Concentração de gases do efeito estufa bate recorde em 2018

26/11/2019 às 11:56
por Redação

Oferecimento
Segundo OMM, nível de gases que causam aquecimento global aumentou em 2018 num ritmo superior à média

A concentração na atmosfera de gases que provocam o efeito estufa e causam o aquecimento global bateu recorde em 2018, aumentando mais rápido do que a média registrada na última década, segundo um relatório divulgado nesta segunda-feira (25/11) pela Organização Meteorológica Mundial (OMM).

 

"Não há sinais de uma desaceleração, muito menos de uma diminuição, na concentração de gases do efeito estufa na atmosfera, apesar de todos os compromissos assumidos no âmbito do Acordo de Paris sobre as mudanças climáticas", afirmou o secretário-geral da OMM, Petteri Taalas.

 

"Essa tendência contínua de longo prazo significa que as gerações futuras terão que enfrentar impactos cada vez mais graves das mudanças climáticas, incluindo aumento de temperatura, clima mais extremo, estresse hídrico, aumento do nível do mar e perturbação de ecossistemas marítimos e terrestres", acrescentou Taalas.

 

O relatório anual da agência da ONU indica que a concentração média de dióxido de carbono – gás responsável por aproximadamente dois terços do aquecimento da Terra – atingiu 407,8 ppm (partes por milhão) em 2018, superando a taxa média de aumento de 2,06 ppm registrada entre 2005 e 2015. No ano anterior a concentração foi de 405,5 ppm.

 

A concentração registrada em 2018 é 146% maior do que o nível da era pré-industrial, de 1750, segundo a OMM, que usa os dados recolhidos em estações meteorológicas no Ártico, zonas montanhosas e ilhas tropicais. "A última vez que a Terra experimentou uma concentração comparável de CO2 foi há 3 a 5 milhões de anos", revelou Taalas.

 

Por sua vez, o segundo gás prevalente na atmosfera e responsável por 17% do aquecimento global, o metano, atingiu uma concentração na atmosfera de 1,86 ppm, uma aumento de 259% em relação ao nível da era pré-industrial.

 

Os números não se referem à quantidade desses gases que foi emitida, mas à que permanece na atmosfera. Independente de medidas futuras para a redução de emissões, o dióxido de carbono perdura por séculos, mantendo dessa maneira a tendência de aumento do aquecimento global.

As emissões são o principal fator que determina a quantidade de níveis de gases-estufa, mas as taxas de concentração resultam de uma série de interações complexas entre atmosfera, biosfera, litosfera, criosfera e oceanos. Atualmente, cerca de 25% de todas as emissões são absorvidas pelos oceanos e ecossistemas.

 

Segundo o Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas (IPCC), para manter o aquecimento global abaixo de 1,5 ºC em relação à era pré-industrial, as emissões líquidas de CO2 precisam ser reduzidas a zero, sendo limitadas ao nível que a Terra consegue absorver.

 

Em 2015 foi firmado o principal instrumento para atingir essa redução de emissões, o Acordo de Paris sobre o clima, que tem se mostrando insuficiente para combater o problema. Recentemente, os Estados Unidos, historicamente o maior emissor de gases-estufa do mundo, confirmaram sua saída do pacto.

FASES DA LUA

  • Minguante
    19/12
  • Nova
    26/12
  • Crescente
    04/12
  • Cheia
    12/12

ESTAÇÕES DO ANO

  • Primavera
    23/09
  • Verão
    22/12
  • Outono
    20/03
  • Inverno
    20/06