Chuva de outubro foi muito volumosa em MS e no Sul do BR

30/10/2018 às 22:46
por Josélia Pegorim

Oferecimento

A região entre o sul de Mato Grosso do Sul, o extremo oeste de São Paulo, o centro-norte e leste do Paraná, o oeste de Santa Catarina e o noroeste do Rio Grande do Sul foi a que teve o maior volume de precipitação no Brasil durante o mês de outubro de 2018. O mês termina com acumulados acima de 250 a quase 400 mm em muitas áreas desta região, o que representa mais do que a média normal de chuva para outubro.



Chuva demais no sul de MS

O que mais impressiona é o volume de chuva sobre o sul de Mato Grosso do Sul. Choveu de 250 mm a 350 mm de forma generalizada. Mas em Caarapó, o INMET registrou quase 450 mm em outubro, até o dia 30. Em Juti choveu aproximadamente 400 mm. O sul de Mato Grosso do Sul foi a região que teve a chuva mais volumosa e frequente no Brasil durante o mês de outubro.

 

 

Foto de Alexandre Carvalho, Caarapó (MS)

 

 

Muito acima da média

Muitos locais no sul de Mato Grosso do Sul acumularam mais de 300 mm de chuva, mas volumes da ordem de 300 mm também foram observados no sul e sudoeste do Paraná e no oeste de Santa Catarina.

A região de Foz do Iguaçu (PR) acumulou aproximadamente 370 mm de chuva e outubro de 2018 e em Icaraíma choveu quase 340 mm. Em Santa Catarina, a região de Xanxerê, no oeste de Santa Catarina acumulava cerca de 330 mm no dia 30 de outubro.

 

O mapa inferior é a chuva acumulada de 1 a 29  de outubro, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia. O mapa superior mostra a média normal de chuva para outubro. Para os padrões de outubro, volumes de 250 mm ou mais representam mais chuva do que média normal em praticamente todo o país.



 

 

Itaipu verte pela primeira vez em 6 meses

A chuvarada de outubro na região entre o sul de Mato Grosso do Sul, o extremo oeste de São Paulo, o centro-norte e leste do Paraná, o oeste de Santa Catarina e o noroeste do Rio Grande do Sul teve um grande impacto na bacia do rio Paraná, que a principal alimentadora da usina de Itaipu. O rio Paraná faz a divisa de São Paulo com o Mato Grosso do Sul, do Paraná com o Mato Grosso do Sul, faz a fronteira do sul do Paraguai com a Argentina e depois corta várias províncias no nordeste da Argentina até desaguar no mar, no estuário do rio da Prata.

 

Em nota no seu site, a empresa Itaipu Binacional informou que, com o excesso de chuva em outubro e a redução na geração determinada pelo Operador Nacional do Sistema (ONS), sobrou água em Itaipu. A usina verteu às 21 horas do sábado, 27 de outubro, o que não acontecia há seis meses. O pico do vertimento ocorreu às 22 horas de sábado, com 1.178 metros cúbicos de água por segundo. As comportas foram fechadas às 7h07 da segunda-feira, 29.

A última vez que Itaipu verteu foi em março deste ano, mas por questões operacionais. A chuva volumosa de outubro de 2018 na região de Itaipu vai permitir que a bandeira tarifária de energia elétrica saia do vermelho entre na banda amarela (custo menor para população) a partir de novembro.

 

CIDADES RELACIONADAS

São Paulo - SP

17°
min

24°
max

12mm / 90%