Quando a onda de calor vai terminar?

02/10/2020 às 11:59
por Redação

Oferecimento
Recordes históricos de calor já foram batidos em estados do Centro-Oeste e do Sudeste do Brasil

Fazer calor na primavera no Brasil, com temperaturas em torno dos 40°C, mesmo no começo da estação, não é novidade, especialmente nos estados do Centro-Oeste, do Norte e no interior do Nordeste.

 

Mas quando amplas áreas do país começam a registrar temperaturas entre 40°C e 44°C,  por vários consecutivos, então temos uma situação atípica, especial e perigosa para a população que precisa ser alertada.  O calor extremo agrava os problemas causados pela falta de chuva prolongada, que é comum no país durante o inverno.

 

Esta intensa e grande onda de calor que se instalou sobre o Brasil nos últimos dias de setembro e no começo de  outubro do 2020 bateu recordes históricos da primavera de 2014, quando o Brasil também teve uma excepcional onde de calor.

Dentro desta onda de calor, até o dia 2 de outubro de 2020,  medições do INMET - Instituto Nacional de Meteorologia - já haviam revelado a quebra ou a equiparação de recordes históricos de calor em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e São Paulo

 

Alguns exemplos de recordes de calor extremos observados no Brasil até 2/10/2020

Cuiabá (MT): 44°C em 30/9/2020 (maior temperatura desde dezembro de 1910 e entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Água Clara (MS) 44,4°C em 1/10/2020 (recorde histórico e entre as entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Coxim (MS): 44,1°C em 30/9/2020(recorde histórico e entre as entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Corumbá (MS):  43,4°C em 1/10/2020 (segunda maior temperatura de sua história, abaixo apenas do recorde histórico de 43,8°C de 15/11/1962 e  entre as entre as 10 temperaturas mais elevadas registradas pelo INMET no Brasil)

Goiânia (GO): 40,4°C (igualou o recorde recorde histórico ocorrido em 17/10/2015)

São Paulo (SP): 37,1°C nos dias 30/9/2020 e 1/10/2020 ( segunda maior temperatura na capital paulista desde 1943)

Lins (SP): 41,9°C em 30/9/2020

Jales (SP): 41,7°C em 30/9/2020

 

Bloqueio de frentes frias

A maioria das frentes frias de agosto e de setembro de 2020 foram bloqueadas no extremo sul do Brasil. O ar frio de origem polar destas frentes frias foi desviado para alto-mar, sem conseguir penetrar pelo interior do país para se misturar com o ar quente e aliviar o calor.

Sem o ar polar, o ar quente foi se intensificando sobre o país mantendo as temperaturas muito elevadas e por vários dias.

 

Confira a previsão para a primavera no Brasil

 

Quando o calorão vai terminar?

No fim de semana de 3 e 4 de outubro, a passagem de uma frente fria pelo Sul e pelo litoral da Região Sudeste causa queda da temperatura no Sul do Brasil, no sul e leste de São Paulo, no extremo sul de Minas Gerais e no estado do Rio De Janeiro.  Mas o ar quente continua a predominar sobre ampla área do Brasil até por volta do dia 10 de outubro. 

 

É a partir do dia 11 de outubro que se espera mudanças na circulação dos ventos sobre a América do Sul quebrando bloqueio que tem impedido a chegada de frentes frias ao interior do Brasil.

 

O mês de outubro segue quente, mas a partir do dia 11 ou 12 de outubro teremos o calor normal para esta época e não temperaturas extremas e em amplas áreas do país, como vem sendo observado desde o fim de setembro.

 

Além disso, há expectativa de pancadas de chuva durante a segunda quinzena de outubro de 2020 que vão ajudam a evitar o aquecimento extremo do ar.

 

Confira a análise completa sobre o fim da onde de calor com a meteorologista Josélia Pegorim

 

 

CIDADES RELACIONADAS

Cuiabá - MT

23°
min

32°
max

17mm / 90%

São Paulo - SP

17°
min

25°
max

0mm / 0%