Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Ciclone provoca ventania e ressaca no litoral do Sul e Sudeste

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

5 min de leitura

Foto: IStock

 

Devido o vento intenso, acima de 34 nós, o ciclone subtropical que atua no oceano ao largo do litoral sul e sudeste do Brasil foi caracterizado como tempestade subtropical. A marinha do Brasil batizou esse sistema com o nome de Potira.

 

 

Confira aqui os diferentes tipos de ciclone e suas características

 

Nessa terça-feira (20) pela manhã o centro de baixa pressão estava a cerca de 450km do litoral do RJ e cerca de 650km da costa de SC, com pressão estimada em 1006hPa, como indicado na imagem abaixo (GOES-16).

 

Imagem2

 

Entre a terça(20) e quarta-feira(21), o ciclone atua ao largo do Sudeste com deslocamento leste/nordeste como indicado nas figuras abaixo:

 

 

Imagem3

Manhã de terça-feira, 20 de abril.

 

Imagem4

Noite de quarta-feira, 21 de abril.

 

Vento forte

A presença desta área de baixa pressão influencia de forma mais significativa o litoral do Rio De Janeiro, provocando vento forte entre a terça-feira (20) e a madrugada de quarta-feira (21). No litoral fluminense o vento predominante é do quadrante sudoeste. A previsão é de vento mais intenso no decorrer da terça-feira(20), com rajadas entre 50 e 70km/h podendo ser ainda mais intensas, por volta de 80km/h, na região entre Cabo Frio e o Cabo de São Tomé.

 

Previsão de vento moderado a forte na faixa costeira entre o litoral do Rio Grande do Sul e de São Paulo. A direção predominante varia de leste no Rio Grande do Sul a sul na costa paulista. As rajadas nesse trecho ficam entre 30 e 50km/h.

 

Mar agitado e ressaca

Para a formação de trens de ondas significativos, é necessário vento forte soprando em uma extensa área oceânica. É o que acontece nos próximos dias.


A previsão é de vento muito forte soprando sobre o oceano em uma extensa área de mar aberto. Outro fator que contribui para a elevação do mar é a persistência. Quanto maior o período de atuação dos sistemas meteorológicos, mais energia é transferida e mais significativas são as ondas.

 

Nessa terça-feira (20), o mar já fica agitado em toda a faixa costeira entre o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro. O mapa abaixo indica a previsão de altura das ondas para a noite. Nas praias do Sul e de São Paulo, a ondulação do mar é de sudeste e a altura das ondas fica entre 2 e 2,5 metros. Na nas praias do Rio de Janeiro, as ondas vem de sul e a altura das ondas à noite chega a 3 metros.

 

Imagem5

 

No decorrer da quarta-feira(21), o mar fica ainda mais agitado, com forte ressaca em todo o litoral entre o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro. A altura das ondas chega a 4 metros nas praias fluminenses e fica entre 3 e 3,5 metros nas demais áreas costeiras. Em mar aberto a altura das ondas fica por volta de 6 metros. A ondulação do mar pode ser verificada no mapa abaixo que indica a previsão de altura de onda e ondulação na quarta-feira à noite.

 

Imagem6

 

Com a presença do ciclone atuando ao largo da costa Sul e Sudeste pelo menos até o sábado (24), a previsão é de que a ressaca persista até o fim da semana. Na sexta-feira (23), apesar do mar ainda bem agitado, a tendência já é de diminuição da altura das ondas.

 

O pico da ressaca deve acontecer entre a quarta (21) e a quinta-feira (22). Como indicado abaixo, o mar fica muito agitado nas praias do Sul, de São Paulo e do Rio de Janeiro. A ressaca é forte e deve trazer problemas para as áreas costeiras de todo esse litoral. A ondulação predominante na quinta-feira (22) é de sudeste. A altura prevista das ondas fica entre 3 e 4 metros nas praias fluminenses e chega a 3 metros nas praias de Santa Catarina. O litoral de São Paulo, do Paraná e do Rio Grande do Sul tem ondas entre 2 e 3 metros.


A agitação marítima aumenta também no litoral do Espírito Santo na quinta-feira (22), com ondas entre 1,5 e 2 metros de altura. A ondulação do mar é de sul/sudeste.

 

Imagem7

 

Por causa das condições de vento e de mar previstas acima, a navegação no trecho do litoral do Rio Grande do Sul ao litoral do Rio de Janeiro é altamente desaconselhável pelo menos até o fim da semana.

 

 

+ mais notícias