NOAA prevê temporada ativa de furacões no Atlântico em 2020

04/06/2020 às 20:04
por Redação

Oferecimento
Vários fatores climáticos indicam que atividade acima do normal é mais provável.

De acordo com os previsores do Centro de Previsão Climática da NOAA, uma divisão do Serviço Nacional de Meteorologia dos Estados Unidos, a temporada de furacões no Atlântico deve ser acima do normal em 2020.  As perspectivas prevêem 60% de chance de uma temporada acima no normal, 30% de chance de uma temporada próxima do normal e apenas 10% de chance de uma temporada abaixo do normal. A temporada de furacões no Atlântico começa no dia 1 de junho e termina no dia 30 de novembro.

 

Quantos furacões são esperados para 2020?

O Centro de Previsão Climática da NOAA está prevendo de 13 a 19 tempestades tropicais nomeadas (ventos de 62 km/h ou mais), das quais de 6 a 10 podem se tornar furacões (ventos de 118 km/h ou mais), incluindo de 3 a 6 furacões maiores (categoria 3,4 ou 5, com ventos de 177 km/h ou mais).

 

A confiança nesta previsão foi estimada em 70%, segundo a NOAA. Uma temporada média de furacões produz 12 tempestades com nomes, das quais 6 se tornam furacões, incluindo 3 furacões maiores.

 

“Enquanto a atenção dos americanos se volta para uma abertura segura e saudável do nosso país, continua sendo de extrema importância que as pessoas também lembrem de fazer os preparativos necessários para a próxima temporada de furacões,” disse o Secretário de Comércio Wilbur Ross.

 

“Assim como no ano passado, os especialistas da NOAA vão permanecer à frente do desenvolvimento de furacões e tempestades tropicais e fornecer as previsões e avisos de que dependemos para permanecermos seguros.”

 

 

Fatores climáticos que aumentam o risco de furacões

A combinação de diversos fatores climáticos severos levam a uma grande probabilidade de atividades acima do normal no Atlântico este ano.

 

Espera-se que as condições do El Niño-Oscilação Sul (ENOS) permaneçam neutras ou tendam a uma La Niña, o que significa que não haverá um El Niño presente para suprimir a atividade de furacões

 

Além disso, temperaturas mais altas que a média da superfície do mar no Oceano Atlântico tropical e no Mar do Caribe, juntamente com a redução do cisalhamento vertical do vento, ventos mais fracos do Atlântico tropical e uma monção da África Ocidental aprimorada, aumentam a probabilidade de uma temporada de furacões no Atlântico ser acima do normal. Condições similares vêm produzindo temporadas mais ativas desde que a atual era de alta atividade começou em 1995.

 

“A análise da NOAA sobre a atual condição sazonal da atmosfera revela uma receita para uma temporada ativa de furacões no Atlântico este ano,” disse Neil Jacobs, Ph.D., administrador interino da NOAA. “Nossos especialistas em previsão, juntamente com atualizações em nossos modelos de computadores e tecnologias de observação, fornecerão previsões precisas e rápidas para proteger a vida e a propriedade.”

 

Este ano, como em qualquer estação de furacões, os homens e mulheres da NOAA permanecem prontos para fornecer as previsões e avisos que salvam vidas e que o público confia. E, enquanto as tempestades mostrarem sinais de desenvolvimento, os aviões caçadores de furacões da NOAA estarão preparados para coletar dados valiosos para nossos meteorologistas e modelos de computador.

 

Os nomes dos furacões 2020

 

Nomes dos furacões da temporada 2020 do Atlântico

 

 

Ferramentas para melhorar as previsões

A NOAA também está lançando novas atualizações para produtos e ferramentas que vão melhorar ainda mais os serviços críticos durante a temporada de furacões. Atualizações vão ser feitas no HWRF (Sistema de Previsão e Pesquisa Meteorológica para Furacões) e  no HMON (Modelos oceânicos multi-escala não-hidrostáticos para furacões) neste verão. HWRF vai incorporar novos dados de satélites e radar da rede de dados Doppler costeira da NOAA para ajudar a produzir melhores previsões do percurso e intensidade dos furacões durante o período crítico de observação e aviso. O HMON passará por aprimoramentos para incluir maior resolução, física aprimorada e acoplamento com modelos oceânicos.

 

 

À medida que a temporada de furacões começa, a NOAA vai começar a alimentar dados dos satélites COSMIC-2 em modelos climáticos para ajudar a rastrear a intensidade dos furacões e aumentar a precisão das previsões. O COSMIC-2 fornece dados sobre temperatura, pressão e umidade do ar nas regiões tropicais da Terra - exatamente onde se formam os sistemas de furacões e tempestades tropicais.

 

Também durante a temporada de furacões de 2020, a NOAA e a Marinha dos EUA vão implantar uma frota de planadores autônomos de furacões de mergulho para observar as condições no tropical Oceano Atlântico e no Mar do Caribe em áreas onde os furacões historicamente viajaram e se intensificaram.

 

 

Além das perspectivas da temporada de furacões no Atlântico, a NOAA também emitiu perspectivas sazonais de furacões para as bacias do Pacífico leste e central.

 

A previsão da NOAA é para a atividade sazonal geral e não é uma previsão de terra firme. O Centro de Previsão Climática vai atualizar as perspectivas sazonais do Atlântico 2020 em agosto, antes do pico histórico da temporada.

 

 

Este texto é uma tradução e adaptação de conteúdo publicado pela NOAA. Para acessar a publicação original, clique aqui.