e pode gerar problemas respiratórios e cardíacos.
 
No deserto longe de metrópoles, por não existir fontes emissoras de gases/partículas nocivas à saúde como na cidade, temos predominantemente a presença de areia. Esse mineral dificilmente tem tamanho suficiente para entrar em nossas vias respiratórias. Além disso, não conhecemos nenhum trabalho que trate dos efeitos na saúde provocados por inalação de areia.
 
Diante disso, podemos dizer que sim, é mais nocivo respirar o ar das grandes cidades do que do deserto. A meteorologista Bianca Lobo explica qual a diferença de respirar o ar tão seco no deserto e num ambiente urbano. Confira o vídeo abaixo! 
 
 
Colaborou os meteorologistas Marcelo Pinheiro e Bianca Lobo
 

CIDADES RELACIONADAS

Goiânia - GO

15°
min

31°
max

0mm / 0%

Brasília - DF

14°
min

26°
max

0mm / 0%