Julho de 2019 foi o mês mais quente da história

05/08/2019 às 20:29
por Josélia Pegorim

Oferecimento
Temperatura média ultrapassou em 0,04ºC o recorde anterior de 2016.

Julho de 2019 foi o mais mês mais quente já registrado no mundo e este ano está a caminho de ser o mais quente da história, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (05/08) pelo serviço europeu Copernicus sobre mudança climática.

 

"O mês de julho é geralmente o mais quente do ano no mundo, mas de acordo com os nossos dados o último também foi o mês mais quente já registrado globalmente", afirmou o responsável pelo Copernicus, Jean-Noël Thépaut, em comunicado.

Thépaut acrescentou que "com a continuação das emissões de gases de efeito de estufa e o impacto global das temperaturas, os recordes continuarão a ser quebrados no futuro".

 

O mês foi marcado por ondas de calor que atingiram a Europa e com temperaturas

excepcionalmente altas ao redor do Círculo Ártico. Além disso, incêndios sem precedentes devastaram partes da Sibéria e do Alasca, liberando mais de 100 milhões de toneladas de dióxido de carbono na atmosfera entre junho e julho.

 

Recordes de temperaturas foram quebrados em diversos países europeus, como a Alemanha, Bélgica ou Holanda. Em Paris, por exemplo, os termômetros marcaram 42,6°C, a temperatura mais alta já registrada na capital francesa, ultrapassando o recorde anterior de 40,4°C alcançado em 1947.

 

Em comparação com o período entre 1981 e 2010, as temperaturas médias de julho ficaram acima do normal no Alasca, Groenlândia e partes da Sibéria, bem como na Ásia Central e partes da Antártida. As temperaturas na África e Austrália também ficaram acima da média.

 

Segundo dados do Copernicus, o mês de julho foi 0,04ºC mais quente do que o recorde anterior: de julho de 2016, ano marcado pela influência do fenômeno atmosférico-oceânico El Niño, que tende a elevar as temperaturas.

 

O Copernicus acrescentou que a temperatura em julho de 2019 foi 0,56ºC acima da média do período entre 1981 e 2000, quase 1,2ºC acima do nível pré-industrial, a linha de base dos especialistas em clima das Nações Unidas.

 

"Sempre houve verões quentes, mas este não é o verão da nossa juventude, não é o verão dos nossos avós", comentou, há alguns dias, o secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres.

 

A Organização Meteorológica Mundial (OMM) estima que 2019 fique entre os cinco anos mais quentes já registrados. "Julho reescreveu a história climática com dezenas de recordes de temperatura local, nacional e global", afirmou o secretário-geral da agência, Petteri Taalas, num comunicado e destacou que o aquecimento global é o responsável por essa mudança.

 

Segundo o Copernicus, todos os meses do ano ficaram entre os mais quentes já registrados para o período, com junho e julho batendo recordes. A medição das temperaturas teve início por volta de 1880.

 

Em comunicado, o serviço europeu apontou, no entanto, que o aumento de temperatura média para julho foi tão pequeno que é possível que outras organizações que analisam dados com outros métodos, não cheguem à mesma conclusão. A Agência Atmosférica dos Estados Unidos ainda não publicou as suas conclusões para o mês.

 

Apenas um ano do século 21 não está entre os mais quentes já registrados. Cientistas apontam o aquecimento global impulsionada pela ação humana para justificar essa mudança.

 

 

 

Julho de 2019, o mais quente da história_DW_5-8-19_capa

Temperaturas passaram dos 40ºC em várias cidades alemãs

FASES DA LUA

  • Cheia
    15/08
  • Minguante
    23/08
  • Nova
    01/08
  • Crescente
    07/08

ESTAÇÕES DO ANO

  • Inverno
    21/06
  • Primavera
    23/09
  • Verão
    22/12
  • Outono
    20/03