Seca em São Paulo: já são quase 80 dias praticamente sem chuva

16/07/2018 às 22:39
por Josélia Pegorim

Atualizado 20/07/2018 às 14:40

Oferecimento
Situação é comparável apenas ao ano de 2000, quando choveu 21,5 mm do inicio de maio até o fim da primeira quinzena de julho. Quando vai chover e esfriar?

A falta de chuva na região da cidade de São Paulo chama a atenção desde maio. Pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia, a chuva de maio de 2018 ficou 86% abaixo da média histórica. Foram 10,8 mm acumulados e a média é de 78 mm. Em junho choveu 12,7 mm, 75% abaixo da média histórica para o mês, que é de aproximadamente 50 mm. De 1 a 16 julho não houve nenhum registro de chuva na região do Mirante de Santana, na zona norte capital paulista, local onde o INMET coleta dados meteorológicos da capital paulista desde 1943.

 

 

Quase 80 dias sem chuva

são 34 dias consecutivos sem chuva no MiranteEm 4 destes 34 dias, alguns poucos locais da cidade registraram chuva leve, mas por pouco tempo. O último registro de alguma precipitação na estação meteorológica do Mirante de Santana foi no dia 14 de junho, mas apenas 0,2 mm, que correspondem tecnicamente a chuviscos. Entre 12 e 13 de junho choveu 6,8 mm, o segundo maior acumulado de chuva em 24 horas no Mirante desde o início de maio. 

Mas na prática, São Paulo está praticamente sem chuva há quase 80 dias. Do dia 1 de maio até 16 de julho, portanto em 77 dias, o INMET registrou alguma chuva no Mirante em apenas 8 dias

 

A soma das precipitações de maio e de junho foi de apenas 23,5 mm e ainda não houve registro de chuva no Mirante de Santana em julho! Há quase 20 anos não se tinha uma situação de tão pouca assim neste período. A última vez que isto ocorreu foi em 2000, quando choveu 9,3 mm em maio e 12,2 mm em junho, num total de 21,5 mm nos dois meses. O tempo seco predominou de 1 a 14 de julho de 2000, e entre os dias 15 e 16 de julho daquele ano choveu 37,5 mm.

 

O gráfico mostra a soma das precipitações de maio e junho no Mirante de Santana, de 2000 a 2018.

 

 

Precipitação em maio e em junho em São Paulo (Mirante de Santana/INMET)

 

 

 

Quando volta a chover em São Paulo?

A resposta a esta pergunta não é nada animadora. O padrão de ar seco deve predominar sobre o estado de São Paulo, de forma geral, até o fim de julho. No decorrer da segunda quinzena do mês teremos a passagem de mais 4 frentes frias pelo estado de São Paulo, mas apenas a última, que provavelmente chegará ao estado entre 29 e 31 de julho, terá força suficiente para causar uma mudança no tempo mais profunda e chance de provocar chuva na região da cidade de São Paulo.

 

 

Foto de Thais Cardia, São Paulo (SP)

 

 

Que calor é esse?

Depois de uma semana gelada, com temperaturas abaixo dos 20°C à tarde e madrugadas com menos de 10°C, a população da cidade de São Paulo voltou a sentir calor. A temperatura máxima da segunda-feira, 16 de julho, foi 28,3°C, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia no Mirante de Santana, na zona norte da capital. É um valor bastante elevado para julho e muito acima da média normal de temperatura máxima que é de 22,4°C. A tarde do domingo, 15 de julho, também foi com calor em torno dos 28°C.

A temperatura máxima de 16 de julho foi a segunda maior do inverno de 2018, até agora, que começou em 21 de junho. A temperatura mais elevada do inverno deste ano, por enquanto, é de 28,5°C, no dia 24 de junho. 

 

Por que esquentou novamente?

Na semana passada esfriou muito porque uma forte frente fria passou pelo estado de São Paulo. Foi uma semana inteira com a presença de muito ar frio de origem polar e que deixou a temperatura baixa também na cidade São Paulo.

Mas de forma natural, o ar frio intenso se movimentou e se afastou do litoral paulista, o que facilitou a elevação da temperatura no fim de semana. O sol forte e ventos quentes soprando sobre a cidade ajudaram a elevar a temperatura. A tarde do domingo, 15 de julho, já foi quente em todo o estado de São Paulo.

 

Quando volta a esfriar?

Quem quer de volta o frio de inverno como na semana passada terá que esperar vários dias ainda. A temperatura não deve ter nenhuma queda acentuada até o fim do mês. Quatro frentes frias passam pelo litoral paulista até 31 de julho, mas suas massas polares não entram fortes no estado de São Paulo. A massa de ar polar da última das 4 frentes frias deve resfriar o ar no começo de agosto.

 

Calores de julho

Julho é um mês de inverno, sim, mas pode ter temperaturas altas e atípicas.

Não faz muito tempo que São Paulo sentiu calor de verão em julho. Pelo histórico do INMET, a maior temperatura em julho de 2017 foi de 26,1°C, mas em 15/7/2016, a cidade experimentou o calor de de 29,2°C. Em julho de 2015, a temperatura chegou aos 29,3°C.

O recorde de calor para um dia de julho (a partir de 1952) é de 30,2°C, em 2006.

CIDADES RELACIONADAS

São Paulo - SP

10°
min

19°
max

0mm / 0%