Região Sudeste - previsão para o verão 2020

18/12/2019 às 16:30
por Josélia Pegorim

Atualizado 19/12/2019 às 11:14

Oferecimento
Situação é de neutralidade no Pacífico. Temperatura da água do Atlântico Sul vai colaborar para trazer frentes frias para o Sudeste.

Para a maioria das áreas da Região Sudeste, os meses de verão, considerando o período de dezembro a março, são os mais chuvosos do ano. O mês de janeiro, em particular, tem médias Climatológicas de precipitação da ordem de 300 mm em vários locais de Minas Gerais e de São Paulo

 

A média climatológica é um valor calculado para um série de medições de 30 anos. Para ter uma média de 300 mm, significa que em muitos janeiros choveu pelo menos este valor. É muita água que cai na forma de temporais de curto período e em vários dias consecutivos de chuva, quando ocorre a ZCAS, Zona de Convergência do Atlântico Sul.

 

O verão de 2019 ficou devendo muita chuva para a Região Sudeste e por isso, Belo Horizonte vai terminar o ano de 2019 com cerca de 40% menos chuva do que deveria ter.

O verão 2020 deve trazer a chuva volumosa de volta para o Sudeste e não deve ter muitos dias de calor extremo, como foi o verão passado.



El Niño ou La Niña?

O verão 2019/2020 não terá El Niño e nem La Niña, fenômenos oceânicos-atmosféricos que ocorrem na porção central e leste do oceano Pacífico Equatorial e que alteram os padrões de chuva e na temperatura do Brasil e de outros países da América do Sul

Tecnicamente o verão 2019/2020 será com uma situação de neutralidade no Pacífico Equatorial. 



Temperatura do Atlântico tem maior importância

O temperatura da água do oceano Atlântico, especialmente do Atlântico Sul, que banha toda costa leste do Brasil, do Uruguai e da Argentina, terá maior peso no comportamento da chuva e da temperatura sobre o Brasil no verão 2019/2020.

A situação da temperatura do Atlântico Sul neste verão será bastante favorável para a formação de ZCAS - Zona de Convergência do Atlântico Sul -, que é um dos principais sistemas meteorológicos do verão no Brasil. Quando ocorre, é responsável por grande parte da chuva da estação nos estados do Sudeste e do Centro-Oeste. 

Patricia Madeira, da equipe previsão climática da Climatempo, faz uma observação importante para o verão 2019/2020: “o ponto de parada das frentes frias está no Rio De Janeiro (descontinuidade de TSM - temperatura superficial da água do mar), facilitando a ocorrência de chuva no Sudeste.”



Previsão para o verão 2020 na Região Sudeste

 

Janeiro

Muitas áreas de instabilidade sobre o Sudeste, com possível formação de ZCAS. Muita chuva e temperatura abaixo do normal. Não faz frio, mas também não há previsão de muito calor como observado em janeiro de 2019.

 

 

Anomalia de precipitação prevista para janeiro de 2020

 

Fevereiro

Há previsão de formação de ZCAS em fevereiro, que vai deixar o total acumulado muito acima da média em MG e no RJ. 

A temperatura fica amena em grande parte do Sudeste, sem o calor observado em fevereiro de 2019.

O centro-oeste e sul de SP têm uma situação diferente e um mês de fevereiro com chuva abaixo da média, com pancadas de chuva irregulares e temperatura alta.

 

 

Anomalia de precipitação prevista para fevereiro de 2020

 

Março

Uma frente fria bem organizada provoca altos volumes de chuva no ES e no norte de MG. Nas outras áreas do Sudeste, o sol predomina e faz calor.

É provável que os recordes de calor do verão sejam registrados em março.

As chuvas são irregulares, mas não deve haver grande deficiência hídrica, apesar de ficarem abaixo da média.

 

Anomalia de precipitação prevista para março de 2020

 

CIDADES RELACIONADAS

São Paulo - SP

20°
min

30°
max

20mm / 83%

Rio de Janeiro - RJ

21°
min

36°
max

0mm / 0%