Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Ciclone subtropical se intensifica na costa entre SC e RJ

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

7 min de leitura

Ciclone subtropical se intensifica na costa entre SC e RJ

Sistema deve ganhar força no decorrer desta segunda-feira, 19, e poderá ser a primeira tempestade subtropical em abril em águas oceânicas brasileiras

 

 

Como a Climatempo alertou no fim de semana passado, uma área de baixa pressão atmosférica se organizou sobre o oceano, entre o litoral de Santa Catarina e do Rio De Janeiro formando um ciclone com características subtropicais.

Na manhã da segunda-feira, 19 de abril, a Marinha do Brasil oficialmente caracterizou este sistema como uma depressão subtropical. Se esta baixa pressão atmosférica continuar evoluindo, ganhando mais força, como é o esperado, se transformará em uma tempestade subtropical e, neste nível, será nomeada, isto é, vai receber um nome.  A expectativa da Marinha do Brasil é que isto ocorra ainda no decorrer desta segunda-feira.

 

Apenas a Marinha do Brasil pode “batizar” os sistemas meteorológicos especiais que por ventura se formem em águas oceânicas brasileiras. Somente os sistemas que alcançam força suficiente para ser uma tempestade subtropical recebem um nome. Isto acontece quando o vento produzido pelo sistema atinge velocidades iguais ou superiores a 34 nós, aproximadamente 61 km/h

Na análise feita pela Marinha na manhã desta segunda-feira, o vento máximo estimado por satélite ficou na faixa de 25 nós a 30 nós (45 km/h a 55 km/h). 

Ainda segundo a Marinha, o centro da baixa pressão atmosférica associada a esta depressão subtropical se encontrava a aproximadamente 300 milhas náuticas (555 km) à leste da costa do

estado de Santa Catarina e a 250 milhas náuticas (450 km) ao sul da costa do estado do Rio de Janeiro,

 

Se esta depressão subtropical realmente se intensificar para uma  tempestade subtropical será batizada de Potira (flor) e será o primeiro sistema deste tipo a se organizar em abril na costa leste brasileira, pelo menos desde 2011, ano em que a Marinha do Brasil passou a nomear os sistemas meteorológicos especiais que se organizam na costa brasileira.  

 

Em 2018, a Marinha atualizou a lista de nomes para possíveis ciclones que se formem na costa brasileira, que são nomes indígenas. A nova lista passou a ter 15 nomes e a anterior tinha 10 nomes.

 

Confira a lista completa com a época e local de formação dos sistemas nomeados até agora. 

 

 1 - Arani (tempo furioso) - março 2011 - RJ/ES

 2 - Bapo (chocalho) - fevereiro 2015 - SP

 3 - Cari (homem branco) - março 2015 - SC

 4 - Deni (tribo indígena) - novembro 2016 - RJ

 5 - Eçaí (olho pequeno) - dezembro 2016 - SC

 6 - Guará (lobo do cerrado) - dezembro 2017 - ES/BA

 7 - Iba (ruim) - março 2019 - BA

 8 - Jaguar (lobo) - maio 2019 - RJ

 9 - Kurumí (menino) - janeiro de 2020 - ES/RJ

 10 - Mani (deusa indígena) - final de outubro de 2020 - ES/RJ

 11 - Oquira (broto de folhagem) - dezembro 2020 - RS

 12 - Potira (flor) 

 13 - Raoni (grande guerreiro)

 14 - Ubá (canoa indígena)

 15 - Yakecan (o som do céu)

 

 

Aviso especial divulgado pela Marinha do Brasil

 

AVISO NR 322/2021
AVISO ESPECIAL (válido até 21h de 20/4/2021, hora de Brasília)
EMITIDO ÀS 1330 HMG - SEG - 19/ABR/2021
DEPRESSÃO SUBTROPICAL COM PRESSÃO CENTRAL DE 1010 HPA EM 27S043W, MOVENDO-SE PARA LESTE/NORDESTE, COM VENTOS FORÇA 7/8, AFETANDO AS ÁREAS ALFA, CHARLIE E DELTA, AO SUL DE 22S, E VENTOS FORÇA 8/9 AFETANDO AS ÁREAS BRAVO E SUL OCEÂNICA AO SUL DE 25S. MAR GROSSO/MUITO GROSSO ASSOCIADO. POSIÇÃO ESTIMADA EM 200000 HMG EM 26S041W COM PRESSÃO CENTRAL DE 1006 HPA. POSIÇÃO ESTIMADA EM 201200 HMG EM 26.5S040W COM PRESSÃO CENTRAL DE 1004 HPA.
VÁLIDO ATÉ 210000 HMG.

 

 

Carta meteorológica mostra posição da depressão subtropical

 

Depressão subtropical com 1010 hPa sobre o mar, na altura de SP e RJ

 

 

Situação atual

 

A animação das imagens captadas pelo satélite GOES na tarde de 19/4/2021 mostra o agrupamento de nuvens sobre o mar, entre Santa Catarina e o sul do Rio de Janeiro, com movimento no sentido horário, obedecendo o sentido do horário do vento gerado pela baixa pressão atmosférica da depressão subtropical.

 

 

depressão sub potira anima 19-4-2021_2

Nuvens carregadas de uma depressão subtropical é vista sobre o mar entre o litoral de SC e do RJ

 

 

 

 

Quais os efeitos deste ciclone no Brasil?

 

Vento forte e mar agitado

 

Independente desta baixa pressão atmosférica evoluir ou não para um ciclone subtropical, e o sistema tenta provocar ventos moderados a fortes sobre o oceano, deixando o mar agitado em parte da costa do Sudeste também do Sul do Brasil. 

Até o fim da desta semana, em vários dias, rajadas de vento moderadas a fortes  poderão ser sentidas no litoral dos estados das Regiões Sul e Sudeste,  com maior frequência em Santa Catarina, Paraná, São Paulo e centro-sul do Rio de Janeiro

 

Chuva volumosa

A intensificação do vento produzido por esta baixa pressão atmosférica, que foi considerada uma depressão subtropical na manhã de 19/4/2021, injeta mais umidade entre o leste de SC e do RJ. Isto aumenta as áreas de instabilidade nestas regiões que poderão causar chuva moderada a forte em áreas como o Vale do Itajaí, o litoral norte de Santa Catarina, o litoral do Paraná e também o litoral sul de São Paulo no Rio de Janeiro. Atenção para grandes volumes de chuva acumulados nos nos próximos dias que poderão causar transtornos para a população.

  

Climatempo está atenta com a evolução deste ciclone subtropical e atualizará as informações no site para manter a população  informada.

 

 

Veja mais informações sobre ondas e mar aqui

 

+ mais notícias