Ícone de alerta
Alerta anterior Próximo alerta Fechar alerta

Muita chuva sobre GO, DF, MG e RJ no começo de 2022

Compartilhar Compartilhe no Whatsapp Compartilhe no Facebook Compartilhe no Twitter

Foto: Betim (MG), por Adriana Batista

7 min de leitura

Oferecido por

Foto: Betim (MG), por Adriana Batista

 

​​Uma grande mudança na circulação de ventos ocorre sobre o Brasil nos primeiros dias de 2022. Isso vai mudar o local onde a chuva mais volumosa e persistente vai cair.

 

Confira no vídeo a explicação da meteorologista Josélia Pegorim sobre o que vai acontecer com a chuva no Brasil no começo de janeiro de 2022

 

 

 

 

Como ocorreu a chuva intensa sobre a BA, TO, GO e MG


Em novembro e em dezembro de 2021, os ventos sobre o Brasil forçaram uma concentração do ar úmido sobre a Bahia, sobre o norte de Minas Gerais, Espírito Santo e também sobre o Tocantins e nas áreas ao norte de Goiás. Por isso houve a formação de grandes e persistentes áreas de instabilidade e da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), desde o final de novembro, que provocaram chuva forte e volumosa sobre estas regiões, por vários dias.

 

Em menos de um mês foram três eventos de chuva intensa, em pouco tempo, que causaram enchente, grandes alagamentos e muita destruição em cidades da Bahia, do Norte  de Minas Gerais, do norte de Goiás e do Tocantins.

 

Convergência de umidade sobre o Brasil em novembro e em dezembro de 2021

 


Concentração de ar úmido muda de posição

 

Nos primeiros dias de janeiro de 2022, a convergência dos ventos sobre o Brasil vai forçar a concentração de ar úmido sobre parte do Sudeste e do Centro-Oeste do Brasil. 


A situação é preocupante porque serão vários dias com ocorrência de várias horas com chuva moderada a forte. Por isso grandes volumes de água devem ser acumulados sobre o solo, sobre os rios e nas cidades. 

 

A situação é de alerta porque, com a formação da nova ZCAS (Zona de Convergência do Atlântico Sul), aumenta muito o risco de alagamentos nas zonas rurais e urbanas, enchentes com transbordamento de rios e córregos, além de deslizamentos e desmoronamentos de terra. 

 

 

Convergência de umidade sobre o Brasil muda de posição no começo de 2022

 


A chuva da Bahia vai “descer” para o Sudeste?

 

A partir do dia 31 de dezembro de 2021, a convergência de ventos mais intensa sobre o Brasil vai mudar de posição fazendo com que as grandes áreas de chuva mudem de lugar. Não é a chuva da Bahia que vai "descer" para o Sudeste. As áreas de chuva sobre a Bahia vão enfraquecendo e se dissipando já a partir desta quarta-feira. 


As cidades baianas que ficaram debaixo d´água nos últimos dias terão muito sol e a partir de quinta-feira.

 


Preocupação com a grande BH e o Grande Rio

 

A região da Grande Belo Horizonte/Cidades Históricas, do Grande Rio/Baixada Fluminense, da Zona da Mata Mineira e do Sul de Minas estão entre as áreas que devem receber grandes volumes de chuva na primeira semana de 2022. 

 

O relevo destas regiões, com grande quantidade de vales e morros, traz uma preocupação especial diante do grande volume de chuva esperado para a primeira semana de janeiro de 2022. 


A chuva será frequente e volumosa neste período, se acumula sobre os morros e encostas e encharca o solo. Isto vai facilitar a ocorrência de deslizamentos e desmoronamentos da terra. Tanto a Grande Belo Horizonte/Cidades Históricas como a região do Grande Rio/Baixada Fluminense têm longo histórico de problemas e desastres com períodos de chuva forte.

 

 

Goiânia e Brasília

 

A região de Goiânia e o Distrito Federal também estão entre as áreas que terão vários dias com chuva frequente, com vários eventos de chuva forte e volumosa. A chuva poderá causar transtornos como alagamentos, transbordamento de lagos, rios e desmoronamentos.

 

 

São Paulo e Espírito Santo

 

Os estados de São Paulo e do Espírito Santo serão menos afetados pela chuva intensa desta nova ZCAS do começo de janeiro de 2022, mas poderão ter dias com chuva forte.

 

No estado de São Paulo, as regiões com maior risco de ter chuva excessiva em poucos dias são o norte do estado, incluindo a área de Franca, de Ribeirão Preto e de São Carlos, a Serra da Mantiqueira, o Vale do Paraíba e o Litoral Norte. Mas durante a primeira semana de janeiro de 2022, a Grande São Paulo e a região de Campinas podem ter chuva moderada a forte, mas não persistente.

 

No Espírito Santo, ainda há risco de temporal até o dia 30 de dezembro, mas já no dia 31, as áreas de instabilidade perdem força. Os primeiros dias de janeiro de  2022 serão com sol e pancadas de chuva a partir da tarde, inclusive em Vitória, mas de forma eventual e de curta duração. 

 

Mato Grosso e Mato Grosso do Sul

 

O estado de Mato Grosso vai sentir a presença de grandes áreas de instabilidade na primeira semana de 2022, que vão provocar chuva frequente e volumosa em grande parte do estado.

 

Na região de Cuiabá, o tempo não fica completamente chuvoso, mas a população deve se preparar para vários eventos de fortes pancadas de chuva, que podem causar problemas

 

O estado de Mato Grosso do Sul será o menos afetado pelas áreas de instabilidade da ZCAS que se forma no começo de 2022. As pancadas de chuva devem ocorrer por todo o estado, mas em geral com períodos de sol. Há risco de chuva forte em Campo Grande e nas demais regiões do estado.

Conteúdo em Vídeo

Notícias Recomendadas

+ mais notícias